1. Spirit Fanfics >
  2. Vkook - My Relief >
  3. Chapter Thirteen

História Vkook - My Relief - Capítulo 13


Escrita por: e XxPark


Notas do Autor


Ficou maior do que esperávamos, mas ficou oh 👌🏻
Boa leitura☀️

Capítulo 13 - Chapter Thirteen


– Pronto, agora coloca no jarro.


Já era a manhã do dia seguinte, eu e Taehyung estávamos fazendo o café da manhã já que ele havia dito que iria me ajudar nas minhas obrigações por hoje. Eu fiz as torradas e o ensinei a fazer suco natural de laranja, na verdade eu havia feito apenas para satisfazer Taehyung e minha mãe, por mim eu tomaria apenas uma xícara de café e pronto.

 

Algo que estava me deixando indignado desde ontem era sobre o que ele havia me dito antes de pegar no sono, não sabia se tinha falado algo semelhante a “eu te amo” ou se realmente tinha dito isso, eu queria responder, queria dizer que sinto o mesmo, mas se ele disse qualquer outra coisa semelhante eu iria pagar de idiota. Estava confuso de novo, por que ele não me disse enquanto eu estava mais desperto? Que merda!


– Já posso comer? Estou morrendo de fome! – Me pergunta chamando minha atenção para si, ele já havia organizado tudo na mesa e estava esperando minha permissão.


– Pode sim. – Digo indo em direção à mesa.

Pego uma xícara de café e algumas torradas, coloco sobre a bandeja e me direciono para as escadas, aparentemente Taehyung sabia o que eu iria fazer já que não havia perguntado nada.


Me direciono ao quarto de minha mãe e dou duas batidas na porta, a abrindo em seguida, ela ainda estava dormindo, deveria ser por conta do novo remédio que tinha começado a tomar, sem falar que o médico a recomendou repouso absoluto, decidi então não acordá-la e coloquei a bandeja sobre o criado-mudo, me retirando de lá e voltando para a cozinha.

 

Assim que chego lá vejo que Taehyung estava no celular enquanto mastigava, aparentava estar conversando com alguém mas parou assim que me viu. Me sentei na mesa e me servi de três torradas além do meu café para não o deixar desconfortável, já que claramente já havia comido mais de 5 torradas e ainda não tinha terminado.


– Com quem estava falando? – Dicidi o perguntar, que mal podia acontecer? Eu não sei quase nada sobre a vida dele mesmo.


– Com meu irmão, ele perguntou onde eu estava passando a noite.


– E sua mãe? Ela não disse nada? – Realmente estava pensativo sobre o assunto, ele passa o dia inteiro na rua e não dorme em casa, a mãe dele não se preocupa com o filho não?


– Somos só eu e meu irmão. – Vi que sua expressão ficou menos alegre que estava antes, me senti extremamente mal por estragar um clima que estava ótimo.


– Oh, sinto muito pela sua mãe... – Acabei por dizer oque todos dizem em forma de consolo, pela forma que ele disse eu deduzi que sua mãe viera a falecer.


– Ela nos abandonou. – O vejo soltar uma risada nasal totalmente sem humor, e eu fiquei claramente sem graça.


– Ah... – Eu estava sem palavras, não iria perguntar sobre o pai pois a resposta poderia ser ainda pior, não sabia o que dizer para consolar ou se ficava calado. Taehyung percebeu minha perca de fala.


– Mas enfim... – Diz dando um suspiro largo e voltando a sua expressão animada de antes. – Hoje é sábado, que tal irmos para a casa do Jimin jogar aquele jogo?


– Não vejo porque não. – O respondo sem delongas, decidi seguir sua atitude e não continuar no assunto sobre seus familiares, claro que falaríamos disso mais pra frente, mas aquela não era a hora ideal. – Vou mandar uma mensagem para confirmar se podemos ir. – Pego meu celular e abro o contato do mais velho perguntando se poderíamos aparecer lá daqui algumas horas, provavelmente iríamos dormir lá já que sempre estendemos os jogos para tarde da noite.


– Beleza, e o que vamos fazer agora?


– Agora nós vamos limpar a casa. – Digo me levantando.


[...]


– Jungkook, é impossível colocar esse resto de pó na pazinha! – Expressa totalmente frustado e indignado com a situação, isso me fez rir alto.


– Faz assim. – Pego um pedaço de papel higiênico que ali estava, enrolo em minha mão e recolho o resto da sujeira, a jogando no lixo. – Pronto, Tae.


– Eu não manjo dessas coisas de casa não. – Diz se sentando na banqueta da cozinha. – Estou acabado. – Rio novamente pelo seu exagero.

 

Taehyung conseguiu fazer a minha cabeça para deixarmos esses serviços para mais tarde e eu me deixei levar, fizemos o almoço e começamos a limpar a casa, apenas varremos, passamos pano e estendemos umas roupas, só faltava recolher essa poeira que Taehyung havia largado em um canto da casa.


– Porra, já são 15:00? – Diz Taehyung impressionado com o horário.


– Se tivesse me escutado e feito isso tudo mais cedo já estaríamos na casa do Jimin. – O respondo enquanto mexia no meu celular.


– Então já podemos ir? 


– Eu vou tomar um banho primeiro, não vou ir suado desse jeito não. – Largo meu celular em um canto qualquer e me direciono para meu quarto, sendo seguido por Taehyung.

 

Após adentrar o cômodo vou até meu guarda roupa separar as roupas que iria usar hoje.


– E aí, que roupa eu vou usar? – Diz se aproximando.


– Taehyung, se for morar aqui é melhor trazer suas próprias roupas. – O respondo rindo, ele estava no ponto de usar minhas roupas e minhas toalhas, ele é definitivamente um grude. – Você só não vai usar essa blusa... Essa calça... E essa cueca. 

– Estava pegando as roupas que eu citava, indicando que as usaria mais tarde e me direciono ao banheiro.


– Posso tomar banho com você? – Sua proposta era tentadora, eu certamente não a recusaria.


– Claro. – Vi um sorriso se formar no seu rosto. – Mas se tentar qualquer gracinha eu te boto ‘pra fora com sabão no corpo e tudo. – Alertei indo para o banheiro sendo acompanho dele dizendo “Ok, eu já entendi”.


Ele começou a se despir na minha frente, como se fosse algo completamente normal, e naquele ponto realmente já era normal, mas eu não tinha me acostumado 100% e me permiti corar fitando seu copo nu. 


– O que foi, Kook? – Ele me tirou dos meus pensamentos. – Não consegue tirar a roupa? – Ele se aproximou, minha mão ainda estava doendo e eu tive um pouco de dificuldade em fazer as coisas hoje, por isso precisei da ajuda do Kim. – Levanta os bracinhos. – Eu definitivamente não sabia se ele estava simpatizando com a minha situação e apenas me ajudando, ou se ele estava tentando me deixar constrangido, ele parecia tão tranquilo. 


Eu fiz tudo que havia sido me pedido e já estávamos ambos despidos. Liguei o chuveiro e entrei sendo acompanhado de Taehyung. O som da água quente tocando o chão se sobressaía no ambiente, as paredes de vidro do Box estavam embaçadas, nossos corpos estavam próximos e compartilhavam de alguns simples toques de vez em quando.


– Vira ‘pra cá, Kook. – Eu me virei ficando de costas para o mesmo. – Faz quanto tempo que não lava esse cabelo, uh? – Eu ri, realmente deveria ter lavado ontem mas o incidente com a minha mão não me permitiu fazê-lo. 


Ele pegou um pouco de shampoo e ensaboou meu cabelo suavemente, era quase como uma terapia ter Taehyung ali atrás de mim, eu pensava que cuidava muito dele mas ele faz do mesmo, cuida de mim assim como cuido dele. Às vezes penso no que teria acontecido naquele dia se a rua não estivesse bloqueada, se eu não tivesse o encontrado, o que estaria fazendo agora se não estivesse fazendo com Taehyung? 


– Kook? – Ele me chamou baixinho, a água quente e seus toques na minha cabeça me deixavam mole que nem percebi que já estava quase me jogando em cima dele.


– Hm? O que foi? – Ele riu me virando e selando nossos lábios brevemente. 


– Você anda muito sonolento ultimamente, sabia? – Ele desligou o chuveiro e pegou nossas toalhas. – A escola está muito puxada? – Vi que ele usou sua toalha para secar meu cabelo, estava tão sujo assim? 


– Acho que sim, é meu último ano então os professores costumam pegar mais pesado. – Já saímos do banheiro e começávamos a nos vestir. – E você também só faz piorar. – Ele me olhou curioso. – Parece que seu jeito relaxado me afeta quando estamos muito perto um do outro, e você ainda insiste em me ajudar a fazer coisas básicas. – Ele riu se dando conta que estava me ajudando a me vestir. – Viu só? Minha mão não está completamente boa mas eu consigo fazer isso!


– Foi mal, não dá ‘pra evitar. – Eu balancei a cabeça. Até quando isso vai durar? Eu não gostava de pensar nisso quando as coisas andavam tão bem... Parecia que eu sabia que uma hora ou outra alguma coisa ruim viria a acontecer, e não saber quando me deixava mais angustiado ainda.


[...]


– Atira, Jimin, atira! – Taehyung grita de ansiedade.


– Ele não para quieto! – Agora foi a vez de Jimin ficar ansioso, não estava conseguindo mirar no homem que havia roubado seu cavalo.

 

Nesse ponto já estávamos jogando na casa de Jimin, o jogo comprado foi o Red Dead Redemption 2, eu já tenho esse jogo há algum tempo e já zerei três vezes então não era nada novo para mim, mas era a primeira vez de Jimin e Taehyung jogando, não era difícil mirar nos NPCs mas Jimin conseguiu deixá-lo escapar e perder seu cavalo, demorou tanto para pegar a arma quanto para conseguiu mirar no ladrão e então passou a se lamentar.


– Jimin, aquele cavalo era ruim! – Digo tomando o controle de sua mão. – Vou arrumar um descente ‘pra você, observe. – E então comecei a jogar. 


Estávamos revezando o jogo entre nós três, eu estava assistindo a maior parte do tempo para deixar que eles aproveitem, mas vão demorar séculos para conseguirem entender os controles do jogo que nem eram tão complicados assim!


– Mas era bonito! – O vejo cruzar os braços.


– Existem cavalos bons que são mais bonitos que esse. – O respondo convencido.


– Kook, pega um cavalo preto? – Taehyung me pede com uma voz de santo.


– Eu quero um branco! – Dessa vez Jimin o contrariou.


– Eu sou o namorado!


– E eu sou o dono do jogo!

 

E assim os dois começaram uma “discussão” besta para escolher a cor do cavalo.


– Taehyung não é meu namorado e se o jogo é do Jimin eu não tenho obrigação de arrumar bicho nenhum. – Digo acabando com a confusão. – O primeiro cavalo bom que aparecer aqui eu vou domar. – Então me concentro 100% no jogo, não queria demorar para conseguir o bendito animal, os dois não paravam de falar na minha cabeça.


– Aish, esse jogo é muito complicado. – Taehyung desistiu e se levantou. – Jimin, o que tem ‘pra beber?


– Água. – Ele se levantou também e foi para a cozinha acompanhado de Taehyung, já que os dois desistiram do jogo eu desliguei o console e me joguei no sofá de Jimin, antigamente era eu quem vivia na casa de Jimin, agora o feitiço virou contra o feiticeiro e eu tenho Taehyung 24 horas comigo.


– Porra, não tem bebida mesmo. – Taehyung se ajeitou do meu lado no sofá, fazendo com que ficássemos abraçados um do lado do outro. 


– Já sei! – Jimin disse se sentando no tapete logo abaixo de nós. – Vou chamar uns amigos da escola, eu peço ‘pra eles trazem bebidas e a gente arruma alguma coisa ‘pra fazer. – Jimin viu que Taehyung se segurou com a ideia, já que se conteve um pouco. – Relaxa, Tae. Eles são tranquilos e vão gostar de você. Jungkook conhece eles, e até saiu com eles algumas vezes, se o Jungkook gostou de alguém é porque eles são tranquilos. – Taehyung sorriu fraco e se aconchegou nos meus braços.


– E também, vocês dois são mais grudentos que chiclete, puta que me pariu! – Nós rimos mutualmente. – Não quero ficar de vela a noite inteira. – Jimin se afastou e ligou para umas 4 pessoas, se não me engano. Ele é do tipo que não aguenta esperar por uma mensagem e já vai ligando. 


– Kook, eu também tenho que fazer uma ligação. – Pegou e celular e se afastou do meu corpo, aquela sensação de tê-lo perto de mim sumiu, eu já estava acostumado a ter o maior grudado a mim o tempo inteiro.


– Não quero ser intrometido mas... – Ele riu e me cortou.


– Vou ligar ‘pro meu irmão, eu sei que você é curioso, Bae. – Se afastou e iniciou uma ligação, eu me deitei jogado no sofá, hoje eu estava todo mole e bobo, não sou desses, mas Taehyung me deixava assim fácil, não era preciso nem esforço.


– Jimin... Você acha que eu e o Tae... Estamos... Como eu posso dizer... – Taehyung estava bem afastado e Jimin já estava ali perto. 


– Totalmente grudados? Em sintonia tão perfeita que me deixa enjoado? – Jimin disse do jeito debochado dele cruzando os braços, eu ri fraco.


– É que aconteceu tudo tão rápido... E agora está dando certo mas...


– Jungkook, nada de mais. – Ele me cortou. – Eu sei que você não é acostumado a ter tudo isso perto de você, mas não fique remoendo um possível cenário ruim, se vocês forem ter um relacionamento de verdade, terão brigas, e erros, e muitas mais coisas. – A campainha tocou e ele se levantou. – Mas não adiante isso, só aproveita o momento. Ele te ama. – Novamente aquela palavra, amar é algo tão forte! Eu sabia que deveria dizer o mesmo, mas Taehyung realmente disse isso ontem? Eu acho que sim, mas eu estava quase dormindo! Ele poderia ter dito qualquer outra coisa! 


[...]


Estávamos todos jogando conversa fora, Jimin chamou algumas pessoas que eu conhecia. Kim Namjoon, era do terceiro ano também, porém de outra sala, não sabia muito sobre ele mas já trocamos mensagens várias vezes, era uma boa pessoa, conhecia mais seu grande amigo Seokjin, que também estava presente, conheci ele pelo Jimin, era bem gente fina. Jung Hoseok, era da minha sala, já fizemos trabalhos juntos mas... Não mantemos contato. Quer dizer... Já saímos juntos algumas vezes mas foi junto dos outros rapazes, não era de sair muito com eles mas posso dizer que eles me conheciam até que bem.


– Ei, que tal alguma coisa mais divertida? – Namjoon sugere. 


– Diga. – Jimin disse interessado se sentando ao seu lado.


– Para nos conhecermos melhor... Que tal um jogo de verdade ou desafio? – Todos se animaram. – A única regra é que ninguém pode ficar sóbrio, e claro, sejam honestos.


– Dizem que a bebida deixa as pessoas sinceras. – Jimin se levantou pegando as bebidas trazidas pelos outros e pegando uma garrafa qualquer, era a que usaríamos para brincar.


Todos pegaram uma garrafa de cerveja, exceto por mim, é claro. Poxa, eu sou menor de idade e todas as vezes que eu tento beber junto da merda! 


– Ué?Jungkook, não vai brincar? – Jin perguntou.


– Ah, eu ainda sou de menor e...


– Qual é! Você tem várias histórias ‘pra contar! – Disse Jimin. – Não se deixem enganar pelo rostinho fofo desse aí não! – Jimin me ofereceu uma garrafa e eu me entreguei. – Além do mais, ninguém vai ficar sabendo, é só uma brincadeirinha entre amigos.


– Só brinco se o Taehyung brincar. – Disse simples, eu queria arrastar o Kim para isso também, poderia fazer certas perguntas que nunca faria em circunstâncias normais.


– Tá bom, eu vou. – Taehyung levantou as mãos entregue e todos vibraram, eles já estavam um pouco alterados. – Mas não vale mentir hen, Kook. – Ele se sentou do meu lado na rodinha, eu acho que perceberam o clima que se formou entre nós, se eles souberem da nossa relação... Acho que não tem nada de mais, já que todos eles sabem da minha sexualidade, alguns deles são até bi então era tudo muito respeitoso.


– Eu nunca minto. – Pisquei para ele recebendo um sorriso do mesmo.


– Ok... Então... – A companhia tocou. – Ah, deve ser a Rose! – Jimin disse levantando rapidamente.


– Achei que ia ser uma noite só dos meninos... – Eu disse. – As meninas da escola me dão medo. – Todos riram.


– Rose! Entra aí! – Jimin disse todo entusiasmado quando abriu a porta, a maioria dos rapazes tinha uma quedinha por ela, ou já tiverem, como eu, por exemplo. 


Quando ainda estava me conhecendo, descobrindo meus gostos, eu me envolvi com ela por algum tempo até perceber que não gostava de garotas do jeito que eu pensei que gostava. Talvez eu fosse um pouco insensível na época, não deixei uma mensagem, ou um aviso prévio antes de me afastar. Era tudo muito mais confuso do que hoje em dia, mas não me orgulho de nada disso.


– Olá, rapazes! – Ela disse animada, como sempre. Todos a cumprimentaram brevemente, até seus olhos caírem sobre mim. – Jeon Jungkook! – Ela gritou quando me viu, estudávamos na mesma escola, ela estava um ano atrás e eu fazia de tudo para evitá-la. – Estudamos na mesma escola mas parece que você vive fugindo de mim! – Ela acertou.


– Pois é... Ah... senta aí, a gente ia começar um jogo. – Eu falei meio envergonhado pelo seu abraço desajeitado, ela sentou do meu lado e os meninos da roda começaram a explicar as regras para todo mundo. Em certo momento, vi Taehyung sentando um pouco mais para trás, me puxando junto com ele, o que atraiu alguns olhares, eu percebi que ele não gostou da garota tanto assim, não posso culpá-lo, mas ela não era de todo mal.


– Ok, vamos ver então quem vai ser o sortudo. – Jimin disse girando a garrafa. – Vamos ver... Namjoon para o... Jungkook!


– Merda! – Disse frustrado, todos riram da minha desgraça. Eu conheço Namjoon um pouco, quando ele começa, ele não para. Gosta de fazer as perguntas mais inviáveis possíveis, aquelas para te deixar sem saída. 


– Hmm... Jungkook, verdade ou desafio? 


– Verdade.


– Ohh! – Todos disseram em união, aquilo estava hilário, eles já tinham tomado muitas antes mesmo do jogo. Eu apenas ri fraco, Taehyung se ajeitou do meu lado em expectativa da pergunta.


– Bom, como sabemos o nosso grande menino Jungkook aqui não é o anjinho que muitos pensam que é. – Eles concordaram. – Todos sabemos também que foi ele quem tirou a inocência da nossa jovem Rose aqui, não é mesmo Jungkook? – Eu fiquei vermelho, muito vermelho, Taehyung me olhou torto. 


– Essa foi a pergunta? – Tentei me livrar mas não consegui. 


– Ah, Jungkook, é só uma brincadeira, vai. Mas eu ainda tenho bons momentos daquela noite. – Ela piscou para mim, é sério isso? Ao contrário do que imaginei, Taehyung parecia estar se divertindo, não estava cheio de ciúmes ou coisa do tipo, ele consegue ter o tipo de maturidade que eu não tenho nessas horas.


– Foi só o contexto. – Namjoon bebeu mais um gole da bebida alcoólica, todos ali estavam rindo como hienas, parecia que eu seria o alvo principal da história. – Me diz aí, aproximadamente... Sendo o mais novo do grupo, com quantas pessoas você já transou? – Filho da mãe! Eu pensei, Taehyung parecia estar curioso com a pergunta, eu olhei para ele e o mesmo sorriu balançando a cabeça, acho que ele estava dizendo que não precisava de sua aprovação, estávamos só jogando.


– Mais de 20. – Eu disse e Hoseok cuspiu o que bebia longe. 


– Mais de 20? Tá brincando! E você nem sai de casa, Jungkook! – Rose disse impressionada.


– Não consegue dar um número certo? – Hoseok perguntou. – Até eu que sou mais velho contei as 7 únicas pessoas que eu transei. – Todos riram.


– Eu parei de contar depois do décimo. – Falei simples e todos fizeram aquele típico som “uhh” em coro. 


– Ok, próxima rodada! – Taehyung disse tentando acabar aquela conversa, eu percebi e ri fraco.


E lá se foram quase 1 hora de rodadas, estavam todos bem babados, vários desafios constrangedores, perguntas constrangeras... Entre outros. 


Agora deixe-me explicar como funcionava esse jogo que iria me fazer perder o companheiro se as perguntas continuassem como estão. Usávamos um aplicativo de verdes ou desafios aleatórios, poderia ser algo tranquilo, como dançar algo aleatório, até fazer uma ligação erótica para alguém, era bom ou ruim, não tinha meio termo. 


– Ok, ok, última rodada, hen? – Namjoon disse. – Eu e os meninos aqui precisamos ir embora daqui a pouco.


– Não querem passar a noite aqui? Como vão dirigir? – Jimin perguntou se sentando novamente, ele fora vítima do último desafio, aquilo estava hilário, além do mais eu e Taehyung estávamos nos conhecendo e também conhecendo os outros mais ainda, talvez não da maneira mais tradicional, mas já era alguma coisa. 


– Nós vamos pegar um Uber, podemos passar aqui amanhã ‘pra buscar o carro, se não for incômodo. – Jin disse simples.


– Okay, então. – Jimin deu ombros e girou a garrafa mais uma vez, eu tive que responder apenas aquela pergunta e mais algumas bobinhas, Taehyung se ferrou e estava com um pouco de farinha na cara ainda de alguns desafios anteriores. 


– Rose... Para o Jungkook! – Jimin disse animado, ele queria ver o circo pegar fogo, desgraçado baixinho. Não só ele como todos na sala gritaram e se jogaram no chão não acreditando no meu azar, eles eram um bando de idiotas, assim como eu. 


– Jungkook... Verdade ou Desafio? 


– Ah... Desafio? 


– É isso mesmo? Ele pediu desafio? É isso que estou ouvindo? – Jin gritou girando no chão, o que estava acontecendo com aqueles moleques? 


– Hm... Vamos ver qual desafio vou escolher para você. – Ela pegou o aplicativo que lhe deu algumas possibilidades, fazíamos isso para ser mais fácil de escolher. – Ok, ok! Achei uma! – Todos pararam com a gritaria e se sentaram para ouvir, finalmente, o último desafio da noite.


– Te desafio a dar um beijo na pessoa da sua esquerda e da sua direita! 


– Eu não posso escolher não? – Perguntei de braços cruzados e todos disseram não. 


– Vai, Jungkook! Tem Rose e Taehyung esperando um beijinho do gatinho! – Hoseok gritou, sendo acompanhado dos outros, eles já haviam acabado com toda a bebida alcóolica do local, Taehyung não estava diferente, mas quando chegou sua vez de participar do desafio ele se acalmou. 


– Ah... Não posso pular? 


– Não! – Disseram juntos. Eles queriam me ferrar mesmo. 


Então eu me levantei, Rose era a pessoa da minha esquerda, ela se levantou também na expectativa de um beijo meu, não tinha nada contra ela, mas de qualquer forma... Eu só queria beijar Taehyung naquele momento, mais ninguém. Eu olhei para o lado, vi que ele estava com um sorriso fraco no rosto, deveria perguntar antes de qualquer coisa? Não estávamos namorando, mas...


– É só um jogo. – Ele sussurrou, quase que inaudível. Todos se levantaram juntos, excedo por Taehyung que se sentou no sofá. 


– Ok... Lá vamos nós. – Eu disse puxando a garota para mais perto, talvez ela tenha pensado que seria um beijo incrível, já que senti sua língua tentando fazer presença ali, porém, eu fui mais rápido e apenas selei nossos lábios tão rápido que quase não foi possível sentir. – Pronto! – Ela me olhou incrédula.


– Porra, Jungkook! Você é o único cara que eu conheço que tem a oportunidade de beijar a Rose e da um beijinho que nem esse. – Jimin disse colocando mais lenha na fogueira.


– Ninguém especificou como seria o beijo, eu fiz o que me foi pedido.


– Mas ainda falta alguém. – Taehyung disse se levantando do sofá. Os outros sentiram a tensão e mais uma vez fizeram aquele típico som “Uhh”, eles também não ajudavam em nada, mas percebi que nos incentivaram sem vergonha alguma.


– Beija! Beija! Beija! – Ditavam em coro os presentes ali, excedo por Rose que estava de boca aberta vendo a cena. Eles só tinham idade e tamanho, exceto Jimin que nem tamanho sequer tinha. Eram um bando de crianças crescidas, todos nós éramos assim lá no fundo. 


E assim foi feito, o puxei para iniciarmos um ósculo afoito, não tínhamos nos beijado na frente de tanta gente assim, era tudo mais escondido do que assumido, aquela sensação de deixar todos sabendo do que compartilhávamos era ótima. Assim como todos os beijos de Taehyung, apertos e mãos bobas não faltavam, parecia que em todos eles estávamos prestes a fazer outras coisas além de um simples selar de lábios. 


Esse não foi diferente, nossas línguas se juntavam e lutavam por espaço, a mistura de bebida alcóolica com sua saliva era deliciosa, e ver os olhares e os incentivos caindo sobre nós era melhor ainda.


– Caralho! Mas que pegada é essa que vocês tem? – Jin perguntou incrédulo. 


– Eles praticam todo dia. – Jimin disse dando os ombros fazendo todos se tocarem.


– Jimin! – Eu e Taehyung chamamos sua atenção em união. 


– O que? – Ele riu. 


– Acho que eu já vou indo. – Rose disse ainda sem reação, era sempre assim quando as mulheres descobriam que eu era gay, mas ela era uma boa pessoa, só não estava atrás da pessoa certa. 


– Acho que depois desse encerramento nós vamos também. – Namjoon disse não impressionado, ele tinha o dom de notar quando algo estava rolando, e ele sabia muito bem o que estava rolando entre nós dois. 


– Eu ainda quero saber como Jungkook já ficou com tantas pessoas sendo o mais novo! – Hoseok disse pegando suas coisas e indo em direção da porta, junto com os outros. 


– E eu posso confirmar tudo! – Falou Jimin os acompanhando até a parte exterior de sua casa, eles ainda riam de tudo, e pareciam bem desequilibrados, tenho até pena do motorista que acabara de chegar.


– Eu vou andando mesmo, estou ficando na casa da minha tia que é logo ali. – Rose disse se despedindo de todos nós. – Jungkook, da próxima vez que ver que alguma mulher estiver a fim de você, diga que é gay de uma vez. – Ela sorriu e me abraçou, eu fiz o mesmo, me despedindo. 


– Ok, já estamos indo então. – Eles se despediram de todos nós. 


– Ei, Taehyung! – Jin gritou de dentro do carro chamando atenção do que tinha seu nome chamado. – Se eu fosse você eu conversava bem com o Jungkook! Foram mais de 20 antes de você! – Ele riu voltando para dentro do carro após ser puxado por um dos meninos. 


– Cala a boca, Jin! – Eu gritei de volta rindo, Taehyung não estava diferente, ele bebeu mais do que eu, para ele tudo era motivo de risada. 

 

– Esses moleques... – Balancei a cabeça e voltei para dentro, onde Jimin já arrumava a cama do quarto de hóspedes, dessa vez acho que Taehyung dormiria comigo. A última vez aqui não foi muito legal. 


– Jimin, não precisava de tudo isso, eu ainda vou te ajudar a arrumar a bagunça lá de baixo. 


– Não, você fica aqui, puxa o Taehyung aqui ‘pra dentro e eu vou arrumar as coisas só amanhã, relaxa. – Ele sorriu e saiu do quarto e logo após o Kim entrou. – Boa noite ‘pra vocês! – Jimin gritou do corredor. 


– Minha cabeça ‘ta girando. – Tae disse se jogando na cama. 


– E o que você queria? Olha o tanto que bebeu. – Eu tirei minhas calças recebendo olhares do mais velho. – O que foi? 


– Nada... Só admirando a paisagem. – Ele riu sacana e tirou sua camiseta e a jogou longe, se aconchegando nos cobertores. 


– Me da um espaço aí. – Ele levantou as cobertas fazendo um pequeno caminho até chegar a ele, me deitei ali e senti seus braços abaixando a coberta, cobrindo nós dois. 


– Mais de 20? – Ele estava de olhos fechados virado de barrida para cima, eu estava de lado virado para ele apenas apreciando o belo movimento dos seus lábios durante sua fala. 


– Ah, da um tempo. – Ele riu nasal. – O que tem de mais? 


– Eu só fico imaginando quantas pessoas transaram com você, e você acabou ficando comigo, pelo menos até agora. – Eu fiquei em silêncio, realmente ficar sozinho não era o problema, o problema era achar alguém como ele. – Como consegue ser tão apertado depois de tantas vezes ter...


– Taehyung! – Eu o interrompi corado, ele continuava falando daquilo! Ele se protegeu do meu soco desajeitado. 


– Mas é verdade, poxa! Tantos concorrentes...


– Mas te garanto que de todos você é quem faz melhor. – Me deitei sobre seu peito nu, ele riu fraco e me abraçou com um de seus braços. 


– Você diz isso para todo mundo é? – Ele não desiste? Quais mais provas ele precisa?


– Eu não digo ‘pra todo mundo que eu as amo igual eu vou fazer agora com você. – Eu subi em cima dele, fazendo com que ele ficasse imóvel embaixo de mim. – Eu te amo, Tae. – Sussurrei no pé da sua orelha vendo seus pelinhos se arrepiarem, ele juntou nossos lábios num pequeno selar, que transmitia emoção de ambos os lados.


– Achei que nunca diria isso. – Eu sai de cima dele, me deitando ao seu lado me aconchegando rente a ele, de maneira que continuasse grudados um no outro.


– Eu só não sabia a hora certa. – Beijei sua mão que fazia um pequeno carinho no meu queixo. – Mas acho que não tem horário certo para isso. – Virei meu corpo de costas para ele, Taehyung entendeu o que eu queria e me agarrou por trás, nos envolvemos na famosa conchinha.


– Eu também te amo, Kook. – Um beijinho foi deixado na parte de trás do meu pescoço. 


E assim, depois de todo aquele clichê, depois que todas aquelas palavras trocadas de amor, adormecemos. Há cada dia que passa me sinto mais dependente dele, mais sensível a ele, com mais obsessão pelos seus beijos, mais apaixonado por Kim Taehyung.


Notas Finais


Obrigado por ler ☀️


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...