1. Spirit Fanfics >
  2. Você é o amor da minha vida >
  3. Feridas reabertas...

História Você é o amor da minha vida - Capítulo 13


Escrita por:


Notas do Autor


Oie, bombas nesse capítulo mores.

Capítulo 13 - Feridas reabertas...


Fanfic / Fanfiction Você é o amor da minha vida - Capítulo 13 - Feridas reabertas...

Assim que abro a porta dou de cara com dois homens, um meio alto e o outro também, porém um mais alto que o outro.

- Oi quem são vcs? *Os olho.

- Entra logo na casa, Mark fecha a porta.

 Eles entram e logo percebo ser Josh e seu primo Mark, eles tiram o capuz e ficam me encarrando maliciosamente.

- Então é verdade vc está grávida? *Mark me olha.

- Sim, sai daqui Josh e Mark 

- Não temos que nos resolver ainda. *Josh me empurra na parede.

- Tadinha Josh ela vai ficar sem andar. *Mark Diz com deboche.

Os olho com medo, logo Josh puxa meu queixo me beijando, era um beijo forçado e intenso. Começo a chorar por lembrar das cenas do passado. Consigo finalmente o empurrar.

- Josh sai daqui.

- Não. *Ele coloca minhas mãos para cima as prendendo com as suas.

Logo ele me beija novamente, me fazendo cade vez ficar mais agoniada, tentava sair mais não conseguia, minha respiração era ofegante, minhas feridas estavam sendo reabertas.

- Josh por favor *Sussurro.

- Não,Mark trás o pano vamos ter que amarrar a boca dessa matraquinha.

Mark vem e coloca o pano na minha boca, não sem antes me beijar. Começo a gritar, Mark me pega no colo e me coloca sentada no sofá, ele logo amarra minhas mãos, Josh começa a tirar minha calça, começo a me mexer atrapalhando ele. Por um milagre ele me solta, mais não foi nada bom pois eu tinha machucado sua boca quando desferi um chute na mesma.

- A princesa vc não se cansa não é mesmo. *Ele me olha. Mark dá um jeito de tirrar a roupa da vadiazinha que eu vou tomar uma água.

Mark vem até mim e tira minha roupa sem nenhuma dificuldade afinal ele segura minhas coxas me fazendo ficar parada pois se eu me mexesse ele apertava as mesmas me deixando com mais dor.

- Pronto Josh.*Ele me encarra, logo corando por ver meu corpo.

- A priminho que linda não é mesmo? *Sorri maliciosamente.

- Josh vem aqui rapidinho. *Mark o leva até um canto da sala.

Tento me desvencilhar daquela merda de corda, não obtendo sucesso. Meu celular estava no bolso da calça, me macho e o alçando sabia como discar o número de Jk até de olhos vendados e era meio que isso que estava acontecendo. Disco o número.

- Alô? Gabby meu amor estou indo para casa e...

Começo a gritar mais pelo pano sai como grunhidos.

Ele desliga o celular. Os meninos voltam e Mark tira a corda do meu braço, logo após tirando minha camisa o pânico começa a tomar conta de mim. Ele senta se ao meu lado e logo manda.

- Senta aqui. *Aponta para o seu colo.

- Nunca. *Fico imóvel.

- Anda logo Gabby. *Josh ordena.

- Não vou.

Mark me puxa para seu membro, é começa a mexer minha cintura no seu colo, ele estava duro e doia um pouco pela forma que ele chocava nossas intimidade.

- Por favor para eu estou grávida eu não quero. *Começo a chorar novamente.

- Não vou.*Ele repete minha frase de alguns segundos atrás.

Josh começa a rir, tudo so piorava a cada segundo me vinha os flashbacks  do abuso, das malditas cintadas e da traição, eu estava em estado de choque, minha respiração era falha, minha voz não saía mais, meu corpo estava gelado e quente ao mesmo tempo, eu estava toda trêmula. Minha única salvação seria por um milagre o Jk chegar. Josh vem por trás de mim e prende meus punhos, começa a beijar meu pescoço enquanto Mark não parava de me fazer rebolar nele. Ouço a porta abrir, e logo eu vejo minha salvação, Jungkook entra ele logo nos vê.

- Que pora é essa aqui? *Jk fica bravo ao ver  minha situação.

- A meu caro amigo, veio salvar ela? *Mark choca nossos sexos me fazendo gemer de dor.

- Não, eu vim dar uma oportunidade de vcs saírem sem se machucar daqui. *Jk os olha com raiva.

- Não, Mark fica calmo ele não luta nada.*Josh ri.

- Esqueceu do pequeno soco que vc não consegui me dar? *Jk o olha com deboche.

- Ele está te enganando, ele que apanhou. *Josh tenta se defender.

Mark me tira de seu colo, me encolho no sofá começando a tentar me recuperar um pouco. Mark e Josh vão para cima de Kook, a única coisa que eu estava fazendo era rezar para o Jk ganhar, fecho os olhos apenas escutando os barulhos da briga, logo ouço passos estilo corrida e a porta ser aberta, abro meus olhos e vejo Jk fechando a porta. Chego perto dele, e logo o abraço.

Jungkook^^^

Gabby me ligou e eu não ouvi nada a não ser grunhidos. Fui o mais rápido possível para casa, afinal eu já tinha voltado para Seul, assim que cheguei eu vi Josh e mais um meninos, e a Gabby ela estava chorando muito, tremendo e eu tenho certeza ela foi obrigada. Depois de acabar com os dois vagabundos ela chega e me abraça, ela agarrou minha jaqueta, ela não soltava a jaqueta por nada, ela apenas tremia enquanto estava com a cabeça em meu peitoral, eu estava a abraçando.

- Oque aconteceu Gabby? *Pergunto preocupado

- El.. Elee..  i. .ia ME abus...ar.*Sua voz estava trêmula, além de sua pele fria e seu rosto pálido além de como ela tremia.

- Não iam não, eu estou aqui. Vamos, eu vou te ajudar a tomar um banho. *Pego a mesma no colo.

Gabby^^^

Assim que Jungkook me pega no colo eu me encolho, ele me leva para o banheiro, ele tira o resto da minha roupa e tira a dele também, ele me pega me dando empulso para eu me agarrar nele, me agarro no mesmo e ele entra em baixo do chuveiro, a água quente batia na minha pele, aquilo era maravilho, era uma das minhas sensações favoritas e ela me acalmava, Jk me coloca no chão, ele me vira de costas e passa o shampoo no meu cabelo, assim que ele termina ele pega o sabonete começando a ensaboar meu corpo, na parte das costas ele começou a fazer uma massagem que me ajudou a relaxar mais ainda. Me viro para ele e começo a passar o sabonete em seu peitoral, ele se abaixa um pouco e eu consigo alcançar o seu cabelo, pego o shampoo dele e começo a massagear seu couro cabeludo. Assim que terminamos o banho vamos para o quarto, coloco roupas íntimas e uma saia Branca não muito curta e uma blusa do Kook. Ele se veste e faz questão de secar meu cabelo, ele termina e descemos as escadas, assim que chegamos a cozinha vejo uma arma em cima da bancada logo recuando, batendo no corpo de Jeon.

- Que foi amor?* Ele me olha.

- Aquilo. *Aponto para a arma.

- A mais meu Deus não servem nem para levar a arma embora. *Diz meio puto.

- A Kook*Dou risada* só vc para me fazer rir. 

- Que bom que vc está sorrindo.*Ele me dá um selinho.

Tudo bem que eu escovei os dentes umas mil vezes tudo bem mais...

- Oque vc quer comer? *Ele pergunta.

- A não sei, que horas são?

- É nossa, já é hora do almoço.

- Então faz alguma coisa ai, miojo, ou sla.

- Tá eu vou fazer uma comida do Brasil pode ser?

- Sim.*Respondo empolgada

Ele começa a fazer a comida e pego meu celular começo a mexer no mesmo tinha uma mensagem do Tae, era um áudio. Eu fui ouvir o áudio mais eu não conseguia assim que abri o áudio a voz do Tae parecia tanto com a do Josh, eu não conseguia terminar de ouvir.

- Jungkook. *O chamo.

- Fala.*Ele me olha.

- Esculra esse áudio do Tae e me diz oque ele falou.

- Ta. Mais vc não está conseguindo ouvir? *Ele me olha com um olhar preocupado e confuso ao mesmo tempo.

- Não é isso, eu não consigo ouvir a voz dele porque me lembra a do Josh.

- A meu amor, relaxa vai passar tá bom, tudo isso vai passar. 

Ele ouve o áudio.

- Então o Tae e o Jimin disseram que hoje eles vão aparecer aqui, a Lisa e a Rose vem com eles, eles vem de noite.

- Tudo bem. 

<Quebra de tempo>

Eram 20:46 ouço a campainha tocar, sinto um arrepio passar por meu corpo, abro a porta pois Jk estava tomando banho. Assim que abro vejo Jimin, Tae, Rose e Lisa. Eles entram comprimento todos porém eu não conseguia abraçar o Tae, mais eu tomei coragem e cheguei perto do mesmo.

- Por favor me abraça Tae?.*Pedi.

- Sim meu amor. *Ele me olha preocupado.

Assim que ele me abraça eu começo aos poucos a ir relaxando e percebendo que era o Tae, simplesmente o Tae meu melhor amigo.

- Obrigado Tae.  *Sussurro em seu ouvido ainda o abraçando.

- Denada bebezinha.*Ele me aperta mais um pouquinho e logo após me solta.

Conversamos muito, nos divertimos contei para eles o acontecido, comemoramos com Kook, foi um dia cheio ao mesmo tempo que feridas foram reabertas eu sabia que eu podia contar com meus amigos para curar elas e as trancalas, jogando a chave no mar para elas nunca mais abrirem.



Notas Finais


Desculpe algum erro ortográfico, e a criatividade da autora que está uma horrível.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...