1. Spirit Fanfics >
  2. Você é minha >
  3. O que eu sinto?

História Você é minha - Capítulo 8


Escrita por:


Capítulo 8 - O que eu sinto?


Fanfic / Fanfiction Você é minha - Capítulo 8 - O que eu sinto?


Você menina, me feriu. Não meu corpo, não minha alma, feriu o que eu te entreguei em mãos e você o jogou... "Meu coração."



Linha marrento, bad boy e mulherengo...assim era conhecido Sasuke uchiha. Sua fama o precede e todos sabiam que ele só procurava casos de uma noite e nunca algo a mais. Isso era fácil pra ele, tanto por sua beleza, físico e é claro por ser milionário.

Mas o que muitos - ou todos- não sabiam era que ele poderia ser considerado um romântico... okay, ele não teve como demostrar muito isso em sua vida, mas teve casos de ele tentar algo mais sério com algumas meninas. Deu certo? Óbvio que não. Muitas o queriam apenas pelo o que ele podia lhes oferecer, e outras só estavam querendo mesmo passar a noite.

Seguir literalmente o baile era o que ele estava fazendo com a vida, e é claro que ele mantinha a linha de um homem fechado, autoritário e um CEO respeitado de um império reconhecido mundialmente.

Não negava que gostava de baladas, bebidas e principalmente de mulheres, mas curtia o conforto e sossego de seu lar. Um de seus passa tempo favorito era cozinhar, demostrava que não era só um rostinho bonito. O tempo que ele passou longe estudando resultou em muitas habilidades a mais em seu Currículo.

Estava muito bem sozinho, adorava o silêncio, e quietude. Mas de uns tempos pra cá, o silêncio que tanto almejava estava sendo impossível de se obter, não que tivesse pessoas ao seu redor conversando sem parar ou músicas indesejáveis ao lado da outra parede, mais sim porque não parava de pensar em uma certa mulher. Especificamente em uma rosada.

É claro que em  meus relacionamentos curtos aconteceu de pensar além da conta também nelas, não exagerado como agora, mais nenhuma delas fudeu tanto  com minha cabeça como essa estava fazendo agora. E olha que ela nem se quer era uma namorada temporária minha.

Puta merda.

Não tinha se passado nem um mês que a tinha conhecido, é claro que a única coisa bem que conheçia nela era as curvas daquele corpo magnífico. E isso estava me deixando a beira de um colapso. Exagerado? Um pouco, mais apreensivo? Com certeza.

Não era  homem de querer repetir a dose, e nem muito menos de querer trazer alguém pra sua casa, mas ela parece que me hipnotizou. Depois de termos transados aquela noite e ela ter sumido na manhã seguinte, seu cheio, seu gemido seus olhos emaraldinos não saem da minha mente. Me masturbar virou muito mais rotineiro do que antigamente, e isso estava me deixando louco. E o fato de parecer que eu nem se quer tinha mexido um milésimo com a mente dela, como havia com a minha só estava piorando a situação.

Será que eu fui tão ruim assim? Nenhuma até agora reclamou, pelo contrário, queriam repetir a dose. E isso estava me deixando a beira da insanidade.

Poderia ser que estivesse exagerado muito com esses pensamentos, mais definitivamente eu não estava bem.

É provável que eu realmente estivesse gostando dela, ou talvez fosse apenas um capricho do meu ego destruído. E pra descobrir qual das duas alternativas era, eu teria que investir em Sakura Haruno.

Não que isso fosse difícil, já que ela era uma gata e gostosa pra caralho, o problema parecia ser a insignificância que ela dava para minha existência e isso eu com certeza tentaria mudar.

Percistencia era um dos meus pontos fortes. E eu torcia que no final, tudo isso resultasse em apenas eu ter convicção e certeza que não sentia nada além de uma certa "curiosidade" por aquele ser de cabelos rosas e cheio viciante.

Dores de cabeça eram recentes nesses últimos dias, minha concentração no trabalho deixava a desejar e meus pensamentos eram desobedientes ao que eu precisava -Esquecer dela no momento.

Mais isso era possivelmente impossível na minha atual realidade. E foi aí que lembrei que Neji tinha uma prima que era muito amiga da rosada, e isso poderia me ajudar muito no momento.

Nunca agradeci tanto por um daqueles idiotas trabalhar pra mim, isso facilitaria e seria muito mais rápido pra o que eu queria. Não precisava da secretaria pra o chamar, apenas peguei o meu celular e mandei uma mensagem para ele.

"Venha na mina sala, agora."

Eu sabia ser um carrasco quando queria, e meus amigos sabiam disso, brincamos no trabalho, mais eles sabiam que aqui era um local que quem mandava era eu, e como tais funcionários, eles obedeciam sem questionar - é claro que nem sempre. Fora daqui podíamos ser os galinhas e mulherengos que somos.

Não demorou muito pra ele chegar na minha sala, sua cara não demostra ser uma das melhores.

- O que foi Sasuke? - perguntou se sentando na cadeira em frente a minha mesa.

- Preciso de um favor seu.

- E o que eu ganho com isso? - ele deu um sorriso ladino.

- Que tal não perder o emprego? - Falo sem empolgação.

- Credo Uchiha, chupou um limão foi?

- Vai me fazer o favor ou não?

- Se você me falar o que é primeiro.

Suspiro.

- Sua prima é bem amiga de Sakura Haruno não é? - Ele acena com a cabeça. - Preciso que você consiga dela o número de Sakura.

- Tá doido uchiha, ela nunca me daria, até porque eu mesmo uma vez já pedi e ela só faltou me bater. Aquela aparecia doce de Hinata esconde uma diaba maléfica. - ele suspirou.

Confesso que eu não gostei de saber disso.

- Então vamos melhorar isso para você, caso consiga eu lhe um dos carros mais atualizado e avançado da corporação.

Os olhos deles só faltaram saltar para fora e o sorriso se abrangia pela face cada vez mais. Estava parecendo até um maníaco em minha frente.

- Caralho uchiha, claro que eu vou conseguir, não tenha dúvidas. Meu Deus, eu vou poder escolher uma daquelas máquinas de graça, me bélica que eu tou sonhando.

Pro azar dele, ele não tinha percebido que eu tinha me levantado e estava perto dele, e como ele achava que tava sonhado, nada mais melhor do que o acordar. Assim lhe deu um tabefe em sua nuca que fez um barulho com impacto.

- Acorda jumento.

- porra caralho, precisa disso não nojento. - Ele alisou o locou onde o atingi.

- se quer mesmo o carro você tem até eu sair pra o almoço, e como você vê, já são 9:30. - Eu queria o número, mais também não queria da um carro de mãos beijadas pra ele.

- Você é filho de uma .... Santa mulher seu desgraçado, poderia me dá mais tempo né porra? Mas eu vou conseguir. Posso ficar livre de meus afazeres até eu ter o número?

- pode. Você já pode ir, e só me volte com o número em mãos.

E assim ele fez, parecendo um coelho saltitando ele saiu de minha sala.

Credo.

Tinha começado a resolver assuntos de uma conferência que ia acontecer que nem tinha visto o tempo passar, olhei no relógio e faltava apenas 10 minutos pro almoço.

Pelo jeito Neji não havia conseguido. Minha flustaçao era evidente naquele instante.

Estava arrumando minha pasta para sair, quando bruscamente minha sala foi aberta passando por ela os tapados do Neji e do Naruto.

- Teme seu desgraçado, como assim você oferece um carro pra ele e pra me nada?

- Fica na sua Naruto, você  não podia fazer o que eu queria no momento.

- Tipo o quê? Fazer um sexo anal ou chupar sua rola? Estou muito magoado com você, pensei que eu era seu melhor amigo, corte aqui nossa amizade. - com uma expressão de magoado ele pegou os dois dedos indicador de suas mãos juntando as pontas dos dois dedos vindo em minha direção. O que ele queria que eu fizesse? Cortasse?

- Deixa de idiotice Naruto. Neji você conseguiu ou não o que eu lhe pedi?

- Confesso que não foi fácil Sasuke, fiquei esse tempo todo no celular com Hinata, mas no fim eu consegui prometendo um encontro pra ela com um de meus amigos em particular.

- Aquela gata de sua prima Neji? Quem foi o sortudo? - perguntou Naruto.

- Por incrível que pareça Naruto, questionando que ela tenha um cérebro, que seja minha prima e que realmente gosta de homens, ela disse que era você, Naruto.

- Não brica? - Naruto estava de boca aberta. - Ei, mais o que você quiz dizer com ela ter cérebro?

Santa paciência.

-  Depois vocês discutem isso. Neji o número? - Estendi a mão em sua direção. Ele me entregou um papel.

- Tem certeza que é esse?

- Sim, pelo menos foi o que ela me garantiu.

- Ótimo, depois você pode escolher o carro e pegar as chaves. - E assim sai da sala.

Como hoje era um uma sexta feira, optei por só ligar pra ela amanhã, ela poderia está trabalhando e isso facilitaria pra ela desligar o celular na minha cara, poderia está em uma reunião e aí era que não me atenderia mesmo. Então na melhor opção, posso esperar até amanhã pra ter mais chances de dá certo.

Tinha saindo pra almoçar em casa e voltando algumas horas depois, o tempo estava se passando rápido, e não demorou muito pra eu está novamente no conforto do meu lar. Os meninos disseram que iam sair... inaugurar a nova máquina de Neji, preferi ficar em casa dessa vez. Precisava organizar o que eu ia falar, e o que tinha que dizer pra aguçar o interesse dela. E isso  já era complicado o bastante  se ainda não tivesse a parte dela ser uma empresária sucedida e não me dá muita ou nenhuma bola.

Mais daí surgiu uma ideia, seria própria tanto pra me, canto pras empresas de ambos. Assim eu teria certeza que ela não  escaparia de minha armadilha.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...