História Vkook Taekook - Living with a cat - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jungkook, V
Tags Bts, Taekook, Vkook
Visualizações 172
Palavras 1.940
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Fantasia, Ficção Adolescente, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Primeiramente me desculpem pelos erros, estava com vontade de postar logo rs
E não sei por que o texto fica bugado
enfim se divirtam :3

Capítulo 5 - Cheonjiyeon


Quando diziam que os braços da pessoa que você ama é o melhor lugar do mundo, eu simplesmente ignorava e achava um exagero. Mas agora posso sentir na pele que é a mais pura verdade, ele dormia tranquilamente enquanto ronronava no começo achava estranho –ainda é- porém agora acho bem fofinho.

Eu sempre fui um rapaz bonito, mas trabalhar e estudar ao mesmo tempo é para desgraçar com a aparência de todo ser humano, meu cabelo havia criado vida própria fazia anos que não retocava meu roxo; olheiras eram algo constante em meu rosto devido as noites de insônia.

Acordei mais cedo que o normal, antes de viajar voltaria a ser lindo, pelo menos durante a excursão. Resolvi ir ao salão, coisa que nem lembro qual foi a última vez que fiz o resultado disto poderia ser claramente visto em meus fios que estavam com uma raiz gigantesca, a cor nem se parecia que alguma vez foi roxa.

A cabeleireira me olhou e me perguntou duas vezes se queria realmente aquela cor, com cara de poucos amigos concordei. Descolorir os fios era quase a mesma sensação de ter um inferno queimando em seu couro cabeludo com satanás sambando com salto agulha. Quando ela ameaçou encostar o tal líquido do tinhoso em minhas belas sobrancelhas, gentilmente falei “Não encosta isto nas minhas preciosas”.

Depois de longas horas de dor e sofrimento pude ver meu reflexo, pela a primeira vez em muitos meses me achei bonito, na verdade lindo. Loiro realmente foi uma ótima escolha, mesmo com as sobrancelhas com alguns tons mais escuros.

Faltava apenas mais algumas horas para finalmente iniciarmos a tal viagem, quando cheguei em casa Jungkook já estava acordado e pelo cheiro que vinha de cozinha ele estava preparando nosso café da manhã, me movi sorrateiramente até que ficasse atrás dele.

–Bom dia. –Sussurrei próximo ao ouvido dele.

Jungkook pulou quase me acertando com uma colher suja de chocolate, quando me viu o garoto de branco ficou transparente. Ele desviou o olhar pude ver a ponta da orelha e bochechas ganharem um tom abrasado.

–A...Aish, quase me matou de susto!

Achei estranho já que sempre que se irritava me encarava com as sobrancelhas franzidas, mas desta vez ele estava encarando o chão tentando ao máximo não manter o contato visual; indignado o segurei pelo o queixo o forçando me encarar.

–O que tem de errado com você Jungkook? Por que não olhar para mim?

As bochechas ficavam ainda mais rubras à medida em que eu me aproximava, as orelhinhas felpudas mexiam-se frenéticas.

–É...que você ficou ainda mais lindo loiro, eu não esperava então fiquei sem reação.

Desta vez a pessoa que provavelmente corou foi eu, me afastei no mesmo momento coçando a nuca, eu não sabia se estava infartado ou só estava apaixonado. Por causa daquelas palavras meu coração bateu desesperado estava frio, entretanto minhas mãos suavam.

–O-Obrigado...fez bolo?

A sobremesa estava na minha frente, mas esta foi a primeira pergunta que veio em minha mente. Kim Taehyung a melhor pessoa para mudar de assunto que você respeita, ele me olhou como se falasse “Na terra isto tem outro nome? ”

–Sim fiz. –como você pode ver-

Ri sem graça pela a pergunta idiota, o dia nem começou direito e já paguei meu primeiro mico.

[ (˃ᆺ˂) ]

O café da manhã como todos os outros estava com um clima maravilhoso, conversávamos sobre quase tudo, pouco a pouco descobria mais sobre o povo de Jungkook e seu planeta, estava bastante impressionado com o conhecimento que ele tinha sobre a terra.

Faltava pouco para sairmos de casa, como já havíamos arrumado as malas na noite passado só faltava tomar banho, falei para ele ir tomar banho enquanto eu lavava a louça. Fazia tempos desde que ele parou de ser meu empregado particular, erámos agora um casal jovem começando nossa vidinha à dois. Ele continuava cozinhando para mim, ele era bom nisto e eu mal sei fritar um ovo sem queimar a panela, basicamente matamos dois coelhos em uma porrada só, um preparava a comida e o outro lavava as louças.

Ele terminou o banho extremamente rápido, fico me perguntando se ele é que nem nossos gatos que se limpa com a língua. Apesar desta aversão a água Jungkook sempre cheira bem.

–Já acabei Tae, o banheiro está livre.

Agora quem ficou envergonhado foi eu, nunca o tinha visto com aquelas roupas. Ele usava uma calça jeans grafite com um pequeno rasgo na altura do joelho esquerdo, era um tanto justa deixando as pernas tonificadas extremamente marcadas, o cinto de couro sintético preto marcava a cintura bem desenhada; na parte de cima usava uma blusa de algodão simples também preta e por cima dela um casado de couro também sintético novamente preto.

–C-Cadê suas orelhas?!

Me assustei pela a beleza do rapaz e pelo o fato dele está usando um boné do mesmo material do casaco, normalmente quando sempre saia usava a minha touca para esconder as orelhas felinas.

–Ah, eu esqueci de avisar. Eu posso me transformar em um humano completo, mas geralmente não gosto muito é estranho ficar sem meu rabinho e orelhas.

Ele estava com orelhas humanas, este gatinho é uma caixinha de surpresa.

–Você fica lindo de qualquer jeito Jungkook, esta roupa lhe caiu muito bem.

Sorriu tímido desviando o olhar após me agradecer, me lembrei do presentinho que havia comprado para ambos. Dois colares simples com um pingente de coração que se partia em dois, em uma metade estavam escrito “Tae” e na outra “kook”.

–Taekook é uma palavra fofa.

Disse já colocando o colar com a metade “Tae” no pescoço do gatinho que basicamente ficou parado sorrindo com as bochechinhas coradas

–Taekook, é Taehyung mais Jungkook. Sim, é fofo.

Já disse que hoje que ficar maravilhoso? Não é por causa de nada em particular, só quero mostrar para aquele pessoalzinho da faculdade que meu gatinho tá’ muito bem acompanhado, tomei um belo banho com cuidado para não molhar o cabelo recém pintado. Depois de ver o jeito que ele estava vestido a inspiração bateu aqui, não que eu não tivesse bom gosto, claro.

Assim como ele também estava vestindo uma blusa preta lisa, mas por cima coloquei uma jaqueta jeans clara com estampa de nuvens, para combinar com minha carinha de anjo. Não tinha pernas tão malhadas, mas elas eram compridas e esbeltas ficaram ótimas da calça jeans preta com dois rasgos na altura do joelho. Como adicional coloquei minhas lentes coloridas, azuis.

–Se não fosse para causar nem saia de casa, afinal se fosse para ser pacifico eu seria oceano.

Disse para meu próprio reflexo enquanto colocava o colar de metal, com “kook” escrito na metade do coração. Estou bobo demais, acho que o amor faz isto com a gente.

Jungkook me esperava na sala já com nossas bolsas, ele me olhou sorrindo de lado a lado, confesso que fiquei bastante sem jeito.

[(=ↀωↀ=)]

Deixei meu carro no estacionamento da faculdade, caminhamos até o ônibus onde o pessoalzinho estava esperando o ônibus partir, a ariranha da minha ex estava lá com a naja do meu ex melhor amigo, eu queria muito gravar a cara imbecil que eles fizeram no momento em que me viram ao lado de Jungkook, provavelmente a praga se deu conta do que havia perdido e o traíra estava questionando a própria sexualidade.

–Ser imbecil não tornam vocês permeáveis, por favor poderiam desobstruir a passagem?

Gentil feito um coice de mula, quando eles ameaçaram me responder a professora – que agora sei que é fujoshi- chegou.

 –Ah, finalmente chegou Taehyung! Só faltava vocês dois.

A maluca encarou Jungkook dos pés à cabeça, a pessoa passou na fila da estranheza algumas vezes.  Choi possuía uma aparência extremamente jovial, me recusava acreditar que a bendita já estava na casa dos quarenta, que este milagre caia sobre mim. O cabelo escuro estava na altura dos ombros, a pele aparentava ser bem cuidada com nenhuma marca da idade, os olhos negros estavam bem delineados, mas de forma sutil; era baixinha com o corpo não tão magro como os padrões coreanos exigiam.

–O seu amiguinho é bem mais bonito olhando de perto.

–Jungkook não é meu “amiguinho” é meu namorado.

Falei namorado bem alto mesmo, queria que a faculdade toda escutasse principalmente as garotas que caiam matando. Não menti, a gente se beijava, dormia junto, morava junto, fazíamos aquelas coisas éramos praticamente casados. O rapaz que estava ao meu lado ficou me encarando boquiaberto, com motivos é claro eu nem pedi nada e já fui falando assim. Mas se não falasse naquele momento, eles iriam achar que éramos apenas amigos e que Jungkook estava livre.

–Oh!, formam um casal bonito.

Choi sorriu doce, já nos empurrando para dentro do ônibus. Sentamos nos últimos bancos, Jungkook disse que queria ir no canto, pois gostaria de ver a paisagem já que conhece a terra apenas pelos os livros que possuía em seu planeta.

–A propósito, eu aceito. –Ele encarava feito uma criança boba os arranha céus, que eram a maioria em Busan.

–Hm? Aceita o quê?

–O pedido de namoro. –Virou o rosto, sorrindo doce para a minha pessoa-

–Ah...me desculpe, eu deveria ter te perguntando antes de falar algo.

–Tudo bem Tae, ficaria triste caso concordasse que é meu apenas meu “amiguinho” já que no meu coração nunca foi apenas isto.

Encostei minha cabeça no ombro dele enquanto o abraçava pela a cintura, aquele negócio que separava as cadeiras ficava atrapalhando, mas a gente sempre dá um jeitinho para ficar juntinho. Fechei os olhos sentindo os dedos dele afagarem meu cabelo, carinho na cabeça era meu ponto fraco.

–E a paisagem Jungkookie? –Disse, pois, ele havia ficado naquele lugar para observar o lado de fora-

–Há alguém aqui que me interessa mais que qualquer paisagem.

Sorri ainda com os olhos fechados aproveitando o quanto podia daquele carinho.

[(ʘ̥ꀾʘ̥)]

O carinho de Jungkook estava tão gostosinho que acabei cochilando, acordei com a Choi praticamente nos gritando, havíamos chegado.  Estava todo dolorido, dormi de mal jeito me espreguicei antes de levantar. Jungkook também havia cochilado, mas ao contrário de mim ele não acordou o sacudi algumas vezes até ele acordar.

–Anda levanta, já chegamos!

–Hm?

–Já chegamos Jungkook, levanta logo

–Uhum, uhum

Todos já haviam saído do ônibus, Choi estava explicando onde ficaríamos durante a excursão. Estávamos em Jeju indo para uma pousada perto da cachoeira cheonjiyeon – que significa céu conectado com a ilha-. Ela possuía uma queda livre de aproximadamente vinte e dois metros, suas águas cristalinas deram a cachoeira o título de monumento natural nacional.

O hotel onde iramos ficar estes dias era simples, porém aconchegante, consegui que eu e Jungkook ficássemos sozinho em um quarto; depois de muito suborno é claro. Basicamente ele pediu uma foto minha e do meu gatinho, abraçados para ela usar como material. Depois de conversar com Jungkook aceitei as condições da doida. O que não faço para ficar com meu filhote, né não?

–Que macio...

O garoto nem bem chegou no quarto e já foi se jogando se cama, que realmente parecia ser bem macia, me sentei na cama deixando a mochila no chão.

–Tae...posso voltar para a minha forma original? Ficar assim muito tempo dói minha cabeça.

–Claro, fique à vontade.

No mesmo momento ele jogou o boné longe e desfivelou o cinto. Rapidamente o rabinho e as orelhas apareceram, Jungkook veio para cima de meu colo.

–Obrigado...-Ele beijou minha bochecha e eu sorri.

No momento em que iria fazer um cafuné, a porta abriu e minha ex aparece. Quando mais a gente reza mais satanás resolve se manifestar, gelamos sem reação afinal ninguém sabia que Jungkook era um hibrido.

 


Notas Finais


Capitulo manhosinho né? pois é ~
Vish, será que vai dá ruim?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...