1. Spirit Fanfics >
  2. Você é confusão >
  3. O castigo de TaeYong parte I

História Você é confusão - Capítulo 5


Escrita por:


Notas do Autor


*Leve citação sobre agressão


Boa leitura ♡

Capítulo 5 - O castigo de TaeYong parte I


Assim que se dirigiu a sala da direção sabia que estava completamente ferrado.

Chegando lá teve a confirmação: está ferrado! Além da suspensão de uma semana seu pai foi chamado e Taeyong sabia que ele não deixaria só naquilo.

Foi o caminho da escola até em casa no carro de seu pai se preparando para o que viria a seguir. Olhou para Mark sentado ao seu lado com sangue seco no nariz e se arrependeu amargamente de ter batido no seu irmãozinho, não que fosse desculpa mas o álcool e a raiva da vida haviam lhe possuído. 

Quis pedir desculpas ali mesmo, mas Mark parecia estar longe, fazia alguns dias que Mark estava estranho, Taeyong sabia que ele e Heechan tinham brigado de novo mas desta vez Mark estava diferente das outras brigas que os dois tiveram, achou melhor respeitar o momento de Mark, pediria desculpa depois. Quando se deu conta já haviam chegado em casa, Taeyong respirou fundo, soltou o cinto e saiu do carro, seguiu seu pai pela pequena escada antes da entrada, a porta foi aberta por um empregado que se curvou enquanto os três passavam. Seu pai foi até o meio da sala e parou se virando bravo para os dois.

— Qual é o problema de vocês dois? — vociferou — Brigar na escola? O que vocês acham que vão pensar de nós? Qual foi o motivo da briga? — Nenhum dos dois respondeu, Mark mantinha o olhar baixo enquanto TaeYong encarava com desdém o progenitor que se aproximou e deu um tapa nos rostos dos dois — Vão continuar se responder?

— Foi por uma besteira pai.— Mark mentiu, não poderia dizer ao pai que tentou impedir que TaeYong batesse em Donghyck, seria pior se soubesse o real motivo.

— Besteira... — murmurou ele andando impaciente — Vocês querem arruinar o nome da família? É pra isso que crio vocês? Se vocês dois não derem um jeito em suas vidas eu vou mandar os dois para um internato na Suiça! Mark vai para seu quarto, está de castigo, vai ficar trancado no quarto até segunda feira! — Mark olhou para o senhor a sua frente, olhou para seu irmão, olhou mais uma vez para o pai, se tentasse impedir seria ainda pior para o irmão, de cabeça baixa passou por TaeYong até às escadas a subindo. Foi para seu quarto e bateu a porta, se jogando na cama e tampando os ouvidos com um de seus travesseiros. Não queria ouvir os berros do pai enquanto ele espancava Taeyong mais uma vez.

— O que eu faço com você Taeyong? Porque você não pode ser igual ao seu irmão? — Apesar de bravo não gritava como mais cedo, mas sua voz ainda era firme e potente.

Taeyong sorriu de escárnio — E ser seu fantoche? — ergueu a sombrancelha esquerda — Obrigado, dispenso.

Seu pai grunhiu, odiava a petulância de TaeYong, o garoto ainda não havia entendido que era ele quem mandava.

— Garoto o que eu faço com você? Além de brigar com seu irmão na escola, cabulou as aulas o treino de futebol e ainda bebeu dentro do colégio. Quando você vai criar responsabilidade? Já está na hora de crescer. Chega de agir como um garoto, você precisa virar um homem! — a voz alterada, o rosto vermelho, estava a pouco de perder o resto de paciência que tinha.

— Talvez eu aja como um garoto porque sou um garoto de 19 anos querendo viver porra da vida dele! — respondeu irritado olhando na cara do pai.— Eu sou um garoto não a droga de um fantoche seu! — apontou para o homem a sua frente.

Seu pai não proferiu nenhuma palavra, foi em direção ao garoto distribuindo um soco em seu rosto, Taeyong guspiu o sangue e riu, seu pai deu mais um soco desta vez na barriga do garoto, seguido de outro e outro. 

Era sempre assim, toda vez que Taeyong aprontava, seu pai o batia. Toda vez que Taeyong tingia seus cabelos, seu pai o batia. Toda vez que Taeyong dizia que não assumiria os negócios da família, seu pai o batia. Toda vez que Taeyong bebia, seu pai o batia. Era um ritual, um ciclo vicioso, já havia se acostumado, não pedia para seu pai parar e nem implorava mais por ajuda dos empregados, afinal ninguém queria perder seu emprego mesmo que isto significase assistir uma seção de tortura.

Taeyong podia parar de provocar a ira de seu pai, mas isso significaria que ele teria que viver como seu pai queria e isso jamais, nunca aconteceria! 

Continuariam nesse mesmo ciclo até onde a vida permitisse.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...