História Viva o Amor - Capítulo 11


Escrita por:

Postado
Categorias Laura Prepon, Orange Is the New Black, Taylor Schilling
Personagens Alex Vause, Laura Prepon, Personagens Originais, Piper Chapman, Taylor Schilling
Visualizações 151
Palavras 3.368
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ficção, LGBT, Romance e Novela, Violência, Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Boa leitura ❤

Capítulo 11 - Whisky, Pesca e Conselhos


Fanfic / Fanfiction Viva o Amor - Capítulo 11 - Whisky, Pesca e Conselhos

Queria mesmo que eu estragasse a surpresa?

-Taylor

Eu não acreditei quando eu vi meu pai em minha frente, o céus eu sentia tanto a sua falta e agora ele estava alí bem na minha frente, a felicidade corria por todo meu corpo, meu pai era a pessoa que mais me entendia no mundo, a pessoa que sempre esteve ao meu lado mesmo quando eu errava. Não exitei em correr e abraça-lo, quando o abracei senti que todo aquele desacolhimento de minha mãe havia sumido, agradeci a Laura mentalmente por aquele reencontro. Sai dos braços de meu pai e fiquei parada ao lado de Laura, peguei um sua mão e os apresentei.

-Papai essa é Laura,minha namorada e Laura esse é meu pai, Robert!

-Prazer em conhece-la Laura! - respondeu meu pai apertando como forma de comprimento a mão de Laura.

-O prazer é meu Sr Schillimg! -Falou ela, retribuindo o aperto dr mão.

-Não, sem essa formalidade, apenas Robert OK?

-OK então Robert! -Laura respondeu dando uma risada.

-Venham vamos entrar!

Entramos na casa de meu pai e era muito bonita, no canto da parede havia algumas coisas de sua coleção de pesca, e do outro lado seu rifle, mas o que mais me chamou a atenção foi uma fotografia que estava encima da mesa que ficava no centro da sala. As pessoas que estavam na fotografia eram eu, Sam e Papai. Meus olhos lacrimejaram pois me venho a lembrança desse dia, e foi uma boa lembrança pois nesse dia fomos pescar e eu pude ver Sam caindo da canoa para dentro da água, enquanto uma lágrima caia por felicidade eu ria lembrando desse momento.

-Laura

A casa do pai da Tay era muito bonita, fiquei impressionada com sua coleção de pesca e mais ainda com o rifle que ficava no outro canto da parede, ele era lindo dava pra ver que era seu xodó nele havia até uma estampa camuflada que o deixava ainda mais bonito. 

-Laura aceita uma cerveja? -Perguntou Robert.

-Não obrigado! -O respondi com simpatia.

Quando me virei para Tay pude ver que caia uma lágrima de seu olho mas ao mesmo tempo ela gargalhava, então fui até ela colocando a mão em seu rosto e secando as lágrimas.

-O que foi amor? -perguntei com um tom de preocupação.

-Olha essa foto ai atrás, somos eu, Sam e papai esse dia foi extraordinário, Sam caiu da canoa e foi parar na água! Foi mega engraçado.

-Caramba, você está me dizendo que foi engraçado ver seu irmão cair na água? 

-Sim, ele era muito chato e mereceu. - Falou comi se aquilo tivesse sido uma vingança armada por ela.

-Amor, você não teve nada haver quando seu irmão caiu na água né?

-Eu? Jamais. -Falou e em seguida riu. -Tive sim, mas não conta pra ninguém!

-OK minha vingadora! -Falei rindo e em seguida dei um beijo nela.

Ficamos no sofá enquanto Robert estava na cozinha, Tay me agradecia muito por te-la trago até seu pai e claro que eu disse que não era nada, e não era. O que deixasse ela feliz já  me fazia feliz, meu corpo queria ve-la bem, cada célula minha trabalhava para me fazer ficar ao seu lado, cuidar dela e dar o amor que eu faço questão de dar a ela. Robert voltou  da cozinha com três  copos de whisky, mas ele foi atrás de cerveja, pensei comigo mesma. Ele se sentou em nossa frente e nos entregou os copos, e logo começamos a papear.

-Taylor

Em meio a nossa conversa, pude perceber que Laura estava bastante a vontade com meu pai, e como a conheço sabia que ela havia gostado dele. Entre risos e histórias do passado papai perguntou de minha mãe, nesse momento me lembrei de como ela tinha tratado a mim e a Laura, meu coração se apertou e uma lagrima quis escapar de meu olho mas não permiti. Segurei na mão de Laura e comecei a explicar o que havia acontecido.

-Eu havia sofrido um acidente, e acabei perdendo a memória...

-Comi assim um acidente? -Perguntou meu pai preocupado.

-Não foi nada de mais, agora me deixa continuar. Depois que eu perdi a memória minha mãe desconfiou que eu estava com Laura, pois ela sempre ia no hospital me visitar, no dia que eu ganhei alta ela inventou de fazer uma viajem para Austrália mas eu me recusei a ir com ela, Então foi ai que eu assumi que estava com Laura e ela começou a me ofender dizendo que eu era a vergonha da família e que eu poderia me considerar fora da família. -A cada palavra que saia de minha boca vinha com uma lágrima, Laura apertou minha mão e deu um beijo em meu rosto.

-Eu não acredito que ela teve coragem de fazer coisas assim, sua mãe sempre passando dos limites, ela tem que por naquela cabeça velha dela que se ela não foi feliz não pode impedir você de ser.- respondeu meu pai com muita fúria. - Taylor agora preste bem atenção no que eu vou te dizer filha, Você não vai deixar Laura por causa da sua mãe, você não vai deixar de ser feliz por causa de sua mãe, você não vai deixar de viver por causa da sua mãe. Ela não te aceita, mas a mulher que você ama sim, da pra ver nos olhos dela que ela te ama, então sabe a sua mãe? FODA-SE ELA. segue sua vida, seja feliz, você é jovem e tem muito o que  viver, então não queira ouvir sua mãe e acabar como ela.

-Obrigado papai, o senhor sempre me ouve e sempre me ajuda, eu vou viver sim e feliz porque a minha felicidade está sempre ao meu lado! - enquanto eu falava isso notei uma pequena lagrima nos olhos de Laura, então me virei para ela e a beijei - Sim você é minha felicidade.

-Você também é a minha! - respondeu ela com um sorriso.

-Agora chega né garotas, vamos pescar!

- Pesca? - perguntei

-Sim, ou vocês preferem fazer outra coisa? 

- Por mim pesca está bom! - Respondeu Laura.

-Por mim também!

-Então vamos! -Falou ele cheio de energia, a pesca era seu passatempo favorito.

Saímos indo em direção a garagem, Meu pai a abriu e logo vimos um Jipe lindo. Ele abriu o porta malas e lá  continha de tudo para pesca, varas, iscas tinha de tudo e mais um pouco, entramos no carro e logo ele começou a dirigir em direção ao seu lugar de pesca preferido em Nova Jersey. Em minutos chegamos lá, pegamos cada um uma vara de pesca e fomos para o lugar favorito de meu pai.

-Laura

Chegamos no lugar de pesca favorito de Robert, pegamos nossos varas de pesca e fomos nos sentar no seu lugar favorito também, ficava perto de uma pedreira. O lugar era magnífico era calmo, espaçoso e muito elegante. Taylor se sentou ao meu lado e seu pai do outro, ficamos durante horas conversando e pescando, até que Robert pediu para Tay buscar o whisky que ele havia deixado dentro do carro, ela foi de bom grado, mas eu sabia que ele apenas queria um momento a sós comigo. E era mesmo, ele conversou um pouco e fez algumas perguntas.

-Laura me faz um favor?- foi sua primeira pergunta.

- Claro, pode falar!- respondi um pouco apreensiva.

-Não deixe que Patrícia se meta em sua relação e de Taylor, ela não tem esse direito e saiba que se ela se meter e vocês precisarem de mim, pode contar comigo.- Disse Robert de uma maneira calma 

-Pode deixar, eu não vou deixar ela se meter mais na vida de Taylor!

-Você gosta muito dela né?

-Eu a amo como nunca amei antes, ela faz parte do meu mundo e se um dia acontecer algo a ela, eu não sei  se aguentaria.

-Então lembre-se disso toda vez que vocês brigarem, lembre-se de ela é seu mundo e você o dela, e não deixe que nada mude isso, principalmente Patricia.

-Eu me lembrarei! Obrigado Robert!

-De nada!

Eu estava feliz por estar me dando bem com Robert, ele era um cara muito legal e ainda por cima apenas queria o bem de Tay, pela forma que ele falou de não deixar Patrícia se meter entre meu relacionamento e de Taylor, dava pra imaginar que ela tentaria de todas as formas nos separar, mas eu não vou deixar eu demirei para notar que Taylor era quem eu queria na minha vida, a fiz chorar por mim e quando finalmente estamos bem juntas, sua mãe quer estragar? Eu não posso e nem vou permitir isso, porque eu amo ela e cada minuto longe é uma eternidade então vou fazer de tudo para que possamos viver juntas sem interrupções de Patrícia.

-Amor, Amor! - A voz de Tay soava levemente ao meu lado, ela havia voltado e eu estava nas nuvens.

-A Oi!

-Estava pensando em que? - perguntou ela com uma voz doce.

-Em nada, só estava nas nuvens!

-entendi! Quer whisky?

-Só um pouco.

Ela colocou um pouco de whisky em meu copo e me entregou com seu sorriso lindo no rosto,  tudo nela era bonito, ela era mavilhosa como nunca vi, era o meu anjo o meu amor, e por ela eu passaria por cima de todos que tentassem se meter entre nós, todos sem excessão.

-Eu te amo! - ela falou no meu ouvido me causando um arrepio pra lá de bom.

-Eu também te amo!- respondi também em seu ouvido e depois dei um beijo em seu pescoço.

Já estava ficando tarde, e eu e Taylor voltariamos para casa já que amanhã voltariam as gravações de orange, pegamos nossas coisas e colocamos no carro do pai de Taylor, voltamos para sua casa onde ele perguntou se queríamos entrar, mas preferimos  voltar antes que ficasse tarde.

-Tchau Taylor, eu adorei passar um tempo com vocês, vê se voltam em! - disse ele empolgado para uma nova visita

-Eu também adorei passar um tempo com você papai!- Tay deu um abraço demorado e apertado em seu pai, e depois se afastou.

-Obrigado pelo passeio Robert, adorei conhece-lo! -Falei enquanto dava um abraço nele.

-Não foi nada vê se volta em! - ele falou retribuindo o abraço- Cuide dela por mim Laura.

-Eu sempre cuidarei! 

Voltei para perto de Tay e entramos no carro, Robert acenava e eu buzinei e em seguida pisei no acelerador e segui nosso caminho, Tay estava mega cansada então abaixei o volume do som para deixa-la dormir. Seus olhinhos azuis estavam fechados e com uma aparência cansada, seus cabelos levemente bagunçados mas isso a deixava ainda mais bonita, dei um beijo leve e rápido nela e voltei a olhar para a estrada. E em pouco tempo me peguei pensando em como era bom te-la comigo, essa mulher mudou completamente minha vida, pegou cada pedaço ruim meu e colocou um pouco de seu coração e me tornou uma pessoa melhor, eu sabia que ela era tudo o que eu  precisava, era meu anjo disfarçado e eu era extremamente feliz por ter ela só para mim. Olhei novamente para ela e ainda dormia, mas agora estava um pouco mais encolhida e seus cabelos tampavam parte de seu rosto o que a deixava ainda mais sexy. Continuei dirigindo por bastante tempo.

-Taylor

Amor, anjo! - A voz rouca de Laura soava levemente no meu ouvido, e aos poucos abri os olhos.

-An? - Falei com a voz mais sonolenta de todas.

-Acorde, já chegamos em casa!

- OK!

Me levantei devagar e Laura fechou a porta do carro, subimos de mãos dadas e optamos pelo elevador, abracei Laura me aconchegando em seu ombro e o cheiro do seu perfume me dava ótimas sensações, dei um sorriso discreto e um beijo em seu pescoço, pude sentir sua pele arrepiar e um leve gemido escapar de sua boca. O elevador chegou e entramos em casa, Laura colocou a pequena mala no chão se sentou no sofá e eu me sentei em seu colo, passando cada uma de minhas pernas por uma lado e entrelaçando elas em sua cintura, eu queria toca-la e queria ser tocada, o poder que ela tinha sobre mim  era de outro mundo.

-Achei que estivesse com sono!- disse Laura dando uma risadinha..

-Você me acordou e eu estava sonhando que transavamos e acordei excitada!

- Quer transformar esse soe depoisho em realidade?

-Pode ter certeza!

Laura apertou minha bunda me puxando para mais perto de si, me beijou e eu retribui, nosso beijo foi ficando intenso e mais cheio de vida, eu estava apenas com um vestido simples e Laura fez o favor de rasga-lo brutalmente, continuou me beijando e depois se afastou um pouco e ficou olhando para mim.

-Laura

Quando Tay disse que tinha acordado excitada, não pude me conter eu queria muito foder essa mulher, ela estava fodendo minha cabeça com aquele olhar dela então sem dó alguma rasguei o vestido que ela usava deixando- a apenas de lamgerie, me afastei um pouco e admirei cada centímetro daquele corpo escultural, eu a comia com os olhos e o céus, aquela mulher era divina, cada parte de seu corpo me chamava seus olhos brilhavam como a lua, meu sexo pulsava de tesão por ela, me ajoelhei em frente ao sofá e comecei a tirar sua calcinha com a boca, retirava devagar e quando sua calcinha chegou nos pés a tirei com a mão, subi ainda com a boca lambendo suas pernas e Tay soltava leves gemidos, passei a língua por sua virilha e quando chegou em seu sexo o abri e passei a ponta da língua, mas parei por ai continuei subindo lambendo sua barriga.

-Taylor

Laura havia retirado minha calcinha apenas com a boca e em seguida subia lambendo minhas coxas e minha virilha, quando chegou em meu sexo ela o abriu e passou a pinta da língua, deixei um gemido escapar, mas ela continuou subindo. Meu sexo estava pulsando para ter o dela, eu queria liberar todo o prazer mas Laura estava jogando sujo, ela sabia que tinha esse poder sobre mim e se aproveitava disso, ela sabia exatamente como me levar ao céu, cada toque seu me deixava louca. Ela conituou subindo lambendo toda a região da minha barriga e chegou até meu sutiã, ela o abriu com facilidade também usando a boca, e depois o tirou, passou a língua em um de meus seios e o outro fez massagem com a mão, eu soltava leves gemidos, e me contorcia toda, cada célula do meu corpo implorava por seu toque e ela continuava apenas me tentando.

-Amor,pare com isso e me fode de uma vez! - Falei quase implorando.

-Não, não, não! - Ela respondeu confiante.

- e por que não?

- Quem não chora, não mama!

Ela falou e em seguida deu uma mordida de leve em meu seio e continuou subindo mas parou em meu pescoço onde ela começou a chupar e beijar. Enquanto beijava meu pescoço Laura desceu uma de suas mãos até meu seio esquerdo e o massageava na medida certa, me fazendo gemer um pouco mais alto.

-Lau... Por favor! Me fode!-Falei já implorando, eu não queria mais que ela só me provocasse, queria sentir seu toque, queria gozar falando seu nome.

Ela desceu mais sua mão e chegou em meu sexo, massageou meu clitóris e com outros dois dedos começou com as estocadas, eu gemia alto de prazer, queria senti-la me tocar e ela estava fazendo isso e estava fazendo exatamente como eu gosto, ela estava me levando ao orgasmo de uma maneira intensa, Laura encostou sua boca em meus ouvido e falava coisas que só contribuíam ainda mais para o orgasmo, o prazer que eu tinha quando estava com ela era sem igual, eu ia do céu ao inferno, mas tinha certeza de que ia com a pessoa certa. Suas esticadas foram ficando ainda mais intensas e meu prazer ainda maior.

-Agora goza pra mim amor, Goza!- Falou ela em meu ouvido com uma voz rouca e muito sexy.

-Aaaaaaa, E... Eu vou goz....!

Suas palavras tinham um efeito grandioso sobre mim, sua voz rouca e seus toques fizeram com que eu gozasse no mesmo instante, ela tinha me levado ao céu, quando sentiu meu líquido escorrendo Laura tirou a mão e chupou cada um de seus dedos em minha frente, e isso a deixava ainda mais sexy.

-Minha vez! - Falei com a respiração acelerada e as pernas ainda um pouco moles.

-Como quiser!

Comecei dando um beijo em seu rosto e o acariciando, segui descendo pasexos um seu pescoço, dei uma leve mordida e Laura gemeu, enquanto beijava seu pescoço comecei a retirar sua blusa, retirei também seu sutiã apreciando cada um se seus lindos peitos, chupei um deles e em seguida continuei tirando sua roupa, a deixei apenas de calcinha, mas isso foi por muito pouco tempo. Apreciei cada centímetro de seu corpo e em seguida me sentei em seu colo encaixando nossos sexos um no outro, ou de sentir o quanto Laura estava molhada, agarrei  em seus cabelos e a puxei para um beijo intenso.

-Laura

Tay se sentou no meu colo e sentir nossos sexos juntos era prazeroso, tudo nela era prazeroso, ela me puxou para um beijo intenso e enquanto me beijava descia a mão até meu peito direito, ela o massageava de uma forma que fazia com que cada órgão do meu corpo sentisse. O prazer estava me consumindo, eu já estava louva de tesão e quando tay começou a rebolar eu quase entrei em colapso, meu sexo pulsava e eu gemia, sua respiração em meu ouvido me levava as alturas, sua mão em meu seio era como massagem na alma. Cada parte do meu corpo ansiava por seu toque, ansiava por ela, Eu queria sentir sua boca em mim,  queria sentir sua língua trabalhar em meu clitóris.

-Amor, me chupa-falei entre gemidos.

-Tau saiu de cima de mim e se ajoelhou, abriu meu sexo e passou a língua levemente por todos os cantos dele, sua lingua explorou cada centímetro do meu sexo e aquilo estava sendo maravilhoso, peguei nos cabelos de tay e os puxava enquanto ela massageava meu clitóris com a língua. Eu gemia e me contorcia, eu estava quase gozando e Tay me chupando como se não houvesse o amanhã, meus peitos estavam totalmente duros  e Tay os massageava também, quando eu estava quase para gozar, Tay começou a me estocar com a língua, eu podia sentir sua língua entrar e sair e isso só acelerou o processo, Dei um gemido alto pra caralho e contrai meu corpo, senti meu líquido escorrendo  e minhas pernas e meu corpo relaxar novamente, Tay chupou todo meu líquido e depois se deitou encima de mim. 

-Eu te amo meu anjo!- Falei sinceramente e dei  beijo em seus lábios

-Eu também te amo! - Ela falou e retribuiu o beijo.

-Taylor

Ouvir os gemidos de Laura era magnífico, isso me fazia perder a cabeça, sentir seu gosto era maravilhoso,  sentir seu toque era prazeroso, mas ainda melhor que isso era ouvir seu eu te amo, aquilo era incrível, seu eu te amo me fazia sentir amada, especial e única. Me aconcheguei em seus braços e ficamos assim durante bastante tempo, mas logo subimos para tomar um banho.Claro que transamos no banho mas foi rápido, terminamos nosso banho e fomos nos trocar, coloquei apenas uma calcinha e um sutiã, e  Laura colocou sua camisola, nos deitamos e eu me aconcheguei em seus braços como de costume, dei um beijo eu sua boca e me virei para dormir, eu estava exausta então dormir bem rápido.

-Laura

Depois do banho nos trocamos e fomos para a cama, Tay se aconchegou em meus braços como sempre e ficamos de conchinha, ela dormiu primeiro, ela sempre dormia primeiro e eu não ligava, adorava ficar admirando seu rosto enquanto dormia, ela dormia calmamente com um pequeno sorriso no rosto, isso me fazia dar uns sorrisos bobos, eu adorava dormir ao seu lado e odiava quando não tinha ela na cama, parecia incompleto, parecia que parte de mim estava em falta e era, Ela era parte de mim, a minha melhor parte para falar a verdade e por isso eu sempre tentava deixa-la feliz, sorri quando ela virou pra mim ainda dormindo e me abraçou colocando seu rosto em meu pescoço, era impressionante a forma que ela me reconhecia até mesmo dormindo, dei im beijo em seu rosto e senti o cheiro de seu perfume e resolvi dormir também, amanhã voltaria toda a rotina de gravações. Coloquei o despertador do celular para as oito e o coloquei no criado mudo, depois abracei Tay e em minutos peguei no sono.







Notas Finais


E ai, o que estão achando?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...