1. Spirit Fanfics >
  2. Você? >
  3. Cicatrizes reabertas

História Você? - Capítulo 2


Escrita por: e Srta_Grimes


Notas do Autor


Boa leitura a todos!

Capítulo 2 - Cicatrizes reabertas


O ar passava escassez naquele ambiente. Jimin podia jurar que escutava o som das batidas descompassadas de seu coração e aquilo o deixava mais nervoso. Diante de seus olhos, seu ex-namorado: aquele que Jimin amou com todo seu coração, mas que não era correspondido da mesma maneira.


As lembranças do desastroso relacionamento de anos atrás preenchiam os pensamentos do loiro, ameaçando roubar seu fôlego. Ele podia sentir as lágrimas querendo inundar seus olhos, todavia, precisava ser forte. Precisava mostrar a Jungkook que havia superado o fim do relacionamento deles.


— Eu não imaginei que iria te encontrar aqui. — A voz rouca de Jeon se pronunciou, fazendo com que Jimin enrijecesse os ombros.


— Agora eu estudo aqui. — Retrucou, expressivamente ilegível. Seus ombros permaneciam rijos e um nó se formava na garganta. Aquele lugar aparentava ter se tornado minúsculo.


— Então… como você está? — o de cabelos escuros perguntou, apesar de se mostrar ligeiramente desconfortável com aquele reencontro.


Jimin soltou uma risada desdenhosa. Em seguida, respirou fundo.


— Eu preciso ir, Jungkook. — Ponderou e posicionou a bolsa sobre o ombro, logo se virando à direção da porta. Contudo, sentiu a mão de Jeon segurando seu pulso suavemente.


— Jimin, por favor, vamos conversar. — O rapaz sussurrou, em forma de súplica. O olhar de Jeon transmitia um sentimento indecifrável para Jimin. Sentiu certa contração em seu estômago, e a garganta dolorida por conta do nó formado, mas, mesmo assim, engoliu em seco. Seu olhar fixou-se sobre as orbes negras do olhar alheio, e novamente aquela falta de ar surgiu.


Você tem de ser forte, Jimin, a mensagem de repreensão era constantemente pronunciada em seus pensamentos.


Ele, com calma, segurou a mão de Jungkook e fez com que ele soltasse seu pulso.


— Eu não tenho nada para falar com você, Jeon. — E, dito isso, deixou o banheiro, sem ao menos esperar a resposta.


Jimin sentia como se estivesse carregando um peso sobre os ombros. Era como se, a cada passo dado, o chão abaixo de seus pés fosse desvanecer.


O mundo ao seu redor girava, sua boca em busca de água. Recostou-se em uma das paredes do corredor, na tentativa de recuperar o equilíbrio. Suas pernas estavam mais bambas do que quando entrou naquele lugar.


— Com licença — uma voz masculina chamou a atenção do Park, fazendo-o buscar pelo dono dela —, você está bem? — questionara o garoto que observava-o.


Ele era um pouco mais alto e tinha cabelos cor castanho claro. Usava um óculos de grau.


— Sim, sim. Eu estou melhor. — Respondeu, notando o rapaz a sua frente suspirar de alívio.


— Ah, fico mais tranquilo. — O outro disse, abrindo um sorriso envergonhado. — Eu percebi que você parecia um pouco tonto e estava muito pálido. Aconteceu alguma coisa? Desculpe-me perguntar, apenas fiquei preocupado com você.


Jimin soltou uma risada rouca e então passou a mão por seus fios loiros, buscando recuperar o fôlego perdido.


— Sinto muito se lhe preocupei. — Murmurou, ao sentir o leve rubor surgir em suas bochechas. — A propósito, como se chama? — perguntou, curioso.


— Kim Taehyung. — O rapaz de fios castanhos prontamente respondeu, abrindo um sorriso amigável, e estendeu a mão na direção do outro. — Prazer em conhecê-lo.


— Park Jimin. — Disse, enquanto apertava a mão do Kim, cumprimentando-o. — É bom finalmente trocar algumas palavras com alguém novo. — O Park indagou e abriu minimamente um sorriso.


— Bom, eu estou indo pra minha sala. A propósito, você já sabe qual é a sua turma? — o Kim questionou, logo ajustando a posição de seus óculos.


— A-04.


— Pelo visto, seremos colegas de classe, Jimin. Se quiser, posso te acompanhar até a sala. — Taehyung gesticulou com a cabeça, indicando que já estava de saída para o local mencionado.


Jimin, então, se posicionou ao lado do outro, e foi com o mesmo até a sala de aula.


Ao chegar ao local, sentiu os olhares alheios pairando sobre si. A face de Jimin ruborizou, e isso fez com que bufa-se um pouco irritado. Por que todo mundo tinha que o encarar pelo simples fato de ser um aluno novo?


— Fique tranquilo, ninguém aqui morde. — Taehyung comentou em meio a uma sutil risada, sentando-se em uma carteira na segunda fileira. Ele apontou para uma carteira vaga ao seu lado, e o loiro sentou-se no local indicado, suspirando pesado.


— Eu apenas não gosto de ser o centro das atenções. — Ponderou após alguns segundos, com o olhar mantido à frente.


Ele, então, estreitou os ombros nervoso e bateu levemente a ponta dos dedos sobre a mesinha.


— Ah, meu namorado está chegando. — Taehyung comentou, enquanto olhava para a porta da sala. — E parece que ele veio com o Jungkook hoje.


— Jungkook? — Jimin pôde sentir novamente a sensação de nervosismo invadir o peito, e então engoliu em seco, pela centésima vez naquela manhã, fitando a porta da sala de aula.


E lá estava ele, Jeon Jungkook; o motivo de todo o surto de minutos atrás. Jimin sentiu seus músculos tensionados, e um nó a formar-se no interior da garganta.

E, quando pela segunda vez no mesmo dia, o olhar de Jeongguk veio de encontro ao seu, tudo ao seu redor parecia funcionar em câmera lenta. Ele já podia sentir sua cabeça mais leve, como se todo o oxigênio tivesse desaparecido.


— Jimin? — Taehyung pronunciou o nome do loiro, assim, tirando-o de seu transe. — Você está passando mal de novo?


O rapaz balançou a cabeça negativamente e então, com uma dificuldade inexplicável, reprimiu os devaneios e não tardou em direcionar o olhar para Taehyung.


— Não. Eu... só lembrei de uma coisa. — Comentou e então abaixou o olhar ao nada.


— Então... — o Kim abriu um sorriso simplista e, assim que seu namorado, Yoongi, e Jungkook se sentaram em suas respectivas cadeiras, fez as devidas apresentações. — Jimin, esses são Yoongi e Jungkook. Meninos, esse é o Jimin, nosso novo colega.


Jimin permaneceu imóvel, respirou fundo e ergueu seu rosto, ao que esbanjara uma expressão indecifrável. E, embora difícil a si, abriu um sorriso amigável.


— Seja bem vindo, Jimin. — Recepcionou Yoongi com sinceridade, apesar de se mostrar, aparentemente, indiferente.


— Bem vindo... — Jungkook também murmurou e permitiu fixar o olhar ao do loiro. Pôde sentir a intensidade naquela simples troca de contato visual, e aquilo resultou num rubor discreto estampado nas bochechas pálidas.


— Obrigado. — O Park apenas pronunciou as simples palavras, sem demonstrar alguma emoção em seu tom de voz. É, definitivamente não tinha como seu dia ficar pior.


Quando se tocou, o professor de artes plásticas já havia entrado na sala de aula, e tivera de endireitar a postura. No fundo, a única coisa que Park pedia naquele momento era que os ponteiros do relógio girassem o mais rápido possível.


[...]


Segunda feira, 19:30 da noite


Finalmente as aulas haviam acabado. Jimin sentia seus dedos doloridos pelo tanto que teve que anotar em seu caderno. Aparentemente, apesar da Faculdade de Artes ser “inofensiva”, era, de fato, muito difícil e certamente exaustiva. Com certeza iria exigir muito de sua dedicação. Todos os alunos já haviam saído da sala, quer dizer, exceto o trio que Jimin conheceu naquele dia.


— Hey, Jimin. — Taehyung se pronunciou, enquanto observava o Park recolher seu material escolar. — Quer ir à cafeteria conosco? É aqui ao lado.


— Hum, eu adoraria, Taehyung. — Dizia enquanto continuava a recolher suas anotações. — Mas eu moro muito longe. É um percurso muito cansativo.


— Ah... tudo bem, eu entendo. Então, fica pra próxima?


— Sim, fica pra próxima. — Confirmou, finalmente pegando sua bolsa. — Bom, tenham uma boa noite. – Retirou-se da sala de aula o mais rápido possível, sem ao menos ousar olhar para trás.


Já distante o suficiente daquela sala, encostou-se em uma das paredes do corredor e soltou o ar reprimido. Nem havia percebido que prendia a respiração. Sentiu a dor em seu peito, ao relembrar de momentos que vivera com Jungkook. A única coisa que ele se perguntava era: por quê? Por que ele ainda sentia aquelas sensações? Será que…


— Não. Não pode ser. — Jimin negou a si mesmo, enquanto fechava os olhos. Era como se aquele simples gesto fosse capaz de aniquilar toda a dor manifestante naquele momento.


— Jimin. — A voz familiar e a mais temível para Park chamou-lhe, o que fizera-o abrir os olhos. — Eu sei que você não quer falar comigo, mas, por favor, podemos conversar?


Ele franziu a testa e fez um sinal negativo com a cabeça.


— Desculpe, Jungkook. Mas definitivamente eu não quero conversar com você. — Sussurrou, à medida que virou-se na intenção de ir embora.


— Jimin. — Jeon segurou gentilmente a mão do Park, e aquele simples toque fez com que os sentimentos do loiro ficassem ainda mais agitados. Por conseguinte, suplicou: — Por favor, eu só quero conversar. Jimin riu, nervoso. No entanto, decidiu que ouviria o que Jungkook tinha a lhe dizer.


— Então fale. — Ele se virou, enfim frente a frente com seu ex, pela segunda vez naquele dia. Francamente, encarar aquele rapaz sem que os sentimentos se alarmassem era praticamente impossível. — Eu estou ouvindo, Jeon.


Jungkook suspirou pesado, e seus olhos cintilaram com as lágrimas cristalinas que os preencheram.


— Eu sei que te machuquei muito no passado. — Alegou, com falhas iminentes na voz. — Não dei o devido valor ao nosso relacionamento e, consequentemente, perdi você. Um garoto tão incrível. — Ele riu nervoso e então coçou a nuca. — Sabe, Jimin, eu era muito imaturo naquela época. Eu tinha medo de me entregar a um relacionamento sério, por isso, agia de modo impulsivo, principalmente quando eu sabia que lhe machucava. Eu fui muito babaca com você, Jimin, e de verdade, hoje eu percebo o quão idiota fui por ter feito todas aquelas merdas. Por ter tratado nosso relacionamento como um lixo e, principalmente, por ter machucado o seu coração. Seu coração que sempre foi tão puro… e saber que eu sou o motivo dele estar tão fechado hoje me machuca, entende?


As lágrimas que preenchiam os olhos de Jimin, começavam a transbordar lentamente perante as ponderações de Jungkook ali, para si.


— Eu, hoje, percebi que meu maior erro foi ter feito tudo errado. Eu devia ter dito desde o começo que não estava pronto para aquele relacionamento. Não estava pronto para me “prender” a alguém. De verdade, Jimin, eu espero que você me perdoe. Eu devia ter sido sincero com você desde o começo.


— Sim, devia. – Jimin comentou, com a voz embargada e o rosto molhado pelas lágrimas. — Devia ter falado para mim que preferia sua vidinha de pegador ao invés de aceitar ser meu namorado. Jeon, eu nunca disse que queria lhe prender a mim. Quando eu pedi você em namoro era porque eu estava realmente apaixonado por você. Eu te amava, Jungkook, te amava com todas as minhas forças. E, porra, me dói até hoje perceber que, para você, o nosso namoro não passou de um passatempo. Você se aproveitou dos meus sentimentos, mentiu pra mim. Mentiu sobre me amar quando, na verdade, amava o fato de eu me humilhar a você. Você amava me ver fazendo papel de trouxa, não? Amava o fato de que, não importasse o quanto você quebrasse o meu coração, eu sempre iria lhe perdoar. Você realmente foi um babaca comigo e eu criei muitas expectativas com você, por isso, estar aqui na sua frente, tão vulnerável assim, me deixa furioso! Eu simplesmente não queria ter que olhar pra você novamente, porque…


— ... Por que? — repetiu o moreno de modo questionador, com as sobrancelhas levemente erguidas em um sinal de curiosidade.


— Porque... eu ainda amo você. – E, como se tivesse levado uma facada em seu coração, Jimin começou a chorar incontrolavelmente. Se recostou na parede novamente e colocou a mão sobre a boca, na tentativa de abafar os soluços a cada vez mais altos.


Jungkook não pensou duas vezes, apenas se aproximou do Park e o envolveu em seus braços. Jimin, apesar de se mostrar hesitante no começo, envolveu seus braços ao redor do corpo do Jeon, retribuindo o seu abraço. Ele podia ouvir os batimentos acelerados do coração do outro.


— Jimin... — ele sussurrou, de maneira contida — não chore, por favor... – sua mão pousou sobre os cabelos loiros do Park, e com cuidado, iniciou um ato de carinho — você pode fazer qualquer coisa, menos chorar…


Então, Jimin ergueu seu rosto lentamente e permitiu seu olhar analisar minuciosamente cada detalhe da feição do moreno. Ele engoliu em seco, e logo aproximou seu rosto do de Jeon. O moreno não fez nada, apenas entreabriu seus lábios quando sentiu a respiração quente de Jimin se misturando à sua.


— Posso lhe dar um último beijo? — o mais velho perguntou, enquanto roçava seus lábios contra os lábios alheios.

A primeira reação de Jeongguk foi arfar baixinho. A segunda, foi sussurrar a resposta, como se implorasse:


— Claro que pode.


Jimin desesperadamente agarrou o rosto de Jungkook com as mãos e selou seus lábios com os dele, beijando-o de forma necessitada. No momento em que sentiu aquele ósculo, as lágrimas surgiram novamente em seus olhos, e o fato de estar beijando ele novamente depois de tantos anos ocasionou uma manifesta taquicardia.


Por incrível que pareça, Jungkook retribuía aquele beijo com gentileza, com intensidade; com vontade. Era como se ele estivesse esperando por aquele momento há muito tempo.


A respiração arfante de Jungkook e Jimin se misturavam, e os sons que os lábios selados produziam com aquele beijo era a prova mais reconfortante de que era real.

Quando eles se separaram, os olhares se cruzaram e o silêncio se instalou instantaneamente entre eles.


— Jimin. — O moreno chamou pelo outro e, então, com delicadeza, deslizou os dedos por sua bochecha. — Eu amo você.


As palavras de Jeon pegaram o loiro desprevenido. Piscou algumas repetidas vezes, no intuito de voltar a realidade, supostamente.


— Isso é uma brincadeira?


— Não. — Respondeu convicto ao mais novo. — Sei que percebi isso muito tarde, mas eu amo você e, se me permitir, gostaria de recuperar o tempo perdido, ao seu lado.


A garganta de Jimin ficou seca e, involuntariamente, um sorriso preencheu seus lábios. Ele suspirou, permitindo-se fixar seu olhar ao do maior.


— Jungkook.


— Jimin. — Jeon riu e, em sequência, segurou o queixo do mais novo com gentileza. — Você me permite cuidar de você?


O coração de Jimin errou batidas por alguns segundos e, ao que sentira seu estômago a contrair, ele respondeu:


—... Eu, uh... deixo você cuidar de mim. Mas, por favor, não me decepcione novamente…


Jeongguk aproximou seus lábios aos do Park com um sorriso reluzente:


— Eu prometo que tudo será diferente. — E essa foi a última frase proferida por Jeon antes de tomar os lábios do Park em mais um beijo.


[...]



Notas Finais


Capa feita por: @YOUREILUDIDA
Betada por: @Krlj

Dêem amor para essa história perfeita e para nossa autora @Srta_Grimes

Obrigado por lerem até aqui, até a próxima atualização!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...