1. Spirit Fanfics >
  2. Vitória >
  3. 1909 onde tudo mudou

História Vitória - Capítulo 2


Escrita por:


Capítulo 2 - 1909 onde tudo mudou


Fanfic / Fanfiction Vitória - Capítulo 2 - 1909 onde tudo mudou

Narradora on.

Vitória sentia a pior dor que podia existir seu corpo estava pegando fogo por dentro, tudo queimava sentia aquilo por suas veias seu coração a mil por hora seus gritos de socorro, mais ninguém podia ouvir naquela floresta escura é longe de tudo ela só desejava morrer é acabar com aquilo, mas aquilo só estava começando seu corpo se torcia todo enquanto o veneno fazia efeito nada podia ser feito, tudo por dentro estava ser tornando gelo seu coração o veneno chegando a sua cabeça ser espalhando por seu corpo. Seus gritos podia ser ouvido por todo o bosque chegava assustar os animes ao redor, seu corpo a ganhar mais curvas seus cabelos mas vidas a marca da mordida sumindo sua pele mais branca, então seus gritos secaram seu coração deu uma última batida e parou tudo ficou em silêncio, então olhos vermelhos foram abertos.

Vitória on.

Minha cabeça pegava fogo minha garganta já estava seca de tanto gritar, queria me mexer mas não conseguia meu corpo não reagir ao meus comandos mas acho que mesmo que alguém me encontrasse não poderia fazer nada, ser o inferno fosse o que eu estava sentindo já estou o conhecendo é clamava por ajuda de qualquer pessoa. Tive a certeza que iria morrer só queria ver minha família pela última vez.

Ao amanhecer.

Merda merda a maldita queimação ainda sentia por meu corpo em um certo momento sentir meu coração parar, então sabia que tinha chegado o momento o meu coração parou a escuridão veio de novo. Mas despertei de novo com meu corpo pegando fogo queimando, meu coração a todo vapor de novo não intendia o que estava acontecendo já era para eu ter morrido, mil perguntas ser passava por minha cabeça mesmo não querendo gritar não conseguia evitar, então veio as lembranças da minha infância cada momento com minha mãe com meu pai, quando vi minha irmã pela primeira vez seu choro seus olhos quando a peguei no colo flashback das coisas que eu vivir foram passando. Então a queimação parou parei de gritar ouvir então meu coração dar uma última batida é tudo ficar em silêncio.

Como ser fosse uma calmaria antes da tempestade, conseguir finalmente me mexer abrir meus olhos para minha supresa, podia ver tudo até coisas pequenas insetos o barulho dos animais a água da cachoeira caindo, era tudo maravilhoso mais de qualquer jeito ainda estava assustada não intendia nada, olhei ao redor é vi o corpo do cara que arranquei a cabeça mas tudo por dentro dele era pedra comecei a correr assustada, percebi que estava correndo em um velocidade sobre-humano mais não parei queria chegar em minha casa, não demorou muito na saída da floresta podia ver minha casa mas tinha alguma coisa estranha. Tinha varias pessoas é...o no ser formou na minha garganta minha casa estava pegando fogo é as pessoas parecia não fazer nada, não vi meus pais nem minha irmã. 

Mesmo de longe podia ver eles muito bem parecia ser as pessoas do vilarejo que ficava quase aqui perto, via suas veias pulsando no meus pescoço um ardor tomou conta da minha garganta estranhei. Não intendia o que podia está acontecendo comigo é minha casa pegando fogo, esperei aquelas pessoas ir embora,  para me aproximar quando cheguei mas perto a casa estava toda sendo consumida pelas chamas ouvi alguém grita meu nome, olhei para trás é vi Victória correndo na minha direção chorando ela ssr jogou nos meus braços, cheguei a sentir o gosto do seu sangue mais me segurei.

Vitória: o que aconteceu Victória? Por que a nossa casa tá pegando fogo é os nossos pais? - afastei um pouco olhando em seus olhos vermelhos de tanto chorar.

Victória: aquelas pessoas chegaram aqui em casa com várias tochas de fogo, acusando a gente de bruxarai mamãe mandou eu sair pela porta de trás é corre e me esconder na floresta, então fiz isso mas conseguir escutar falando que um deles viu você fazer bruxaria! - então me lembrei do dia que estava na floresta treinando meus poderes escutei um barulho, é alguém me observando mais não vi nada. - a mamãe é o papai estava tentando convencer eles que a gente não era bruxos mas....eles tacaram jogo na casa com os nossos pais lá dentro..os gritos deles era horrível! - voltou a chorar me abraçando sentir as lágrimas acumular em meus olhos mas não saia nada, não conseguia chorar, sentir uma dor tomar conta de mim ao mesmo tempo um desejo de vingança.

Vitória: Victória escuta eu preciso que você volte a ser esconde na floresta, é não saia de lá até eu voltar eu vou resolver isso! 

Victória: Não, eles vão matar você também! 

Vitória: Não vão, eu prometo que vou voltar eles precisa pagar pelo que fizeram, agora vá! - correu para floresta é corri para o vilarejo que não era muito longe, única coisa que ser passava por minha cabeça vingança eu farei todos pagarem, séria uma coisa que minha mãe não iria querer mas estou consumida pelo desejo de sangue. 

Quando cheguei perto o bastante andei normalmente entre a população, mas sentia minha garganta queimar cheguei perto de um grupo que estava bem agitados

Vitória: o que aconteceu na casa que ficar na floresta? - perguntei como ser não fosse nada.

Garota: Nos colocamos fogo, era uma casa de bruxas, um dia estava andando é vi a filha deles fazendo bruxaria é contei o que vi para todos, acabamos com aquelas aberrações! - sorriu como tivesse ganhado alguma coisa.

Vitória: Certeza? - quando ela ia responder, olhou para mim bem para mim é arregalou os olhos sorri.

Garota: Vo..você BRUXAAAA! - gritou desesperada como ser fosse adiantar alguma coisa.

A população ficou ao meu redor gritando para me levar a fogueira, me chamando de aberração.

Vitória: vocês irão pagar pelo que fizeram com os meus pais, e você por ter a língua grande! - sorrir de forma psicopata.

Meu corpo tomou a aurea vermelha Primeiro coisa que fiz foi prender a garota, tentaram me atacar com fogo mas me atingiu o queimação da me garganta ficou maior o instinto assasino tomou conta de mim. Deixei ser levada ataquei cada um deles mordendo seus pescoço é tomando seu sangue todinho até não ficar uma gota, muitos tentaram sair da vila mais fiz uma barreira os impedindo eles gritava batia contra a barreira, um deles pegou uma espingarda é atirou em mim chegou bem perto de mim a bala é ficou flutuando, é devolvi para o dono o acertando na perna acabei com a vida de cada um deles o sangue deles se esvaziando por completo.

É por último foi a língua grande fui chegando bem perto dela como um predador, sentia o seu medo sua veia pulsando rápido.

Vitória: você gosta de falar muito né principalmente das vida alheia! - sussurrei Em seu ouvido.

Garota: você merece a morte sua aberração como seus pais! - ela tirou uma taca do seu vestido é me acertou na barriga, o que não fez nada sendo que a faca quebrou sorri para é vi o meu em seus olhos.

Vitória: te vejo no inferno! - enfiei meus dente no seus pescoço saboreando seu sangue, até não sobra nada e seu coração para.

Limpei minha boca voltei ao meu estado normal olhei ao redor vendo o que fiz várias corpos pelo chão, foi ai que juntei as peças de tudo já havia lido eu virei a porra de uma vampira. Voltei para o lugar onde ficava minha agora ex casa, chamei por Victória que apareceu aliviada por volta sem machucados.

Vitória: está tudo feito, acabou! 

Victória: e agora onde vamos ficar, o que vamos fazer? - olhamos para nossa casa queimada, escutamos um barulho é olhamos de onde vai era  Red Fox é Mustafá ainda estava vivos eles vieram correndo até nós.

Vitória: Red Mustafá! - abraçamos eles agora só sobrou eles como nossa família, Mustafá olhou para nossa casa! - também irei sentir saudades dela, agora vamos um lugar mais seguro! - não poderíamos ficar mas aqui todos iria desconfiar, amanhã irei voltar para ver ser sobrou alguma coisa.

Eu Vitória tinha morrido já não era mas Huamana, no dia 20/06/1909 Vitória humana tinha sido enterrada.















Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...