1. Spirit Fanfics >
  2. Você Fez meu Anoitecer >
  3. Only

História Você Fez meu Anoitecer - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Hello Hello queridos!
Trouxe aqui uma imagina que escrevi a algum tempo do nosso amado Wonwoo, espero que gostem ♥️ ~

Não deixem de favoritar e me seguir no spirit (pareço Youtuber misericórdia).
Boa leitura!

Musica do Capítulo: Trauma — Seventeen

Capítulo 1 - Only


Fanfic / Fanfiction Você Fez meu Anoitecer - Capítulo 1 - Only

Seus olhos passeavam pelas peças de couro pretas, desde a jaqueta até aquela que era capaz de contornar perfeitamente às coxas da garota. Os olhos escuros de Jeon se mantinham presos aos lábios vinhos e a língua da menina que insistia em contornar o pirulito vermelho de maneira tão sexy que nem ela mesma era capaz de perceber.

Porém, ele percebia, e nossa, como percebia.

Sua mão passou a apoiar a própria cabeça que já nem se preocupava em sustentar, observava a cena e vontade dela em degustar o doce como se dependesse de sua vida.

Ele vez ou outra fechava seus olhos e inalava profundamente o ar. Ela cheirava a perigo, como o rapaz sempre sonhou. Assim como as noites que sua mente acabava por ser invadida com sonhos pervertidos da colega.

Sonhava um dia poder chama-la de sua. Sua namorada, sua BadGirl.

— Wonwoo? — apenas na terceira chamada a voz de Seungcheol foi capaz de atingir seus tímpanos. O mesmo acabou por se assustar, uma própria cena fora de Mansae, poderiam dizer.

A reação inesperada fez s/n arrancar de seus lábios junto ao doce uma risada baixa e gostosa, ele diria. Conseguia lhe causar efeitos mesmo fazendo absolutamente nada.

— Desculpe — respondeu diretamente e curvou a cabeça rápido como um pedido de perdão. Nem se preocupou em dar um motivo para estar tão avoado, as desculpas de “noites mal dormidas” não caiam para mais ninguém.

— O Manager gostou desse desenho seu, ele quer usar na capa do single — o sorriso do líder demonstrava sua animação, já a expressão de Jeon foi totalmente surpresa, ele jamais pensou que alguém gostasse de seus rabiscos a tal tamanho.

Seungcheol arrastou o caderno sobre a mesa branca e redonda em que a Hip-hop Line estava para discutir assuntos pessoais. Antes do caderno chegar a suas mãos, dedos ágeis foram mais rápidos e os puxaram para si, mesmo assim ele foi capaz de ver de qual rascunho se tratava.

S/n observava os traços na folha amarelada com atenção, ela conseguia sentir expressão, algo como segredos e uma vida escondida entre quatro paredes.

— Bom trabalho, Jeon — a voz firme da garota chegou a ele em um tom de agrado, ela não era fina e nem precisa, mas sim perfeita, o suficiente para retirar qualquer sanidade de sua cabeça. Um tom manhoso talvez caísse muito bem a ela em determinadas situações.

Sem processar respostas, apenas balançou a cabeça de maneira lenta para cima e para baixo, indicando agradecimento e compreensão.

A cena de antes voltava, s/n parecia uma mãe avaliando a lição de seu filho para ver o que se escondia na cabeça da criança Jeon, e seus lábios voltavam a focar no açúcar que continuava em perfeita esfera rosa.

O corpo dele queimava, seu olhar estava completamente perdido, e se a conversa entre S.Coups, Mingyu e Vernon não fosse tão paralela, eles provavelmente já teriam se tocado.

Em seu último pensamento são, o rapaz apenas questionou a seu consciente por quanto tempo mais teria que aguentar essa tortura.

 

 

 

 

Já era de noite quando o grupo resolveu sair para as ruas. Encontrar fãs pelas calçadas, tirar fotos e apreciar um bom doce era o que mais gostavam de fazer quando estavam livres, especialmente após as 18:00, onde o vento gelado ocupava o lugar antes queimado pelo sol.

Enquanto ele se preocupava em observa-la, ela se preocupava em suas fotos com o Dino, algo que fosse capaz de capturar a rua escura e dar um ótimo clima a selca. Os Maknaes do Seventeen eram apaixonados por fotos.

Wonwoo parou para perguntar a si mesmo como ela poderia ser mais nova que ele. S/n mantinha o jeito e pensamento de alguém com 22 anos. Nem ao mesmo chamou ela de Saeng desde que se conheceram.

Observava-a e distinguia da mesma um olhar maduro, confiante, forte e venenoso. Tão perigoso que era capaz de mata-lo.

Passou a se sentar no banco da praça onde todos pareciam aproveitar a noite. Seu corpo estava fatigado de desejo, capaz de transbordar para todos os cantos que fosse possível.

Analisa cuidadosamente a mulher a poucos metros de distância. Seus olhos passaram das botas cano curto até a meia arrastão, o que apenas o enlouquecia mais. Seu caminho continuou, agora ele nem percebia quando ficou fissurado no rosto de sua garota. A maquiagem escura com os lábios de sangue eram uma marca, acompanhada de um delineado que s/n sempre passava minutos fazendo para que saísse perfeito.

Ela parecia mais perfeita do que nunca, principalmente vestindo saia de pregas que a deixavam com um ar fofo que apenas durava segundos, mas ele não negava este fato, ela era uma menina meiga e doce. A sua menininha meiga e doce.

Wonwoo só parou depois para pensar no que e em como havia realizado o que acabará de fazer, usar a desculpa mais esfarrapada para dizer a Cheol que precisava voltar para a empresa.

— Estou cansado, não tenho dormido muito bem nos últimos dias, Hyung.

Foi tudo o que respondeu, e assim S.Coups o dispensou do passeio, antes fazendo um breve carinho nas cabeças do menino que riu com sua atitude de líder preocupado. Mas nada que não fosse mentira, ela nem o deixava dormir direito mais.

O caminho para a empresa foi apenas formado dos barulhos dos carros e uma mente perturbada, ele não sabia quanto tempo mais teria que ficar preso naquilo; afinal, Jeon tinha medo de tudo. Receber um não dos seus amigos, da empresa, dos fãs e principalmente dela.

Entretanto, ele estaria disposto a tentar de tudo, mesmo que isso acontecesse uma única vez na sua vida e lhe custasse qualquer ganho.

Não tardou em entrar em seu dormitório e ficar estirado em uma das camas, enquanto Mingyu não aparecesse, ele poderia suspirar alto e triste sem dever desculpar idiotas e que já não caiam mais a ninguém.

Tentava de todas as formas possíveis esquece-la, nem que fosse por apenas alguns segundos e pudesse ouvir o que sua mente tinha a lhe dizer, mas até então apenas implorava por sentir o cheiro forte do perfume de s/n, poder tocar nos lábios e na pele macia, desejando que ela o chamasse de seu.

— Jeon?

Aquilo que antes era em total controle de sua mente passou a ser real. Seu olhar após se sentar foi até a porta, onde viu a silhueta de sua paixão, de forma inesperada. Não sabia como reagir, ele realmente amava ser chamado pelo sobrenome por ela.

— Estou bem, não se preocupe, s/n.

Foi tudo o que soltou junto a um leve sorriso, e assim apenas fez um sinal permitindo que ela se aproximasse depois de encostar a porta e se sentasse no espaço vazio da cama.

— Onde estão os meninos?

— Eles disseram que iriam ficar mais e depois viriam embora.

Wonwoo não processava muito as informações, para ele qualquer palavra era como um arrepio na espinha e um gelo no estômago. Ele não conseguia negar, s/n era o primeiro amor de sua vida.

Ele se lembrará do dia que a viu pela primeira vez: tão tímida e, ao mesmo tempo, determinada; algo diferente para o meio deles, antes pensando que odiaria a ideia de uma integrante a mais no Seventeen, mas agora ele não conseguia se ver sem sua maknae.

— Bem, se você precisar de qualquer coisa, sabe onde me encontrar.

Sorriu docemente antes de deixar um delicado beijo na nuca do rapaz — o que era uma atitude comum entre todos eles — e sem reformular se levantou, indo em direção a porta.

Wonwoo suspirou pesado e não aguentou mais a si mesmo, se levantou com rapidez e antes que a outra pensasse em sair do quarto de vez, puxou ela por um dos braços a prensando na parede ao lado. Atitude que ele provavelmente se arrependeria mais tarde.

— Eu preciso…

Os olhos de s/n já estavam fechados pelo certo susto do momento, mas sentir a respiração e perfume forte do mais velho devastar sua mente foi demais para ela, seus sentidos e batimentos estavam em desordem.

Ela internamente sorria por soltar o que seu coração dizia sem esforço com o beijo recíproco que ambos os lábios tomavam de uma vez, fazendo Jeon gritar por dentro de felicidade e o quanto a amava. O ato foi se aprofundando a medida que tudo que eles queriam dizer foi passando pela sua mente, amor e desejo era tudo o que imploravam enquanto o tempo se mantinha parado para que eles explorassem a boca um do outro.

Os dedos da tão atrapalhada mão esquerda se enroscaram em algo, no exato momento que, sem interromper o beijo, Wonwoo percebeu a bandana preta amarrada no pulso da garota. Definitivamente, s/n adorava preto e caiam perfeitamente em si.

Foi então que a mente de Jeon acendeu novamente, o mais velho sabia o quanto aquele momento precisava ser perfeito e rápido, pois a qualquer momento os meninos voltariam e Mingyu entraria exausto no dormitório para descansar.

S/n nem se tocou quando o beijo foi interrompido e seu corpo virado, fazendo seu rosto encostar na parede e suas partes baixas totalmente prensadas pelo quadril do mais velho, arrancando um arfar prazeroso dos lábios já inteiramente borrados do batom escuro. Era a prova concreta que o Trauma de não amar de Jeon sumiria.

O rapaz em uma única atitude tirou o tecido que seus dedos ainda seguravam e trouxe os pulsos de s/n para trás, tratando de amarra-los sem força a sentindo inteiramente entregue a ele.

Já ela, se via perdida em desejos que precisavam ser saciados e sabia que o mais velho era o único capaz de acabar com o êxtase do seu corpo, já que ele não tinha noção, mas era o que ela mais sonhava em ter.

Seus pensamentos apenas voltaram ao ato quando teve as meias e calcinha abaixadas por Jeon, com a ação de levantar sua saia preta, deixando o bumbum branquinho exposto a qual o moreno não tardou de esbofetear e apertar possessivamente, arrancando um gemido surpreso de s/n que por sorte não havia se tornado tão alto, mas o suficiente para dar lhe dar uma surra nos poucos sentidos que lhe restavam.

O tempo corria contra suas decisões, então Wonwoo abaixou suas peças de forma rápida enquanto uma das mãos segurava a bandana que prendia os pulsos de sua garota. Sua destra agarrou o membro que já queria expelir o líquido em poucas atitudes que s/n foi capaz de enlouquece-lo, e no momento apenas roçou sobre a buceta apertada da menina que apenas gemia mais, esforçando-se para que não fossem ouvidos a qualquer momento.

— Porra, fode logo, Jeon…

Seus ouvidos captaram o pedido manhoso da menor, apenas tendo mais que certeza que aquilo era a melhor coisa que havia ouvido nos seus 23 anos de vida. Daquela atitude ele não se arrependeria.

Com uma mordida forte no ombro de s/n — não pressentindo que alguém poderia ver aquela marca depois — Wonwoo a penetrou sem mais nem menos, e sua mão direita agora livre correu para tampar a boca da outra que desejava gemer prazerosamente.

Alguns movimentos lentos começaram aquele sexo sem volta e arrependimentos, o moreno se remoía por dentro para não gemer e xinga-la tão alto quanto queria pelo interior quente o apertar com força. Já s/n, revirava os olhos de prazer a medida que as estocadas fortes lhe fodiam como ela desejava sem precisar dizer. A boca totalmente manchada de batom borrado era mordida com força, mais um pouco arrancando sangue daquela área prestes a ser mais machucada ao longo dos minutos que lhes faziam correr.

Jeon desceu sua mão apertando os seios fartos que conseguia sentir mesmo com o sutiã sobre eles, e logo usou aquele braço para contornar a cintura que não deixaria o corpo da mais nova bater contra a parede e sim ao seu corpo suado enquanto seu quadril fazia um trabalho rápido de vai e vem sem se cansar.

— C-cacete…

Foi tudo o que processou em dizer entre seus arfares, tentava se segurar tanto quanto ela pedindo pelo silêncio irritante que precisavam manter para que nada fluísse pelos corredores. Eles precisavam logo terminar aquilo.

Em outra atitude rápida, Wonwoo segurou os cabelos de s/n e a puxou para um beijo desesperador e desajeitado pela posição que estavam, seu membro doía só de ouvi-la gemer entre seus lábios que abafavam o que queria sair mais alto, e tudo só o incentivou a fazer a mesma gozar em questão de segundos em que seu interior tremeu, novamente tampando a boca da mais nova que até lacrimejava de tanto segurar seus desejos.

Por fim, ele se retirou dentro da mesma, e com movimentos rápidos por contra própria acabou por se desfazer sobre a pele levemente vermelha da maknae e gemer baixo, mesmo que sua mão não tivesse a mesma sensação do interior de s/n.

O silêncio era tomado pelas respirações perdidas que os dois tinham. Wonwoo encostou sua testa sobre a nuca da garota após ter a desamarrado e guardado a bandana no bolso da bermuda que já havia vestido novamente após aquele caso rápido. Com calma a virou para si e ainda com um pouco de receio pela reação que ela teria, ele a abraçou com calma deixando que ela descansasse em seus braços.

— Ei, grandão…

Ela o chamou baixinho, fazendo então o menino despertar do cansaço e a olhar com aquele delicado sorriso que conseguiu o acalmar de primeira. Em sua cabeça, uma música calma e delicada parecia tocar para aquele momento único deles, enquanto sua mão cuidava de tirar alguns fios suados da frente dos belos olhos de sua Badgirl.

— Eu te amo, baixinha.

Wonwoo suspirou feliz por ter soltado o que era preso a tanto tempo, enquanto ela passou a esboçar aquele lindo riso pela brincadeira velha deles.

— Eu te amo, Jeon.

Era tudo que ele precisava ouvir para apertar aquele abraço que os enlaçava. Agora Wonwoo sabia que nada nem ninguém tiraria seu amor de perto de si.

O momento acabou quando algumas vozes chegaram pelo ambiente, todos já haviam voltado a empresa e se os dois não fossem rápidos, seriam rapidamente flagrados ali. S/n se afastou rapidamente dele para mexer na feição bagunçada que não tinha solução imediata, tentava arrumar as suas meias e a saia mesmo que as roupas organizadas não tirassem o fato dela estar inteiramente despojada.

— Wonwoo, eu preciso ir.

A garota pediu um pouco risonha quando o moreno a abraçou com um sorriso imenso no rosto. Apesar de todo acontecimento posto como “impróprio”, eles sabiam que aquilo era carregado de sentimentos para ambas as partes.

— Só mais um beijo, por favor.

Um bico pequeno se formou nos lábios do rapaz enquanto mantinha sua testa encostada na de seu amor, e toda sua barriga gelou quando teve um delicado e tão significante selar nos mesmos.

— Olha, quer fingir dor de cabeça amanhã quando eles saírem? Poderíamos ver um filme.

Antes que ela continuasse, a voz de Hoshi saiu por algum cômodo próximo chamando pela colega de quarto, e a atitude mais rápida que teve foi dar um último selar eu seu garoto antes de sair correndo para o dormitório e entrasse no banheiro para não ser apanhada no estado que estava.

— Você parece ter descansado bem.

Foi tudo o que ouviu de Mingyu quando entrou no dormitório e se jogou de vez na outra cama, os lábios de seu amigo não tirava a satisfação do que havia acontecido, nem mesmo se desencostou da parede que havia sido o ponto de todo ato.

Agora, aquela noite era a prova concreta que o Trauma de Jeon, era amar sua Badgirl.


Notas Finais


Espero que tenham gostado, até a próxima Mochis!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...