1. Spirit Fanfics >
  2. Vizinho >
  3. Prós e Contras

História Vizinho - Capítulo 7


Escrita por:


Notas do Autor


Hello. I'm back! Vou tentar a partir desse capítulo caprichar um pouco mais nos tamanhos dos capítulos com um conteúdo legal pra vocês. Espero que estejam gostando do desenvolvimento da história e tudo mais. Então... Bora?

Capítulo 7 - Prós e Contras


Luba


Já se passaram três dias desde que cheguei por aqui, mas já entendi como funciona muita coisa. O que me fortaleceu esses dias para me lançar nesse novo mundo é saber que foi meu avô que deu início a isso tudo, e isso é muito legal.

Hoje era dia de treinamento. Recém-descobertos, como eu, que não sabem bem o que são capazes de fazer passam por um tipo de treinamento. Teddy falou que não precisava que eu começasse agora, já que cheguei a poucos dias, mas, estava fascinado com tudo aquilo, e queria o quanto antes saber do que eu era capaz.

_Você vai agora? - Teddy pergunta saindo do banho com uma toalha enrrolada na cintura e secando os cabelos com outra.

_Sim. Gabbie passou aqui a cinco minutos e falou que já estava tudo pronto. - Falo amarrando meu tênis e após isso levantando.

_Boa sorte. - Ele vem em minha direção e me dá um selinho.

_O-obrigado. - Corei por não esperar aquilo de repente.

O meu relacionamento com Teddy evoluiu muito em pouco tempo. Ele era um cara muito legal, muito fofo e acima de tudo me respeitava, meu tempo, meu corpo e meu espaço.

Segui para a sala de treinamento. Ao entrar lá era como se estivesse em uma grande caixa cinza, o chão, o teto, as paredes... Tudo era cinza, a sala era um grande espaço de concreto, a única coisa que havia naquela sala era alguns espelhos gigantes mas paredes. Isso era legal, e ao mesmo tempo claustrofóbico, pois as vezes parecia que a sala não tinha um fim. E lá estava ela, deitada no meio da sala cercada de pequeno objetos flutuantes.

_Gabbie?

Nesse momento ela joga um dos objetos contra mim, numa velocidade incrível, eu o pego rapidamente bem a frente do meu rosto.

_O que foi isso?

_Bons reflexos, migo! Isso foi um teste. - Ela diz levantando com um sorrisinho no rosto.

Migo... Jean me chamava assim, saudades dele.

_Nossa, tomei um susto, pensei que queria acabar comigo. - Digo rindo.

_E eu quero. - Ela fica séria de repente. - Brincadeira bobinho. Vamos começar. Está pronto?

_Sim.

_Primeiro, você precisa entender o que híbridos fazem. Primeiro, como já te falei, todos nós temos alguma habilidade relacionada com o nosso animal interior, mas além disso, tem uma parte muito legal que não te mostramos ainda.

Nesse momento os olhos dela mudam de cor, onde intercalam entre tons fortes de verde, amarelo e vermelho, então suas roupas caem, no chão como se ela tivesse desaparecido, mas ainda havia algo lá. Nesse momento Teddy abre a porta da sala e entra.

_Tire as roupas de cima dela. - Diz ele.

Faço o que ele disse e acabo revelando uma linda ararinha, com penas brilhantes e exóticamente coloridas.

_Gabbie?

_Não conseguimos falar enquanto estamos transformados. A transformação é a forma mais pura e completa de realmente aceitar de verdade o animal interior.

Nesse momento, a Gabbie arara grita.

_O que ela quer dizer?

_Para a gente virar de costas, ela precisa se vestir.

Nos viramos, e mais ou menos um minuto depois...

_Pronto. Podem desvirar. - Diz ela. - Luba, você entendeu como funciona?

_Não.

_Eu esperava por isso. Então, acho que precisa de mais uma demonstração, talvez? - Diz ela olhando para Teddy.

_Ah, não. Esse short não.

_Vai Teddy, é pelo Luba e seu aprendizado.

_Vai Teddy, é por mim e meu aprendizado. - Digo fazendo bico e logo após rindo.

_Tábom, tábom.

Ele tira a camisa e joga pra mim com um sorriso.

_Ei, isso aqui é um treinamento, não um quarto.

Nós dois rimos. Ele me encara e seus olhos ganham uma coloração forte que intercala entre vários tons de marrom. Seu short começa a rasgar, como se sentisse o seu crescimento. E bum! Lá estava ele. Um urso, gigante, marrom e fofinho. Apesar de ser um urso, não me dava medo, afinal, era o Teddy.

_Ele é bem melhor assim, já que não pode falar. - Nesse momento Teddy urso solta um grunhido provavelmente em protesto ao comentário de Gabbie.

_Mas ele é tão fofinho e quentinho. Acho que prefiro dormir com você assim. - Digo abraçado em seu pescoço.

Ele grunhe e eu e Gabbie nos viramos de costa para que ele podesse sair da sala e ir até o quarto pegar outras roupas. Antes de ele dizer que podíamos nos virar novamente Gabbie olha pra trás.

_Que belo bumbumzão, hein Teddy?

_EI! - Eu e Teddy falamos em unisom o que me fez corar, e isso só aumentou a minha vontande de olhar pra trás.

_Ownt, que fofo, o Luba tá com ciúmes. - Gabbie me olhava fazendo uma cara de quem via um bebê sorrir pela primeira vez.

_Eu não tô.

_Não tá? -  Fala me encarando.

_Não tá? - Teddy fala com uma voz distante.

_Não, não tô. E parem com isso. Isso é assédio. - O meu comentário fez os dois rir.

_Pronto, podem se virar agora. - Nos viramos e ele nem estava mais lá.

_Você tem sorte, ele é um cara legal.

_Sim, ele é.

Como era meu primeiro dia, e só sabíamos qual era meu animal interior e nada mais, só fizemos um treinamento simples que consistia em testar os meus reflexos, que eram muito bons por sinal. Na hora do almoço a sala estava cheia de bolinhas coloridas por todos os lados.

_Não precisa de ajuda pra arrumar tudo?

_Não, como hoje é seu primeiro dia, vou te dar esse bônus. Pode ir, deixa comigo.

Saio da sala de treinamento e no caminho para o quarto alguém me chama.

_Ei Luba! Como foi o primeiro dia de treinamento?

Diz o outro Rafael da casa, apesar de todos o chamarem de Guaxinim ou só Guaxi, ele estava sentado na sala a frente da grande televisão, assistindo o que parecia ser um telejornal.

_Ah, eae Guaxi! - Falo indo até ele e me sentando ao seu lado no sofá. - Foi tudo bem, a Gabbie é uma ótima professora.

_Que bom que está se dando bem com ela. Ela pode ser a vice-capitã dessa Estação, mas tem uma personalidade muito forte as vezes.

_Sim, eu sei. - Digo rindo.

Nesse momento algo passa no telejornal, falando que um nova organização  que antes atuava discretamente havia vindo a público a pouco tempo, os purificadores. Isso me lembra que até agora não havia perguntado a ninguém sobre os caras que haviam me caçado. E agora era um bom momento, já que estava com o capitão da Estação.

_Guaxi... Quem são eles?

_Eles quem?

_Purificadores? Eles nos caçam porquê? Recompensas?

_Não, eles não gostam de nós. Acham que vamos dominar o mundo com nossas habilidades, e quanto maior é a nossa resistência, mais força eles criam.

_Mas pra que eles nos caçam? Eles matam híbridos?

_Sim... Mas antes eles nos levam para uma grande instituição fora da cidade, onde nos torturam, dizendo que querem achar a cura da nossa doença até que muitos não suportam e morrem.

Que horror. Nesse momento sou tomado por um sentimento de angustia, medo e raiva ao mesmo tempo. Não sei explicar. Mas já havia sentido esse frio na barriga antes, algo estava acontecendo...

_Luba, suas mãos... - Diz Guaxi perplexo, olhando para o braço do sofá.


Continua...


Notas Finais


Foi isso! Espero que tenham gostado, e logo logo trarei muito mais pra vocês. Gente sei que não devia, mas por favor comentem, isso me incentiva muito a continuar e me deixa verdadeiramente muito feliz.

Até a próxima! Kisses <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...