História Voar - Capítulo 1


Escrita por: , LanaKodama e UCNAMJOUT

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Min Yoongi (Suga), Personagens Originais
Tags Namjin, Tradicional Vs Liberal, Ucnamjout
Visualizações 72
Palavras 1.010
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Fluffy, LGBT, Shonen-Ai, Universo Alternativo
Avisos: Bissexualidade, Homossexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Boa leitura!!!

Capítulo 1 - Capítulo Único


Sabe, eu fui criado para ser alguém livre. Alguém que vive, que experimenta, única e exclusivamente para si mesmo. Fui criado somente pela minha mãe que desde cedo me ensinou que eu me basto.

Ensinou-me que devo fazer as coisas por gosto, não porque devo agradar outra pessoa. Cada pequena coisa que aprendi, cada pessoa que beijei, cada emoção que não guardei.

Aprendi que não precisava estar com outra pessoa para ser feliz, conforme crescia via minha mãe, uma mulher solteira e com um filho, ser feliz e realizada, sem dar atenção às opiniões alheias.

Foi ela quem esteve ao meu lado quando me descobri bissexual, quando sofri preconceito por causa disso. Foi ela que me ensinou que o único empecilho na minha vida era eu mesmo, somente eu poderia me impedir de voar, de ser o que eu quisesse, fazer o que eu quisesse, amar quem eu quisesse.

Foi ela quem abriu minha mente e me mostrou as possibilidades, que disse que eu não precisava me prender a velhas e desgastadas tradições, ou a preconceitos fortemente enraizados nas outras pessoas.

Eu cresci acreditando que nunca me casaria por causa dessas coisas, sempre achei que ninguém entenderia meu jeito de ser, que estaria disposto a compartilhar isso comigo.

Por isso sempre disse para todos que nunca casaria.

Mas o inesperado aconteceu, eu me apaixonei por um homem maravilhoso, alguém que entendia meu jeito livre de ser. A princípio, quem não entendeu foi minha mãe, ela achava que a paixão estava me cegando e me impedindo de descobrir mais do mundo, mas SeokJin foi capaz de mostrar que ela estava errada. Ele mostrou que estava disposto a voar comigo.

E agora, eu via minha mãe do lado de fora da casa dos Kim organizando o meu casamento, marchando de um lado para o outro como um general e dando ordens até mesmo aos meus padrinhos. Ri ao vê-la brigando com Yoongi, fazendo-o parecer uma criança assustada enquanto corria para obedecê-la.


— Ela realmente dá medo quando quer – disse SeokJin aproximando-se e também rindo da cena que se desenrolava do lado de fora.

— Acho que é a primeira vez que vejo o Yoongi com medo de alguém – comentei enquanto deixava-me ser abraçado pelo meu noivo.

— Às vezes ainda acho que ela vai arrancar a minha cabeça só com o olhar.– Jin estremeceu de modo teatral.

— Ela nunca faria isso.

— Como pode ter tanta certeza?

— Porque eu te amo.


Jin sorriu e beijou minha bochecha de maneira quase tímida, ele parecia nunca se acostumar.


— Eu amo você – sussurrou contra minha pele.


Abracei-o pela cintura e o fiz andar de costas em direção a cozinha, rindo enquanto quase trombamos com os móveis.

— Eu amo a sua risada – falei.


Jin arqueou as sobrancelhas.


— Minha risada é estranha.

— Eu amo ela mesmo assim.

— Eu queria ser como você, conseguir falar o que sinto sem ficar me policiando – disse puxando meu corpo para junto do seu, nossos peitos se chocando devido ao movimento.


Encostei-o contra a bancada da cozinha.


— Eu sempre tive liberdade para dizer o que penso e desde muito cedo aprendi a ignorar quem não aprovava esse tipo de comportamento – falei sem olha-lo nos olhos.– Me lembro de quando eu dizia a todos que nunca me casaria, de que não precisava de alguém ao meu lado para ser feliz, que não precisava de uma família para me sentir realizado, mas quando eu conheci você eu aprendi que a sua felicidade completa a minha, e que família não era somente um homem, uma mulher e um filho. Família são os amigos que escolhemos manter por perto.

— NamJoon…

— Você não é somente o cara pelo qual me apaixonei, você é meu melhor amigo, meu confidente, meu parceiro nas maluquices nas quais mais ninguém me apoiaria, você se tornou meu alicerce, minhas raízes – continuei ao apoiar minha cabeça contra a dele.– Você permite que eu seja uma pássaro e voe para longe, para então retornar para você, mas também está disposto a voar ao meu lado.– beijei cada uma de suas bochechas.– Por tudo isso e muito mais que eu sempre faço questão de te dizer o quanto o amo.


SeokJin deu um sorriso adorável.


— As vezes eu me esqueço a sua capacidade de me deixar sem palavras, mas foi assim desde a primeira vez, não é mesmo?– Jin riu com a lembrança da noite em que nos conhecemos.– Achei que você era só mais um universitário bêbado naquele bar, mas então começou a falar como um verdadeiro filósofo sobre a liberdade que todos nós devíamos buscar, lembro-me de sentir inveja de você.

— Inveja de mim?– perguntei surpreso.

— Sim, você cursava o que gosta sem se importar com a opinião alheia, sem se preocupar com o futuro, sem se prender a nada e nem a ninguém, sempre comparei você a um lindo e exótico pássaro – riu ao dizer aquilo.– Mas então você resolveu se aproximar e sem que eu percebesse me prendeu a você, libertou-me de medos e questões inúteis que inundavam minha mente, você me deu a chance de voar.

— Acho que a convivência comigo está te afetando.

— E eu agradeço todos os dias por isso, você me tirou do meu cantinho seguro que me garantia uma vida estável, uma família e um emprego, uma vida conservadora e sem graça. Você me mostrou que não me encaixo em nada disso.

— E vou continuar mostrando a cada dia de nossas vidas.


Jin me beijou devagar, sua boca pressionando a minha de maneira lenta.

— Céus! Isso foi a coisa mais melosa que já escutei na minha vida toda. – disse uma mulher fazendo-nos sobressaltar.


Olhamos para trás e vimos minha mãe com as mãos na cintura e Yoongi ao seu lado segurando uma máquina fotográfica.


— Mãe!

— Tô com uma leve vontade de vomitar – disse meu padrinho.


Pude sentir o corpo de Jin estremecendo enquanto ele tentava contar uma risada.


— Vocês não tem mais o que fazer não?

— Na verdade, não. Está tudo pronto, no máximo, alguns retoques. – disse minha mãe.– Vem Yoongi, deixa esses dois nojentos sozinhos.


Deixei minha cabeça cair sobre o ombro de Jin quando eles se afastaram.


— Ela está feliz por nós dois.

— Eu sei.



Notas Finais


Espero que tenham gostado.
Beijos.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...