História Você já pensou? - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jungkook, V
Tags Jeongguk, Jeongguk!seme, Jeongguk!top, Jungkook, Jungkook!seme, Jungkook!top, Taehyung, Taehyung!bottom, Taehyung!uke, Taekook, Vkook
Visualizações 696
Palavras 5.000
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Lemon, Yaoi (Gay)
Avisos: Adultério, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 1 - Capítulo Único


"Tae, você já pensou em beijar outro cara?"

Taehyung olhou com uma careta de estranhamento para o Jeon ao seu lado. Afinal, que diabos de pergunta era aquela? Ainda mais assim, do nada! Na verdade, estranho era eufemismo. Aquela era simplesmente uma pergunta absurda e totalmente inesperada, ainda mais vindo do seu melhor amigo, aquele que pegava mais garotas do que Taehyung podia contar nos dedos.

Os dois garotos estavam na casa do mais novo há mais de horas jogando overwatch sem parar para nada, nem mesmo para comer alguma coisa ou ir ao banheiro. Eram amigos desde de que eram bem pequenininhos, suas mães eram vizinhas desde a infância e foi só os dois serem apresentados para que uma forte amizade fosse estabelecida, viviam grudados desde então. Sabiam tudo um sobre o outro, por isso, ouvir aquela pergunta vinda de Jeongguk era, no mínimo, estranha.

"Ih, que ideia é essa, Jeongguk? ‘Tá me estranhando, é?", riu de nervoso e passou a mão pela nuca.

"Só estou curioso, oras.", deu de ombros como se não fosse nada demais.

"Curioso para beijar um garoto, um homem, um cara, um mano, um brother? Sério mesmo?", o Kim arqueou as sobrancelhas.

"Só ‘tô comentando, idiota.", revirou os olhos e socou de leve o ombro do mais velho. "O seu irmão parece bem feliz quando ‘tá beijando o Yoongi-hyung."

Taehyung o olhou como se ele tivesse alguns parafusos a menos.

"É claro que parece. O Jimin é gay, Jeongguk!"

“Tanto faz.", revirou os olhos novamente, coisa que estava começando a irritar o Kim. "Se o Jimin-hyung gosta deve ser porque é bom.”

Taehyung fechou os olhos e contou até 10 pausadamente, depois largou o controle do videogame e se virou para o Jeon, ambos sentados de perninhas de índio sobre o tapete felpudo da sala.

“Jeongguk, meu querido amigo de agora sexualidade duvidosa, qual a parte do Jimin gosta de homens, caras gostosos, tanquinhos sarados, paus, você não entendeu?”, perguntou como se falasse com uma criancinha de cinco anos de idade.

“Qual é, Taehyung? Eu não sou gay e não tenho interesse em paus, só estou curioso pra saber como é beijar um cara antes de morrer. Só isso.”

“Ah, e tinha que ter escolhido logo eu?”

“Mas é claro! Você é meu melhor amigo, a pessoa em que eu mais confio. Mas se você não quiser, eu posso pedir para o Jimin-hyung ou o Yoongi-hyung tirarem essa minha curiosidade.”

Bingo!

Ah, Jeongguk realmente era bom com as palavras e Taehyung o odiava por isso. O Jeon, apesar de ter aquela carinha anjo, conseguia ser tão ardiloso quanto uma cobra, era assim que conseguia se livrar de todas e quaisquer encrencas em que se metiam, e toda a culpa acabava sobrando para o pobre Kim. O mais novo era o próprio Satanás.

“O que? Mas nem pensar! Você ‘tá maluco? Nem fodendo que eu vou deixar você pegar o meu irmão.”, exclamou sentindo-se extremamente irritado, preferia morrer ao ver Jeongguk e seu irmão se beijando, urgh, isso lhe causava náuseas.

“Não é como se eu fosse comê-lo, Taehyung. Mas como ele é mais velho, deve ter uma certa experiência, sem contar que ele tem uma bunda bem legal, huh.”, não era para ter saído como uma provocação, afinal, o Jeon apenas estava falando fatos, mas o Kim acabou levando como uma e ficou extremamente puto com isso.

“Eu vou te bater!”, o Kim esbravejou e avançou para cima do mais novo, pulando sobre ele, mas o Jeon não caiu no chão, em seguida o mais velho começou a puxar os cabelos do outro entre suas mãos.

“Ai, hyung! Porra, para com isso!”

Jeongguk acertou um tapa nas costas do amigo, mas isso não serviu para que a raiva do mais velho se dissipasse, muito pelo contrário, ele parecia ter ficado ainda mais bravo. Como não conseguia tirar as mãos do Kim dos seus cabelos, a única coisa que pôde fazer foi começar um ataque de cócegas no ruivo, pois sabia que esse era o único modo de parar o mais velho.

Era comum que os dois saíssem aos tapas de vez em sempre, principalmente quando estavam jogando vídeo-game e o outro perdia, ou quando estavam jogando League of Legends e um dos dois fodiam com a equipe. Eram pontapés pra cá e puxões de cabelo para lá, só acabando quando um dos dois saíam realmente ferrados, o que na maioria das vezes era o Jeon que saía quebrado, seu hyung .

Taehyung se remexeu igual uma minhoca sobre seu colo enquanto ria, as lágrimas já corriam de seus olhos, e o mais novo ria junto, pois a risada do mais baixo era contagiante e muito gostosa de se ouvir. O mais velho ainda pedia para que cessasse as cócegas, mas não pararia de jeito nenhum.

“J-Jeongguk, p-para, sua peste!”, pediu entre as risadas.

“Só vou parar se você me der um beijinho.”, disse risonho e fez um biquinho fofo.

“Meu pau!”

“Nossa, hyung, eu só pedi um beijinho e você já quer ir para as putarias.”

Taehyung ficou vermelho de raiva e tentou acertar um soco no Jeon, mas as mãos fortes dele ainda faziam cócegas em sua costela, impedindo-o de se movimentar e pensar coerentemente.

“Vai se ferrar, idiota!”, grunhiu.

O Kim subitamente soltou um grito gutural e, em um movimento inesperado, acertou um soco no estômago do Jeon, ouvindo-o gemer de dor. Rapidamente, empurrou-o para o chão e se colocou em cima dele, mas Jeongguk logo inverteu as posições, sentando um pouco abaixo da cintura do ruivo. Depois levou suas mãos até os pulsos do mais velho, prendendo-os ao lado da cabeça dele de modo que o garoto não conseguisse me mexer.

Taehyung sentiu seu rosto esquentar ao se dar conta da posição em que estavam e tinha certeza de que suas bochechas estavam rubras, mas ficou surpreendentemente calado enquanto o Jeon se aproximava cada vez mais de si, lhe olhando com os olhos tão intensos e desejosos. O mais novo estava tão próximo de seu rosto que já era possível sentir a respiração quente dele bater contra sua boca.

“Por favor, Tae, fica paradinho…”, o Jeon pediu baixinho.

Fechou os olhos com força quando sentiu os lábios macios do Jeon contra os seus e as mãos dele descerem para seu pescoço, acariciando levemente com a ponta dos dedos a área sensível. Os lábios do moreno poderiam ser macios como os de uma garota, mas possuíam uma ferocidade que o Kim nunca havia visto em nenhuma das quais já havia beijado.

Relaxou aos poucos, sentindo seus lábios se moldarem perfeitamente um no outro. Sentiu a língua quente de Jeongguk tocar seus lábios, mas se recusou a abri-los, seria estranho demais se o fizesse. Mais do que já estava sendo. No entanto, teve que abri-los quando o moreno apertou sua cintura com força, em uma pressão que se recusou a admitir ser gostosa, fazendo com que arfasse e liberasse a passagem da língua quente do Jeon para dentro de sua cavidade bucal.

Gemeu baixinho quando a língua do mais novo se enroscou na sua, acariciando-a em um ósculo gostoso e muito intenso, naquele momento tudo que conseguia pensar era no quão bom era beijar o moreno. Surpreendendo a Jeongguk, o Kim separou o beijo deixando selares molhados nos lábios avermelhados do Jeon. Bom, já que estava na chuva era melhor se molhar de uma vez, certo? Também o que acontecesse ali, iria ficar ali, então não tinha motivos para se preocupar com mais nada além da sua heterossexualidade que parecia ter ido para o ralo de uma vez por todas.

"Uau, isso foi..."

"Esquisito pra caralho."

"Bom pra caralho.", o Jeon corrigiu.

"Ok, já chega. Terminamos essa sua loucura por aqui, espero que essa tua curiosidade repentina tenha sido saciada. E se tu contar isso pra alguém, principalmente para o Yoongi-hyung e para o Jimin-hyung, eu arranco as tuas bolas, me entendeu bem, Jeon Jeongguk?", o Kim ameaçou com os olhos semicerrados enquanto puxava a gola da blusa do mais novo, aproximando o outro para mais perto de si e, novamente, sentiu o hálito do outro bater contra seus lábios.

O Jeon apenas olhava fixamente para os lábios do Kim, ainda ofegante, se movimentando lentamente enquanto falava. Queria mais daqueles lábios gostosos nos seus, céus, e como queria! Nunca havia pensado que beijar seu hyung fosse ser tão gostoso, se martirizou ao se dar conta do quanto demorou para ter a boca do ruivo colada a sua.

"Jeongguk, você está me ouvindo?"

"Eu quero mais."

Não deu nem tempo para reagir ou para pensar, pois logo Jeongguk estava novamente lhe beijando com vontade. E, novamente, Taehyung se entregou àquele momento tão gostoso entre os dois. Eram só dois garotos adolescentes curiosos, certo? Isso era normal, certo? Realmente esperava que sim.

A mão atrevida do Jeon desceu de sua cintura até que chegasse em sua calça, onde a depositou, mas não a mexeu em momento algum, mesmo assim Taehyung se assustou um pouco, no entanto, a língua de Jeongguk na sua boca o fez esquecer desse pequeno detalhe. O Jeon desceu os lábios para o seu pescoço, beijando-o e marcando-o, fazendo com que o Kim não conseguisse segurar os gemidos sôfregos que saiam de seus lábios. Sentindo Taehyung mais relaxado e distraído, movimentou sua mão sobre o membro do Kim, sentindo-o levemente endurecido sob seus dígitos longos.

Taehyung arregalou os olhos e afastou Jeongguk de cima de si com um empurrão, se sentando rapidamente com a respiração ofegante, seu peito subia e descia em uma velocidade frenética.

"Jeongguk, caralho... Eu sou hetero, porra!", grunhiu e agarrou seus cabelos ruivos, se sentindo extremamente frustrado por estar caindo na lábia do Jeon. "Eu tenho uma namorada peituda gostosa pra caralho."

O mais alto revirou os olhos.

"Ah, qual é, Taehyung? Nós dois sabemos muito bem que ela não te satisfaz mais como antes."

Ok, isso era verdade. Fazia tempos que a sua garota já não fazia seu amiguinho se animar como antes, na verdade, fazia um tempo que os dois não ficavam juntos. No começo do relacionamento era tudo maravilhoso, mas, com o passar do tempo, os dois acabaram por entrar em uma rotina chata e sem graça. Estavam nisto há quatro meses. A culpa não era somente da garota, é claro, Taehyung sabia que deveria dividir seu tempo entre ela e Jeongguk, mas o que poderia fazer se não conseguia negar nada ao melhor amigo? Mas, de qualquer forma, isso não significava que ele deveria trair sua namorada, ainda mais com um garoto!

"Ah tá, e só por causa disso a gente tem que transar? Meu Deus, Jeongguk, isso soa muito estranho!"

"E daí? Nós somos amigos, hyung, e amigos se ajudam."

"Exatamente, se ajudam e não transam!", exclamou óbvio.

"O Jin-hyung e o Namjoon-hyung são só amigos e transam. Por que a gente não pode?"

"Os hyungs o quê?", gritou com os olhos arregalados.

Pelos deuses, o que diabos estava acontecendo? Em um minuto tudo estava normal, os dois jogando vídeo game e comendo besteiras, e no outro estava se pegando com o melhor amigo e descobrindo que seus hyungs se comiam bem debaixo do seu nariz. Tinha até medo de perguntar o que poderia acontecer ainda.

"Você não sabia?", riu soprado quando o outro negou, balançando a cabeça e com a boca aberta adoravelmente. "Jura? Nunca ouviu nada? Porra, só falta eles se comerem bem na nossa frente, sem contar que os gemidos do Jin-hyung não são baixos, aposto que toda a vizinhança já sabe que ele adora dar a bunda."

Tá certo que seus dois hyung às vezes eram bem suspeitos, principalmente quando chegavam atrasados e ao mesmo tempo, com as roupas amarrotadas e cabelos bagunçados, ou quando Jin acompanhava Namjoon ao banheiro por medo dele quebrar a maçaneta e ficar preso dentro do cômodo e ambos voltavam com os lábios inchados e vermelhos. Mas isso não era nada demais, certo?

Certo...?

Puta merda...

Seus hyungs eram fodidamente gays.

Não que tivesse algo contra, claro que não, até porque se tivesse algum tipo de preconceito não estaria ali quase aceitando foder com Jeon Jeongguk, seu melhor amigo de longa data. Também não iria negar que tinha uma certa curiosidade acerca do assunto, visto que Jimin e Yoongi pareciam se sentir muito bem quando estavam juntos trancados no quarto de seu irmão, principalmente o Kim mais velho que não se continha nos gemidos e gritos do quão bom o Min era consigo e do quanto ele fodia bem. Pois é, o Kim escutava tudinho. Talvez, mas só talvez mesmo, já tivesse se excitado ao ouvir os sons que os mais velhos produziam no quarto ao lado ou até mesmo no sofá da sala, o qual o Kim mais novo já os havia flagrado várias vezes. O ruivo nunca mais olhou para aquele sofá com os mesmo olhos.

E ainda tinha que aguentar Jimin lhe contar detalhe por detalhe tudo o que acontecia na foda deles, o Kim mais velho realmente acreditava que Taehyung deveria saber como era o sexo gay. Pensando agora será que o gaydar de seu irmão havia apitado para si? Pois essa era a única razão para ele querer que Taehyung soubesse tudo sobre como era transar com um homem.

Focou seu olhar nos olhos brilhantes e curiosos do Jeon, que lhe observavam esperando alguma reação sua, esperando que Taehyung mandasse tudo ir se foder e fosse foder consigo de uma vez. Teria algum problema se transasse com Jeongguk? Qual era seu medo afinal? Sabia que o mais novo não trairia sua confiança contando aquilo para alguém e sabia que ele nunca o machucaria e se Taehyung realmente quisesse parar com tudo aquilo, o moreno pararia sem pensar duas vezes.

Chegou a conclusão de que o seu medo era de acabar gostando de tudo aquilo no final.

"O-Ok. Vamos fazer isso.", nem notou quando sua boca se abriu e dela saiu o murmúrio, suas bochechas acabaram tomando um tom rubicundo.

Jeongguk sorriu amplo, com uma felicidade que assustou o Kim, parecia que havia acabado de ganhar um jogo que ansiava muito. Mas não teve tempo de falar nada, pois logo em seguida o Jeon já estava a sua frente novamente, atacando seus lábios volúpia e apertando suas coxas com força entre seus dedos longos.

O Jeon o levantou pela cintura e sentou o Kim sobre o sofá bege, depois sentou sobre o colo do ruivo e rebolou sobre ele em movimentos lentos e precisos. A fricção gostosa entre seus dois membros fizeram com que ambos gemessem contra a boca um do outro. Taehyung levou suas mãos até a bunda de Jeongguk, onde apertou a carne com força, adorando sentir o quão macia e gostosa ela era.

Jeongguk se afastou e sorriu com malícia mordendo os lábios, antes de retirar a própria blusa, deixando que seu abdômen ficasse a mostra. Seria errado demais admitir que ver toda aquela pele exposta do mais novo era excitante pra caralho? Porra, já havia visto o Jeon sem camiseta diversas vezes, principalmente nas partidas de futebol que jogavam toda terça e quarta-feira, na verdade, já o havia visto nu mais vezes do que podia contar, no entanto, naquele momento, o Kim não conseguia olhar para o moreno de outro modo que não fosse com desejo.

Taehyung engoliu em seco.

Desde quando Jeongguk era tão gostoso assim?

O mais novo se ajoelhou entre as pernas do Kim e, com certa afobação, abriu o zíper da calça do ruivo, puxando-a até que elas estivessem nas panturrilhas bem torneadas e amorenadas dele. Sorriu e levou suas mãos até a barra da cueca vermelha do mais velho, puxando-a até que ela tivesse o mesmo fim das calças. Taehyung suspirou levemente ao ter sua ereção liberta daqueles panos apertados.

"J-Jeongguk...", o chamou, mas sua voz soou como um gemido, por isso pirragueou um tanto constrangido. "O que está fazendo?"

O moreno não respondeu, apenas levou suas mãos até o membro ereto do Kim e o acariciou, movimentando sua mão para cima e para baixo, sentindo toda a extensão quente entre suas palmas gélidas. Pressionou seu dedão contra a glande inchada e avermelhada do mais velho, sentindo-o estremecer e conter os gemidos que queriam fugir. Jeongguk queria que o mais velho gemesse alto para que toda a vizinhança soubesse que era ele quem estava dando tamanho prazer ao seu hyung. Queria que os gemidos do Kim chegassem até os ouvidos de Irene, namorada de Taehyung.

"J-Jeongguk... Acho melhor i-irmos com m-mais...", pediu sôfrego, mas gemeu alto quando a boca quente e aveludada do amigo cobriu toda a sua ereção de uma só vez. "Calm-ah!"

A boca do Jeon subia e descia sem parar no seu membro em movimentos lentos e tortuosos. Os únicos sons ouvidos na sala eram os gemidos de Taehyung e os sons eróticos e típicos de um sexo oral. Toda aquela situação era demais para o Kim. Porra, a atmosfera era tão sensual que fazia com que seu tesão aumentasse a cada segundo mais, fazendo com que embrenhasse seus dedos nos cabelos castanhos do mais novo, apertando com demasiada força, mas o Jeon não reclamou em momento algum.

Taehyung gostou disso.

Gostou de como não precisava se conter e ser gentil com um garoto, muito diferente de quando estava com uma garota e tinha que tomar cuidado para que não exagerasse na brutalidade. Era um tanto broxante quando Irene pedia para que fosse com mais suavidade, mas como diabos era foder com suavidade? Ou ainda quando ela dizia que pararia os movimentos se ele ousasse foder a boca dela, segundo a garota, aquilo era muito sujo e depravado. Mas, porra, Jeongguk não estava reclamando nenhum pouco por Taehyung estar fodendo sua boca.

Já havia sido chupado algumas vezes, sim, mas nunca havia sido tão bom como Jeongguk estava lhe chupando. Caralho, o mais novo era bom demais naquilo, o que levou Taehyung a se perguntar se o Jeon já havia feito aquilo antes, porque não era possível que garoto nunca tivesse feito um boquete na vida. Ou talvez ele também tivesse sido obrigado a ouvir Jimin contar sobre suas aventuras sexuais com Yoongi, afinal, Jeongguk vivia na casa dos Kim mais do que na própria casa.

"Jeon... Jeonggukie! Hm..."

Jeongguk gemeu em deleite ao ouvir seu hyung lhe chamar com aquela voz rouca que fazia todos os seus pelinhos se arrepiarem e uma fisgada dolorida fazer seu pênis pulsar. O gemido do Jeon fez sua garganta vibrar enviando sensações gostosas para o pau do Kim em sua boca.

"Jeongguk, me deixa gozar na tua boca, vai.", pediu, fitando os olhos cintilantes do mais novo. "Por favor, faz isso pro hyung, faz..."

Puta merda, a vontade de gozar naquela boquinha era gigante, por isso não se conteve em pedir. Era tanta tesão que mal conseguia pensar coerentemente.

O Jeon abandonou o membro do Kim e o mais velho adorou ver o fio de saliva que ligava desde a boca do moreno até sua glande inchada e necessitada de atenção. Jeongguk sorriu ao ver o outro suspirar frustrado por não estar mais sendo estimulado como estava anteriormente.

"Nossa, hyung, você tinha que ver como você estava quando pediu, não, implorou para que eu deixasse você gozar na minha boca.", debochou com um sorriso sacana estampado na face avermelhada pelo esforço anterior.

“V-Você deveria falar menos e me chupar mais.”

“Hm, me pergunto o que a Irene iria pensar se te visse assim, todo entregue, querendo gozar na minha boca.”, sorriu maldoso.

Taehyung fechou os olhos e sorriu afetado, antes de se inclinar até o Jeon abaixado e puxar os fios dele com força, puxando-o para tão perto de si que os narizes de ambos se tocavam suavemente. Jeongguk deixou uma lambida nos lábios do Kim antes de beijá-lo intensamente, os olhos dos dois não se desconectavam de jeito nenhum, por mais que aquilo fosse estranho para outras pessoas, aquilo estava sendo excitante demais para os dois garotos cheios de hormônios.

Jeongguk segurou a barra da camiseta azul marinho do Kim e a puxou por sua cabeça, deixando o mais velho totalmente nu aos seus olhos famintos. Sorriu e antes que o ruivo pudessem beijá-lo, virou-o de como que ele ficasse de costas para si com os cotovelos apoiados nos assentos do sofá. Antes que Taehyung pudesse perguntar o que o Jeon iria fazer, sentiu uma ardência em sua nádega direita, acabou soltando um arfar que mais pareceu um gemido. O mais novo riu soprado antes de descer seus lábios até a entrada intocada do ruivo e deixou uma lambida vagarosa naquela área.

“Jeongguk!”, exclamou surpreso e tentou se virar, mas as mãos firmes do Jeon em sua cintura o mantiveram paradinho.

“Você vai gostar, hyung.”

Mais uma vez sentiu o músculo molhado do Jeon entrar em contato com a sua área mais íntima, lambendo e beijando, até que ele começou a estocá-lo com a própria língua. Taehyung nunca pensou que aquilo podia ser tão prazeroso. Aquilo era bom demais, a sensação era indescritível, algo que jamais pensou ser possível sentir. Fechou as mãos em punhos assim que o primeiro dedo de Jeongguk entrou dentro de si, que o movimentou lentamente para dentro e para fora, causando sensações de vazio e preenchimento constantes que estavam o levando a beira da loucura.

Foi quando o segundo dedo do Jeon entrou dentro de si que Taehyung sentiu um desconforto incômodo e se remexeu incomodado contra o dígito do mais novo. Caramba, estava sendo dedado por seu melhor amigo, porra. Aquilo fez lágrimas brotarem em seus olhos e ele acabou fungando baixo. Acabou chorando porque aquilo era bom demais! Puta merda, era para ele estar gostando tanto daquilo como estava gostando? Aquilo era tão torpe, mas ao mesmo tempo era tão gostoso.

“Está tudo bem, hyung? Está doendo? Eu te machuquei?”, o Jeon perguntou, preocupado com o ruivo, se este quisesse parar, o mais novo o faria sem pensar duas vezes.

“S-Só não pare, pelo amor de todos os deuses, não pare.”, pediu envergonhado, inclinando mais sua bunda ao deitar seu rosto no sofá, de modo que sua bochecha direita ficasse levemente esmagada contra o estofado.

Em meio aos gemidos, Taehyung sentiu o terceiro dedo ser inserido dentro de seu interior, Jeongguk começou a fodê-lo sem dó alguma, enfiando seus dedos com força para dentro de si, saindo e entrando em uma velocidade frenética ao mesmo tempo em que maltratava a pele de sua cintura e bunda, ora apertando ora deixando tapas estalados na epiderme bronzeada que começava a tomar uma coloração rubicunda.

Segundos depois, sentiu os dígitos do Jeon saírem de dentro de si e gemeu frustrado, porra, era tão difícil para o mais novo continuar o fodendo? Caralho, mais uma vez estava surpreso consigo mesmo. Estava quase implorando para ser fodido por um homem. Homem este que inclusive era seu amigo, seu brother, seu parceiro. Era melhor pensar nas consequências de seus atos depois que tudo aquilo terminasse.

Olhou por cima do ombro assim que ouviu o som de zíper sendo aberto e viu uma cena que fez seu pau pulsar: o Jeon, ainda de joelhos, estava puxando o zíper de sua calça jeans negra, o abdômen levemente suado, os músculos fortes tensionados e o olhar carregado de malícia continuava olhando fundo nos olhos do Kim. Taehyung gemeu e encostou novamente seu rosto contra o sofá, suspirando fundo.

Jeongguk pegou do bolso traseiro de sua calça jeans um pacotinho de preservativo, rasgou-o com as mãos e desenrolou-o em seu caralho duro, suspirando baixinho pela sensibilidade.

“Agora vem a parte boa, hyung.”, o Jeon falou baixo e encostou todo seu corpo no do mais velho, o fazendo sentir toda a pele quente do moreno contra sua costas nuas, o pênis ereto roçou contra sua entrada e Taehyung sentiu-se ansioso, a medida que Jeongguk esfregava-se contra si. "Eu prometo que vou ser gentil."

"Não me trate como uma garotinha virgem, Jeongguk!", exclamou irritado.

"Você que pediu."

No segundo seguinte, o Jeon já estava se enterrando dentro de si em uma estocada só, com os olhos fechados e os lábios entre abertos, puxando o ar lentamente por entre eles. Já o Kim fechou os olhos e mordeu os lábios com força, a dor era terrível e ficou tentado a pedir para que o mais novo parasse, mas pensou que o restante de sua masculinidade fosse ser afetada caso o fizesse.

"Tudo bem, hyung?", o mais novo perguntou com certa dificuldade, queria muito foder o ruivo, mas era melhor ir com calma, pelo menos no começo, visto que o mais velho nunca havia estado com um garoto antes.

Taehyung, em resposta, balançou sua cabeça lentamente em negação.

Jeongguk franziu o cenho e mordeu os lábios, antes de começar a depositar selares um tanto carinhosos sobre as costas nuas e suadas do mais velho, sentindo o gosto salgado do suor entrar em contato com seu paladar. Desceu sua mão esquerda até o membro esquecido do Kim e tomou-o em sua mão, masturbando-o lentamente, por vezes pressionando a glande avermelhada com seu dedão.

“Pode ir.”, disse com sua bochechas levemente rubras, evitando contato com os olhos do amigo.

Jeongguk assentiu e retirou seu pau de dentro do interior quente e apertado do mais velho, para logo em seguida voltar em uma estocada forte e intensa, fazendo Taehyung apertar suas mãos em punhos e xingar a mãe do moreno, que apenas sorriu de lado antes de começar a estocar seu hyung em uma velocidade lenta e constante. Os gemidos de ambos eram os únicos sons possíveis de ouvir naquele cômodo da casa. Jeongguk agradecia pelo fato de seus pais estarem em uma viagem de férias pelo Atlântico.

“Eu vou fazer com que a vadia da Irene ouça você implorando por mais, Taehyung.”, a voz rouca causou arrepios no Kim, que arfou alto.

O Jeon segurou uma das pernas do Kim e a apoiou no assento do sofá, deixando que o joelho tocasse o estofado, de modo que a entrada violada de seu hyung ficasse completamente aberta para si. Jeongguk lambeu os lábios antes de entrar mais uma vez com força para dentro de Taehyung, em movimentos rápidos e precisos, acertando cada vez mais fundo dentro do ruivo, que só sabia gemer e implorar para que o Jeon o fodesse mais fundo e forte. E claro que Jeongguk acatava tudo sem hesitar.

“E-Está gostando, hyung? Gosta de ser fodido por um cara, hm? Gosta de sentir meu pau se enterrando dentro de você?”

“S-Sim! Sim!”

Tudo o que podia fazer era concordar com tudo que os lábios ardilosos de Jeongguk diziam, afinal, era tudo verdade. Ter um pau socando bem fundo dentro de si era a melhor sensação que já havia sentido em toda a sua vida, porra, aquilo era bom demais. A força que Jeongguk fazia ao entrar e sair de dentro de si era sobre humana e fazia com que o ruivo não conseguisse parar de gemer feito uma cadela. O que seus pais pensariam ao vê-lo naquela situação? O que Irene pensaria? O que Jimin pensaria? Bem, Jimin com certeza ficaria orgulhoso de si, seus pais já estavam mais do que acostumados a ver o filho mais velho e Yoongi fodendo em qualquer canto da casa, portanto, não dariam a mínima, no entanto, Irene com certeza ficaria uma fera consigo. Esse pensamento fez rir, atraindo a atenção de Jeongguk para si, que também soltou uma leve gargalhada.

Taehyung sentiu seus olhos revirarem ao ter Jeongguk acertando tão fundo dentro de si, podia jurar que estava vendo estrelas. Não era possível que o Jeon nunca houvesse feito aquilo antes! Não quando sabia exatamente onde o tocar, apertar, beijar e acertar. As mãos de Jeongguk logo estavam sem seu membro esquecido, masturbando-o com ferocidade, ao mesmo tempo em que deixava as estocadas mais rápidas.

“P-Porra, Jeon, e-eu… Ah!”

Jeongguk rosnou e deixou um tapa estalado na pele suada do outro.

“Isso, hyung, vem pra mim, vem…”

Taehyung deu um último gemido que com certeza metade do bairro deveria ter ouvido, provavelmente Irene também, visto que a garota morava a apenas algumas casas de distâncias da casa dos Jeon, e sentiu espasmos de prazer tomarem conta de seu corpo enquanto toda a sua porra sujava a mão de Jeongguk. O Kim, exausto, deitou sobre o sofá apenas sentindo as estocadas do mais novo em seu interior irem parando gradativamente até que o gemido rouco ecoou por todo o cômodo, findando o ato dos dois.

Jeongguk deu um leve tapinha na bunda do mais velho e se retirou de dentro dele, antes de se jogar contra o tapete felpudo da sala, deixando espaço para que o Kim fizesse o mesmo. Taehyung se arrastou até perto do mais novo que retirava o preservativo, amarrando-o e em seguida o jogando em qualquer canto da sala.

Alguns segundos se passaram e os dois se mantiveram um silêncio confortável, apenas controlando a respiração ofegante e os espasmos pós-orgasmo. Taehyung havia sido fodido com força por seu melhor amigo, o que restava agora era somente aceitar e quem sabe repetir a dose.

"Você já tinha feito isso antes, não é?", o Kim perguntou ao virar o rosto para o Jeon, mantendo contato visual com ele.

"Sim.", admitiu.

"Com quem?"

"Quer mesmo saber?", Jeongguk arqueou uma sobrancelha.

Taehyung revirou os olhos.

"Desembucha logo."

"Foi com o Jimin-hyung."

Taehyung se engasgou com a própria saliva.

"O quê? E o Yoongi-hyung sabe disso?"

"Claro, ele estava junto."

"O quê?", seus olhos se arregalaram e sua voz saiu esganiçada.

Jeongguk sorriu de lado antes de subir em cima do corpo do mais velho, apoiando as mãos uma de cada lado da cabeça do outro, os fios suados do Jeon ainda estavam colados na testa, deixando tão fodidamente sexy, que Taehyung quase implorou para que o mais novo o fodesse novamente. Já havia aceitado que a sua heterossexualidade havia ido pro espaço, o melhor a se fazer agora era aproveitar, certo?

"Hyung, você já pensou em fazer um ménage à trois?"


Notas Finais


Olá, olá, xuxuzinhos!
Quanto tempo, não?

Eu sinto que estou traindo meus princípios de jikooka ao estar postando essa Taekook, mas vida que segue fkkghfdj
Essa fanfic foi feita especialmente para a xuxuzinha @themonnia e para a @gukttae, espero que gostem! E perdoem a demora kldfdkh

Obrigada a @sebin do @venustype por ter feito essa capa maravilhosa, eu amei demais, bicho! ♥

Agradecimentos a Lana Banana @lanarui por ter dado uma ajuda na sinopse e a galerinha do @JiminHouse (projetinho que eu criei, por favor, deem uma olhada) por ter me lembrado de colocar o preservativo no JK kdkhjkfd, obrigada, xuxus! ♥

-> SE VOCÊ ERA UM LEITOR DE SEUL DRIFT LEIA AQUI:
Então, xuxus, infelizmente eu tive que excluir a fanfic por N motivos, mas eu não desistirei dela. Ela já está sendo reescritas e digo que muitas coisas irão mudar, mas nada que perca a essência original da história. Esperem por ela! ♥


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...