História Você me mantém viva! - Capítulo 15


Escrita por: ~

Postado
Categorias Amor Doce
Personagens Agatha, Alexy, Ambre, Armin, Bia, Boris, Castiel, Charli, Charlotte, Dajan, Dakota, Debrah, Dimitry, Giles, Iris, Kentin, Kim, Leigh, Li, Lynn, Lysandre, Melody, Nathaniel, Nina, Peggy, Personagens Originais, Priya, Professor Faraize, Professora Delanay, Rosalya, Viktor Chavalier, Violette
Visualizações 19
Palavras 1.285
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Bishoujo, Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Fantasia, Ficção, Ficção Adolescente, Ficção Científica, Harem, Hentai, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Estupro, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Transsexualidade, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 15 - Inferno


Fanfic / Fanfiction Você me mantém viva! - Capítulo 15 - Inferno

[Dois dias depois]

Que saco esses ultimos dias.. Todos definitivamente me odeiam...Castiel principalmente! Ele não aparece nas aulas e quando o vejo esta fumando..

Bem..a Debrah continua enganando a todos... ainda vou desmascarar ela.

Nathaniel tambem sumiu...estou preocupada com ele.

Faraize: Marceline?

Marceline: ah oi? Desculpa...estou distraída...

Faraize: entendo..

Todos da sala me olham com raiva e vejo Rosa sorrindo.

Marceline: posso sair da sala por um tempinho? Estou...um pouco cansada de todas as maneiras.

Faraize: claro. Não esqueça do trabalho!

Marceline: eu farei..agradeço..

Saio da sala e ando pelos corredores e vejo Nathaniel. Pulo em cima dele o derrubando no chão e ficando em cima dele. Ele me olha assustado e eu sorrio.

Marceline: você voltou!

Nathaniel: o-oi..q-que surpresa.

Marceline: te machuquei?

Nathaniel:não haha..foi uma surpresa..

Marceline: porque sumiu??

Nathaniel: ser demônio requer muito de mim...ainda mais em casa..

Marceline: entendo..esta bem?

Nathaniel: digamos que sim..

Marceline: vem! Estou feliz que voltou!

Eu me levanto e pego a mão dele e me deparo com Castiel. Ele nos olha e logo se irrita.

Marceline: vem Nath.

Eu puxo a mão dele e passamos por Castiel.

Nathaniel: esta bem?

Marceline: claro que estou! É apenas um idiota que fez parte da minha vida. Vem!

Eu puxo para a sala e entro.

Marceline: olha quem eu acheei!

Faraize: Nathaniel! Que prazer em revê-lo.

Marceline: vem Nath.

Nath: obrigado Professor.

Eu o puxo para meu lugar e nos sentamos juntos.

Faraize: Vamos retom-

Castiel entra na sala e vem até nós.

Castiel: vaza do meu lugar representante de merda.

Ele faz menção de pegar o braço do Nathaniel e eu lanço magia o colocando para trás.

Castiel: não se mete Rosalya.

Rosalya: n-não foi..eu..

Castiel me olha e eu fecho a cara.

Marceline: andei treinando magia..agora saia de perto dele.

Escuto trovões e o vento e a chuva invadem a sala pelas janelas.

Castiel: ha..entendi..você é horrível mesmo.

Marceline: não é nada do que esta pensando. Não sou a Debrah.

Castiel: não fale del-

Marceline: cala boca. Estou cansada de ver você sendo iludido por ela. Agora se afaste dele ou eu mato você.

Castiel: você nao consegue.

Eu me levanto ficando na frente dele e crio um tipo de magia esquartejante na mão.

Marceline: quer apostar? Eu disse que se machucasse meus amigos ou qualquer um dessa escola..eu mataria você.

A chuva, vento e trovões se intensificam. Ele se afasta e sai da sala. Eu desfaço a magia, fico tonta e caio no chão.

Nath: Marceline.

Ele vem ate mim e me põe sentada na cadeira..

Marceline: haha..controlar o tempo e usar magia cansa..

Eu acabo cuspindo sangue.

Faraize: acalme-se..

Me levanto cambaleando, pego minha guitarra e saio da sala. Merda... ando ate a outra sala que esta vazia e me sento na mesa do professor. Pego a guitarra e começo a tocar.

Marceline:

Havia lugares onde nós íamos, a meia noite

Havia segredos que ninguém mais saberia

Há uma razão mas

Eu não sei porquê

Eu não sei porquê

Eu não sei porquê

Eu achei que tudo pertencia a mim

Quem é essa menina?

De onde ela veio?

Não, ela não pode ser a tal

Que você quer

A que roubou o meu mundo

Não é real

Não é certo

É o meu dia

É a minha noite

A propósito, quem é essa menina?

Vivendo minha vida

Oh, não

Vivendo minha vida

Parece que tudo é o mesmo por aqui

Quando eu olho de novo e tudo mudou

Eu não estou sonhando então

Eu não sei o porque

Eu não sei o porque

Eu não sei o porque

Ela está em todos os lugares que eu quero estar

Quem é essa menina?

De onde ela veio?

Não, ela não pode ser a tal

Que você quer

A que roubou o meu mundo

Não é real

Não é certo

É o meu dia

É a minha noite

A propósito, quem é essa menina?

Vivendo minha vida

Eu sou a

Que fez você rir

Que fez você sentir

Eu te deixei triste

Não estou arrependida

Pelo que nós fizemos

Quem nós éramos

Não estou arrependida

Não estou magoada

Quem é essa menina?

De onde ela veio?

Não, ela não pode ser a tal

Que você quer

A que roubou o meu mundo

Não é real

Não é certo

É o meu dia

É a minha noite

A propósito, quem é essa menina?

Vivendo minha vida

Oh, não

Vivendo a minha vida..

Me viro no susto..tinha alguem ali..? Saio da sala e ando pelos corredores pensando em tudo que vem acontecendo.

Marceline: Quem é essa menina?

De onde ela veio?

Não, ela não pode ser a tal

Que você quer

Começo a assobiar a melodia da música subindo as escadas para o terraço.

Marceline:

A que roubou o meu mundo

Não é real

Não é certo

É o meu dia

É a minha noite

Chego no terraço e olho para o céu

Marceline:A propósito, quem é essa menina?

Vivendo minha vida

Oh, não

Vivendo a minha vida..

Me sento perto das grades e continuo olhando o céu nublado.

Marceline: Castiel..porque?

Tiro um pacote de cigarros do bolso da blusa e começo a fumar. Me levanto e vou andando devagar pelo terraço. Escuto um choro e me aproximo escondido.. vejo Castiel de cabeça baixa chorando e Debrah sorrindo sem ele perceber. Eu ando na frente deles e o sorriso dela aumenta.

Marceline: a propósito...quem é essa garota..vivendo minha vida..

Eu continuo andando sem olhar para trás e desço as escadas assoviando a musica.

Marceline: Quem é essa menina? De onde ela veio?..Não, ela não pode ser a tal..Que você quer.. A que roubou o meu mundo...

???: bela musica..

Me viro e vejo Nathaniel.

Marceline: obrigada.. terminei ela ontem a noite.

Nathaniel: quer tomar um café?

Marceline: adoraria!

Saimos juntos da escola e fomos a cafeteria. Me sentei e a garçonete vem ate nós.

Marceline: ola! Eu quero um chocolate quente e uma fatia de bolo de chocolate.

Garçonete: e o senhor?

Nathaniel: um suco de laranja e um mousse de limão.

Ela sai.

Marceline: droga...esqueci que preciso colocar sangue na comida...

Nathaniel: ah..me esqueci desse detalhe tambem.

Tiro do meu bolso a caixa de cigarros e uma seringa. A enfio no braço sem ninguem perceber e tiro o sangue.

Nathaniel: cigarros?

Marceline: eu..tenho a mania de fumar as vezes..quando me aborreço principalmente..

Nathaniel: vocês são tão parecidos..

Marceline: quem?

Nathaniel: Castiel.. haha..ele começou a fumar dois anos atrás, ele roubava a chave do porão para fumar..

Marceline: eu...o vi chorando..

Nathaniel: c-como?? Conheço ele ha anos...e nunca o vi chorar..e olha que ja...ja fomos bons amigos..

Marceline: dessa eu não sabia... porque se separaram?

Nathaniel: por causa daquela...daquela galinha da Debrah.

Marceline: o que mais aquela vadia fez?!

Nathaniel: quando os dois namoravam.. Castiel estava totalmente apaixonado, ela foi o primeiro amor do Castiel... e como ela é uma galinha..tentou dar em cima de mim, ele viu.. e deixou de ser meu amigo..

Marceline: mas que- nao tem nem palavras..

Nathaniel: eu entendo.. Castiel nunca acreditou em ninguem alem dela...

Pego o bolo e coloco o sangue na nossa comida.

Marceline: mas então...como foi que pararam de se falar?

Nathaniel: bem, a Debrah so queria usar o Castiel por ser um otimo guitarrista..mas ai o Castiel conheceu o Lysandre. Quis começar uma carreira com ele por ele cantar bem, e fizeram uma banda juntos e Castiel deu mais atenção para a banda.. e ela foi embora.

Marceline: aah..então o Castiel pensa que foi culpa dele..

Nathaniel: exato. Ai nossa seu sangue é uma delicia..

Marceline: ha..ela..que droga.. e agora?

Nathaniel: vivemos..deixe-os. Apenas...seguimos em frente, ele não vai acreditar em nada..

Marceline: eu sei..

Pego meu celular e vejo a hora.

Marceline: melhor irmos...a segunda aula de história...

Nathaniel: o tempo passou rapido...vamos.

Saimos da lanchonete e entramos juntos na escola e eu começo a assobiar a musica.

Marceline: oh não...vivendo minha vida..

Castiel passa de cabeça baixa indo para a quadra sozinho. Eu paro e fico o olhando entrar la.

Nathaniel: vá atras dele...se quiser..eu..falo para o professor que você esta mal.

Marceline: obrigada!

Eu saio andando para a quadra e vejo castiel encostado na parede. Me aproximo devagar.

Marceline: porque estava chorando no terraço? E porque aquela..garota..estava sorrindo?

Ele continua de costas e respira fundo.

Castiel: qual o nome da musica que compôs?

Marceline: Quem é Essa garota..ou Who's that girl..

Castiel: a fez pensando...em mim?

Eu o abraço por tras.

Marceline: tudo o que faço é pensando em você.

Eu começo a chorar e tento me afastar mas Castiel segura minha mão.

Castiel: espera..fica mais um pouco..

Eu o abraço novamente e ele aperta minha mão contra seu peito. Ficamos assim e em silêncio.

[...]



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...