1. Spirit Fanfics >
  2. Vision "show me you" - Jikook >
  3. Session - Part 2

História Vision "show me you" - Jikook - Capítulo 14


Escrita por:


Notas do Autor


Volteiiii
Boa leitura bbs ❤

Capítulo 14 - Session - Part 2


Fanfic / Fanfiction Vision "show me you" - Jikook - Capítulo 14 - Session - Part 2

— Não precisa ficar assim, não é como se isso fosse o fim do mundo. — Taehyung falou assim que nossos corpos passaram pela porta giratória do grande edifício em direção ao elevador do corredor principal.

— Fala isso porque já está acostumado. — retruquei nada confiante.

— Eu também tive a minha primeira vez. — ele deu uma piscadela no mesmo instante em que as portas metálicas se abriram.

— Não faço ideia do que tenho que fazer, ninguém me disse sobre o que é esse ensaio.

Uma das piores coisas em se fazer algo pela primeira vez, era fazer algo que você nem tem ideia do que poderia ser. Quando aceitei ocupar o lugar de Taehyung na sessão eu sequer tive o cuidado de saber que tipo de fotos eu teria que fazer, e agora que já estava a poucos minutos do meu destino me encontrava totalmente perdido e ansioso.

Naquele momento jurei ter visto o garoto sorrir ladino.

— Nada que voce não possa dar conta, tenho certeza.

Quando as portas finalmente se abriram revelando o corredor claro do décimo quinto andar meus olhos se estreitaram em direção as grandes janelas posicionadas em cada canto daquela vertical, era possível ver claramente o céu claro dali. A visão era realmente encantadora. Mas eu não tive muito tempo para apreciar já que logo eu estava sendo puxado para a outra extremidade parando em frente a uma porta de madeira de onde era possível ouvir alguns burburinhos.

— Pelo visto todos já chegaram. — o garoto comentou enquanto apertava a pequena campainha ali.

— Todos? Quantas pessoas são necessárias para fazer uma sessão de fotos?

— Depende de quão grande é o projeto do contratante, pode ir de três pessoas até mais de vinte. Isso varia bastante.

Eu nem tive tempo de reagir quando a porta a nossa frente foi aberta revelando a presença de um homem que eu ainda não havia visto. Ele tinha cabelos tingidos de um laranja chamativo e os braços repletos de tatuagens diversas, mas o que mais me chamara atenção com certeza fora a câmera em sua mão. Ele também era fotógrafo? Então não seria Jeon que faria as fotos?

— Finalmente chegaram. Arrumem o garoto rápido logo será a vez dele. — o homem sibilou sem muita cerimônia deixando apenas o caminho livre para que pudéssemos passar.

Sem pensar duas vezes Taehyung nos arrastou para dentro da enorme sala enchendo meus olhos com tantas informações que eu quase não conseguia assimilar tudo o que estava acontecendo. Todas as paredes eram brancas, exceto a parede de vidro principal, mas o que rapidamente ganhou a minha atenção não foi a paisagem lá fora e sim todas aquelas pessoas que estavam ali. Haviam modelos homens e mulheres andando de um lado para o outro envoltos apenas por uma toalha branca, enquanto algumas outras pessoas variavam suas ocupações entre maquiagem e cabelo completamente concentrados no que faziam.

Na verdade, ninguém ali além de mim parecia estar se importando com a cena.

— Ei você. — um dos funcionários chamou a minha atenção. — É o modelo novo?

— Acho que sou. — murmurei meio abalado vendo o homem arquear suas sobrancelhas sem entender junto ao olhar repreensor de Taehyung. - Quer dizer... sim...sou.

— Ótimo, venha comigo. — ele repentinamente agarrou meus pulsos me arrastando em direção a uma das cabines de maquiagem um pouco mais privada que as demais. — Tire a sua roupa e vista aquele roupão que está pendurado.

Meu coração acelerou desesperado enquanto meus olhos fitavam o pano branco curto que parecia mais vulgar do que eu realmente gostaria. Isso era realmente sério? Tipo, eles nos dariam roupas na hora das fotos certo? Imediatamente busquei encontrar Taehyung para tirar satisfações mas ele já não estava mais ali: — Filho da puta!

— Não temos todo tempo do mundo. — o mesmo homem exclamou impaciente me trazendo de volta a realidade.

— C-certo, só... me de um momento. — assim que fechei a cortina vermelha me isolando dentro do pequeno cubículo encarei meu reflexo amedrontado no espelho. Meus cabelos loiros estavam desajeitados e minha respiração ofegante levantava e abaixava meu tórax com velocidade, era nítido o medo em meus olhos. Mas que inferno, o que eu estava fazendo ali? Aquele definitivamente não era meu lugar.

Minhas mãos correram pelo pano fino do roupão enquanto eu observava atentamente as letras bordadas a mão delineando as siglas J&K na parte traseira da peça em um tom dourado, dourado e brilhante como o ouro esbanjando toda a riqueza que Jeon Jungkook gostava. Toda sua extravagância fazia com que a raiva em meu corpo eriçassem meus pelos lembrando do rosto do fotógrafo.

Como eu poderia ser seu modelo quando o próprio já era muito mais belo do que eu gostaria. Odiava admitir mas Jeon era atraente, e mesmo contra a minha vontade apenas o timbre da sua voz fazia com que cada átomo em meu corpo sentisse necessidade dos seus toques. Droga, por que estou me sentindo assim?

Logo agora...

— Já está pronto? — a voz tornou a gritar me acelerando.

— Só mais um minuto! — exclamei desesperadamente tirando a minha roupa de forma desajeitada sem perder muito tempo encarando a figura no reflexo, e quando finalmente dei o último laço nas tiras do roupão abri a cortina encontrando a face impaciente do meu maquiador.

— Vamos logo com isso.

Imediatamente uma equipe veio até mim com suas mãos ágeis me preparando para a sessão de fotos, enquanto meu cabelo era escovado meu rosto recebia constantes pinceladas que coravam levemente minha pele sendo finalizado após o delineador com um gloss avermelhado que trouxe ainda mais vida aos meus lábios. E por fim de tudo aquilo o menino mal arrumado com cabelos negros simplórios e roupas velhas deram lugar a um novo Park Jimin, que passava uma imagem muito mais ousada do que realmente era.

Mas talvez aquela fosse a oportunidade de recomeçar, e deixar para trás o que guardei por tempo demais.

— Está belíssimo. — a voz grossa repentina de Taehyung voltou a preencher meus ouvidos enquanto se aproximava com um sorriso vitorioso no rosto segurando uma caixa escura amarrada delicadamente por um laço também negro. — É um presente de Jungkook. Ele quer que use isto na sessão. É ele quem vai fazer suas fotos.

Um misto de ansiedade e adrenalina atingiu todo meu corpo fazendo com que uma onda elétrica percorresse em minhas veias me deixando completamente paralisado. Jeon tiraria as minhas fotos? Sozinho? A ideia de estar diante da lente atenta de sua camera me pareceu pela primeira vez aterrorizante.

— Pensei que ele apenas administrasse a empresa agora. — foi a única coisa que consegui dizer.

— Normalmente sim mas, hoje ele quis tirar as suas fotos pessoalmente. Você realmente chamou a atenção dele.

— Eu não me importo. — falei com descaso enquanto desfazia o delicado laço entre meus dedos sem tirar os olhos da caixa.

Havia o nome de alguma marca cara que eu não conhecia gravado na tampa da embalagem, assim que a levantei me deparei com uma mascara de cetim preta junto a um pequeno bilhete escrito a mão. Soltei um riso seco, ele realmente gostava de bilhetes, aquele idiota.

'' Seus olhos conseguem ser hipnotizantes até mesmo por trás de uma máscara.

Me deixe capturar o quão excitantes eles podem ser, Me deixe te ver como eu quero.''

Bufei contrariado, ainda não estava acreditando que estava cedendo as vontades dele, mesmo com a desculpa em minha mente de que tudo aquilo era por Taehyung. Afastei tudo isso da minha cabeça como pude antes de continuar a observar o que mais havia naquela caixa, e assim que toquei no pano macio da boxer azul marinho todos os meus arrependimento voltaram.

— Que porra é essa? — questionei sentindo meu rosto queimar enquanto levantava a peça íntima em minha frente.

Taehyung gargalhou.

— Desculpa eu devia ter avisado antes. É uma campanha para uma marca de roupas íntimas.

— Nem fodendo! Eu vou embora.

— Não! — o ruivo exclamou segurando meus pulsos me impedindo de levantar dali. — Jimin já estamos aqui não pode desistir agora.

— Sim eu posso! — esbravejei soltando bruscamente suas mãos de mim.

— Nem por dois milhões de wons? — o questionamento do garoto fez meu corpo parar imediatamente virando em sua direção com um olhar curioso.

— Dois milhões de wons? Tá falando sério?

— Sim, esse é o valor do cachê se fizer as fotos. — ele respondeu com um olhar provocativo. — Bom, se não quiser vou respeitar isso, mas pense bem.

O garoto saiu do pequeno espaço me deixando completamente sozinho com meus pensamentos cruéis jogando na minha cara o quanto eu precisava daquele dinheiro. E porra, era muito dinheiro. Agora eu entendia o porque o modelo e seu fotógrafo idiota eram tão ricos, eles não se importavam com dinheiro porque tinham mais do que podiam gastar.

E eu era um fodido.

— Porra! — exclamei ainda irritado me jogando na cadeira novamente para encarar a maldita caixa. Uma máscara, uma cueca e uma fina blusa transparente de mangas longas enfeitada com algumas pequenas pedras brilhantes.

Joguei minha cabeça para trás suspirando mais uma vez enquanto agarrava as peças em minhas mãos desejando sumir dali na mesma intensidade que desejava aquele dinheiro. Ou eu fazia aquilo, ou não teria o que comer no dia seguinte.

Pouco a pouco livrei meu corpo do cetim branco deixando minha pele leitosa exposta o suficiente para receber os presentes educadamente enviados pelo homem mais sexy e irritante que eu conhecia. Deixei que o pano macio subisse por entre as minhas coxas se agarrando em minha cintura perfeitamente delimitando minhas curvas com perfeição, coloquei então a blusa transparente brilhante abotoando demoradamente cada botão até que estivesse completamente fechada até um pouco a baixo da minha virilha.

Quando a máscara se tornou o último adereço que faltava parei por um instante me lembrando da noite em que aquela festa aconteceu, o primeiro dia em que vi Jeon pessoalmente vestido com seu blazer azul e aquelas típicas calças de couro que faziam qualquer um salivar desejando por apenas um aperto que seja. Chega Jimin... não pense essas coisas.

Foi ali lutando contra meus próprios desejos e pensamentos que amarrei a fita negra entre meus cabelos cinzentos deixando que a máscara se ajustasse perfeitamente em meu rosto deixando a minha imagem no espelho ainda mais irreconhecível.

Se Kwan me visse...ele saberia quem eu era?

                ~~~~~~       ~~~~~~

— Park Jimin? — uma voz feminina me chamou longos minutos depois tirando a minha atenção que antes estava fixada nos modelos que estavam sendo fotografados em minha frente. — Jeon está a sua espera na sala 302.

— Nós não vamos fazer a sessão aqui como todo mundo? — questionei visivelmente perdido.

— Ele preferiu alugar uma sala privada. Por favor me acompanhe.

Sala privada? Qual é, ele não vai parar de me surpreender? E porque ele queria ficar longe de todos se estávamos na mesma campanha? Nada que Jungkook faz possui algum sentindo. Senti meu peito palpitar no instante em que comecei a caminhar por aquele mesmo corredor atrás da garota de cabelos negros que parecia singela. Ela também não achava isso estranho?

Meus olhos recaíram para as letras estampadas na camisa preta em suas costas, com aquela mesma cor dourada do meu roupão. Provavelmente era mais uma funcionária da agência acostumada com as loucuras do fotógrafo.

— Ele sempre faz isso? — perguntei quebrando o silêncio que pairava pelo ar.

— Como?

— Jungkook, ele sempre faz isso com os modelos que contrata? — uma pequena pausa foi feita, a garota parecia não saber bem como agir, como se estivesse envergonhada. — Hum?

— São assuntos privados, desculpe. — ela respondeu abaixando seu olhar.

— Deve ser um saco trabalhar pra ele, eu sei, mas não precisa ficar assim... Jina. — sibilei dando ênfase no nome escrito em seu crachá. — Conheço bem homens como ele, sei bem como são.

— E como somos? — a voz masculina surgiu repentina em minhas costas me fazendo congelar imediatamente no instante em que seus olhos fitaram os meus.

— Desculpe senhor. — a garota disse se curvando em uma curta reverência.

— Tudo bem, pode ir. — assim que Jeon ordenou ela saiu dali me deixando a sós com meu holocausto. — Entra.

Sua voz não parecia com raiva, mas possuía uma rigidez qual eu ainda não havia ouvido, o que me deixou seriamente pensativo sobre o que passava em sua cabeça. Jeon era um enigma e por mais que eu tentasse me convencer do contrário, seu jogo chamava minha atenção diretamente para dentro do seu olhar.

A sala estava parcialmente escura sendo iluminada somente pela luz natural que vinha da janela. Mas isso pouco me importava já que eu não conseguia desviar meus olhos da figura parada na porta encarando todo meu corpo com atenção. Jeon vestia uma camisa social que parecia mais fina do que deveria, seu tom branco se tornava quase transparente nos exatos locais onde delineavam seus músculos.

Aquela porra de calça de couro também estava presente, deixando ainda mais visível tudo aquilo que me fazia salivar de forma inconsciente, e sinceramente a gravata azul marinho não ajudava em nada minha imaginação precária. Pouco a pouco desci meu olhar pelo seu corpo finalmente parando frente a câmera profissional em suas mãos.

Ele sabia para onde eu estava olhando, e por alguma razão isso fez tudo ali parecer ainda mais explícito.

— Jimin, você sabe porque as pessoas gostam tanto das minhas fotos? — seu questionamento veio junto ao barulho da tranca da porta se fechando, desnorteado eu apenas balancei a cabeça negativamente. — Porque eu apenas capturo o que é real, odeio fingimento. E é por isso que eu sempre faço os meus modelos sentirem o que quero transmitir.

— O que quer dizer com isso? — minha voz saiu quase em um tom falho de sussurro quando notei que a cada palavra dita ele se aproximava ainda mais de mim.

— Quero dizer que... se me pedirem uma imagem triste, eu vou fazer com que as lágrimas sejam reais, se me pedirem um rosto feliz, eu vou fazer com que a pessoa fique feliz... — a essa altura eu já podia sentir sua voz próxima a minha orelha, soprando cada sílaba como se fosse um mandamento. — ... e se me pedirem uma expressão de prazer... eu vou te dar prazer. Tire o roupão.

— E-eu..

— Quer que eu te ajude? — para ser sincero a minha vontade era mandar ele se foder e se afastar de mim, mas por alguma razão eu não mandei, eu não fiz nada. Seu corpo estava frente ao meu, próximo demais, quente demais. Senti suas mãos agarrarem minha cintura unindo brevemente nossas coxas sem nenhum aviso, seus lábios se aproximaram dos meus conforme seus dedos iam subindo pela extensão do pano que protegia minha pele do contato direto. Uma onda de sensações mistas invadiu todo meu tórax me fazendo arfar, quase como um gemido involuntário causado por seus toques fazendo Jungkook sorrir descaradamente. — Ainda acha um saco trabalhar pra mim?

— Seu... — filho da puta, idiota, imbecil e descarado. Era o que eu teria dito se não tivesse sido repentinamente interrompido pelo gosto quente da sua boca invadindo a minha.

Jeon selou ardentemente nossos lábios sem deixar uma brecha sequer para que eu pudesse sair dali. Desesperado seus braços rodearam minha cintura me conduzindo com fervor para a parede mais próxima, um leve suspiro escapou por entre o beijo no instante que senti a textura fria do cimento revestido em minhas costas ainda cobertas. Jeon mordiscou meu lábio inferior no instante em que suas mãos se encheram com a carne farta da minha bunda por debaixo da seda branca, forte o suficiente para que a marca de seus dedos permanecessem ali.

Pouco a pouco o laço se desfez, deixando que a peça caísse pelo meu corpo até o chão como uma cachoeira. O fotógrafo encarou minha iris castanha através da máscara negra com um ar de admiração misturado a excitação do momento, eu estava tão envolto a ele que sequer percebi o que estávamos fazendo.

— Voce é tão lindo. — sibilou. — Não sei como não te encontrei antes.

— Não sou do tipo que gosta de chamar atenção.

— Mas chamou a minha.

— Bom, parece que tive esse azar. — respondi desafiador fazendo com que o moreno risse desacreditado.

— Ainda não está excitado. — ele sibilou tirando toda e qualquer firmeza que eu havia construído a pouco.

— O quê?

— Estamos fotografando para uma linha íntima. — relembrou. — Isso significa que você tem que estar duro o suficiente.

— Tá falando sério?

— Uhum.

Jungkook se afastou por um instante enquanto eu tentava assimilar tudo que acabara de ouvir, do outro lado da sala vi ele fechar as cortinas cobrindo toda a parede de vidro deixando a sala totalmente escura. Pelo menos até uma única luz artificial ser ligada, era clara e iluminava muito bem o ponto onde ele a havia posicionado.

Havia um grande quadrado branco no chão em baixo da luz, era bem limpo e parecia fazer parte do cenário montado pelo fotógrafo. Assim que tudo estava pronto Jeon fez um sinal para que eu fosse até ele, mesmo ainda um pouco receoso caminhei lentamente em sua direção encarando tudo aquilo.

— O que você vai fazer? — questionei observando as algemas prateadas penduradas nas mãos do moreno. Aquilo era estranho, e no mínimo assustador... me lembrava coisas ruins. — Não quero que use isso em mim.

— Por quê? Você nunca experimentou? Sabe que pode gostar...

— Jungkook sem algemas! — exclamei firmemente observando a expressão interrogativa em seu rosto, ele tinha razão eu nunca havia experimentado aquilo, não dessa forma. E as anteriores não foram boas. — Por favor.

Ele assentiu.

— Tudo bem, vamos no seu tempo. Não preciso disso pra conseguir uma boa foto. — um sorriso ladino se formou em seus lábios assim que ele voltou a ficar em minha frente tocando em um lado das minhas bochechas com seus dedos, Jeon acariciou a região sem pressa antes que seus dedos pousassem em cima dos meus lábios fazendo movimentos circulares. — Deita.

   Meu corpo foi levado quase que automaticamente ao chão claro junto ao dele, Jungkook fez questão de se sentar sobre o meu quadril com suas coxas uma em cada lado do meu corpo me prendendo ali enquanto o resto do seu peso faziam uma pressão quase inocente em cima do meu membro coberto apenas pela fina camada azul marinho.

   A câmera foi colocada bem ali ao meu lado, deixando que suas mãos voltassem a ficarem livres para me tocar. E um a um cada botão da camisa transparente foi aberta deixando todo meu peitoral exposto.

  O fotógrafo se inclinou em minha direção cobrindo toda a região com seu próprio tronco até que voltasse a tocar minha pele com seus lábios. Um pequeno selar de desejo foi deixado em minha clavícula antes que uma série de beijos fosse distribuida pelo meu pescoço, Jungkook chupou cada centímetro de pele aparente da região me fazendo suspirar a cada estalo que era dado.

   Quando me dei conta já havia cedido ao desejo que me consumia e minhas mãos agarravam com firmeza seus fios negros na tentativa de traze-lo para mais perto. No instante em que sua boca desceu para o meu peitoral vasculhando toda a região arqueei minha cintura na direção de suas pernas na tentativa de conter a rigidez já aparente.

— Perfeito. — ele murmurou movendo um pouco seu corpo em movimentos de vai e vem.

— Puta merda.

   O garoto foi ágil em pegar sua câmera sem parar por nenhum instante de se mover me excitando ainda mais, eu estava completamente entregue e sem nenhuma força para lutar contra isso. Ali deitado no chão encarei seu rosto, parecendo tão sedendo quanto ao meu em cada click que sua câmera dava em minha direção, tudo isso apenas o deixava ainda mais bonito.

E eu, apenas mais perdido.

             ~~~~~~~     ~~~~~~~


Notas Finais


Declaro que daqui pra frente é só decadência rsrs
Até a próxima 😗❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...