História Você faria? - Clexa (Erótico) - Capítulo 10


Escrita por:

Postado
Categorias The 100
Personagens Anya, Bellamy Blake, Clarke Griffin, Lexa, Lincoln, Octavia Blake, Personagens Originais, Raven Reyes
Tags Bellarke, Clarke, Clexa, Hot, Lexa, The 100
Visualizações 135
Palavras 2.857
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Hentai, LGBT, Lírica, Romance e Novela, Suspense, Universo Alternativo, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sadomasoquismo, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 10 - É um encontro, o primeiro


Fanfic / Fanfiction Você faria? - Clexa (Erótico) - Capítulo 10 - É um encontro, o primeiro

Mesmo que eu tivesse mudado de assunto aquilo ainda estava na minha mente, eu não consigo imaginar Alexandria sendo uma mulher séria com uma namorada mesmo que isso fosse a onze anos atrás. Bell e eu continuamos uma conversa animada até a metade da tarde, passamos umas boas horas conversando até eu desligar porque meu celular tinha pouca bateria, eu já estava sem saber o que fazer além de esperar por Lexa.

Fiquei andando pela a casa, também decidi ir nadar. Eu não sabia se podia chamar pessoas para vir aqui, creio que não até porque não é a minha casa então eu decidi sair um pouco para esfriar a cabeça.

Fui caminhar pela a tarde agradável mas sem muita empolgação para ir caminhar, a música da pink ficava na minha mente assim como as músicas contry da lady Gaga.

A vizinhança onde Lexa morava era de certa forma extremamente elegante e quieta o que é confuso para mim, o apartamento onde eu e Bell moramos a anos já vive em barulhos, ou festas, ou festas extremamente barulhentas. Sem falar que as casas do bairro ali eram afastadas uma das outras, quintais grandes e grandes colunas gregas dando o destaque rico daquela região de invejar. Continuei caminhando porque eu realmente não queria voltar para aquela casa grande para ficar sozinha, além do mais raramente eu me exercitava, caminhei por cerca de uns trinta minutos até ver o movimento de carros e uma loja ou outra ali na região, eu tinha deixado meu celular na casa de Alexandria carregando, apenas levei o meu MP4 antigo para a caminhada, simplesmente para ouvir as músicas de costume que tenho, uma música lgbt tocava "that's so us" o que com toda a certeza é o que eu menos necessito agora.

Me sentei em um banquinho e fiquei apenas olhando tudo, meu suor já incomodava um pouco mas eu não me importei com isto, fiquei me lembrando da época em que eu e Raven andávamos de bicicleta quando menores, Raven uma vez quebrou a bicicleta e tivemos a ideia de irmos juntas, ela tinha falado para mim ir na frente já que ela era mais alta que eu faria sentido ela ir atrás pilotando, nos primeiros minutos deu certo até encontrarmos uma bela descida, descemos aquilo na maior velocidade possível e no final caímos, passamos o resto do verão daquele ano ambas com um braço engessado, ela apenas com um braço e eu com os dois. Relembrar essas épocas da adolescência são legais.

Um casal andava de bicicleta, me levantei do banco dali e voltei a andar calmamente, tudo o que eu mais necessitava agora era beber qualquer coisa que fosse e então parei na frente de um estabelecimento, peguei os únicos vinte dólares que levei e fui para a enorme fila, fiz o meu pedido depois de quase trinta minutos de espera e fui me sentar em uma mesa que estava livre por sorte. Vi uma loira entrar ali e ela não me era estranha, ela me olhou também e sorriu, aparentemente ela conhecia alguém que trabalhava ali e pediu seu pedido na frente de toda a fila que estaria na frente dela, então depois de uns cinco minutos ela veio até mim com um copo de suco e outro copo que era o dela.

-Oi, loura.

-Eu te conheço?

-Não.- Deu risada e então me entregou o copo de suco, se sentou do meu lado.- Mas eu me lembro de você, também não te conheço mas como não lembrar da moça mais sexy da balada?

Ha! Sabia que ela não me era estranha, ela é a mulher da boate.

-Ah, sim, agora eu me lembro de você.- Digo e então ela sorriu para mim.

-Lembrou é?

-Sim, a propósito como é o seu nome?- Eu bebi um pouco do meu suco, eu estava envergonhada.

-Niylah e o seu?- bebeu o próprio suco e eu olhei o canudo nos lábios dela.

-A-anh? Clarke.

-Belo nome.

-Igualmente.- Falei e Desviei o olhar.

-Você costuma vir aqui?

-Na verdade não.- Falo e olho para o lado de fora da loja vendo que o por do sol já estava começando.- É a primeira vez que venho aqui.

-Oh, é a minha primeira vez aqui também, como o mundo é pequeno.- Deu uma pequena risada.

-Realmente.- Ri levemente.- Mas você mora por aqui perto?

-Moro.- Ela disse e me surpreendi.- Você mora aqui perto?

-Ah, não, eu só venho aqui nessa região bastante.- Digo.

-Além do mais, Clarke, você é a Clarke Griffin que eu estou pensando, a dona da empresa ...

-Sim.- Falo antes dela terminar a frase.- Sou eu sim, agora você sabe o que eu faço mas o que você faz Niylah?

-Niy.

-Niy?

-Isso.

-Ah, Ok, o que você faz Niy?

-Eu? Nada demais, admiro você não me conhecer realmente.

Eu olhei confusa para ela.

-Desculpe?

-Eu sou uma influencer.- Ela disse e eu comecei a rir alto.- Não ria, isso se tornou meu trabalho! Não tenho culpa de trabalhar para essas plataformas digitais mas vamos se dizer então que eu sou modelo, é mais válido.

Parei de rir e olhei seria para ela.

-Qual seu instagram?- Peguei meu celular da bolsa.

[email protected]

-Ah não!- Comecei a rir mais alto ainda, sento que todo o suco que eu tinha bebido poderia voltar.

-Pare!- Ela disse rindo junto.

Procurei e então realmente vi que ela era famosa, uma surpresa porque até alguns dias atrás eu não fazia idéia de quem quer que ela fosse.

-Me surpreendi.- Digo e ela sorri para mim.

-Me passe teu número, para conversarmos mais.

Corei, ela estava flertando comigo?

-Como?

-A-ah a não ser que você não queria, porque se você não quiser tudo bem.- Falou aparentemente nervosa.

-Não, não, tudo bem.- Passei o meu número do celular para ela e então me despedi da loira falei que teria de ir embora, o sol já tinha se ido quase por completo e a noite já estava chegando, com isso provavelmente Alexandria logo chegaria se já não tivesse chegado.

Voltei a caminhar, seria mais uns trinta minutos mas eu acelerei o passo de modo que em vinte minutos eu já estava na frente da casa, suando mais ainda. O carro de Lexa já estava lá.

Entrei dentro da casa e ela estava sentada no sofá.

-Oi.- Falei.

-Oi, onde você estava?- Ela me perguntou curiosa e então viu eu toda suada.

-Caminhando.- Digo.

-Ah sim, queria te levar para sair hoje a noite.

-Sério?- Ouvi uma notificação do meu celular e vi que era de um número desconhecido.

-Sim.

-Beleza, irei me arrumar.

-Ok.- Disse Lexa curiosa.

Respondi o número e salvei o número de Niy.

Subi para o banheiro e fui me arrumar, tomei um banho e depois Alexandria entrou no banheiro depois de alguns minutos, meu celular tocava uma música animada.

-Oi?- Ela disse e se sentou na privada, ela já estava arrumada.

-Oi.- Falei baixo.

-Sabe onde vamos ir? No teatro.

Eu amava ir ao teatro, amo toda a magia viva que fica ali no local.

-Que bom!- Falei realmente animada, meu celular soltou uma notificação e Lexa viu.

-Uma tal de Niylah te mandou mensagem.

Gelei na hora.

-Que legal...- Digo apenas isso e então termino o meu banho e pego uma toalha.- Você está tão linda.- Olho pra ela e ela realmente estava, usando um vestido azul apaixonante, não, digo linda.

-Quero fazer uma coisa lá no teatro.- Ela diz com malícia.

-Uhm... O que?- Pego a minha toalha e começo a me secar.

-Bem, lá começa às 20:30h, vamos ir para o teatro assistir a peça e depois comer algo em um restaurante que eu fiz reservas, durante isso eu quero tentar uma coisa, aquele jantar me deu inspiração.

-Deu é?

-Deu sim.- Falou com malícia.

-Eu acho que você está me chamando para um encontro.- Digo brincando.

-Ah! Claro!- Disse irônica.

Peguei meu celular e então fui para o quarto me trocar, Lexa veio junto e eu desliguei a música.

-Que roupa eu devo por?

-Eu prefiro você sem mas acho que a cor vermelha fica linda em você.

-Uhm.- Digo e procuro por algum vestido na minha mala, pego o único que tinha ali mas ele era preto.- Vai ser um vestido preto.

Comecei a me trocar e então ela ficava me encarando, meu celular fez mais uma notificação, o abri e vi que era de Bell, Niy e Raven.

-Lexa, posso te falar algo?

-Diga.

-Eu conversei com a Niylah hoje.

-Com quem?- Ela me olha curiosa.

-A loira.

-Sua amiga?

-Não, espere como você sabe sobre a...? Deixe, digo, a Niylah é aquela loira da boate.

-Que? Você foi atrás dela?

-Não, eu estou sendo sincera com você, encontrei com ela hoje e trocamos de número.

-Você gosta dela?!?

-Não! Eu estou falando apenas isso porque eu entrei nisto com você, estou tecnicamente contigo, bem, eu tenho um contrato com você e eu acho que a sinceridade é essencial.

-Ah sim, obrigada.- Ela parecia um pouco emburrada.

-De nada.- Termino de me arrumar agora estando totalmente pronta.

-Fico feliz pela a sinceridade.

-De nada.- Falo calma de novo e encaro ela.- E obrigada pelo o nosso encontro.

-Não é um encontro.- Ela diz me encarando séria.

-Se você diz.- Dou risada.- Vamos?

-Vamos.

Saímos de casa juntas, Alexandria dirigia o carro e ouvíamos uma batida animada no carro, mala santa.

Eu ia cantando animadamente pelo o fato de que eu falo em espanhol, Lexa me olhava e sorria.

-Você sabe o que fala na música?- Ela me perguntou.

-Sim, eu falo espanhol.

-Sem surpresas.- Ela diz e sorri para mim.- Eu não sei nada de espanhol.

-Uhmm.

-par de trago' y entro en erotismo, no digo na' pero quiero lo mismo.- Canto um pedaço da música. (Duas bebidas e entro no erotismo, não digo nada mas quero o mesmo)

-O que você disse?- Ela me perguntou confusa.

-Nada demais, só preste atenção. No me hablen de amor, eso a mí no me interesa... Te Gusta el juego, yo soy la que empieza pero recuerda que no soy ni mala ni santa. (Não fale de amor, isto não me interessa... Gosta do jogo, sou eu quem começa mas se lembre que não sou má nem santa.)

-Ok, eu não entendi nada do que você cantou.- Ela disse olhando para mim.- Eu só falo inglês e francês.

-Oh, e eu inglês e espanhol, pequeno mundo.

-Uma palavra ou outra até parece com algumas do francês.

-Sim, latim.

-É, acho que nunca falamos tanto uma sobre a outra.

-Claro na maioria do tempo estamos trabalhando ou transando... Ou fazendo os dois.

-Ou brigando.- Ela deu ênfase nisto também.

-Sim.- Eu concordo apenas.

Logo já estávamos na frente do teatro, facilmente entramos com os ingressos e fomos para uma ala vip, Lexa disse que normalmente não vai tantas pessoas naquela aérea por ser muito cara e no alto do teatro, a peça do fantasma da obra estava previsto para começar daqui a trinta minutos, tempo suficientemente para que eu e ela comprassemos algo para comer.

Sentamos lado a lado, Alexandria pegou minha mão e levou até a coxa dela. Os dedos dela entrelaçados no meu, eu suspirei achando que era um ato fofo mas então eu olhei para a cara dela.

-Duas horas para que você me faça gozar.- Disse baixinho e com uma voz desafiadora, tinha um casal de senhores sentados a umas dez poltronas de distância.

Duas horas era o tempo da peça, eu fiquei tentando imaginar o que fazer para conseguir esse feito, e eu já planejei, vou me provar incrível e fazê-la gozar duas vezes só aqui no teatro, ela me desafiou.

Olhei para os locais e vi que estávamos bem perto da parede, as cameras não pegavam tanta visão ali e eu estava amando esse lado erótico de voyeurismo da Lexa, ela gosta de transar com perigo de ser pega, puro voyeurismo.

As luzes ficaram escuras no teatro e nós duas continuavamos de mãos dadas, a peça logo iria começar. Aproveitando isto eu me aproximei mais dela. Até que ouvimos duas vozes.

-Alexandria!

-Clarke!

Uma delas eu reconheci e outra parece que Lexa reconheceu, olhei para trás e lá estava o homem e a mulher, revirei os olhos.

George estava lá e acompanhado de uma mulher negra alta extremamente bonita.

-Oi, George.

-Clarke!- Ele veio me abraçar.- Como o mundo é pequeno!

Abracei ele de volta.

-Quanto tempo!- Falei animada mesmo que ele tivesse estragado meus planos, ambos se sentaram do lado meu e de Lexa.

-Sim, conheça a minha noiva, Costia.- Ele apresentou a mulher.

-Oh! O mundo é realmente grande e ao mesmo tempo pequeno.- Falo com desânimo, Bellamy iria adorar a fofoca da madrugada quando eu contasse a ele que no mesmo dia eu descobri a Costia e o quão linda ela era.

-Eu conheço a Alexandria.- Ela falou sorridente, Lexa parecia nervosa e ela já tinha soltado da minha mão.

-Conhece?- George perguntou confuso.

-Lembra quando eu te disse que fiquei com uma mulher em uma fase da minha vida? É ela.

-Ah, que interessante!- Ele disse animado.- Prazer em conhecer você, Alexandria.

-Prazer.

-Não sabia que você e Clarke eram amigas, falam que as empresas Griffin e Woods são inimigas.

-Amigas?- Falei.- Sim, estamos virando amigas...- Eu queria manter segredo.

-Isso é um encontro.- Ela disse e tocou na minha mão.- Estou aqui como par romântico de Clarke Griffin, quero acabar com essa briga idiota.

Olhei indignada para ela.

Costia sorriu em tom de desconfiança para Lexa e George estava confuso.

-Você é lésbica agora?- Ele me perguntou.

-Não, eu sempre fui bi.

-Eu jurava que você e o Bellamy iriam ficar juntos depois.

-E nós ficamos, temos a mania de as vezes, bem, você sabe.

Prestei atenção de volta na peça, o clima parecia ter ficado tenso.

-Como anda sua vida, Alexandria?- Perguntou Costia.

-Boa.- Ela disse só isso e se moveu incomodada.

Olhei para a negra tão linda ali e me senti um pouco abatida pela beleza dela.

-Parece mesmo.- Ela diz apenas isso.

Ficamos em silêncio para ver a peça, eu estava extremamente incomodada, em certo momento pedi licença e fui para o banheiro, lá eu fiquei apenas refletindo por uns dez minutos quando alguém bateu na porta, era Lexa.

-Oi, você está bem?- Ela me perguntou sem me encarar.

-Você tinha mesmo uma namorada então.- Falei meio abatida.

-Oh, sim mas isso é coisa de uma década atrás...

Empurrei ela na porta e fechei a tranca.

-Mas sabe...- Ela agora olhava para a minha boca.

-Eu não ligo, você é minha também.- Falei na emoção do momento e então beijei ela.

Alexandria me beijando, minha mão corria por seus cabelos, por sua nuca, para deixá-la perto de mim, colocou uma de suas pernas entre minhas pernas, sua coxa estava tocando na minha intimidade e isso foi o suficiente para mim querer mais, ficar louca com aqueles toques, Lexa entendeu e seus beijos foram descendo para minha mandíbula.

Me afastei e olhei para ela.

-Eu mando agora.- Falei seria e o mais sexy que consegui.

Ela apenas me encarou e levantou o vestido, mostrando as coxas.

Uma das minhas mãos possessivamente foi de encontro com as coxas dela enquanto a outra agarrava o cabelo da nuca, o pescoço exposto.

Lambi primeiro então depois deixei pelo menos três marcas ali para dizer que eu estava ali, não tínhamos tanto tempo, aproveitei e meti minha mão dentro da calcinha dela, a masturbando.

Meu polegar brincava com o clitóris dela em movimentos circulares enquanto eu penetrei dois dedos os movendo rápido.

-A-ah.- Gemeu baixo.

Penetrei o terceiro e encarei ela, Alexandria gemeu mais alto, com certeza alguém lá fora ouviu.

Eu gostei de ouvir ela gemer alto, puxei mais os cabelos dela e metia o mais rápido que consegui, sua entrada estava molhada e se apertando na minha mão.

-Clarke, eu tô quase lá.

-Geme pra mim.- Mandei.

Ela gemeu, gemeu alto e então senti o líquido quente do orgasmo dela na minha mão, tirei dali e lambi meus dedos na frente dela.

-Deviamos voltar.

Fui lavar minha mão e ela foi se limpar.

-Deviamos mesmo, já estamos a quase uns quinze minutos aqui?

-Provavelmente.

Após nós duas nós arrumamos voltamos e nos sentamos calmamente em nossos lugares.

-Você está bem??- George me perguntou.

-Sim.- Falei apenas isso.

Costia sabia o que aconteceu, Alexandria estava sorrindo e com marcas, um pouco suada também, sorri olhando para a morena.

-Perdemos muita coisa?- Alexandria perguntou.

-Não.- Costia disse seca.

Segurei na mão dela e Lexa me encarou.

-Realmente a noite está valendo a pena igual você prometeu.- Falei baixo e meu coração errou uma batida. 

Me repreendi após o sorriso que soltei.


Notas Finais


Eai? Oq acharam? Foi ciúmes ou não?
Uhmmmm, comentem ksksks!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...