História Você é viciado? - Taegi - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Black Pink, Super Junior
Personagens Heechul, J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Lisa, Rap Monster, Suga, V
Tags Bts, Kim Taehyung, Kpop, Lemon, Min Yoongi, Romance, Sexo, Suga, Taegi, Vsuga, Yaoi
Visualizações 229
Palavras 1.250
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Ficção Adolescente, Lemon, Romance e Novela, Slash, Yaoi (Gay)
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Homossexualidade, Incesto, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 4 - Não fale mais dessa família na minha frente.


— Acorde, não durma mais, vá buscar os remédios de sua avó.

Yoongi esfregou os olhos enquanto notava que o sol nem tinha levantado ainda.

— Não é como se você precisasse se inscrever para pegar os remédios, você pode simplesmente entrar na fila se tiver o papel — ele resmungou para si mesmo. Yoongi se virou e estava prestes a voltar a dormir.

— Quanto mais cedo você sair, mais cedo você volta. Sua avó está um pouco ansiosa.

Yoongi virou algumas vezes em sua cama e, então, saiu dela relutantemente. Pelos últimos dez anos seu café da manhã nunca mudou; toda manhã seriam panquecas fritas e tofu. Sr. Min havia sido sempre o primeiro a vir nessa barraca de café da manhã, as vezes ele vinha quando a dona nem tinha aberto ainda, ele sentava e esperava; ele estava determinado a comprar o café da manhã daquela barraca em particular. Já que ele estava lá frequentemente, ele virou um cliente regular da barraca. Sempre que ele vinha, a dona nem precisava perguntar e apenas ensacava seus pedidos usuais.

— Estou cheio — Yoongi baixou sua colher.

Sr. Min olhou intensamente para seu filho.

— Você sempre deixa um pouco toda vez.

Yoongi tinha um mau hábito: não importava qual comida fosse, ele sempre deixaria restos depois de comer a refeição. Mesmo que ele ainda não estivesse cheio, ele nunca terminaria o último pedaço; que logo tornou-se um mau hábito dele. Quando ele era criança, sua família não tinha dinheiro suficiente para viver; mesmo assim, seu pai sempre deixava a melhor parte da comida para ele. E, porque Yoongi realmente amava seu pai, ele sempre deixava uma parte para ele.

Agora, as condições de vida de sua família estavam melhorando, ainda assim ele não conseguia se livrar desse velho costume.

                         ***

Era sexta-feira e, durante os fins de semana, o médico geralmente não estaria disponível, por isso muitas pessoas ficavam em uma fila para registro. Principalmente para hospitais de nível alto como esse, como se fosse dia de exame gratuito, muitas pessoas se aglomeravam no lugar exatamente como a cena do metrô de Beijing durante a hora do rush.

Yoongi estava de pé atrás de uma garota muito bonita. Quando as pessoas atrás dele empurravam, o corpo dele batia levemente na menina toda vez; ele nem sabia se deveria se sentir irritado ou abençoado. Se isso continuasse, ele temia que, no tempo que fosse a vez dela de fazer o exame, ela seria diagnosticada com gravidez.

— Olá, gatinho.

— Estou falando com você.

Yoongi ainda estava sonhando acordado com a garota bonita na frente dele quando alguém deu um tapa com um tanto de força no ombro dele, que o acordou de seu transe. Ele se virou e olhou para os recém-chegados. Ele estava um pouco surpreso com a repentina aparição de outras duas garotas, cujas alturas e estilos eram similares entre si. Parecia que elas queriam furar a fila.

— Sr. Bonito, você tem duas opções: uma é nos deixar furar a fila e, dois, é nos dar seu número de telefone.

— 136XXXXXXXX.

As duas garotas sorriram largamente e saíram.

A estudante colegial na frente dele estava mantendo seu silêncio. Depois de ouvir a resposta de Yoongi, ela reuniu toda sua coragem para se virar e perguntar:

— Aquele era realmente seu número?

— A verdade é que eu não tenho um telefone.

Quando o sol estivesse acima de sua cabeça, Yoongi voltou com uma grande sacola de remédios que custavam por volta de 1057 won, o equivalente a um mês de despesas. A principal razão pela qual a família de Yoongi estava nessa crise agora era porque tinham dois idosos doentes em sua família: sua avó dependia de remédios para manter sua condição, enquanto seu avô, com uma certa frequência, tinha que visitar o hospital para medicação intravenosa para prevenir reincidência de trombose cerebral.

O pai de Yoongi tinha dois irmãos mais velhos. O mais velho era um professor que ensinava em uma escola bem conhecida de Seul; seu salário mensal era mais de um milhão won. Suas finanças eram estáveis, porém ele tinha um hobby enorme, que era fingir que era pobre. O segundo irmão era um empreendedor que tinha sua própria empresa e era um apostador, mas, sempre que ele levava os idosos para ver um médico, sua carteira sempre estava vazia.

— Oi tia.

Yoongi cumprimentou sua vizinha no caminho de casa.

— Você acabou de voltar? O que vocês terão para o almoço?

— Eu ainda não sei.

Bem quando Yoongi terminou a frase, uma alta buzina veio do carro atrás dele. Ele virou sua cabeça para dar uma olhada e viu um carro militar. Ele virou o olhar para o dono do carro, que era uma dama jovem e bonita sentada do lado de dentro.

Yoongi rapidamente acelerou o passo.

— Yoongie.

Para ser capaz de alcançar seu filho, a mãe dele teve que suspender suas saias enquanto ela corria atrás dele. Se esta cena fosse vista por Taehyung, ele definitivamente teria rido até se cansar.

— Por que você está me evitando?

Yoongi manteve-se em silêncio.

— Eu estou procurando por você porque tenho algo para te dizer.

Yoongi ainda não disse nada, mantendo uma expressão impassível.

— Se você não vier comigo, eu entrarei na casa.

Ele podia ouvir fracamente a voz de sua avó do pátio da casa; dentro da sacola de plástico em sua mão estavam os remédios cardíacos dela. Ele estava tendo dificuldades de decidir por um segundo. No fim, ele se decidiu e seguiu sua mãe.

— Sua escola atual tem uma baixa taxa de graduação e o ambiente de aprendizado lá também é ruim. Eu contatei uma escola particular, você vai ir pra lá por dois anos. Depois dos exames da escola, eu mando você para o exterior.

Yoongi cuspiu duas palavras:

— Não vou.

Sua mãe já tinha adivinhado tal resposta, ainda assim ela não desistiria tão facilmente.

— Você pode me odiar e achar que eu sou ruim nisso e naquilo, mas você não pode dificultar para si mesmo. Que tipo de caminho aquela escola pobre pode lhe oferecer? O filho do meu novo marido também é da sua idade e está estudando nessa escola particular. De que forma você é pior que ele?

Novo marido – Yoongi se sentia muito aborrecido ouvindo essas palavras.

— Você não pode estar seguindo os passos do seu pai, que sempre foi uma pessoa fraca sem ambições que ainda vai para o trabalho de bicicleta aos quarenta.

Yoongi tentou se acalmar e foi capaz de produzir frases completas.

— O que tem de tão bom em comparar uma pessoa com outra? Não é sobre o quanto eles são ricos, é sobre como eles fazem tal dinheiro. Deixe-me perguntar, senhorita Kim, você está andando em um carro de luxo e carregando bolsas de marca, no entanto quantas pessoas pobres você já ajudou?

Essas palavras foram como uma fca perfurando o coração de sua mãe.

Ela olhou fixamente para seu filho por um momento antes de abrir a boca de novo, tremendo.

— Eu sei que nunca fiz meu dever como mãe, mas agora eu quero compensar por isso. Você só tem 17 anos, e eu ainda não sou velha também, por que você não me dá uma chance?

— Okay, eu vou te dar uma chance. Eu quero que você nunca mais venha me procurar.

Yoongi se levantou e, rapidamente, se afastou do carro.

— Yoongie!

Sua mãe se levantou bruscamente enquanto chamava por Yoongi enquanto estava à beira de lágrimas.

Yoongi fechou suas mãos e se virou para encarar sua mãe.

— E também, de agora em diante, nunca mais mencione essa sua nova família na minha frente de novo. É muito irritante!



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...