História Você ainda é meu - (Um conto SasuNaru) - Capítulo 8


Escrita por:

Postado
Categorias Naruto
Personagens Naruto Uzumaki, Sasuke Uchiha
Tags Drama, Lemon, Naruto, Sasunaru, Universo Alternativo
Visualizações 1.392
Palavras 4.708
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Fluffy, Lemon, LGBT, Romance e Novela, Shonen-Ai, Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Adultério, Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Yo, minna *-*
Esse capitulo estava pronto desde segunda, mas eu estava sem internet em casa! Felizmente arrumou, felizmente posso postar!
É emoção que você quer, @?
Boa leitura!

Capítulo 8 - A conversa


Fanfic / Fanfiction Você ainda é meu - (Um conto SasuNaru) - Capítulo 8 - A conversa

Os momentos que sucederam a partir daquele instantes, foram um compilado de dor, desespero e agonia. Os paramédicos chegaram rápido e afastaram Naruto rapidamente, entubaram Sasuke ainda no apartamento e depois saíram com ele. Desesperadamente preocupado o Uzumaki foi com Sasuke na ambulância temendo tudo aquilo.

 Quando chegaram ao hospital Sasuke foi levado para a emergência e Naruto teve que ficar, quase não conseguiu se concentrar para fazer a ficha dele, mas o fez e fez muito bem por ainda ser casado com Sasuke no papel.

 Ligou para Itachi ainda trêmulo e nervoso, o Uchiha mais velho desligou e Naruto soube que ele estava a caminho, olhou no relógio e viu que ainda eram 16h, mas achou melhor ligar para a mãe e pedir que ela pegasse Hikari na escola.

 - Naruto! – Itachi invadiu a sala de espera e Naruto o abraçou, não costumava abraçar Itachi, mas foi bom sentir o apoio de alguém – Já deram alguma notícia?

 - Nada, já se passou quase uma hora e ninguém me disse nada! – contou Naruto se afastando – Eu sabia que aquela tosse não era normal.

 - Mas o Sasuke não viria no médico, esse teimoso do caralho! – Itachi afrouxou a gravata.

 - Eu não liguei pra sua mãe porque ela viajou e eu não sabia se devia. – explicou Naruto.

 - Não vamos preocupar meus pais ainda. – disse o moreno – Pode ser uma gripe.

 - Não é, qual foi a última vez que o Sasuke ficou gripado? – perguntou o Uzumaki e Itachi suspirou agoniado – Eu o conheço há quase nove anos e ele nunca ficou doente.

 - Calma, Naruto, vamos pensar no melhor. – pediu Itachi.

 Pelo menos mais meia hora se passou, Deidara chegou para ficar com os dois que já esperavam, Sakura soube que estavam lá e foi falar com o melhor amigo, Naruto estava preocupado, o jeito que tinha encontrado Sasuke fora traumatizante e ele ainda tremia, por um segundo pensou que estivesse morto e aquilo destruiu seu coração.

 - Familiares de Sasuke Uchiha? – uma médica apareceu fazendo todos saltarem das cadeiras.

 - Como ele está? – Itachi se adiantou.

 - Agora ele está estável e respirando, o senhor Uchiha está bem na medida do possível. – disse a doutora – Sou Shizune, sou pneumologista, e o que o senhor Uchiha teve uma Embolia Pulmonar acarretada por uma trombose venosa.

 - Isso é grego por acaso? – perguntou Deidara.

 - Trombose venosa é quando o sangue coagula, mas esse coágulo consegue correr até a artéria, vai juntando com mais sangue e ficando maior até obstruir uma artéria importante. – explicou Sakura.

 - Geralmente o coágulo vai para no coração e é fatal. – contou Shizune – Mas pra sorte do senhor Uchiha o coágulo obstruiu uma das mais importantes artérias do pulmão, quando fechou completamente ele teve uma embolia. Ele apresentou sintomas como tosse, febre ou náusea?

 - Ele tem tossido muito nos últimos dez dias no máximo. – disse Naruto ainda preocupado – Fui eu quem o encontrou, ele estava roxo, ardendo em febre e sangue saia da boca dele.

 - Foi muita sorte, uma hora a mais ele e ele teria se afogado no próprio sangue. – disse Shizune suspirando – Tiramos radiografia dos pulmões e exames foram feitos, por enquanto eu só posso dizer isso.

 - Obrigado, doutora. – disse Itachi.

 Naruto suspirou sentindo a mão de Sakura na sua, deu um meio sorriso pra ela tentando não parecer a beira de um ataque de pânico.

∞∞∞

 Aos 7 anos de idade, Sasuke Uchiha teve meningite bacteriana e precisou ficar duas semanas internado sendo medicado de forma intravenosa quatro vezes ao dia, desde então ele odiava hospitais. Pensou nisso ao despertar e se encontrar em um quarto luxuoso, amplo e ao mesmo tempo claustrofóbico.

 Sentia cânulas em seu nariz e seus olhos ardiam, gemeu ao tentar se mover e notou que estava todo dolorido e fraco. Ao notar movimentação viu Itachi colocar-se ao seu lado sorrindo para ele.

 - Você sempre foi um preguiçoso, irmãozinho. – disse Itachi e Sasuke reprimiu a vontade de revirar os olhos.

 Sasuke quis saber o que tinha acontecido e Itachi contou tudo de forma detalhada, do jeito que a médica tinha sido, Sasuke nunca pensou que o que tinha era tão sério e se culpou por não ter procurado ajuda antes. Ouviu um barulho na porta e o viu.

 Naruto pareceu violentamente aliviado ao vê-lo acordado, vestia moletom e tinha os cabelos molhados, cheirava a sabonete ao se aproximar da cama hospitalar.

 - Oi. – disse dando um meio sorriso para Sasuke – Você acordou há muito tempo?

 - Vinte minutos no máximo. – disse Itachi também relaxado.

 Sasuke olhava Naruto maravilhado com a presença dele ali, sentia-se melhor só de colocar os olhos nele e saber que ainda o preocupava, sentiu o coração acelerar e a máquina que o monitorava o denunciou minimamente.

 - Você veio. – Sasuke sussurrou e Naruto corou minimamente.

 - Eu encontrei você, seu idiota teimoso. – ele fechou a cara – Por que não veio ao médico antes, Sasuke? Tem ideia do que teria acontecido se eu não tivesse ido até sua casa?

 - M-Me desculpe, eu... – começou Sasuke.

 - Foi errado, Sasuke. – interrompeu Itachi – A médica disse que mais uma hora e você teria morrido sozinho no seu apartamento.

 - Eu não tinha... – ofegou e respirou fundo – Eu não tinha como saber que era tão grave.

 - Tinha sim, podia vir ao médico e descobrir que um coagulo de sangue estava preso na sua artéria. – disse Naruto claramente irritado – Você é pai, Sasuke, deve pensar no Hikari e em como ele sentiria sua falta se você morresse.

 - Eu não vou morrer. – disse Sasuke o olhando nos olhos – Mas me desculpem por preocupar vocês.

 - Tsc. – respondeu Naruto e Sasuke quis rir de como o loiro pegou sua mania nos anos de casamento, o loiro olhou para Itachi – Onde está o Dei?

 - Foi comprar algo pra eu comer. – explicou o Uchiha – Eu vou avisar a médica que ele acordou.

 - Eu fico de olho nele. – disse Naruto e Itachi riu deixando a sala.

 Sozinho com Naruto, Sasuke sentiu como se ele estivesse perturbado com algo, não sabia se devia perguntar, então se calou e continuou olhando pra ele.

 - Está sentindo alguma dor? – perguntou o loiro – Está com sede?

 - Me desculpa. – repetiu e Naruto o olhou fixamente – Eu não gosto de hospitais, então resolvi acreditar que não estava doente. Não quis preocupar você, nem o Itachi, nem nosso filho.

 - Eu disse pra ele que você só estava descansando agora, mas ele é sensível, pediu pra que eu beijasse onde dói e disse que logo ficaria bom porque... – começou Naruto.

 - Um beijo cura tudo. – concluiu Sasuke dando um pequeno sorriso. Naruto ficou sombrio e abaixou o olhar.

 - Quando eu entrei no seu apartamento e te vi no chão, roxo e sem respirar... – Sasuke soube que ele queria chorar mesmo sem ver as lágrimas se acumulando, mas Naruto lutou contra elas bravamente – Eu pensei que estivesse morto.

 - Ah, Naruto... – Sasuke estendeu a mão para segurar a ele, mas assim que a porta se abriu Naruto afastou o toque.

 Itachi voltou com uma médica morena que sorriu gentil para Sasuke segurando seu prontuário.

 - Por sorte apenas uma artéria pulmonar foi obstruída e não precisaremos fazer a cirurgia. – disse ela e Sasuke não suprimiu o suspiro de alivio.

 - Quando vou sair daqui? – quis saber.

 - Sai agora. – disparou Naruto irritado – Continua, doutora.

 - O tratamento vai ser com anticoagulantes e trombolíticos, se tudo correr bem essa noite pode voltar pra casa amanhã e no decorrer das semanas veremos se a cirurgia realmente não será necessária. – disse Shizune, arfante – Mas o senhor não deve ficar sozinho, há qualquer momento pode sentir dor ou salta de ar e precisará voltar, seria bom se fosse vigiado.

 - Não sou criança. – reclamou Sasuke, emburrado.

 - Fica quietinho, Sasuke. – disse Itachi revirando os olhos.

 - Não quero preocupar nossos pais a toa, Itachi, eles estão bem nas Maldivas, deixe-os lá. – soou firme, Itachi suspirou cedendo e esfregou o rosto.

 - Acho que a Editora não vai falir se eu pedir uma licença de duas ou três semanas, posso trabalhar de casa e ai você fica comigo. – decidiu Itachi.

 - Ou você fica na minha casa. – sugeriu Naruto chocando os dois Uchiha, o loiro corou bufando – Não me olhem assim.

 - Não precisa fazer isso. – disse Sasuke.

 - Só acho que seria mais fácil pra todo mundo. – Naruto amenizou o tom – Eu trabalho diretamente com você, Sasuke, e em casa, além do mais tenho mais tempo livre e Hikari adoraria ajudar. Se você quiser pode ficar esse tempo em casa.

 É claro que Sasuke queria, tudo o que ele mais queria era se aproximar mais da família mesmo que fosse como um doente.

 - Se não for ser um peso, eu aceito. – deu um meio sorriso.

 - Muito bem. – pontoou Shizune – A febre vai ir e voltar, mas não passará de trinta e oito graus e meio, é bom sempre fizer medindo e quando ela voltar um banho e repouso vai resolver. Os remédios precisam ser tomados na hora certa e qualquer recaída deve trazer vocês direto pra cá.

 - Preciso ficar de repouso absoluto? – perguntou Sasuke.

 - Não é necessário, claro que não deve correr uma maratona, evite nos três primeiros dias esforços muito grandes e beba muita água, procure de movimentar para que mais nenhum coagulo se forme. – respondeu Shizune – Nada de bebidas também, não combinam com o tanto de remédio que tomará.

 - Pode deixar, doutora. – disse Naruto – Sasuke Uchiha vai entrar na linha.

...

 No dia seguinte Sasuke recebeu alta e Itachi veio ajudar Naruto a levá-lo, era bom passar uns dias em sua verdadeira casa. Ino estava no apartamento do moreno, pegando tudo o que fosse precisar além de roupas e logo estaria lá também. Sasuke subia as escadas lentamente sendo amparado por Itachi mesmo sem precisar.

 - Me larga, fuinha. – Sasuke o empurrou e o mais velho grunhiu.

 - Você é realmente muito ingrato. – respondeu Itachi – Está ofegante?

 - Não! – exclamou chegando ao andar de cima, Naruto e Deidara estavam na frente deles já avançando pelo corredor.

 Sasuke sabia que não ficaria na suíte principal, não era iludido a esse ponto, mas ficou com a segunda que Naruto arrumou especialmente para si. Sentou na cama apoiando as costas em travesseiros, Itachi o cobriu.

 - Vocês vão realmente me tratar feito uma boneca, não vão? – perguntou Sasuke olhando Naruto e Itachi.

 - Só se for boneco de Vodu, hm. – disse Deidara e Sasuke revirou os olhos pra ele.

...

 Naruto ajudava Sasuke a guardar o que Ino tinha trago, nenhum dos dois dizia nada, mas sempre que possível trocavam olhares, era estranho estarem naquela casa e naquela situação.

 - Devia se deitar. – disse Naruto fechando a primeira gaveta da cômoda.

 - Estou bem. – disse Sasuke olhando no relógio – Não está na hora de buscar o Hikari?

 - Deidara vai pegar ele, não pode ficar sozinho. – disse Naruto indicando a cama, Sasuke suspirou se dando por vencido e andando até a cama para se deitar, pegou o manuscrito de Neji e começou a ler enquanto Naruto terminava de guardas suas coisas – E o do Neji?

 - Sim. – Sasuke o olhou – Confesso que ele é bom.

 - Eu disse que ele era. – disse Naruto sorrindo convencido, o loiro se aproximou de Sasuke e tocou seu rosto, Sasuke fechou os olhos apreciando o toque mesmo sabendo que o Uzumaki apenas se certificava se a febre tinha voltado – Está com febre.

 - Meça de novo. – sorriu malicioso e Naruto revirou os olhos pegado o termômetro sobre o criado-mudo e colocando na boca do maior que fez uma careta, ouviram a campainha e Naruto deixou o quarto.

 Poucos segundos depois Sasuke ouviu passinhos no corredor e sorriu ao ver Hikari passar correndo pela porta, o pequeno sorria imensamente ao jogar a pequena mochila no chão e saltar em cima de Sasuke.

 - PAPA! – berrou agarrando-se no pai, Sasuke beijou o abraçou afagando seus cabelos negros – Você melhorou? Ainda doi?

 - Não, mas ainda tenho que ficar com isso na boca. – disse Sasuke indicando o termômetro no canto da boca.

 - Você vai ficar aqui ‘pla’ ‘semple’? – ele ainda estava sentado na barriga de Sasuke.

 - Não filho, só até melhorar. – explicou Sasuke – O que nos dará muito tempo pra assistir todos os filmes da Marvel.

 - Ebaa! – ele bateu palminhas – Mas antes o papai me manda fazer o dever. Me ajuda?

 Sasuke retirou o termômetro da boca vendo que estava com 38 graus, abaixo da média dada pela médica e isso era bom, sorriu para o filho.

∞∞∞

 Naruto apertou os comandos da máquina de café e se encostou na bancada, Deidara se encostou no balcão.

 - Acha mesmo que isso vai funcionar? – Deidara quis saber – Você e o diabo dividindo essa casa de novo...

 - E o que eu devia fazer? Deixar o pai do meu filho no hospital por mais de duas semanas? – Naruto cruzou os braços – Itachi não sabe viver sem trabalhar e não cuidaria direito do Sasuke.

 - Não como você, hm. – apontou Deidara – Fala sério, Naru, estar com ele, aqui nessa casa, não vai te fazer bem, hm.

 - A existência dele não me faz bem. – Naruto suspirou agoniado – Pensar nele não me faz bem, amar ele não me faz bem, mas adivinha, não posso mudar nada disso.

 - Pelo menos vai conversar de verdade com ele? – perguntou o Namikaze. Naruto pegou duas canecas no armário e pegou o bule da máquina de café despejando a bebida nos dois – Sabe que vai quase impossível que essa conversa não aconteça nessas duas semanas, não sabe?

 - Eu não quero pensar naquilo, Dei, não quero sentir. – disse ele respirando fundo ao entregar uma caneca para o irmão – Eu não sei se posso.

 - Bolinho, você precisa, precisa colocar toda essa dor pra fora, hm. – Deidara afagou o rosto do irmão – Vai ser bom pra vocês dois.

 Naruto tomou seu café.

...

 Naruto passou o dia seguinte inteiro escrevendo, na verdade estava mesmo evitando Sasuke, passava em seu quarto pra lembrar dos remédios e medir a temperatura. Quando a noite chegou e Hikari chegou ainda mais animado da escola, Sasuke tomou banho junto com ele para ajudá-lo e Naruto terminou o jantar. Já na mesa escutavam com atenção as coisas que o pequeno tinha aprendido.

 - E a girafa tem o pescoço bem ‘glande’ ‘pla’ comer as árvores. – ele levantou os braços a cima da cabeça – O leão é o rei da floresta ‘inteilinha’, ele tem uma juba ‘glandona’ e dentes imensos!

 - Muito bem, senhor biólogo, como suas cenouras. – disse Naruto cortando o legume em rodelas, Hikari fez bico mas pegou uma com a mão e levou até a boca.

 - Eu não tô com fome, papai. – queixou-se.

 - Seu tio te deu balas, não foi? – Naruto arqueou as sobrancelhas, o irmão e o pai iriam estragar todos os dentes de Hikari antes dos 30 anos.

 - E se ele comer apenas as batatas? – sugeriu Sasuke sempre encontrando uma solução, Naruto assentiu e o filho sorriu comendo suas batatas – Qual filme vamos ver hoje?

 - Homem de ferro! – decidiu Hikari – Assiste com a gente, papai!

 - Eu vou trabalhar, filho. – negou Naruto.

 - Seu agente te libera. – disse Sasuke sorrindo – Faz tempo que nós três não assistimos um filme juntos.

 - Eu preciso mesmo terminar o capitulo antes que a inspiração vá embora. – Naruto mentiu e Sasuke parecia saber disso, mas não insistiu.

 Os dois Uchiha foram para o quarto de hospedes e colocaram o filme escolhido enquanto Naruto se dirigiu para o escritório. Algo estava o corroendo por dentro, não conseguia escrever ou idealizar, só conseguia olhar para o nada e pensar em como tudo parecia normal.

 Estar sentado naquela mesa cortando as cenouras de Hikari enquanto o menininho se queixava da falta de fome e Sasuke amenizava tudo, ouvir sobre o dia de Hikari e rir disso, era exatamente como há quase um ano atrás.

 Abriu a última gaveta pegando a foto de Sasuke, olhou-a como se o rosto estampado naquele porta-retratos não estivesse no andar de cima, pressionou a foto contra seu peito fechando os olho e deve ter adormecido pois apagou.

 Seu corpo doía por permanecer naquela cadeira na mesma posição por tanto tempo, guardou a foto secreta e fechou o computador, levantou-se apagando as luzes e subindo as escadas, ao adentrar o quarto de hospedes encontrou os dois morenos dormindo. Era exatamente como antes, Sasuke dormia de barriga pra cima e Hikari transversalmente sobre seu peito, parecia muito desconfortável, mas o pequeno dormia assim com Sasuke sempre que adormeciam juntos, era uma lembrança doce.

 

--

Naruto tinha ido a um workshop literário, era o maior de Nova Iorque e naquele ano ele era o homenageado principal, deu autógrafos e palestras além de ler trechos de seu último livro, estava exausto e com saudade quando chegou em casa. Estava ligeiramente preocupado também, Sasuke tinha ficado o dia inteiro sozinho com Hikari.

 As luzes estavam apagadas e isso levou o loiro ao andar de cima, ao chegar no quarto do filho de dois anos viu Sasuke espremido deitado no pequeno divã que ficava perto da janela, ele dormia de forma serena e sobre seu peito estava o pequeno menino deitado na horizontal e dormindo profundamente, tinha um dedo na boca e os cabelos sobre o rosto, era a cena mais fofa do mundo.

 Aproximou-se pegando Hikari com cuidado para não acordar nenhum dos dois morenos, ajeitou-o no colo quando ele resmungou e ninou-o até que dormisse, ele já tinha dois anos completos e para Naruto o tempo passava rápido demais, deitou-o no berço que já estava pequeno e devia ser trocado em breve.

 Voltou a Sasuke beijando seu rosto, o Uchiha gemeu demorando a acordar, Naruto sorriu para ele quando Sasuke despertou assustado.

 - Hikari... – começou.

 - Shhhi... – Naruto afagou seu rosto – Já o coloquei no berço, vocês dormiram no sofá.

 O moreno pareceu relaxar e finalmente sorriu para Naruto, selou seus lábios.

 - Oi. – sussurrou.

 - Oi. – respondeu o loiro – Vamos, você precisa dormir num lugar maior.

 Sairam do quarto do filho e foram para o deles, Sasuke não perdeu tempo e retirou os travesseiros a mais da cama deitando-se, Naruto demorou um pouco mais pois foi tomar um banho antes.

 - Como foi? – o Uchiha estava claramente cansado, mesmo quietinho Hikari cansava muito.

 - Foi muito bom. – contou aconchegando-se ao marido que o acolheu em seus braços – Mas meu dia melhorou quando cheguei e vi vocês dormindo, tão bonitinho.

 - Nos demos bem hoje. – Sasuke iniciou um carinho gostoso no cabelo do loiro – Só nós dois, curtindo muito.

 Naruto riu beijando o peito de Sasuke.

 - Os dois homens da minha vida. – disse Naruto logo adormecendo.

--

 

 Naruto suspirou sentindo os olhos arderem, andou até os dois pegando Hikari no colo, era um pouco mais difícil agora, mas conseguiu fazer sem acordar Sasuke e levou o filho para o quarto dele, instalou-o bem colocando o Kurama em seus braços e o deixou dormir.

 Caminhou lentamente até seu quarto e se enfiou no chuveiro, ao ser tomado pela água deixou as lágrimas acumuladas virem e chorou compulsivamente sob o chuveiro, era como se uma porta dolorosa se abrisse e o choro passasse por ela, continuou chorando até conseguir parar e assim sair do banho.

 Vestiu roupas confortáveis, tinha a mente tomada por todos os acontecimentos e lembranças, não conseguiria dormir nem se quisesse e resolveu que uma caneca de café o ajudaria a arrumar as ideias.

 Preparou a bebida fumegante e se sentou na mesa da cozinha, sentia que tinha lágrimas prontas para serem derramadas, mas não queria chorar, estava tentando desesperadamente manter o controle. Ouviu passos e se virou para Sasuke que entrava na cozinha, era como se o destino dissesse que queria uma conversa dos dois.

 - Desculpe, nós capotamos. – disse o moreno sem-graça.

 - Não devia descer escadas ainda. – reprovou Naruto.

 - A médica disse que não devo ficar parado. – disse ele dando a volta na mesa e olhando Naruto, o loiro permitiu-se olhá-lo, sabia que tinha os olhos vermelhos e inchados, sabia pela expressão do maior que ele tinha notado, estava exausto de fingir – Esteve chorando? O que houve?

 - Há um mês você tem me cercado insistindo para termos uma conversa real. – a voz de Naruto era baixa quando ele indicou a cadeira do ouro lado da mesa diante dele – Você quer conversar, Sasuke? Sente-se, vamos conversar.

 Sasuke pareceu surpreso, mas se sentou, respirou fundo juntando as mãos sobre a mesa, o clima era tenso e quase palpável, o loiro tinha o coração galopante no peito, tomou um gole de café.

 - Isso será bom. – disse Sasuke por fim – Eu preciso dizer que...

 - Não, você já falou demais. – interrompeu Naruto apertando os dedos entorno – Tudo o que você tem feito nesse último mês é falar sobre como está sentindo, está mais do que na hora de eu dizer como tudo isso funciona dentro de mim.

 - Você tem razão. – disse o Uchiha – Pode falar, ouvirei atentamente.

 Naruto umedeceu os lábios e olhou Sasuke nos olhos, ele ainda parecia doente, mas era belo como o luar, maldito!

 - Eu amo você. – disse por fim e não pode deixar de notar a expressão de surpresa nos olhos de Sasuke, Naruto arfou – Mas eu também te amava há onze meses atrás. Eu sei que nosso casamento não era um mar de rosas, sei que as brigas eram terríveis e que muitas vezes elas partiam de mim, mas nós tínhamos uma vida, Sasuke! Uma carreira em conjunto, um casamento sólido, um filho... Eu sabia que estávamos quebrados, eu soube que tinha te magoado quando você bateu a porta naquela manhã e durante toda a tarde eu pensei em maneiras de me redimir, de salvar nosso casamento, de trazer você pra perto. – Naruto riu rapidamente de forma triste e cansada – Se eu soubesse...

 Sasuke estava em silêncio e olhava fixamente para Naruto, o loiro estava triste e sabia que falar sobre isso seria doloroso, abaixou o olhar para os dedos que tamborilavam sobre a cerâmica da caneca.

 - Pode imaginar a sensação de ser lançado ao inferno? Foi exatamente o que aconteceu comigo. – contou Naruto sentindo os olhos arderem – Eu ainda me lembro de casa sentimento que me tomou naquele segundo em que tudo fez sentido na minha cabeça, a raiva persistiu por muito tempo, eu senti tanta raiva de você que me consumia, mas logo a raiva deu lugar a tristeza. Eu me culpei, sabia? Nas primeiras semanas eu busquei justificar o que você tinha feito nas minhas ações, talvez eu não fosse agradável o suficiente, compreensivo o suficiente, sexy o suficiente... Minha autoestima estava destruída como seu coração.

 - Naruto, você não tem culpa. – observou Sasuke e Naruto o olhou.

 - Eu sei, agora eu sei. – falou o loiro lutando contra as lágrimas – Eu não conseguiria explicar a dor que senti, mas eu tinha que me erguer, eu tinha meu filho e minha carreira, então comecei a guardar tudo pra mim. Eu não chorava na frente do Hikari e com o tempo nem chorava mais, quando perguntavam eu dizia estar bem e de tanto repetir todos passaram a acreditar. Eu queria ficar bem, mas as coisas não me ajudavam, minha cama continua com seu cheiro impregnado não importa quantas vezes eu lave os lençóis e tem o Hikari, eu sempre o achei mais parecido com você e eu sou obrigado a olhar seu sorriso todos os dias de manhã. Você está em casa tijolo dessa casa, isso é sufocante.

 - É porque essa casa é nossa, começamos nossa vida aqui. – explicou Sasuke.

 - Ver você é torturante, Sasuke, mesmo que por apenas dez minutos três vezes por semana, é torturante. Você ainda me abala, meu coração acelera, minhas mãos soam e por mais clichê que isso possa parecer, sinto meu estomago embrulhar como se tivesse borboletas. É nocivo estar perto de você, sempre foi e agora é pior. – Naruto estava perdendo a batalha contra as lágrimas.

 - Eu me sinto da mesma forma, Naruto, mas dói muito quando me trata com indiferença, quando mal me olha ao nos encontrarmos. – confessou Sasuke – Você me torna um adolescente idiota de novo, sinto como se fosse explodir perto de você.

 - Me machucou você ter parado de tentar, por mais contraditório que pareça é a verdade. – Naruto secou uma lágrimas traiçoeira que insistiu em descer – Você ficou dez meses parado, Sasuke, você não tentou mais e só voltou a insistir quando soube do Gaara. O que queria que eu pensasse, hein? Você não me queria de volta, você queria o Gaara longe. Não é diferente com o Neji, é?

 - Você está errado. – afirmou Sasuke – Eu sempre te quis de volta Naruto, mas eu tinha medo de sentir, eu não queria sentir que te perdi, meu amor, eu me refugiava na bebida pra fugir da realidade, eu não queria aceitar que magoei a pessoa que eu mais amo.

 - Eu sou tão idiota, Sasuke. – Naruto deixou as lágrimas virem e olhou para Sasuke – Você me quebrou em mais pedaços do que posso contar e eu continuo amando você.

 - Naruto, não chore... – Sasuke estendeu a mão para segurar a dele, mas Naruto afastou o toque.

 - Por favor, não me toque. – Naruto se levantou afastando-se mais do moreno, tentava secar as lágrimas, mas elas insistiam em molhar seu rosto – Eu não sei como agir quando você me toca.

 - Porque você me ama. – Sasuke também se levantou, mas manteve uma distância segura.

 - Em todos esses meses eu continuo me perguntando... – Naruto estava chorando quase compulsivamente – Por que, Sasuke? No que foi que eu faltei pra você? Por que você partiu o coração que sempre foi seu?

 Sasuke andou até Naruto tomando seu rosto nas mãos, testava secar suas lágrimas com os polegares, mas Naruto chorava muito, chorava tudo o que tinha segurado sobre aquele assunto por quase um ano.

 - Me perdoa, por favor, me perdoa. – Sasuke implorava como se estivesse desesperado para que Naruto parasse de chorar – Você não faltou em nada, você sempre foi perfeito, você é perfeito. Eu sou um idiota, eu fui um completo idiota porque por raiva e mágoa esqueci por um segundo que só você me fazia bem, mas quando eu entrei naquele motel eu me lembrei, lembrei que era você quem eu sempre quis, quem eu amava e não fui em frente.

 Naruto se afastou minimamente, mas Sasuke o segurou pelos ombros.

 - Não minta pra mim. – ele sussurrou.

 - Eu não estou, eu não cheguei aos finalmente com ela, eu não consegui porque eu não a desejava, Naruto, não desejo ninguém além de você. – disse Sasuke o olhando nos olhos – Não precisa acreditar em mim, pergunte ao Deidara, ele estava lá quando Mei gritou aos quatro cantos que eu não consegui fazer sexo com ela. Mas eu sei que a intenção existiu e isso sim é traição, eu sei que eu errei e por mais que tentasse não fazia ideia do quanto tinha machucado você, pelo menos não até agora.

 Naruto socou o peito de Sasuke com as duas mãos ainda chorando, Sasuke o envolveu em seus braços com força.

 - Me perdoa, meu amor, eu posso concertar... – Sasuke sussurrou – Me deixa concertar...

 - Eu te odeio, seu idiota... – Naruto sussurrou já sem forças, lágrimas de dor e cansaço banhavam seu rosto ao tentar se afastar, mas Sasuke apertou ainda mais os braços ao redor do corpo dele prendendo-se em seu olhar – E-Eu preciso esquecer você... 
- Você ainda é meu. – disse com firmeza – Não lute contra isso, não lute contra você mesmo, aceite que ninguém nunca vai amar alguém como eu amo você. 

 Naruto o olhou nos olhos, como podia resistir a ele naquele momento? Por sorte o relógio começou a apitar, Naruto saiu dos braços do maior e desligou o alarme.

 - Hora do seu remédio. – disse Naruto secando as lágrimas – Tome-os e vá dormir.

 - Naruto, por favor... – começou Sasuke.

 - Boa noite, Sasuke. – Naruto saiu da cozinha praticamente correndo.

 Não podia negar que por mais que tenha chorado, sentia-se leve pela primeira vez em 10 meses. No final Sasuke tinha razão, eles precisavam disso.


Notas Finais


Agora sabemos mais sobre como foi tudo isso pro Naruto, finalmente.
Mas nao se preocupem, teremos mais sobre esse fatidico dia, e mais emoção claro!
COMENTEM
XOXO


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...