1. Spirit Fanfics >
  2. Você e tudo pra mim >
  3. Capítulo 3

História Você e tudo pra mim - Capítulo 3


Escrita por:


Notas do Autor


Eu não quero te deixar esperando
É por isso que você está me culpando, oh
Você está apenas me dando seus segredos
E eu também quero, sim
Porque isso estava com você, meu bem
E é apenas verdade, sim

Capítulo 3 - Capítulo 3


Fanfic / Fanfiction Você e tudo pra mim - Capítulo 3 - Capítulo 3

A casa nunca pode estar mas silenciosa quando cheguei Mama estava no porão tentando arruma-lo e Papa só chegaria de madrugada do trabalho.Vou até minha mochila pegando já minhas sapatilhas e indo direto para a sala grande.Essa sala foi criada para mim quando pequena para eu poder treinar o quanto eu quiser.E era hora de dançar até cair no chão.

Vou até o meio e já pronta com a roupa boto para tocar.

"E 1,2,3.....1,2,3 e 1,2,3"

Os passos que a Madame passou durante o dia não era apenas difíceis eram muito complicados porém não impossíveis.Prestes a dar o En Dehors sou obrigada a parar quando sinto algo estranho que parecia ser uma luz ou flashes, porém não consigo identificar de onde poderia vir e ainda ávia 5 janelas nessa sala que poderia ter vindo de qualquer uma delas.Porém ignoro a sensação e volto a fazer os passos.

O tempo foi passando e quando fui ver já eram 7 da noite,e eu ainda tinha que saber o que falar se a mãe do Darwinismo ligasse para mim perguntando dele.

Agora o que eu precisava era mesmo e de longas horas no chuveiro para tirar esse fedor de mim.

Já na banheira cheia de bolhas quase transbordando meu celular começou a tocar.

-Fala ai Ely, a general já te ligou?

-Ah por enquanto não, o que e estranho porque ela e bem desconfiada quanto ao Darwinismo

-Desconfiada e pouco,mas também com o meu irmão nunca se dá pra confiar muito... ele e mas mentiroso que o Pinóquio

-Não duvido, mas ele sempre tem um bom motivo por mentir sobre algo

-Sim...Eu sei que sim,mas ele sempre me deixa de cabelo em pé quando pede minha ajuda por uma de suas mentiras

-Bem...Eu posso até não saber como e a relação de irmãos de vocês mesmo tendo um irmão,porém sei que mesmo com as brigas e as discussões mas loucos de vocês um não sobrevive sem o outro

-E....Pode até ser que se eu perder a mão eu sempre terei a dele como reserva

-Vai por mim Dianna ter um irmão pode até ser um pedaço de merda...Mas tem horas que você precisa de um cúmplice pras suas próprias merdinhas

-O melhor e que ele nunca me diz "não" pra qualquer coisa sempre posso contar com o Darwin pra tudo

-Igual a você com ele

-Ely?

-O que?

-Desculpa fazer você tocar demais nesse assunto de irmão, sei que e conturbado pra você

Dianna não podia estar mas certa, eu sempre tive Brandon mas ao mesmo tempo nunca tive, até hoje me pergunto se algum dia vou ter um irmão mas velho ao meu lado.

-Tudo bem...Eu tenho que me acostumar com isso mesmo

-Sabe que você sempre será como uma irmã para mim e para Darwin né

-Eu sei e agradeço muito por isso

Dianna e Darwin sempre estiveram lá para mim, mesmo não sermos irmãos de sangue somos de alma.

Eu estava prestes a terminar meu estudo quando ouvi uma batida em minha porta.

"Ella?!"

Tinha momentos que eu pensava em estar sonhando.De que em meu sonho Brandon começava a me tratar com todo o carinho do mundo, mas eu sempre acordava.Porém agora ele estava parado a minha porta do quarto com um leve sorriso no rosto. Foi o primeiro sorriso dado a mim.

"Brandon!?"

Levanto-me da cadeira ficando de frente para ele que também se aproxima um pouco.

"Precisa de algo?...Conversar?"

"Quero te fazer uma pergunta"

"Ah bem o que e?"

"Não se Fassa de boba!"

"Como assim....Não entendo... "

"Eu te desprezo a anos e ainda continua querendo uma relação de irmãos comigo?"

"Bem eu....Quer dizer.....Porque veio aqui afinal?"

"Sobre hoje no carro,espero que não comente nada com Anne ou Will!"

"Porque eu deveria te ouvir em relação a isso?"

A expressão de Brandon vai de calma e paciente para diabólico e assustador.Com uma das mãos agarra minha cintura prendendo-me a parede e olhando dentro de minhas íris castanhas, seu olhar Negro penetrava em mim sem piscar.

"Brandon me solta!"

Tento empurra-lo porém segura meu pulso forte.

"Ella escute com atenção!...Se eu descobrir que você falou algo...Vou fazer da sua vida um inferno! "

"Você já faz dela um inferno mesmo"

"Ah...Não..Não você não sabe o que e o verdadeiro inferno na vida"

Desde pequena nunca entendi Brandon direito.Mas eu pensava que mesmo diferentes sempre seríamos uma dupla, porém ele começou a andar com má influências,fumar e se drogar com frequência.O pior foi um dia que ele fugiu de casa eu era pequena ainda e não soube muito bem o motivo.Agora eu era ameaçada por ele, pela pessoa que eu mas queria carinho e compreensão.

"Você querida irmã teve tudo dado de bandeja!"

"Tem o amor que era para ser meu, o carinho que me pertencia, o nome Charles que te foi dado devia ter sido do único filho legítimo...Eu!"

"Por favor para!"

"A única coisa que e boa e em chorar para mim....Rata de esgoto!"

"Para!"

"Devia voltar de onde veio!"

"CHEGA!"

Grito com todo o minha dor, pós só assim podia ser ouvida por ele.

Estava cansada,esgotada disso.Não aguentava mas ficar só ouvindo sem fazer nada pra me defender.Não suportava mas Brandon.

"Já faz 5 anos que você vêem me tratando como se eu fosse uma praga,como se eu fosse uma qualquer,você Brandon mal percebe que o porco e imundo dessa família e você!"

Tive finalmente forças para empurra-lo para longe de mim o fazendo cambalear pra trás.

"Eu posso não ter o sangue dessa família,posso ser um fracasso ao seus olhos e mesmo você não acreditando nossos pais amam tanto você quanto a mim!"

"Acho mesmo que o amor que foi me dado também não e dado a você.....Esse e o problema,você e tão cego com as merdas que arranja que mal consegue ver como eles estão preocupados com você!,com a sua saúde.....Você ao menos sabe que quando fugiu de casa a Mama pensou em se matar,por conta de achar que falhou com seu filho!"

Eu pudia ter jogado granadas em cima dele,mas preferi jogar uma bomba para destruí-lo.

Seu olhar não mostrava fúria nem ódio mas sim a expressão de alguém que finalmente ouviu o que devia.

Fazia quase 2 semanas desde o dia em que eu finalmente abri a minha boca para que Brandon ouvisse tudo o que devia.Por fora eu nunca me senti mas viva,mas por dentro não poderia ser mas morta.As Iris de meu irmão estava tão abaladas como alguém perdido em seus pensamentos, o que eu tinha certeza era que depois daquele dia ele ficou estranho.

Ele começou a aparecer no jantar,mas a noite saia escondido e pra completar a cada dia uma garota nova passava pela porta de casa mas desnuda que a outra e batendo o pé no chão e logo depois saindo pela porta chingando até as paredes.

Mas o que era estranho mesmo e como veio me tratando esses dias não falava comigo, quando me leva a escola nem me olha e tudo bem eu já estava acostumada a ser ignorada por ele mais algo estava errado dessa vez e eu sabia que tinha a ver com o que eu falei a ele naquele dia.

Mesmo eu me negando a aceitar estava desesperada para bater a sua porta entrar e pedir desculpas pelo que eu tenho dito,ele ainda era meu irmão e o que menos quero é vê-lo infeliz ainda por cima sendo a causa disso.

A cada passo que eu dava até o corredor de seu quarto era mas um medo meu sendo descoberto, de saber que esta indo na direção errada mas algo te prende ali e não da para parar de pensar que você sabe que precisa ir, mesmo que ao atravessar seu caminho será a morte certa.

Com a mão levantada eu dou 3 batidas na Madeira esperando ser aberta, porém se passa alguns segundos nada acontece, começo a abrir devagar a porta e vejo que não a ninguém no quarto além de uma grande bagunça.Livros jogados no chão,cama desarrumada e seu armário que mas parecia uma caverna de urso pardo.

Olhando para o lugar me fez lembrar aquele dia que o vi se masturbando por mim.Tento evitar lembrar disso pegando cada livro do chão e colocando na cômoda os arrumando acabo deixando um cair no chão junto com uma folha.

"Ai droga"

Agacho-me pegando a folha porém prestes a colocá-la de volta dentro das páginas meus olhos fitão uma boca desenhada com cores pretas e cinzas, as curvas eram perfeitas e pela forma que foi feita deram todo o esforço para reproduzida corretamente.

Puxando levemente a folha para fora o rosto e revelado com os fios dos cabelos soltos no ar e um sorriso fechado.

Uma menina com os olhos fechados.

"Eu!?"

Minha mente não acreditava no que vía, Brandon aviã mesmo me desenhado.Talvez ele se importe comigo um pouco pelo menos,um pequeno sorriso brota em meus lábios com o pensamento.Alisando o papel observo cada detalhe feito, cada rabiscada perfeita de mim.

Dianna sempre me dizia que eu tinha uma beleza incrível,mas eu nunca liguei muito para meu rosto ou corpo feminino,dançar preenchia esse tempo.Mas o que chamou minha atenção foi as palavras escritas logo abaixo da folha.

(Você e minha inspiração)

Passo minha mão levemente pelo desenho e quando fui ver já estava perdida olha do para o desenho feito de mim a tempos.A data marcada nele era de 18 de Julho o dia do meu aniversário especificamente minha dos meus 15 anos, um dia que era para ser comemorado com alegria mas que para mim foi um total pesadelo.

Lembro-me dela perfeitamente e de como Brandon tinha ficado bêbado a noite inteira perturbando meus pais,mas naquela mesma festa eu nunca pude ter sido mas humilha por ele.

Na hora de dançar com meu Papa a valsa ele interrompeu e fez o inevitável deu-me um tapa tão forte que fui direto no chão e com minha Mama desesperada para ver se eu esta bem e para piorar Brandon foi expulso por Papa logo depois.

Quando voltamos pra casa ele não estava e chamamos a polícia com o desespero acabou que demorou quase a noite inteira para achá-lo em uma árvore dormindo de tanto álcool no sangue.

Quando ele tinha chegado em casa estava tão desnorteado que quase caiu escada a baixo mas a víamos conseguido segurá-lo a tempo.

Esse e uma das minha piores lembranças não por causa da festa,mas sim que por minha causa ele tinha passado por coisas horríveis naquela noite.

E tudo por que eu estava na vida dele.

"Será que você está mesmo certo sobre mim?"

Sussurro para mim olhando para o desenho a minha frente deixando uma lágrima cai,mas logo a seco e volto para meu quarto.

Enquanto eu estava estudando recebo uma mensagem de minha mãe que não poderia chegar em casa hoje pós ouvi algum problema urgente no lugar onde ela e Papa trabalhavam.

Ficaria em casa sozinha porque agora Brandon deveria estar aproveitando essa sexta-feira em uma boate bebendo com seus amigos e só chegaria amanhã cedo,não gostava de ficar sem ninguém era como se eu volta-se para aquele Instituto novamente.

Eu deitei na cama para ver se pegava no sono rápido mas parecia que algo me impedia, talvez fosse a chuva que não parava de cair lá fora ou o noite que me assustava um pouco.

Sento rapidamente na cama ao ouvir algo da janela batendo entre os galhos com pequenos passos vou até o vidro e sem exitar vou logo abrindo-a para ver Brandon desesperado tentando entrar e completamente molhado pela chuva.

Ajudo ele a se deitar em minha cama e tentando falar com ele.

"Brandon?....Brandon o que aconteceu?"

Mas eu sabia a resposta era só olhar em seus olhos avermelhados de alguém que praticamente drogado.

"Meu Deus porque você faz isso com você?"

Enquanto vou o ajudando a ficar sentado vejo um pequeno roxo que aparecia na argola de sua camisa no pescoço.

"Que isso?"

Deu um leve toque que o fez arfar e finalmente olhar para mim.

"Toma cuidado tá doendo muito!"

Levanto seu vestimento e vejo suas costas machucadas com marcas de chutes ou talvez tapas.

"Eu vou pegar a caixa de primeiro socorros!"

Sou parada por sua mão firme em meu pulso que me segurava.

"Não!...Não me deixa aqui sozinho por favor!"

Estava assustada com o que ele estava pedindo a mim, meu irmão estava querendo eu perto dele.

"Calma eu só vou na cozinha e já volto...Eu,eu juro não demoro!"

Seu olhar tranquiliza e de pouco a pouco ele solta meu pulso me deixando ir, depois de finalmente conseguir achar os remédios e voltar para o quarto ele estava de pé olhando para algo em cima da mesa.

O desenho de mim que ele aviã feito.

"Pronto eu achei só preciso que você se senta para eu tratar deles"

Ele me obedece e se senta novamente a cama e tira sua camisa revelando os arroxados.

"Se eu machucar muito você me avise ok?!"

"Não acho que poderia me machucar com suas mãos leves e macias"

Mesmo com a surpresa de seu comentário a mim eu tomava meus cuidados a sua pele.

"Você achou seu presente né?!"

"Desculpa por invadir seu quarto e que eu..."

"Não ligo agora...só....fique com ele e seu"

"Obrigado pelo desenho, eu gostei muito"

Brandon acena com a cabeça e continua com seu olhar para frente, mais para a chuva lá fora para falar a verdade.

"Se meteu em algo muito sério?"

"Não!"

"Ah...Engraçado porque você entrar pela janela do meu quarto quase morrendo na chuva lá fora parece algo sério!"

"Já disse que ta tudo bem Ella!"

Enquanto eu limpava seus machucadas ele parecia inquieto demais,eu não era médica mas isso não e algo que você não sinta dor.

"Pronto melhor você se deitar e dormir um pouco agora,descansa"

Ajudo-o a se deitar e quando o cubro percebo seu olhar a mim que não desviava.Até que encontro seu olhar porém ele estava longe pela sua mente.

"Eu vou dormir no sofá da sala se precisar de algo e só gritar"

"Porque está me tratando bem?"

Olho para ele confusa mais receosa a resposta que daria a ele depois.

"Bem eu...."

"Eu te trato mal desde que chegou a essa casa,por anos eu só venho te desprezando e agora quando eu não podia estar pior você vêem com todo esse carinho, que no final sabe que não receberá nada de volta!"

Quase partida com o coração abalado por suas palavras eu sabia que não receberia nada dele antes mesmo dele falar,eu tinha um único motivo que eu jurava até hoje para algum dia tê-lo.

"Você quer uma ração?....Para eu ser assim com você depois de tudo....E simples.....Você e meu irmão!"

"E a coisa que eu sempre quis e ter um contava com você,até dessa forma!"

A face dele estava parada como se processa-se o que eu aviã dito.

Sai em disparada a porta mais sou parada por sua voz.

"Vai falar isso pra Anne e o Wil não vai!?"

De costas para ele, viro meu corpo o encarando.

"Nossos país já tem problemas demais com você, isso iria magoar muito a Mama!"

Sigo meu caminho para a sala e quando deito para dormir penso em como eu ainda podia suportar Brandon,ele podia fazer o pior da puta que pariu que eu ainda sim ficava do lado dele, o protegendo mais será que algum dia ele também fará isso por mim. 


Notas Finais


Eu vou sentir, sentir tão forte
Isso está me deixando vivo
Nem precisamos dizer adeus
Eu vou sentir, sentir tão forte
Isso está tentando me deixar vivo
Nem precisamos dizer adeus
Eu quero você, você
Isso está me deixando vivo
Nem precisamos dizer adeus
Eu quero você (você, você)

Sinta(Michele Morrone)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...