1. Spirit Fanfics >
  2. Você, e só você. - Minsung >
  3. O tempo parou

História Você, e só você. - Minsung - Capítulo 6


Escrita por:


Notas do Autor


Capítulo quentinho, acabou de sair do forno, cuidado para não ter dor de barriga!
Hehe boa leitura!

Capítulo 6 - O tempo parou


Fanfic / Fanfiction Você, e só você. - Minsung - Capítulo 6 - O tempo parou


 

Uma semana depois

 

-Bem vindos à aula prática.- a professora os recebeu com um grande sorriso.

-Hoje nós iremos testar seus poderes completos, já que semana passada fizemos apenas uma inicialização dando dicas e aprimoramentos.- o outro professor completou.

-Separaremos vocês em duplas, e cada dupla vai vir a frente batalhar sem a nossa intromissão.- todos arregalaram os olhos. O coração de Jisung quase pulava para fora do peito, ele odiava a ideia de ter que se transformar. E sem intromissão dos professores ainda? Ele iria ou morrer bonito para seu oponente, por não saber muito sobre sua habilidade, ou ele iria matar feio o seu oponente.Qualquer uma das opções não deixava o Han nada contente e seguro.

-Está com medo?- Chan perguntou mesmo já sabendo a resposta.

-Eu acho que eu vou desmaiar, será que eu consigo fingir uma dor para não participar?- 

-Não pode fugir disso.- Minho opinou. -Se você não participar hoje, amanhã terá.- lembrou e o menor começou a ficar ansioso. 

-Não se preocupem, nós temos três curandeiros, que também testarão suas habilidades de cura em vocês.- a professora continuou seu discurso apontando para Hyunjin e mais 2 meninos de outras turmas.

-Viu? Ninguém vai morrer, está tudo bem.- Minho falou tentando o consolar e Chan deu uma cotovelada no mesmo.

-Só está piorando as coisas.- disse o repreendendo.

-Mas professor, e se eles não conseguirem nos curar? Afinal eles são tão novatos quanto nós nisso.- uma menina com a aparência um tanto quanto bonita perguntou.

-Boa pergunta Cho.- a professora elogiou antes de continuar. -A verdade é que eles não são do mesmo nível de vocês. A habilidade deles é mais difícil de manobrar pois é com uma vida que eles estão lidando, e por isso eles são ensinados desde pequenos a como curar pessoas com precisão e sem desespero.- os 3 meninos concordam com a professora deixando o clima um pouco menos tenso. Menos para Jisung, que ainda estava suando frio.

-Ok, se não temos mais perguntas, vamos separar as duplas.- o professor foi chamando as pessoas para a formação das duplas.

-Eu acho que eu vou morrer então obrigado por tudo hyungs.- se curvou fazendo os mais velhos rirem e seguiu caminho até sua dupla.

-Oi, eu sou o Han Jisung.- sorri para a menina do seu lado.

-Oi Han, eu sou Bong Nari.- ela retribui com um sorriso fofo.

-Qual sua habilidade Bong?- 

-Pode me chamar de noona se quiser dongsaeng. Eu crio facas com as palmas da mão.- diz mostrando uma faca aparecer na palma de suas mãos, o que deixou Jisung encantado.

-Que maneiro noona! Espero que você não seja boa de mira.- diz fazendo a menina rir.

-Eu infelizmente sou, já que nasci criando facas eu tinha que saber usá-las, certo?- 

-Certa.- diz apreensivo.

-Não fique assim, tenho certeza que a sua habilidade também é boa.- o menor negou com a cabeça.

-Eu sou só um tigre branco noona.- fez uma cara chorosa causando risos na mais velha, que bagunçou seus cabelos.

-Não pegarei pesado, que tal?-

-Vai doer muito levar muitas facadas pelo corpo todo, então tenta mirar só nas patas, para me deixar imóvel e acabar a luta.- mandou uma piscadela para a mais velha que riu novamente.

-Você não tem jeito dongsaeng.-

-Eu estou brincando noona, eu também quero dar o meu melhor para me desafiar então por favor, venha com tudo.- confessou 

-Vamos dar nosso melhor hoje!- ela disse sorrindo e ambos disseram "Fighting" antes de se sentarem juntos para esperarem por sua vez.

-Agora que todas as duplas estão separadas, venha a primeira dupla à frente.- o professor mandou.

Jisung estava quase entrando em pânico em ver a quinta dupla lutando, os dois eram muito talentosos e sabiam administrar bem suas heranças. Ele estava com medo de perder muito feio e simples assim como as lutas anteriores, que acabaram com menos de 6 minutos cada. Mas tinha em mente que estava tudo bem, já que não poderia fazer nada em sua forma de tigre enquanto sua colega atirava facas sem parar em sua direção. Percebeu que Hyunjin já estava um pouco cansado também, já que foi ele que cuidou de todos os ferimentos até agora. "Talvez ele vá ser substituído por algum dos dois para descansar e assim continuamente" é o tipo de coisa que pensava ao olhar o amigo. 

Sua atenção foi tirada do amigo assim que ouviu o nome de Minho sendo anunciado.

-Lee Minho, habilidade: umbracinese (manipulação da escuridão), lutará contra Yoon Kye-sang, habilidade: super-elasticidade nos braços.- foram anunciados os nomes junto de suas habilidades.

-Espero que você consiga hyung.- sussurrou. Mas era como se Minho tivesse escutado, já que o olhou no mesmo segundo.

Jisung não poderia estar mais nervoso ainda, assim que soube que seu hyung manipulava a escuridão sabia que ele estava em desvantagem, pois era de manhã e a quadra era aberta. Não sabia seu estilo de luta, mas não deixava de ficar preocupado por causa da localização.

Os garotos se entreolharam. Cada um estava sobre uma linha demarcada pelos professores.

-Devo começar ou você prefere fazer as honras?- o Yoon estava animado, e era mais que perceptível, suas mãos já estavam posicionadas afrente do corpo e a voz sarcástica causou raiva tanto em Jisung quanto em Minho. -Lembre-se, a luta só encerrará quando um de nós estiver caído no chão pedindo por arrego.-

-Eu sei...-Minho respondeu. Estava tentando se concentrar em escurecer todo o local e ganhar vantagem. Mas sabia que seria difícil pois o lugar o deixava totalmente em desvantagem em comparação ao seu oponente.

-Comecem!- Foi permitido o começo da luta, e os dois seguiram suas estratégias.

Minho rapidamente conseguiu transformar toda a quadra em escuridão mesmo com a luz do dia, deixando apenas as arquibancadas de fora, já que era contra as regras passar do local demarcado. Jisung não conseguia ver nada, na verdade ninguém conseguia, mesmo com as arquibancadas livres da névoa escura, saber o que estava acontecendo ali em baixo no meio da escuridão era impossível.

Minho estava enxergando seu oponente estático, ficou mais animado assim que percebeu que o deixou cego, e agora poderia atacar. O único problema foi que por mais que ele enxergasse, suas próprias habilidades o ludibriaram. Lee estava concentrado apenas em escurecer o espaço e acabou por não perceber o golpe do oponente vindo. Essa era a estratégia de Kye-sang, o mesmo esticou seus braços pelo chão calmamente para não fazer nenhum movimento brusco e Minho perceber, e deu certo. Assim que seus braços circularam toda a linha demarcada, não importava mais onde o Lee estivesse, assim que puxasse seus braços, ele iria vir junto.

Assim como previsto, o Lee foi puxado rapidamente pelos braços Yoon, que assim que percebeu que seu plano tinha sido um sucesso direcionou com seus braços o corpo do oponente para o chão, fazendo com que Minho atingisse com tudo no chão. O impacto foi tão grande que o barulho do corpo se chocando bruscamente com o chão ecoou por toda a quadra. Tudo aconteceu tão rápido, que quando Minho estava no chão ainda imóvel pela dor a escuridão já havia se dissipado, era óbvio que ele não ia conseguir se concentrar em deixar seu oponente cego novamente. A visão de todos da arquibancada assim que a escuridão acabou foi do pequeno corpo de Lee Minho esticado sobre o chão enquanto alguns mililitros de sangue o cercavam cada vez mais. 

Todos ainda encaravam estáticos o corpo estirado no chão, a professora deu sinal que Minho ainda estava respirando, e pediu que o garoto aceitasse a derrota, mas ele nada respondeu, continuou com o seu olhar perdido para o céu, pedindo forças para o sol que antes o desavantajou.

Kye-sang tinha um olhar entendiado para o mesmo e começou a se aproximar em passos lentos, queria acabar com aquilo de uma vez por todas.

Mas o tempo parou para uma pessoa. 

Seu coração estagnou, suas mãos pararam de tremer e suar, suas pernas já não estavam mais bambas mesmo que ainda sentado sobre um degrau da arquibancada, sua mente que antes estavam correndo uma milha por segundo, agora estava paralisada. 
Suas veias saltaram, seu coração antes estagnado agora estava sendo sufocado com grossas correntes de ouro, o tigre clamava por atenção, ele queria ser solto.

E ele tinha certeza de apenas uma coisa, iria matar Yoon Kye-sang.

Desceu as escadas da arquibancada com passos firmes, alguns podiam até sentir o tremor. Uma aura verde água circulava o corpo do pequeno Jisung, ninguém sabia o que ele ia fazer. Seus olhos continuavam focados apenas em uma pessoa, e era a que tinha um sorriso ladino junto de um sorriso entediado. Seus amigos o chamavam de longe, perguntavam o que iria fazer. Mas ele não podia mais ouvir.

Estava impaciente, deu um grande pulo e se transformou em um enorme tigre branco no ar, e correu. Começou a correr cada vez mais rápido para cima do garoto elástico, esse que não entendeu nada e tentou manter o tigre longe com suas mãos.

Ouviu um suspiro e ficou imóvel, poderia deixar sua comida para depois. 

Virou seu corpo e correu em direção ao garoto estirado. Olhou em seus profundos olhos como se pedisse mais tempo, mas ele não tinha mais tempo. O tigre branco olhou então para Hyunjin e rugiu o mais alto que pôde, fazendo todos se encolherem. Abaixou do lado de Minho e o olhou, estava pedindo para subir em cima dele, talvez fosse apenas desespero, mas de alguma forma o Lee entendeu e mesmo gemendo de dor se segurou.  Com o garoto em suas costas Jisung andou calmamente até o curandeiro que mantinha os olhos arregalados e as pernas bambas, deixou o corpo na frente de Hyunjin e voltou a encarar Yoon Kye-sang, que gritava com os professores.

-Professor isso não é permitido!- gritou desesperado e cheio de medo alternando o olhar entre o tigre e os professores.

-Nunca dissemos que não é permitido a intromissão de outro aluno.- o professor respondeu olhando para o tigre.

-Apenas a nossa.- a outra professora completou.

Jisung fez posição de ataque, rugiu mostrando seus dentes e correu para atacar sua presa. Yoon esticou seus braços e tentou dar socos em Han, mas o mesmo deu uma mordida em sua mão, fazendo-o gritar de dor. Fez a mesma coisa com o outro braço, dando assim a oportunidade do tigre atacar sem ser atacado, e assim fez, pulou em cima do garoto que caiu para trás e rasgou o rosto do menino com uma patada, deu mais uma mordia em seu ombro e foi o suficiente para o garoto desistir.

-Eu desisto!- gritou desesperado tentando não olhar nos olhos de Han, e o curandeiro veio para o curar. Ele esperneava de dor, chorava, gritava, mas nada disso fez Jisung se importar, nem mesmo quando percebeu que o garoto havia desmaiado. Ele apenas olhou para trás e viu que seu amigo estava sentado, ainda sendo curado, mas muito melhor que antes. 

Andou em pequenos passos preguiçosos até o mais velho que mantinha um sorriso fraco, ainda sofrido por causa da dor.
Seus olhos pesavam e o tigre murmurava algo incompreensível, sua cabeça não conseguia ficar mais erguida e era como se estivesse se arrastando, mas assim que chegou do lado de seu hyung, se deitou colocando sua enorme cabeça no colo do mais velho e desmaiou. 

-Obrigado Hannie.- diz acariciando os pelos macios do grande felino.

E então, inconscientemente Jisung se transformou em humano de novo, não estava nu, estava vestindo o uniforme normalmente, como se nunca tivesse tirado.

***

"Um dia depois da comemoração do Ano Novo de 2017.
 

-Hyung, olha para mim, ela te traiu, aceita, não vai atrás dela!- Jisung com seus 17 anos, segurava a camisa de seu amigo desesperadamente.
 

-Jisung, me deixe viver minha vida.- tirou grosseiramente a mão do mais novo de sua camisa.
 

-Minho! Olha o que está dizendo! Você realmente está achando que eu estou mentindo? Eu vi!-
 

-Você é invejoso Han! Ela é tudo o que você nunca foi.- perdeu a paciência, ele só queria sair dali o mais rápido possível.
 

-MINHO HYUNG!- Jisung gritou exasperado. -Se você for atrás dela você vai se arrepender.- 
 

-Me deixa em paz.- ditou sério.
 

-Eu não sabia que você era do tipo que perde a sanidade por causa de uma garota.- respondeu no mesmo tom.
 

-Eu também não.- foi a única coisa que disse antes de entrar no táxi e sumir da visão do mais velho.
 

-Quando você vai confiar em mim?- perguntou em meio às lágrimas."

 

***


 

[...]
 


Notas Finais


Irrraaaa
Obrigada por lerem!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...