História Vizinhos (BTS) - Capítulo 30


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Bts
Visualizações 113
Palavras 2.213
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção, Ficção Adolescente, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


eu vou confundir vocês? VOU mas é minha arte gente, sorry sorry.

Capítulo 30 - Coisas do passado


Fanfic / Fanfiction Vizinhos (BTS) - Capítulo 30 - Coisas do passado

Taehyung

Abro meus olhos com a claridade da luz no quarto e vejo Molly sentada na cama me olhando. Eu sorria mas a mesma não retribuía o sorriso. Tento me recordar se havia feito algo para chatea-la mas não consigo me recordar de nada. Ela franzia cada vez mais a testa como se estivesse me questionando se eu não perguntaria algo. Me levanto sentando-me ao seu lado coçando os olhos.

 –  É...O que foi? - Digo receoso a vendo emburrada e ela fita a janela.

 –  O que é aquilo escrito? - Ela aponta onde vejo a fita verde presa na janela, meu coração logo se estremece. Como eu iria explicar aquilo?

Flash Back ano passado casa da montanha.

 –  O Taehyung tá todo estranho....- Diz Jin cochichando para Jungkook mas eu conseguia ouvi-los mesmo estando longe.

 –  EI, TAEHYUNG, O QUE HÁ? - Grita Jungkook roubando minha atenção.

 –  Eu conheci uma menina...- Digo receoso com os olhares.

 –  Uma menina? Isso nós conhecemos o tempo inteiro. - Ironizava J-Hope enchendo seu copo com bebida.

 –  Não, ela é A MENINA. - Digo elevando meu olhar para os meninos que tinham uma expressão engraçada.

 –  Quem é? Da nossa classe? - Pergunta Suga em alto tom enquanto balança a bebida em seu copo.

 –  Ela não é da nossa cidade pelo o que vi - Digo coçando a nuca.

 –  E quando você saiu da cidade que não percebemos? - Diz Jimin com os olhos arregalados.

 –  Eu não sai...Eu fui visitar meu pai, mas ele não estava. Fiquei um tempo no escritório dele. Havia uma pasta encima da mesa escrito "Molly" fiquei curioso. - Digo sendo interrompido por RapMonster.

 –  Pera, você deixou suas digitais em um papel que era do seu pai? CORAGEM! - Ele dizia balançando a cabeça de forma negativa.

 –  Eu sei Hyung, mas algo me chamou atenção. Não sei porque...Eu fui até aquela pasta e a abri. Havia tantas fotos dessa tal de Molly. De vários ângulos, em vários lugares. Ela é diferente, ela tem cabelo rosa. - Digo em um tom de quem estava impressionado e os meninos me olham torto.

 –  Eu não estou entendendo nada. E a Meli? - Jin dizia abraçando suas pernas.

 –  Isso é um grande problema, Melinda...Ela merece saber a verdade - Digo pensativo ao lembrar de Meli minha namorada.

 –  Ela ficará louca - Jungkook dizia me deixando preocupado, mas eu não queria pensar em Meli naquele momento.

 –  Cara, lá havia fotos e também havia o endereço de onde ela mora. Eu anotei no telefone, eu tirei algumas fotos daquela imagens e depois fui embora. Estou impactado...- Digo pegando meu celular do bolso - Olhem, ela é realmente linda, não é?

Mostro um por um que olhavam a imagem e olhavam meu rosto. Eles estavam mais impactado por eu está assim com uma garota, do que por ela ser bonita. Eles sorriam e cochichavam entre si me deixando irritado. Tomo o telefone da mão de Jimin e o guardo os deixando confuso com a minha atitude.

 –  Mas o que essas fotos e essas informações fazia dentro daquele envelope no escritório do seu pai? - J-Hope perguntava com um semblante curioso.

 –  Você tá mesmo perguntando isso pra ele? Fala sério, ele nem sabe com o que o pai dele ganha dinheiro - Jungkook dizia apoiando uma de suas mãos no ombro de J-Hope

 –  É...Eu só sei que vamos nos mudar mais uma vez - Jin dizia me olhando.

 –  Vamos? - RapMonster retrucava confuso

 –  Olhe pra cara dele, você acha que ele não vai querer ir atrás dela? Olha bem pra ele - Jin responde apontando para mim que não consiga dizer uma palavra, ele estava certo.

 –  Eu não tinha nem pensado nisso, mas você deu a ideia. - Digo sorridente enquanto os outros se jogam no chão bolados da vida

 –  AAAAAA, EU GOSTO TANTO DA CASA QUE ESTAMOS - J-Hope bufava.

 –  Pense bem, lugar novo, mulheres novas. Vocês vão poder fazer mais apostas com mulheres diferentes em uma nova cidade - Digo os animando.

Nem eu acreditava que estava querendo me mudar por uma menina que eu apenas sabia o nome e o endereço. Mas ela seria minha, totalmente minha. Iria agir totalmente como se eu nunca tivesse a visto, mas a conquistaria. Saio sorridente da roda que estávamos sentados na sala e vou para o quarto. Fito da janela e enorme lua, era linda a vista dela. Pego as chaves do bolso e começo a escrever o inicio do meu nome e logo um coração ao meio que dividia meu nome e o de MOLLY

flash back off

 –  Tae, você vai me responder ou não? - A mesma gritava me tirando de transe. Eu havia riscado seu nome enquanto a mesma tomava banho quando chegamos. Eu não poderia dizer que eu já a conhecia, como eu iria explicar as fotos e o endereço? Eu não sabia nem ao menos o porque aquilo estava ali

 –  E-eu....Aish - Me levanto coçando a nuca e logo começo a roer minhas unhas - Molly, eu já namorei antes...Aquele nome ali, era da minha ex Melinda, eu a chamava de Meli - CACETE eu falei da Meli.....

 –  Como assim você já namorou? Não to entendendo...- A mesma cruzava os braços com uma expressão ainda mais raivosa.

 –  É...Ela é da outra cidade. Mas não deu certo, ela era louca. - Digo receoso falando de algo real porém que não concertaria a burrada.  

 –  Você ainda gosta dela? - A mesma mudava seu semblante, parecendo preocupada.

 –  Não...Eu me mudei Molly - Logo travo sentindo que quase dizia que havia me mudado por conta de Molly. - Eu me mudei por causa dela. Você não tem noção do quanto ela é doida. - Digo me sentando na cama novamente tentando transparecer calma.

 –  Hum...Tae presta atenção...Se você sentir algo por ela, me diga por favor. - Molly mordias os lábios nervosa.

 –  Não sinto, ela nem sabe onde estou. Eu não há vejo desde ano passado. Não fique assim, eu sou apenas seu - Digo segurando em seu rosto e a abraçando fitando a fita verde se balançar na janela onde vejo o enorme risco de nossos nomes.

Eu abraço cada vez mais forte, eu sentia medo de perde-la por causa das minhas mentiras. Eu menti sobre meus pais dizendo que eu não os via há anos, mas não menti sobre a frieza e sobre eles quererem me manter longe. Logo solto Molly de meus braços e olho seus olhinhos descendo meu olhar para seu lábios avermelhados num tom atrativo.

 –  Posso beija-la? - Digo aproximando meu rosto do seu.

 –  Desde quando você pede? - Ela sorri fechando os olhos.

 A beijo, mas meu beijo era desesperado. Eu sentia um desespero fora do comum. Estava tudo tão perfeito e de repente ficar ali naquela casa não me fazia mais bem. Eu lembrei de Meli, mesmo estando abraçado com Molly. Eu não sentia nada, me sentia mal por lembrar que meu interesse por ela era físico. Eu quebrei o coração de alguém por está apaixonado por outra. Sinto meu coração se apertar ao lembrar das lágrimas de Meli ao ouvir "estou apaixonado por outro alguém"

Foi tão difícil mesmo sem ter nenhum sentimento, ela fazia de tudo por mim e eu nada por ela. Me desprendo dos braços de Molly e a mesma me olhava confusa. Eu teria que me explicar para ela acreditar do porque eu está assim...

Molly

 –  O que há? - Digo acariciando seu rosto o vendo triste.

 –  Meli...- Ele dizia fraco o nome da ex, me fazendo estremecer por dentro.

 –  O que tem? - Pergunto confusa tirando minhas mãos do seu rosto.

 –  Sabe os sentimentos ruins que você sente ao lembrar do Sehun? - Ele dizia me olhando fixamente e eu apenas assentia - Eu sinto isso por Melli. Ela não aceitou o fim, me perseguia constantemente me deixando totalmente furioso pelas suas loucuras. Ela bebia e me ligava me deixando preocupado, e me fazendo busca-la com Jin onde ela estivesse. Era frustrante. - Ele abaixa a cabeça e mordia os lábios - É um alivio tê-la longe.

 –  Nossa, um alivio até mesmo para mim saber que ela está longe. Vemos que temos muitas coisas em comum. Eu com Sehun e você com Meli. Cada um com seu ex louco - Digo sorrio mas Tae estava sério, logo me envergonho e mudo de assunto. - Quer ir embora?

 –  Eu realmente quero, tivemos um dia incrível aqui ontem na qual quero eternizar - Ele dizia colocando meu cabelo atrás da orelha.

 –  Vamos arrumar as coisas e chamar um táxi. Eu quero que se sinta bem - Digo dando um sorriso positivo para o mesmo que fitava meus olhos o tempo inteiro.

Taehyung estava tenso, mas eu sabia o que ele sentia e como sabia! Eu não queria que ele ficasse lembrando da ex estando comigo ali. Logo começo a arrumar as coisas e Tae me ajuda para terminamos logo para que ele chamasse o táxi. Ele sorrio constantemente toda vez que nossos olhos se cruzaram. Termino de arrumar as coisas e fito o quarto abraçando a mim mesma lembrando dos meus momentos ali com Tae.

 –  Até logo Casa da montanha - Digo em voz alta acenando para a casa e pegando minha pequena mala indo para fora da casa encontrando Tae ligando para o taxista.

 –  Pronto, a companhia de taxi me informou que há alguns taxis aqui por perto. Logo chegará algum. Vem - Ele me arrasta para perto da sacada enfrente a enorme montanha e retira uma moeda do bolso - Faça um pedido e jogue a moeda, é tradição.

Fecho os meus olhos pequeno a moeda das mãos do Tae e logo falo em mente "que eu seja feliz daqui pra frente" e jogo a moeda que cai lentamente sem fazer um barulho se quer. Abro os olhos e sorrio para Tae, que beija minha testa e me abraça forte.

 –  Foi tão bom traze-la aqui - Ele dizia num sussurro.

 –  Quero poder vim mais vezes, mas podemos vim da próxima vez com todos. A casa é grande! - Digo me distanciando do abraço e logo vejo o táxi se aproximar por cima dos ombros de Tae. - O táxi! - Aponto.

Pegamos nossas malinhas e entramos no carro. Olho a casa até que a mesma não ficasse mais na minha visão, eu realmente tinha amado aquele lugar e pra mim era triste ter que ir embora. Logo me viro e Tae entrelaça seus braços por trás me abraçando. Me sentia feliz, eu encontrei alguém bom e generoso finalmente. Era hora de ser feliz. Sinto os dedos de Tae adentrar meus cabelos e tombo minha cabeça para o lado me deitando no ombro do mesmo. Seus toques pareciam um sonífero, eu sempre adormecia.

 

 –  Molly, acorde. Chegamos! - Tae levantava minha cabeça e meus olhos se abriam lentamente

 –  Mas já? - Digo olhando minha casa pela janela.

 –  Você dormiu o caminho inteiro, mocinha - Ele dizia ajeitando meus cabelos bagunçados.

 –  Aish - Me espreguiço descendo do carro - Dá até tristeza de voltar para casa. - Digo manhosa

 –  Eu prometo leva-la novamente, e até em lugares diferentes. -Ele diz pegando em minha mão e logo caminhando até a minha porta. - Pronto, entregue e a salvo. Espero que tenha gostado! Qualquer coisa me liga. Tenta descansar um pouco, você dormiu toda desconfortável no carro. - Ele entrega minha mala e aproxima-se me dando um selar rápido e me olhando de longe, me vendo adentrar a porta devagar.

 Me escoro na porta após fecha-la e sento no chão. Eu realmente estava em êxtase pelo o que passei naquela casa da montanha. Tudo tinha sido maravilhoso demais, ele tinha sido perfeito e cauteloso em tudo. Eu estava realmente feliz, me sentia radiante e uma sensação de borboletas no estomago me invadia. Me levanto percebendo o silêncio na casa. Pego meu celular vendo muitas ligações e mensagens abri uma por uma lendo a ultima mensagem de Mandy.

"Fomos para o cinema com os meninos, não sabemos que horas vocês chegarão já que não atendem a porra do telefone. Mas nos mande noticias assim que chegar, vadiazinha."

Sorrio fechando a mensagem e logo subo indo em direção ao meu quarto, o sorrio ainda estava intacto em meu rosto. Eu não sabia realmente disfarçar o fato de está feliz demais da conta. Mas logo meu sorrio se desmancha ao olhar minha cama com o meu urso de infância que eu não via desde morte dos meus pais. Me senti toda trêmula me aproximando devagar do urso que fedia a sangue velho.

Meu coração se destruía em pedaços no momento que me lembrei que na noite da morte dos meus pais eu havia ligado para minha mãe pedindo que quando viesse me buscar na casa da minha avó trouxesse meu urso Nico, eu amava dormir com ele e estava sendo difícil ter noites tranquilas sem o mesmo. Eu nunca mais vi Nico, meus pais não chegaram...Como ele estava ali? Minha cabeça girava e minha vista começava a embaçar como se eu fosse a qualquer momento cair.

 –  O que é isso? - Digo retirando um papel que havia em um dos buracos que se encontrava no urso e o abro.

"Espero que tenha curtido os momentos felizes da sua vida naquela casa da montanha. A brincadeira acabou, que comece os jogos."

 


Notas Finais


ESPERO QUE NÃO TENHA CONFUNDIDO NINGUÉM. ISSO MESMO, O TAE JÁ CONHECIA A MOLLY E AGIU COMO SE NÃO A CONHECESSE PARA CONQUISTA-LA E ATÉ MUDOU-SE POR CONTA DELA. IH GENTE, MUITO BAFAFÁ VAI ROLAR A PARTIR DESSE CAPITULO SEGUREM SEUS FORNINHOS E ATÉ SEGUNDA.
ESCUTEM BASTANTE BTS. ESCUTEM BASTANTE RAIN, UM HINO INJUSTIÇADO QUE EU AMO. beijos e boa noite <3 perdao os erros amorecos


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...