História Você é o Rei!...? (Sasu-Naru) - Capítulo 7


Escrita por:

Postado
Categorias Naruto
Personagens Naruto Uzumaki, Sasuke Uchiha, Shikamaru Nara
Tags Sasunaru
Visualizações 42
Palavras 2.535
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Drama (Tragédia), Ecchi, Ficção, Lemon, Luta, Mistério, Policial, Romance e Novela, Saga, Survival, Suspense, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Gravidez Masculina (MPreg), Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 7 - É minha escolha


Fanfic / Fanfiction Você é o Rei!...? (Sasu-Naru) - Capítulo 7 - É minha escolha

09/10/2019


Pov's Sasuke:


Eu suspirei e suspirei, fechei os olhos com força, pretendia deixar tudo claro, fazer ele saber de tudo pela boca dos que presenciaram de perto tudo, pelas pessoas ao qual eram parceiros de seus pais, mas talvez ele não esteja tão feliz assim com isso. Quem estaria?


Yahiko e Kakashi foram para um hotel, eles sabem que não estão mais tão tranquilos assim depois de me reencontrar. Eu os trouxe de volta, eu preciso que eles voltem a ser o que eram antes, e eu sei que Yahiko odeia isso, eu sei que Kakashi tem uma esposa que não sabe do seu passado, mas eu também sei onde está o filho de Yahiko, e eu sei que um casamento com segredos não é um casamento, eu vou destruir ele aqui, mas Kakashi sabe que eu vou fazer isso, e mesmo assim ele está aqui, ele veio, ele quis voltar.


Naruto, o que eu poderia fazer por você além de te mostrar o que tanto você queria? Além de te proteger… eu sou apenas um Uchiha, um monstro.


Eu bato devagar na porta do nosso quarto depois de ter refletido sobre tal ação por bons minutos, por mais que eu ache a ideia de dormir no sofá agradável, eu prefiro dispensar.


— Naruto… abra a porta.


Demorou, não muito, mas demorou. Ele abriu a porta devagar e com receio, não olhou para mim diretamente, mas depois de apenas alguns segundos ele olhou, sorte a minha não vi sequer um sinal de que ele tenha chorado, eu não poderia ver isso.


— Já abri.


Ele me responde, calmo e com sua voz baixa. Deixando um espaço para eu passar, acho que está tudo bem por enquanto, ele fechou a porta do quarto, não quer que eu vá embora, ou é isso, ou ele vai me matar, e essa segunda opção é improvável.


— Me desculpe.


Eu começo, eu devo pedir isso.


— Eu sei que você fez isso pensando em mim, mas eu apenas… não quero… não tenho mais a vontade de saber como antes, eu não aguento ouvir sobre isso, eu quero continuar com a minha própria vida, não continuar no passado deles.


Enquanto ele me explicava nervosamente sobre o que realmente o incomodava ali, ele não olhou para mim e sim para a… nossa cama. Agora eu realmente entendi, eu me sinto um idiota agora mesmo, mas isso não pode ficar assim, não quando eu posso mudar essa situação.


— Você já sabe o suficiente, não posso e nem quero mais te forçar, então, de agora em diante, podemos fazer seu próprio futuro, e viva ele como quiser, sendo qualquer coisa além do que você é agora, eu mesmo garantirei para que você nunca mais precise ver uma arma se quiser, longe de todo esse perigo.


Ele me olhou pelos cantos dos olhos, mas pela leve enrugada de sua expressão, acho que minha resposta não o agradou muito.


— Eu quero continuar aqui, com você, com seu irmão se puder, ouvindo os gritos de Sakura e as reclamações de Shikamaru, apenas não vamos mais correr contra o tempo por algo que não vale a pena, eu quero correr contra o tempo para poder proteger o que temos agora, o que podemos fazer no futuro, eu quero te fazer feliz e quero ser feliz sabendo que tudo vai ficar bem, se eu tiver apenas isso, já será o suficiente.


Ás vezes eu me pergunto se Naruto é mesmo filho de Minato e Kushina, se ele tivesse nascido em um hospital, agora mesmo eu estaria me perguntando se ele não foi trocado na maternidade, mas aqui em minha frente está o garoto mais fantástico, incrível e amável que já se passou por minha vida, e talvez, apenas talvez, eu quero ele ao meu lado pelo resto dela. E para isso eu preciso que ele queira isso do mesmo tanto que eu quero.


— Eu nunca em minha vida pensei que teria alguém além de Itachi ao qual eu gostaria tanto de proteger quanto você, te ver feliz é uma das minhas prioridades ao acordar. Eu não garanto que um dia sairemos desse estágio, talvez nunca, mas caso tenhamos dúvidas do dia de amanhã… você aceita fazer desse o melhor dia?


Eu o abraço ao terminar de falar, estava ali despejado tudo o que eu sinto, o que eu quero e eu tenho a minha resposta positiva quando ele retribui a ação, passando seus braços pelas minhas costas, estando os meus pelos seus ombros pela diferença de altura ser de uns 30 centímetros. Eu sou mais alto que ele.


— Está tudo bem eu amar e querer isso a cada minuto que passa?


Ele sussurra com seu rosto em meu ombro e eu pude sentir seu sorriso contido por seu rosto estar afundando em minha roupa, eu pude sentir seus braços apertarem cada vez mais em volta de meu corpo, mas de repente ele simplesmente me soltou e seu corpo se amoleceu, apenas não caindo porque eu o segurei em meus braços.


Rapidamente eu o coloquei na cama, ele apenas desmaiou, provavelmente de sono, faz algumas noites que ele não anda dormindo, sua aparência está um pouco desgastada e fundas olheiras se fazem presentes abaixo de seus olhos, mas ele ainda continua tão lindo para mim… eu sei de todas as formas a resposta de sua pergunta, porque eu também penso nisso.


— É claro que está tudo bem, porque eu amo isso e quero que isso se repita a cada minuto.


Me deito ao seu lado, me confortando em o receber em meus braços, tentando capturar cada vez mais ele, o que eu posso está sentindo para fazer isso, a não ser amor? Eu sinceramente não sei.


Eu espero acordar com ele em meus braços assim por todas as noites que eu puder, isso foi o motivo pelo qual eu nomeei esse quarto e essa cama de “nosso”, esse apartamento e tudo que tem nele é nosso, eu acho que agora mesmo eu virei um homem apaixonado, apenas isso poderia me salvar de ser um completo monstro, apenas isso. 


— Talvez, apenas talvez, eu te ame.


E mesmo sabendo que ele não poderia me ouvir, esse foi o motivo pelo qual eu me declarei, talvez eu esteja agindo como um garoto agora.


[...]


Pov's Shisui


— Você não vai passar um tempo com seu primo invés de ficar aqui cozinhando pra mim?


Itachi começou a falar assim que saiu pela porta do banheiro do fim do corredor, enxugando sua cara molhada com a própria camisa ao qual está usando. 


— Ele vai ficar bem.


Eu o respondo, colocando mais um ovo para fritar, um homem deve fazer o que tem que fazer ao acordar, fritar o seu ovo diário.


— Não contaria com isso, ele tem cara de criança, quantos anos ele tem?


Itachi pergunta novamente, talvez tenha sido um erro ter apresentado Naruto daquela forma, provavelmente agora ele está agarrado com Sasuke, é seu irmãozinho Itachi, ele ama aquele garoto todas as noites, que grande merda, não? se eu pudesse por ou menos falar isso em voz alta eu não estaria tão estressado. 


Eu fiquei a noite toda acordado e ainda terei que ir trabalhar daqui a duas horas, se não fosse por Sasuke eu estaria tirando minhas férias de “até a vida acabar” em uma ilha longe de todo mundo, onde ninguém sabe falar meu idioma e ninguém vai se intrometer em nada que eu faça, nem se eu sair pelado na floresta atrás da minha casa na ilha.


— Ele tem 18 anos, não se engane pela carinha de anjo e por seus 1, 52. Aquele garoto consegue fazer coisas que você não tentaria nem em video game.


Eu o respondo, colocando os 3 ovos fritos em um prato, recheando ele com ketchup e deixando em cima do balcão ao qual ele já estava sentando em uma cadeira longa perto, eu me sentei na cadeira longa ao seu lado e comecei a comer um dos ovos com pão, é só quando Itachi está comendo isso daqui que ele lembra de fazer as compras, mas hoje mesmo eu resolvo esse problema, assim como a conta de luz, água, gás e blá, blá, blá… tudo isso sou eu que pago.


— Você não me ajuda muito a gostar da sua família falando assim dela.


Ele sorri ao falar tais palavras, deveria apenas ficar calado e comer, minha família já está morta a muitos anos, tudo o que você conhece é uma boa grande mentira.


— É, eles não ajudam, o que você acha que eu iria falar para você além da verdade?


Respondo sorrindo, mesmo sendo apenas mais uma doce mentira, tudo o que ele precisa ouvir para abrir mais um sorriso, apenas mais um dos que eu conquisto dele todo dia, porque eu sou a única pessoa em sua vida, porque eu sou sua única família agora.


Eu deveria saber que não conseguiria me controlar depois de tantos anos ao seu lado, o conhecendo como a palma da minha mão, contando boas histórias dele para Sasuke, mas que apenas eu vi, eu sei de cada coisa dele, o que ele já me contou bêbado ou sóbrio, até os que ele nunca teve coragem de me contar que eu sei apenas porque Sasuke me contou.


Sua origem, sua família, o porquê dele ter tantos pesadelos… tudo isso ele nunca me contou, mas eu sei. Eu tento balancear o que ele me esconde depois de tantos anos com o que eu escondo dele, mas o meu lado da balança sempre é mais pesado.


[...]


10/10/2019


Pov's Shikamaru


Mais um dia na sede está começando, logo esse lugar estará com mais pessoas, mas por enquanto apenas eu e Sakura estamos aqui, o pessoal do turno da noite foi embora na hora em que chegamos, às 6 horas da manhã.


Colocando tudo em dia, nada demais aconteceu, não tivemos mais nenhum problema como o da última vez com Itachi. Recebi uma mensagem ontem de Hinata, ela disse que Sasuke teria que voltar logo para a academia, a mulher está por ficar louca de administrar aquilo tudo sozinha.


Eu espero ver Sasuke hoje, ontem eu não tive oportunidade e ele não pisou o pé aqui, mas assim que ele entrar, sairá e voltará para a instituição.


— O que está fazendo Shikamaru?


Sakura me pergunta ao entrar em meu escritório, por mais que eu estivesse apenas imprimindo alguns papéis ela ainda perguntou o óbvio.


— Nada de demais, por quê?


Ela fez um biquinho e negou com a cabeça, conhecendo sakura como eu conheço, provavelmente ela está querendo falar alguma coisa, mas pelo que eu estou vendo ela também não quer falar. Fofoqueira nata.


— Nada… é só que — sabia, aí vem coisa — eu olhei os preços das passagens de avião que vão para a minha cidade natal ontem a noite e percebi que eu tenho muito dinheiro na conta, que coisa né.


Não é uma fofoca, mas eu sei muito bem o que sakura quer falar com isso tudo.


— Como vai a saúde do seu pai?


Sakura tem família, um pai doente que está internado em um bom hospital, ela paga tudo, recebendo o melhor tratamento, os melhores médicos e tudo o que ela pode oferecer, é claro que a sua conta está cheia de dinheiro, ela tem feito trabalho extra durante seis meses para isso.


— Pergunte a Sasuke depois, por mim está tudo bem você ir, eu cuido de tudo aqui por você enquanto estiver fora, não se preocupe quanto a isso.


A dou a resposta que ela tanto queria, com felicidade estampada em seu rosto ela pulou em mim, agradecendo e me dando beijos exagerados, das minhas bochechas, até os olhos, o nariz e aí ela acerta minha boca, bem, foi mais um de seus beijos pelo meu rosto e tanto pra mim quanto pra ela foi apenas mais um de seus beijos.


— Muito obrigada mesmo, eu prometo que te cubro da próxima vez também.


Ela agradece mais uma vez, então ia quase saindo de minha sala contente, mas para ela está tão contente de ver seu pai novamente depois de meio ano, só significava uma coisa.


— Ele melhorou do câncer?


Ela se virou novamente para mim, eu podia ver seus olhos brilhantes e um sorriso enorme em seus lábios, coisas que ninguém costuma ver diariamente.


— Mais que isso, ele conseguiu vencer o câncer.


[...]


Pov's Sakura.


Meu coração estava quase pulando do peito, meu sorriso está do tamanho desse lugar. Finalmente eu poderei o ver novamente, a saudade está me sufocando, o desejo de ver novamente seu sorriso e dizer para ele o quanto eu estou maravilhosa nesse lugar, recebendo muito dinheiro por mês, morando em um apartamento do meu gosto e bebendo todos os licores que ele tão queria.


Meu pai é tudo pra mim, ele foi o que ficou quando mamãe morreu, ele cuidou de mim, me deu amor e tudo o que eu precisava, apesar de sermos pobres na época. Meu pai já trabalhou, sofreu, arriscou sua vida apenas para me criar, se eu devo tudo a alguém, além de Sasuke, eu devo a meu pai, porque se ele não tivesse me dado seu amor no início, eu não poderia estar dando o meu agora.


 Eu caminho pela sede alegre, dando bom dia a todos que eu vejo chegar, mas apenas uma pessoa que passasse pela porta de entrada me interessava, Sasuke, agora que eu sei que Shikamaru vai fazer minha parte na empresa, tudo que eu preciso é de uma licença de três semanas, duas eu passarei com ele na cidade onde ele está agora, a última eu vou o trazer para essa cidade, lhe mostrar tudo o que ele tem que ver, o dar tudo que ele precisa, eu estou mais que animada para finalmente o ter pertinho de mim novamente!!


E finalmente Sasuke aparece naquela maldita porta, com um terno casual, o cabelos bem penteados como sempre e uma ótima aparência, ao seu lado Naruto se vestia com uma camisa cinza e uma calça moletom preta, como sempre, Naruto sempre veste a primeira roupa que vê.


Mas hoje não é dia de pensar em como os dois se vestem ou sei lá o que, é dia de falar sobre minhas férias. A primeira coisa que eu faço é tirar a torta de tomate do micro-ondas na cozinha, preparar um café forte e levar feliz para o escritório de meu chefe.


Eu bato na porta com cuidado para a bandeja não cair e a abro logo em seguida, Sasuke está sentado na cadeira atrás de sua mesa e Naruto em um sofá da sala. Agora é a hora!


— Sasuke, eu preciso tirar algumas semanas de férias.


Eu o entrego rapidamente meu desejo, colocando a torta e o café em sua mesa. Ele olhou para mim e suspirou.


— Por que?


Ele pergunta, olhando para a torta e já pegando o café.


— Meu pai, ele finalmente foi curado.


O respondo sorrindo.


— É uma boa notícia.


Ouço Naruto falar ao canto, mas não o olhei, eu estava apenas direcionada  a Sasuke.


— Primeiro, quero que faça algo para mim, depois disso você pode ficar até um mês fora.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...