1. Spirit Fanfics >
  2. Vitória >
  3. Nem tudo é maravilha

História Vitória - Capítulo 1


Escrita por:


Capítulo 1 - Nem tudo é maravilha


Fanfic / Fanfiction Vitória - Capítulo 1 - Nem tudo é maravilha

México.

Em 1890 nasceu uma criança uma menina seus cabelos era como o fogo, seus pais estava felizes era sua primeira filha tanto esperada é desejada deram o nome de vitória mas a criança era bastante especial, com o passar do tempo quando ela tinha apenas 5 anos uma aurea vermelha tomou conta de sua mão. Seus pais ficaram bastante surpreso a menina conseguia fazer coisas incríveis, havia puxado o dom de sua mãe mas surpreendeu porque sua mãe Rayssa Só souber de seu poderes quando tinha 14 anos, mas o de vitória se manifestou muito cedo.

Vitória on.

Minha infância foi fácil por outro lado não tive que esconder meus poderes, naquele tempo era considerado bruxaria mas com certeza eu não era bruxa é se alguém soubesse poderia ser condenada a fogueira. Por essa razão morávamos bem longe da cidade minha casa era em um campo grande rodeado de árvores ficava bem de frente para floresta, eu tinha como animal de estimação uma raposa-vermelha  ela sempre estava comigo seu nome era Red Fox, já tinha mãe tinha um gato era como se fosse uma tradição. Em 1899 quando tinha nove anos tive uma irmã chamada Victória, a única palavra que posso descrever ela era linda ruiva assim como eu é a mamãe mas ela não herdou o dom da mamãe, acho que fui a única eu é ela sempre formos muito apegadas sem a protegia. Ela achava meu dom incrível tudo estava muito bom para ser verdade então aconteceu.

Com o passar do anos fui aprimorando mais é mais meu dom as coisas que eu fazia era de outro mundo, então quando fiz 19 anos tudo mudou em um pisca de olhar. 

Acordei em uma manhã linda me levantei tomei um banho para tirar o resto do sono, vestir um vestido cinza longo fui até a janela olhei para o céu estava com cara que ia chover passei pela porta até a cozinha, encontrei minha mãe meu pai é minha irmã sentados na mesa.

Vitória: Bom dia família! - dei um abraço em minha mãe é me sentei.

Rayssa: bom dia filha o café está quando pronto! 

Nikolai: dormiu bem filha? - deu um beijo na minha testa.

Vitória: sim como um bebê! E você imã? - olhei para Victória que brincava com red é Mustafá o gato da minha mãe.

Victória: sim, só tive alguns sonhos estranho nada de importante.

Logo minha mãe serviu o café é tratamos de comer como sempre estava delicioso, quando acabamos cada lavou o que sujou decidir que iria caminhar um pouco na floresta.

Vitória: vou dar uma volta na floresta! - avisei antes de sai.

Rayssa: tome cuidado! - minha mãe me avisou fiz carinho no red antes de sair.

Meu pai passou por mim me dando tchau é foi para outra direção para seu trabalho, antes de eu continuar ouvir alguém correndo até mim me virei é vi Victória parou na minha frente me abraçando.

Vitória: o que aconteceu irmã? - seu rosto era triste.

Victória: sinto que vai acontecer alguma coisa! - me abraçou mais forte.

Vitória: Não se preocupe irmã nada vai acontecer, agora tenho que ir Te amo irmã! - beijo topo da sua cabeça.

Victória: Também te amo irmã! - olhei para trás é vi de cabeça baixa voltando para casa, mal sabia que seria a última vez que veria meu pai é minha mãe.

Uma hora depos....

Depois de tanta caminhada cheguei no meu destino um bosque que descobri algum tempo, bem ao meio tinha um buraco grande olhei para baixo é vi água parecia fundo. Tireu minha roupa só fiquei com outro vestido fino por baixo respirei fechei meus olhos é pulei, sentir água feria mais não muito bate no meu corpo fui abrindo meus olhos puco a pouco até ver; era lindo aguá bem azul dava de ver tudo as pedras mas para o lado era bem escuro poderia dar medo mas não sentir. 

Depois de alguns minutos voltei para superfície logo uma aurea vermelha apareceu em minha mão, me fazendo levitar até a saida é me sentar na beirada o sol iluminou onde estava é fiquei ali sentada até está seca. Bom acabei pegando no sono acordei com som de galho quebrando, me levantei é vi que ainda estava no bosque já estava quase escurecendo comecei a vestir minha roupa. 

Olhei ao redor estava tudo tão bonito os vaga-lume iluminava o lugar fazendo ficar mas bonito, é caminhei até a saida do bosque já ficando mais escuro nunca tive problema com o escuro, então não liguei até sentir alguém me vigiar a rapidez com que a pessoa andava mais me mantive a calma. Até pisar em um galho é escurega para abismo abaixo mas antes diszo acontecer, uma mão gelada me segurou pela cintura me perdendo ao seu corpo como não sentir o impacto da queda fui abrindo meus olhos devagar, é vendo um homem de olhos vermelhos sua beleza era impressionante mas não chegava a me encantar tanto um sorriso apareceu em seu rosto.

Olhei ao redor e só havia ele ali além de mim me afastei dele o analisei bem devia ter mais ou menos seus 22 ah 23, cabelos pretos liso um pouco alto forte até que era bonito mais seus olhos era o estranho nele. 

Vitória: obrigada! - agradeci é passei por ele mas logo ele já estava na minha frente de novo, fiquei supresa mas não demonstrei.

Desconhecido: o que uma garota linda como você está fazendo essa hora aqui sozinha? - parecia que ele queria me seduzir.

Vitória: sempre venho aqui sozinha com licença! - passei de novo sentir sua mão ao redor do meu pulso não muito forte é não muito frouxo.

Desconhecido: é perigoso uma moça como você está aqui sozinha sem proteção! - ser aproximou de mim tentei o empurra mais ele era forte.

Vitória: Não preciso de proteção! - tentei de novo me afastar dele, ele chegou mas perto ainda afastado meu cabelo é deixando meu pescoço exposto.

Desconhecido: seu cheiro é muito bom irei saborear cada gota! - no mesmo estante ele foi arremessado para outro lado, pela sua cara parecia supreso seu olhar veio para mim meu corpo era rodeado pela aurea vermelha. - como você fez isso? - já estava de pé de novo rosnando para mim. 

Vitória: Não importa só fique longe de mim! - ele veio para cima de mim levantei minha mão na direção ele é o prendir no ar o jogando longe, é comecei a correr rapidamente então fui jogada ele ficou por cima de mim, ele ser aproximar de meu pescoço mas o segurei é por um momento de distração acabei o soltando, ele veio para cima de mim e mordeu meu pescoço soltei um grito o empurrando sentir uma queimação horrível. Juntei minhas forças é arranquei sua cabeça é deixei meu corpo ser levado pelo cansaço, escuridão e dor.

















Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...