1. Spirit Fanfics >
  2. Você acredita em vida após o amor? >
  3. Nós nascemos pra morrer

História Você acredita em vida após o amor? - Capítulo 2


Escrita por:


Capítulo 2 - Nós nascemos pra morrer


Seria preciso uma trilha sonora para me acalmar e me ajudar a prosseguir com essa loucura. Lana Del Rey é uma boa opção para momentos como esse. É aquele velho ditado: se está no inferno, tome café com o diabo. Se estou um caco, que ao menos haja música para que o corte não doa tanto. Eu sei que isso não faz sentido e quer saber? Foda-se. Grite para o mundo o quão idiota Regina Mills é. Espero que entenda que todos nós nascemos para morrer. Na verdade, ninguém aceita tal fato. As coisas não são bem assim. 

Eu posso jurar que o meu coração errou algumas batidas; levando em consideração a minha pulsação acelerada. Não demorou muito para ter o meu corpo dominado pelo desespero. Eu realmente pensei que não seria assim. Por impulso, ou, se quiser, chame de medo; empurrei todas as pessoas á minha frente, derrubando um ou outro, tentando chegar o mais rápido possível até o meu amor... 

E mais uma vez o meu coração se quebrou por inteiro. Eu a odeio, a amo, a quero e sofro. Se tratando dela, tudo foge da ordem natural. Ela conseguiu partir o que nunca esteve inteiro; fez o efeito das drogas ser inútil e fez um órgão do meu corpo (o coração), errar a sua função e de não insigne importância, fez-me chorar ao ponto de soluçar, pelo temor de perder aquilo que eu nunca ganhei.

Emma Swan é com toda certeza o amor da minha vida e eu só queria entender o porquê de tudo ter acontecido daquela forma! Será que os meus sentimentos são movidos a uma mera ilusão? Se a resposta for sim, diga-me: porquê sinto a necessidade de cuidá-la? Quando os meus olhos encontraram-se em seu olhar vazio eu entendi o quão perdida estou. 

Jogada na mureta, pálida, vomitando sangue pela boca. Emma parecia estar entregue a morte. Não sei quem foi o filho da puta, mas infelizmente, parecia ter acertado em cheio. O disparo fora efetuado em sua cabeça. Não era o momento de me ater sobre a possibilidade de ter sido uma ação planejada. Em um gesto irracional, a abracei fortemente, contraindo-a sobre o meu peito, manchando a minha roupa com o seu sangue. O destino sabe ser cruel tratando-se de algo relacionado a mim. Era pra eu partir e não ela. 

Eu sei que não deveria fazer o que fiz, mas eu precisava disto... Eu realmente precisava sentir a sua boca junto a minha, mesmo que fosse pela última vez. Me aproximei lentamente, sentindo a sua respiração falha e quente sobre o meu pescoço, selei os nossos lábios e segundos depois a vi se desfalecer em meus braços. 

Como a ambulância não chegava, coloquei-a em meu carro. Não me pergunte de onde tirei forças para isso... Talvez essa seja a força do amor. Pedi para que Zelena dirigisse. 

- Tudo o que eu mais queria era que o tiro acertasse a mim e não ela... Eu daria a minha vida para estar em seu lugar... Para estar no lugar de alguém que nunca me teria como o suficiente. - Puxei o ar e o soltei, devagar, tentando controlar a minha respiração - Algo aqui dentro grita-me com ódio, dizendo-me o óbvio: Eu deveria ter seguido.... Ter partido para outro país, como era o plano; mas Emma é órfã! Ela não tem ninguém e precisa de mim! O problema é que eu não sei como fazer... Os meus olhos choram sem sessar. Eu estou com medo... Medo de perdê-la. - Joguei as palavras para minha irmã, em meio ao soluço causado pelo choro em excesso. - Eu não suportaria!

 I don't know why - Eu não sei o por quê 

O que acontecera poucos minutos antes do clímax da noite dominou os meus pensamentos. A jovem tão cheia de vida que beijava várias bocas, encontrando-se pronta para transar com um desconhecido qualquer, agora, estava debilitada, morrendo em meus braços. 

Keep making me laugh - Continue me fazendo rir.

- Eu juro... Eu juro que preferia passar o resto dos meus dias me embebedando, encontrando-a nas baladas, sorrindo para todos e me humilhando, do que isto. - Sussurrei, olhando para o teto do carro, tentando controlar as lágrimas.

- Eu a admiro muito, Regina. Não é qualquer um que faria o que você está fazendo.

A minha resposta foi o silêncio. A ruiva acelerou o carro como nunca. 

- Por quê? - Perguntou-me, olhando pelo retrovisor, parando bruscamente assim que  chegou no hospital. - Você não precisava mudar a sua vida por ela... Tu és linda, milionária, iria se mudar para New York, controlar as nossas empresas pelo coração do mundo... - ela disse com pesar.

- Eu continuarei linda, milionária e controlando tudo por aqui! - eu disse de forma ríspida, enquanto um enfermeiro se aproximava com a maca. - Mas, para responder a sua pergunta... Vou lhe fazer outra: você acredita em vida após o amor? - E a única resposta que obtive foi um suspiro pesado.

Eu não fiquei esperando, apenas corri atrás dos enfermeiros que empurravam a maca hospital a dentro. 

We were born to die - Nós nascemos para morrer

We were born to die - Nós nascemos para morrer

We were born to die - Nós nascemos para morrer...

 


Notas Finais


Críticas são bem vindas ❤️


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...