1. Spirit Fanfics >
  2. (TodoBaku)Viu como eu consigo mudar você? >
  3. Preocupação

História (TodoBaku)Viu como eu consigo mudar você? - Capítulo 11


Escrita por:


Notas do Autor


Desculpem não estar focando muito em escrever essa fic, estou planejando varias outras fics, uma dessas eu acho que vocês ja viram, por que eu ja postei. Mas tem outra que eu vou escrever junto da @AKUMA__ por isso, por enquanto vocês só vão saber disso. Podem ler, desculpem caso esteja atrapalhando a leitura de vocês.

Capítulo 11 - Preocupação


BAKUGOU P.O.V

Assim que o meio a meio idiota foi embora, eu ouvi sua conversa com o medico, por que ele se importa tanto com meu estado?...não, ele deve estar só fingindo, assim como fingiu gostar de mim...

Eu não estava com ferimentos graves, e por conta das peculiaridades dos médicos, apenas fiquei com uma pequena cicatriz na cabeça.

Assim que me deram alta, fui para o dormitório novamente, já esperando os professores na porta, apenas para me dar um sermão por ter saido depois do toque de recolher. Mas não foi isso que aconteceu, assim que eu cheguei o professor aizawa estava me esperando, junto de todos os meus colegas.

Assim que entrei, aizawa foi ate mim.

- Você esta bem? - okay...essa não era a pergunta que eu esperava.

- Sem sermões nem nada? O que deu em você? - sorri convencido de que eu não teria que aturar o professor gritando comigo.

Percebi que apos eu ter dito aquilo, a maioria das pessoas a minha volta suspiraram e sorriram.

Eu sem entender nada, levantei minha mão e cocei atras da minha nuca, como um sinal de quem não estava entendendo o que estava acontecendo.

- Kacchan...o Todoroki contou para agente o motivo de você ter saido correndo...você esta bem com isso? - questionou o Deku, com um rosto preocupado.

- Acho que vocês estão me subestimando, não vou ficar triste só por causa disso, eu entrei na U.A para me tornar um herói, não para arrumar um namorado. - dei um sorriso confiante, estava totalmente quebrado por dentro, mas vou fingir estar confiante e forte...mesmo que isso me quebre mais ainda.

Muitas pessoas me olharam com pena depois daquela frase, principalmente o deku, mas logo eles sorriram. Mas o Deku estava com uma cara preocupada, não fico surpreso, ele me conhece desde criança, ele sabe quando eu estou fingindo.

- kacchan. - o olhei confuso, esperando ele continuar o que estava dizendo. - podemos conversar a sós? - perguntou fazendo sinal para que eu o seguisse. E assim fiz...

- o que você quer deku? - questionei com a sombrancelha arqueada, logo percebendo ele sentar na cama e fazer sinal para que eu copiasse seu ato.

E assim fiz, sentei ao seu lado, fazendo sinal para que ele falasse logo o que ele queria falar.

- Pode se abrir comigo kacchan...você sabe que eu te conheço desde criança, eu sei quando você esta fingindo... - ja esperava isso, então por que eu estou tao confuso e surpreso sobre isso???...

- como percebeu?... - perguntei abaixando levemente minha cabeça.

- kacchan...você sempre dizia que queria entrar na U.A para ser o herói numero um, mas hoje você disse que entrou na U.A, apenas para ser um heroi...isso já demonstrou muito, sua falta de confianssa em si mesmo. - fiquei surpreso com sua resposta, mas era verdade, eu estava tao triste e concentrado em passar confiança em meu sorriso, que não notei o que eu havia falado.

Espero que só ele tenha notado esse detalhe, mas acho impossivel que o kirishima tambem não tenha notado.

- eu realmente quero pensar assim, mas eu não consigo esquecer ele...por que isso é tão difícil? - apartir desse momento ja tinham lagrimas escorrendo do canto de meus olhos, eu estava com os olhos fechados. Mas notei que o esverdeado tinha me abraçado, apenas retribui o abraço, e deixei que ele ficasse com o trabalho de me acalmar.

Aquilo era tão ridiculo, quando foi que eu fiquei tão fraco?...ah ja sei, foi quando aquele idiota do meio a meio apareceu na minha vida.

Isso esta tão ridiculo que eu quero dar um tapa na minha própria cara, só para não ficar chorando pelos outros.

Como eu fui de uma pessoa que fazia os outros chorarem, para uma pessoa que chora pelos outros? Maldito meio a meio...

Ouvi o som de uma batida na porta, mas apenas ignorei, ouvindo o Deku falar para a pessoa entrar.

Nem me dei ao trabalho de virar para ver quem era, aquela sensação era tão boa, eu estava me acalmando.

Os soluços que antes estavam descontrolados, agora quase nem se dava para ouvir, apenas minha respiração falhando as vezes.

Eu senti a presença de uma pessoa sentando atrás de mim, mas ainda sim...nem me virei para ver quem era.

Mas eu ja sabia quem era, era o cabelo de merda, não tinha como ser outra pessoa.

Logo senti outra pessoa me abraçando, me deixando no meio deles.

Era a melhor sensação que eu já havia sentido...nem minha própria mãe conseguia me deixar tão calmo, apenas com um abraço.

Ficamos no minimo 10 minutos apenas naquela posição, assim que senti meus olhos pesarem, ja sabia que já havia chorado o suficiente.

Acho que ja estava na hora de eu ir para o meu quarto, antes que eu acabe dormindo no quarto do deku.

- muito obrigada mesmo... - falei me desfazendo do abraço, não sou muito de agradecer algo, mas dessa vez eu senti obrigação de agradecer pelo que eles estavam fazendo por mim.

KIRISHIMA P.O.V

Já faz 15 minutos desde que o bakugou foi para o quarto do meu namorado, talvez eu deva ir la para ajudar a acalmar o bakugo.

Eu consegui perceber seu olhar sem aquela confiança de sempre, seu olhar estava frio e triste, muitos perceberam isso.

Falei para o professor aizawa que iria subir para ajudar o midoriya. Ele sabia que eu era a pessoa que mais conhecia o bakugou, depois do midoriya. Então ele sabia que eu poderia ajudar.

Assim subi as escadas rapidamente, parando na frente da porta do meu namorado, tentando puxar alguma coragem para o que estava prestes a ver.

Eu havia ouvido alguns soluços, eu sabia que o bakugou estava chorando, so de ouvir ja foi de partir meu coração.

Assim bati na porta, esperando alguém mandar eu ir embora, ou pedir para que eu entrasse.

Assim escutei o meu namorado dizer para eu entrar, e assim fiz.

Mas congelei na porta assim que vi bakugou com seu rosto escondido no peito do esverdeado...isso era de se partir o coração de qualquer pessoa que sabe como o meu amigo é, ele sempre foi confiante, explosivo e com o ego nas alturas, ver ele chorando como uma presa indefesa, é de se partir o coração.

Eu não tenho palavras para descrever o aperto no meu coração de ver o meu melhor amigo chorando por causa de uma pessoa que ele ama, eu quero quebrar a cara daquele idiota, por fazer meu melhor amigo chorar desse jeito.

Eu apenas me aproximei sentando atrás do bakugou, e o abraçando. Mesmo sem dizer nada, sabiamos que aquilo estava ajudando muito ele, ele estava se acalmando mais aos poucos.

Apenas eu e midoriya sabemos o seu passado, mesmo que ele sempre teve tudo que queria, ele nunca ganhou um abraço verdadeiro de seus pais, nem carinho.

Pode parecer muita idiotice dizer isso, pois muitos dizem que ele merecia ter apanhando mais, para poder ser uma pessoa mais legal.

Mas seus pais mal tinham tempo para si, ele sempre teve tudo que quis, mas e o amor? Carinho? Era tudo o que ele mais queria, isso é uma coisa que só eu o meu namorado tivemos a honra de saber.

Por conta disso, eu sabia que ele não se desfazeria desse abraço tão cedo, ainda mais por estar tão sensível.

Ficamos 15 minutos no maximo, ainda naquela posição, ai ele se desfez do abraço e ficou em pé.

Seus olhos estavam muito vermelhos de tanto que ele havia chorado, e seu cabelo estava mais bagunçado do que o normal.

Ele agradeceu pelo abraço e saiu do quarto, provavelmente ele deve estar com sono.

Toda a vez que eu choro, quando eu finalmente paro, eu durmo.

Eu olhei com um olhar preocupado para o meu namorado, assim ele suspirou e me abraçou.

Estamos muito preocupado com o Bakugou... 




Notas Finais


Tadinho do meu bebê 😣✊🏻💕

Sei que vocês estão com raiva do todoroki :)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...