História Você me incendeia tão facilmente - Imagine Yaoi; 2Shot Hot - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Yaoi
Visualizações 615
Palavras 1.338
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Lemon, Romance e Novela, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Perdoem os erros. Espero que gostem.
Boa leitura! ❤🌹👑

Capítulo 1 - Two Shot - Yaoi


Fanfic / Fanfiction Você me incendeia tão facilmente - Imagine Yaoi; 2Shot Hot - Capítulo 1 - Two Shot - Yaoi

Seimei ON

Meu local de trabalho já estava vazio, todos na empresa já haviam ido embora. Eu fiquei para terminar umas papeladas que, graças aos céus, já acabaram. Mal posso esperar para ver o meu babyboy, ele já deve estar me esperando, afinal, são dez e meia da noite, não que seja tarde, mas eu saio normalmente às oito, oito e vinte.

Suspiro pesado fechando os olhos frustrado e encostando as costas na cadeira de couro preto, dou um sorriso ladino ao lembrar de minutos atrás, Luhan havia me ligado pra saber onde eu estava e ficamos conversando enquanto eu trabalhava, acabei por me distrair pela sua voz incrivelmente sexy e acabei deixando o trabalho por alguns - vários - minutos de lado.

Meu celular começou a vibrar em cima da mesa, ele estava ao lado da xícara de pouco e, agora, gelado café e do meu computador já desligado. Peguei e sorri ao ver quem me ligava, atendi e levei o telemóvel entre minha orelha e minha boca.

- Ligação ON -

"Oppa! Onde você está?!"

"Estou no meu escritório docinho, mas já estava saindo, já acabei tudo por aqui. Fique tranquilo! Logo logo, o seu daddy vai estar em casa!''

"Aish, tudo bem oppa! Só venha logo, ok?"

"Eu vou meu amor, eu prometo!.. Mas antes, eu quero que faça uma coisa..." - A última parte saiu rouca de minha boca, por simplesmente eu estar falando de algo meio sádico.

"O-o que dad-dy?!" - Ele respondeu ficando apreensivo. Ah! Luhan... Não sabe o quanto eu amo vê-lo e ouvi-lo nervoso, faz me sentir dominante, é tão excitante!

"Quero que vá ao meu armário e tire de lá duas algemas... Um chicote de couro preto... Um anel peniano e... Dois prendedores, entendeu?" - Enquanto eu falava, deixei o celular no viva-voz em cima da mesa, arrumei minhas coisas dentro da minha pasta preta de sempre, desabotoei meu terno e afrouxei o nó da gravata vermelho vinho.

"M-m-as dad-dy, p-pra que tudo is-so?" - Ele disse meio difícil de entender, se não conhecesse Luhan, diria que ele está se tocando levemente, mas como o conheço, ele estava com a unha do polegar entre os dentes, a mordendo ansiosamente.

"Luhan! Se continuar a falar pausadamente desta maneira, vou começar a me tocar aqui mesmo e vou voltar pra casa só mais tarde!" - Disse rapidamente após sua fala o que o fez dar uma gargalhada gostosa, me excitando ainda mais.

"Ah! Seimei, Seimei. Hahaha, ok, ok, já abri seu armário, peguei o chicote, as algemas, o que mais mesmo?"

Ah, querido Luhan, não sabe o quanto me excita ouvir-te falar o nome desses objetos tão obscenos.

Já estava no corredor da empresa que me leva à uma das recepções, onde tem um elevador, aperto o botão falando com Luhan.

"Tente se lembrar amor, adoro quando fala o nome desses objetos pra eu escutar... Vamos Luhan, fale!"

"U-um anel peniano e... Dois prendedores... A-ahn"

Conseguia ouvir sua respiração pesada. Pelo tom de voz, por ela estar rouca e pelo leve gemido, deduzi que Luhan começou a se tocar sem minha permissão. Mas é claro que eu estava gostando, assim tenho mais motivos para puni-lo quando chegar em casa. A porta do elevador abriu, entrei, me encostei em uma barra de ferro e apertei o botão para o subsolo, onde fica o estacionamento.

"Querido, admita que já tinha achado e perguntou de novo pra mim para se fazer de desentendido" - A essa altura, eu já me tocava junto de Luhan, mordi os lábios e soltei um gemido, ele escutou e falou pra mim:

"Omooo, eu gosto de ouvir sua voz, me faz sentir como um submisso..." - 'Ah, querido! É exatamente isso que você é', e foi isso que eu pensei - "Ah, oppa, sabe o que eu estou fazendo?"

"Não meu amor, me conte!" - Apertei meu pau mais forte por cima da calça deixando a pasta preta cair no chão do elevador, deixando minha mão livre para apertar mais livremente e com mais facilidade.

"... E-eu estou tirando meu membro de dentro da calça e... Aaaah, Seimei-kun!! Minha cabecinha está tão inchadinha e vermelhinha por sua causa!" - Eu não aguento ele dizendo essas coisas, acabei soltando um gemido mais rouco e ele continuou - "... Isso é sua c-culpa... Oh, fuck! Daddyyyyyy" - Ouvi-lo gemer é um dos melhores sons do mundo pra mim, ele disse de uma maneira tão manhosa que eu murmurei um "Hmm?" e ele continuou - "I need your attention" - Não consegui responder, olhei para a porta do elevador que havia sido aberta, olhei para o meu menino que estava grande, doendo, implorando por atenção e suspirei, como não tinha mais ninguém na empresa, peguei minha pasta preta no chão e fui até a porta, a abri, saí de lá e tranquei, as luzes ficam acesas mesmo, então fui me direcionando ao estacionamento, onde apenas o meu carro se encontrava, no caminho continuei "conversando" com Luhan:

"Querido, preste atenção! Eu quero que pare de se tocar agora!" - Abri a porta do carro, me sentei e deixei minha pasta no banco do carona.

"Ah! Seimei-kun, eu não consigo ma-ais!"

"Luhan, já chega!" - Disse pegando fortemente no volante e autoritário para Luhan, ele choramingou. Fechei a porta e liguei o carro.

"BabyBoy?"

"Sim?!"

"Eu vou desligar pra poder dirigir. Mas antes, quero que faça outra coisa!"

"Diga, daddy!"

"Quero que deixe todos os objetos que encontrou ao seu lado esquerdo na cama e quero que tire a roupa toda! Entendeu? TODA!" - Ele murmurou um "Hurum" e eu continuei - "Prenda seus pulsos com as algemas na cabeceira da cama, deitado de bruços e me espere com as pernas abertas, entendeu?"

"S-sim, Seimei!" 

"Ótimo! Até já babyboy, hahaha, deve estar faminto!"

"Faminto por você daddy, chegue logo e em segurança, ok?"

"Ok querido"

Ia desligar quando ele ainda me chama um pouco alto:

"Seimei!..."

"Sim meu amor?"

"Saranghae oppa!"

"Saranghae babyboy!"

- Ligação OFF -

E desliguei com um sorriso bobo em meus lábios. Hahaha, ah! Esse Luhan! Ele não tem noção do que faz comigo com simples palavras.

Comecei a dirigir para fora do estacionamento e agora estava em direção à minha casa, Luhan quase sempre dorme lá comigo. Abaixei o vidro do carro e senti o vento gelado em meu rosto, fechei os olhos e entrei em êxtase em pensamentos e no frio. Começo a lembrar de momentos felizes entre eu e Luhan, automaticamente sorrio com a cabeça apoiada sobre a mão esquerda, meu braço estava esticado e meu cotovelo apoiado no vidro recém aberto. 

Quero chegar logo, a única coisa que tenho em mente é Luhan.

Vou virando as esquinas e fico cada vez mais ansioso, minhas mãos suam, meus polegares batem repetidamente no volante e eu bufo ansiosamente. 

Ah, finalmente chego!! Minha rua. Minha casa. 

Meu Luhan... 

Ah, como eu o quero...

Como eu o desejo...

Eu sou tão sortudo...

Tão feliz!

Enfim meu prédio. Aperto o interfone e me deixam entrar, dou um 'boa noite' pras pessoas que se encontram na recepção, aperto a mão do faxineiro que me cumprimenta com um sorriso no rosto - Caramba! Até essas horas ele está trabalhando - e vou ao elevador. Aperto o botão do meu andar, pego meu celular e ligo para o primeiro número que aparece no histórico, ele precisa me atender. 

Cacei as chaves em meu bolso, acabo achando e coloco entre meu dedo médio.  Ele não me atendeu. Ando pelo corredor vazio e minha porta está lá. Abro-a com cuidado, engolindo em seco e vejo tudo escuro, colocando os pés pra dentro. Merda! Esqueci a porra da pasta no carro, preciso lembrar de pega-la amanhã.

Tiro o paletó, deixando-o no cabide do lado da porta onde tem algumas roupas minhas e de Luhan, rio baixo pela diferença de tamanho, tranco a porta, deixo as chaves lá mesmo e vou em direção ao meu quarto. Subo as escadas, ando o corredor e vejo a porta do quarto encostada, a empurro e tenho a visão do paraíso em forma de pessoa...

Meu Luhan...

Ah! Tão submisso...

Tão frágil...

Tão... Lindo...

"Ah, querido! Eu vou te fazer tão meu essa noite que amanhã você não irá conseguir sentar direito!"

Digo me aproximando de seu pequeno, branquinho, magro e lindo corpinho...


Notas Finais


Espero que tenham aproveitado a leitura!
É meu "primeiro" yaoi, elevem por favor.
Obrigada pra quem leu ❤
Tchau! 👏😆


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...