1. Spirit Fanfics >
  2. Você, eu e o nosso filho na puberdade (Taekook) (Yoonmin) >
  3. Chapter 1

História Você, eu e o nosso filho na puberdade (Taekook) (Yoonmin) - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Espero que gostem dessa fanfic, fiz com todo amor e só fui postar agora depois de tanto tempo.
LEMBRANDO DE QUE SE NÃO GOSTAR DE TUDO QUE É BORDADO NA HISTÓRIA, SIMPLESMENTE SAIA, NÃO VENHA ENCHER FALANDO BESTEIRAS.

Capítulo 1 - Chapter 1


Por que os adolescentes mudam de comportamento e oscilam de humor? Como lidar com essas mudanças?

Porque a adolescência é um período cheio de mudanças, sejam fisiológicas, hormonais, bioquímicas e comportamentais bem como de psicoadaptaçao para o enfrentamento de um espaço que deixa de ser o infantil para adentrar em uma fase de novas experiencias e descobertas. Ele não é mais criança, mas também não é adulto ainda. Sendo assim, é esperado que o adolescente, em face a tantas mudanças, apresente oscilações de humor e mudanças comportamentais como também no corpo que vai se evoluindo.

Quem estava passando por isso era o casal Yoonmin, bom na verdade o filho dos dois, Park TaeHyung, um adolescente de 15 anos que vive se metendo em problemas, durante a adolescência, além de estar com os hormônios a flor da pele, querendo conhecer coisas novas.

Quem mais tinha que suportar o mal comportamento de TaeHyung era Jimin , o homem mais velho ficava pensando oque ele fez para aquela mudança de comportamento tão drástica?! Bem, quando Tae era menor era um Amorzinho, vivia agradando seus pais, principalmente Jimin, chegando da escola com vários desenhos e lhe entregando, falando que sentia “nojo” ao ver as pessoas se beijando na frente dele e quando ainda deixava a casa espalhada de brinquedos.

Agora o Park estava na cozinha, com seu avental cor de rosa, aproveitando o clima gostoso do sol entrando na cozinha e batendo em seus cabelos enquanto fazia comida, aquele clima estava muito agradável pena que nem seu filho, nem seu marido estava em casa. Ele se lembra muito bem de uma época nas férias onde os três viviam brincando pela casa, fazendo uma bagunça que demorará para arrumar mais a felicidade era oque mais tinha naquela casa. Já hoje em dia mal podia conversar com seu único filho que ele já dava chilique, fazendo assim cada um ficar no seu canto. Todavia, sabia que não pudia simplesmente julga-lo, também foi um adolescente e sabia que aquilo era momentâneo.

[•••]

Já era de tarde umas 19:00 da noite, quando a porta foi aberta com brutalidade, assustando a Jimin e Yoongi que estavam sentados no sofá de conchinha, assistindo a um filme, o adolescente entra em casa, com seu skate na mão, seus cabelos com mechas roxas reluzentes, e seu rosto mostrando que o garoto estava irritado com algo. O casal se entreolharam e viraram para o garoto.

Filho, ouve alguma coisa? - a voz do Park saiu muito preocupada, deixando transparecer também sua curiosidade.

Aish , não conheceu nada. Não aconteceu NADA - o garoto falou irritado subindo as escadas.

Jimin- Você sabe que se estiver tendo problemas pode...- antes deste terminar o garoto o interrompe.

TaeHyung- Aish, me deixem em paz, finjam que eu não existo. - gritou completamente irritado, sua voz mais parecia que queria chorar do que irritação, assim entrando no quarto e batendo a porta com muita força, deixando a casa silenciosa.

Yoongi- É... Parece que o dia dele está sendo bem mais do que um simples irritação - disse tentando cortar aquele clima que estava pesado.

Jimin- Realmente ele mudou do nada, será que fizemos algo de errado? - ditou se perguntando, mais logo ouviu a campainha da casa ser tocada. Os dois se levantam indo até a porta e dando de cara com a vizinha do lado, que era uma senhora um pouco- ou completamente - rabugenta, que não perdia uma oportunidade para reclamar de alguma coisa. 

— Emque posso ajuda-la? - se encostou na porta, já imaginando o que a senhora já iria falar.

— Seu filho acabou com as minhas flores, passando com aquele troço por cima das minhas plantinhas. - já dava para se ver que aquela senhora estava com uma cara de quem comeu e não gostou, com seu tom de braveza. - Acho que você deveria parar de mimar seu filho, esses adolescentes de hoje em dia não sabem nem respeitar os mais velhos, por isso que se tornam indeliquentes. - aquele foi o ponto para fazer o Park ficar com muita raiva da senhora, afinal se ele mimava ou não o seu filho, era problema dele, ninguém poderia se intrometer em um assunto que não lhes dizem respeito.

— Eu acho que a senhora está se intrometendo demais na vida de meu filho, acho que se ele está com problemas quem deve resolver sou eu e o pai dele, a senhora não se preocupe que isso não irá voltar a acontecer.

— Espero mesmo. - ditou levantando o nariz saindo andando com raiva, por certamente ser 'rebaixada por estar se intrometendo demais.

— A senhora Choi novamente aqui... - falou o Min se aproximando de seu marido que tinha um olhar preocupado com o filho dos dois. — Você está bem amor?

— Acho que precisamos saber oque está acontecendo com o Taehy... - falou baixinho pegando na mão do marido, subindo as escadas indo até a porta do jovem Tae, vendo que ele estava conversando no celular, mais desligou imediatamente quando viu seus pais entrando no quarto.

— Oque querem? - perguntou se encostando na cabeceira, fazendo Jimin olhar aquele quarto que estava com skate no chão juntamente à alguns pincéis no chão. 

— Filho... Oque está avendo? Porque você está se comportando desse jeito? Você destruio o Jardim da senhora Choi... - disse calmamente se sentando ao lado do menor na cama.

— Eu não fiz nada com aquelas flores... Na verdade elas que estavam atrapalhando meu caminho... 

— Você está se metendo em muito problemas Taehy... - se pronunciou o mais velho, indo até o filho deixando um beijo em sua testa - com quem estava falando quando chegamos aqui? - já dava para se perceber a curiosidade do Min quando fez aquela pergunta, fazendo o garoto arregalar os olhos, tossindo.

— C-com ninguém... Com quem eu estaria falando? - perguntou meio desconfiado aos pais.

— Se você estiver com algum namoradinho pode nos falar... - disse animado, fazendo agora Jimin arregalar os olhos.

— Namorado?! Que namorado? Nem pense Park TaeHyung! - A voz de Jimin havia saído entre cortada.

— QUE?! Namorado?! De onde você tirou isso? - disse se levantando meio acanhado, soltando risadas sem humor. - Aigoo vocês acham que meu humor é por causa de namorado? Faça mil favor Papai ... - se levantou rapidamente - Eu não perco tempo com garotos idiotas... Aigoo porque tão idiota?! Garotos assim são muito safados, não perco minha preciosidade com coisas assim, as vezes tá vontade de bater, são tudo tarado, diz que gosta e engana a pessoa com... - calou-se na hora percebendo oque estava falando na frente dos pais, que tinham os olhos bem abertos escutando cada palavra que o menor falava, como se estivesse falando de um namoro que não dá certo. - aish agora são vocês que estam fazendo-me enlouquecer. 

— Interessante que eu também falava Isso para meus pais, mas na realidade estava dando uns beijos escondido na escola com Jimin... - falou lançando um olhar malicioso ao marido soltando gargalhada, rindo do garoto que ficou vermelho envergonhado por estar tocando naquele assunto com os pais.

TaeHyung- Deve ser por isso que tempo depois eu nasci né?! - falou revirando os olhos, fazendo os dois mais velhos caírem na risada.

— Exatamente, naquela época seu pai não perdia tempo, parecia um coelho.

— Quer um irmãozinho TaeTae? - caíram ainda mais na gargalhada ao ver a cara do Park mais novo, que foi um biquinho adorável mais com uma cara de bravo, sempre fora ciumento desde menor, por mais que amasse crianças não dívida os pais com ninguém sendo assim o filho único.

 

 

 

TaeHyung- Vocês estão muito velhos para me darem um irmãozinho... - revirou os olhos indo para o colo dos pais, ficando abraçando os dois. 

 

 

 

— A gente dá um jeito nisso bebê, afinal você ama crianças, e eu e Jiminnie somos novos ainda - disse em pura provocação.

— Appa Jimin, não quero irmãozinho. - Disse ainda com um biquinho feito nós lábios. - Só eu não dá para vocês? Sou um bebê ainda.

— Claro que você dá bebê.

— Sempre vai ser nosso bebê que chorava quando tiravamos a chupeta e corria pela casa pelado agarrando um gato que era quase do seu tamanho.

— APPA!

 

 

 

CONTINUO???

 

 

 


Notas Finais


Espero que tenham gostado, se floppar apago e finjo que nada aconteceu kkk


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...