1. Spirit Fanfics >
  2. Você me Mostrou o Amanhecer (namgi) >
  3. Chuva

História Você me Mostrou o Amanhecer (namgi) - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


No qual o vizinho de Namjoon é meio estranho.

Capítulo 1 - Chuva


Fanfic / Fanfiction Você me Mostrou o Amanhecer (namgi) - Capítulo 1 - Chuva

Quartas feiras sempre eram os dias menos movimentados.

Namjoon não sabia necessariamente por quê. Talvez fosse porque todos os bruxos empregados estavam ocupados demais para visitar loja de poções- ou talvez fosse só coincidência. 

O fato era, quartas feiras eram dolorosamente entediosas. 

O humano pisou com força no chão espelhado da loja- ele parecia ser um lago, uma cachoeira pequena perto do balcão inundando completamente o chão do lugar pequeno, mas a água era rasa e nunca chegava a molhar ninguém. Ver sua calça completamente seca após receber alguns respingos de água nunca não era fascinante. 

Ele olhou para cima, assistindo as plantas no teto se encolheram e evitarem interagir uma com as outras. Já que Taehyung e Jimin haviam saído, as plantas pendentes da loja estavam meio desanimadas. Namjoon esticou o braço esquerdo, gentilmente tocando Areum, uma Dedo de Moça que normalmente era extrovertida. Tímida, ela se encolheu. 

Choon-hee, uma Brinco de Princesa extremamente gentil, se curvou nos seus ombros e o deu uma espécie de abraço; Não muito tempo depois, uma das petúnias, Eun-jung, se juntou, acompanhada pelas outras. 

Sorrindo, ele ajustou seu boné. Quando se sentou na cadeira de madeira do balcão, elas o seguiram, se esticando para abraçar seu peito e barriga, também. 

Eun-jung começou a brincar com o colar de proteção no peito de Namjoon, um presente de Taehyung e Jimin.

"Cuidado para não o quebrar," Murmurou, rindo levemente quando ela se distanciou, apologética. 

Deixando as plantas se arrastarem pelo seu torso, Namjoon brincou com seu colar enquanto encarava a porta, deixando seu cérebro viajar um pouco. 

"Feliz aniversário!!" Os dois bruxos comemoraram enquanto batiam palmas assim que Namjoon soprou as velas, fazendo ele sorrir com os dentes.

"5 anos mais perto dos 30, hm?" Jimin provocou, um sorriso levado no seu rosto.

"Ah, o Namjoonie-hyung está ficando tão velho," Taehyung continuou, desviando quando o mais velho tentou o dar um soco no ombro.

Namjoon olhou para o bolo pequeno no seu colo. Era redondo e de morango, o seu favorito. Sem perceber, seu sorriso ficou mais suave pelas bordas. 

Jimin e Taehyung se sentaram no sofá velho do mais velho, ficando um ao lado do outro até (inevitavelmente) invadirem seus espaços pessoais. 

De onde estava sentado no colo de seu namorado, Jimin suspirou. "Você não acha que esse é o seu presente, né?"

O humano virou o olhar para eles, surpreso. "Não é?"

Taehyung revirou os olhos, mas seu sorriso nunca saiu de seu rosto. "Claro que não! Ah, sério..."

Ele estalou os dedos e uma pequena caixa preta apareceu na sua mão esquerda; Namjoon revirou os olhos.

"Exibido."

Jimin riu. "Venha cá," Convidou, mudando um pouco sua posição no colo do outro bruxo para que estivesse sentado só em uma perna. 

"Eu não vou sentar aí," O outro retrucou, se sentando ao lado dos dois em vez disso. Os bruxos riram. 

Taehyung lhe deu a pequena caixa. "Abra," Sugeriu, colocando a cabeça no seu ombro. 

Namjoon pegou a caixinha, se perguntando o que eles haviam o dado. "é um anel? Pulseira? Colar?"

"Abre logo!" Jimin riu, dando um tapa no seu peito. Namjoon fez um barulho de protesto, mas obedeceu.

Ele abriu a caixa com cuidado, temendo que ia a quebrar (Deus sabe que ele tinha experiência demais com isso).

"Oh," Murmurou, surpreso. 

Assim como um de seus chutes, era um colar. Na sua ponta, haviam duas mechas grossas de cabelo: Uma rosa e azul. 

"O quê..." Sussurrou, confuso. 

Jimin sorriu. "É um colar de proteção," Explicou, gentil. 

"A gente colocou um monte de feitiços nele," Taehyung riu timidamente enquanto enterrava o rosto no ombro de Namjoon. "Talvez até demais. Eu tive certeza que o colar ia romper, por um tempo."

"Ah, sério," Namjoon resmungou, envergonhado. "Isso é..."

"É o que você merece," Jimin interrompeu, sua expressão tão quente quanto seu cabelo rosa alaranjado. "Fique quieto e aceite." 

Namjoon sorriu, grande e extrovertido.

"Venham cá," Convidou, abrindo os braços para os dois. O abraço que recebeu em troca quase o deixou sem ar.

Corando, ele soltou o colar e suspirou novamente. Era um colar muito bonito. A mecha de cabelo azul de Tae era um belo contraste à rosa de Jimin- ele sentia nada além de gratidão. 

Enquanto ele viajava, a porta da loja se abriu, fazendo ele pular levemente.

"Bem-Vindo à Inner Child," Namjoon sorriu assim que viu um homem baixo passando pela porta, se levantando e gentilmente afastando as plantas que ainda estavam se apoiando nos seus ombros.

O bruxo parou, o encarando. "Oh," Murmurou, surpreso. "Oh, hum, olá. O Tae não está?" 

"Não, ele teve que resolver algumas coisas. Eu duvido que ele vá demorar, mas eu poderia te atender agora, se quiser. Meu nome é Namjoon."

De onde estava pendurada perto da porta, uma Cacto Macarrão tentou encostar no cotovelo do bruxo, intrigada.

"Chin-sun," Namjoon repreendeu, fazendo ela pular e se encolher (não antes de tentar o tocar novamente, fazendo homem estreitar os olhos).

"Ah, ok," O bruxo murmurou, incerto. Ele mexeu com seus cabelos pretos e bagunçados e andou até o balcão, o chão fazendo um som molhado a cada passo que ele dava.

Seu Reflexo era claro, com alguns rosas, azuis e brancos. Com cores tão claras, ele provavelmente era tímido. Desviando o olhar do Reflexo, ele olhou nos olhos do homem o deu um sorriso, daqueles que mostravam suas covinhas. Ele pareceu relaxar um pouco.

"É que, uh, um amigo meu está tendo problemas com um Parasita." Ele mexeu com a manga de sua blusa larga branca, preferindo não fazer contato visual. 

"Você sabe qual, especificamente?"    O humano saiu de trás do balcão, indo para as prateleiras que ficavam no fundo da pequena loja. 

"Melancolia."

Namjoon o deu um olhar simpatético. "Ah, eu tenho várias poções que possam te ajudar. Talvez Exuberância? Veemência? Quanto tempo faz que ele mostra sintomas?"

Quando o bruxo foi embora, os únicos barulhos que ficaram na loja eram a água escorrendo da cachoeira e a respiração do humano. Suspirando, ele apoiou sua cabeça na parede de madeira atrás do balcão e deixou as plantas o cutucarem gentilmente.

Ele fechou os olhos. A porta abriu. 

"Voltei!" Taehyung cumprimentou, fazendo Namjoon virar seu olhar para ele. "Desculpe a demora. Foi difícil viver sem mim?"

"Estava à beira da morte," Namjoon lamentou, sentindo seu rosto imitar o sorriso do mais novo. 

Ele olhou para o chão espelhado. A sombra do bruxo era a mesma de sempre; muitos vermelhos, azuis e umas dicas de cinza- mas no momento, elas pareciam um pouco mudas, como se seu brilho estivesse cansado demais para se mostrar. Namjoon olhou para Taehyung e ergueu as sobrancelhas- ele entendeu. 

"Só tem sido um dia cansativo," Lamentou, se espreguiçando exageradamente. "Jimin anda ocupado demais com suas aulas e ficar longe do amor da sua vida é difícil," Namjoon riu, fazendo Taehyung sorrir. "Além disso, a barreira da loja anda falhando... Um humano quase entrou aqui antes de ontem. Eu tô me organizando pra reforçar ela."

Namjoon fez uma careta, resmungando um "ahhhh" em simpatia. Reforçar a barreira da loja sempre era difícil para Taehyung, especialmente considerando que ele deveria achar um momento com menos humanos perto para poder fazer a parte externa. 

Bem, para a sorte deles, quartas feiras sempre eram menos movimentadas. 

��

Namjoon não era um fã do prédio onde morava.

Isso tinha vários motivos- muitos moradores, muito barulho, muita sujeira, muito tudo; incluindo escadas. 

Eles tinham um elevador, um tempo atrás. Mas ele ficou fora de serviço de um dia para outro e nunca mais voltou a funcionar. O que significava que Namjoon era obrigado a subir 5 andares de escadas e- bem, ele não era a pessoa mais atlética do mundo. 

O que o levou a dar uma parada no terceiro andar para descansar as pernas. 

...O que o levou a ver aquele cara.

Ele não era estranho, necessariamente. Na verdade, sua aparência era bem normal. Bem bonita. 

Ele já havia esbarrado com ele em outras ocasiões, então não estava com a guarda tão baixa quanto nos seus outros encontros. Ainda assim, o olhar do homem sempre o pegava um pouco de surpresa. 

Ele não era necessariamente baixo, talvez da mesma altura que Jimin. Seu cabelo era ruivo (que, aliás, ficava muito bom nele; Kudos para que teve a ideia) e seu rosto parecia sempre estar um pouco corado. Ele usava roupas escuras e claramente largas demais pro seu corpo- se fosse para Namjoon ser sincero, ele parecia um gato; principalmente em questão dos olhos. 

Olhos, aliás, que estavam encarando Namjoon até o fundo de sua alma. Ele se arrepiou. Será que ele devia falar algo? Seria falta de educação se ele ficasse quieto. Mas o homem não estava falando nada, também, então talvez fosse melhor não falar nada. Ele só ia-

"Oh, hum. Bom dia?" Merda.

O ruivo piscou algumas vezes, desviou o olhar. "São seis da tarde," resmungou, e entrou em seu apartamento. 

Oh, bem, esse foi... um fim pra uma conversa, Namjoon supôs. 

��

"Bom dia," Jimin cumprimentou assim que o humano entrou na loja, se virando de onde estava sendo abraçado por diversas plantas. "Dormiu bem? Ou minha poção não funcionou?" Ele virou o olhar para seu Reflexo, franzindo a testa ao perceber que suas cores estavam desanimadas como sempre. 

"Eu dormi um pouco, sim. Acho que vai ter efeito atrasado," Namjoon consolou, acariciando Chin-sun de onde estava na porta. 

As cores do Reflexo de Namjoon pareciam um dia chuvoso: Vários verdes, marrons e cinzas. Namjoon achava que era deprimente, mas Jimin disse que era calmante. Ele acreditava nele. 

De onde estava sentado em cima do balcão, Jimin o deu um sorriso aberto. "Sente aqui," convidou, batendo levemente o espaço ao seu lado. Namjoon se espreguiçou, grunhiu- se juntou a ele.

Assim que ele se sentou, Jimin colocou a cabeça no seu ombro e algumas das plantas o abraçaram, também. O mais alto suspirou, sorrindo quando viu que enquanto seus pés tocavam o chão, os do bruxo estavam pendurados. 

Agora que o bruxo estava na loja, ela ficou mais animada- a água da cachoeira corria com mais força, as plantas se arrastavam e brincavam uma com as outras, os livros de feitiçaria escondidos em um canto da loja se mexiam e voavam pelo lugar. 

O que anda fazendo?" O mais novo perguntou, balançando as pernas de maneira infantil. 

"Ah, nada de mais..." Namjoon murmurou, pegando um dos livros que voou perto do seu rosto. O livro se contorceu por uns segundos, mas acabou desistindo. Namjoon riu. 

"Oh? Você não escreve mais?" Jimin tirou a cabeça de seu ombro e o encarou, surpreso. O outro homem deu de ombros. 

"Perdi a inspiração." Murmurou, folheando o livro grosso (era sobre a história da Magia Negra, ele aprendeu) e o soltando no ar, assistindo quando ele quase caiu e voou para o outro lado da loja, animado. 

"Ah," O bruxo suspirou, empatético. "Que horrível."

"É," Namjoon murmurou, colocando um braço em volta dos ombros do outro. "Mas não se preocupe com isso. Vai passar."

E os dois ficaram em silêncio por um momento, apreciando o som da água escorrendo e as páginas dos livros batendo uma contra a outra enquanto eles flutuavam.

"A loja anda muito movimentada?" Jimin sussurrou, brincando com as folhas de Chon-hee.

Namjoon suspirou, fazendo carinho no cabelo rosa vibrante do mais novo. "Não se preocupe com isso, Minnie-ah."

Jimin deu um pequeno "huff", franzindo a testa. "O Taehyungie trabalha demais."

"E é por isso que ele ama a loja," Namjoon riu, apertando Jimin de um modo brincalhão.

Jimin riu também, mas de um jeito menos animado. 

"Você não precisa se preocupar com isso, hm? Você tem o seu próprio trabalho que você ama; Eu e o Taehyung damos conta da loja."

"Eu acho..."

Ele deu uma olhada no chão. A sombra de Jimin estava levemente diferente- ela sempre estava repleta de rosas, azuis e amarelos, mas hoje tinha um pingo de preto, ali.

"Aconteceu algo?" Perguntou. Jimin desviou o olhar, seu cabelo escondendo parte do seu olho estreito.

"Não," Murmurou. Então, "Bem, sim- é só que algumas Sementes foram plantadas aqui no distrito, e eu dei de cara com algumas."

"Jimin..." O humano começou, preocupado. 

"Não, não, eu sei. Eu não fui atrás delas, elas que me atacaram, hyung." O mais novo o encarou, parecendo determinador. 

O humano sorriu e acariciou sua cabeça. "Eu sei, Jimin. Desculpe por ter desconfiado."

O bruxo o deu um sorriso, daqueles que fechavam seus olhos e coravam suas bochechas. 

"Mas tome cuidado hoje, hyung. Mesmo que você tenha o colar, pode ser que alguma Semente fique ousada."

"Sim senhor," Namjoon sorriu e bagunçou o cabelo dele, fazendo o bruxo protestar. "Então, vai ficar aqui por quanto tempo, mais ou menos?"

"Uns..." Olhou para o relógio de madeira que estava pendurado perto do balcão, "...10 minutos. Eu tenho aula às 8:40." Suspirou.

"Ainda não sei como você tem energia para ensinar crianças nesse horário." O corpo inteiro de Namjoon se contorceu só com o pensamento. 

"Você só diz isso porque tem a capacidade social de uma prateleira, idiota." Jimin o socou no ombro, rindo.

O mais velho fez um barulho dramático, fazendo o outro rir mais ainda.

Jimin ficou pelos 10 minutos prometidos, até se levantar e ir embora- isso não antes de tentar fazer Namjoon ser seu correio mais uma vez. 

("Dá um beijo no Tae pra mim, hyung," o que foi respondido com "Mantenham suas coisas de namoro pra vocês mesmos, já nem cabe mais velas na minha mão").

��

Quintas eram infinitamente mais movimentadas do que quartas, o que fez com que Namjoon só conseguisse sair da loja às 6:45. Ele não era necessariamente um extrovertido, então dias mais movimentados sempre o deixavam um pouco mais cansado. Mesmo assim, ele conseguiu ver uns amigos que não tinha visto nos dias anteriores, então não se arrependia de modo algum.

Quando ele foi para a rua, já estava escuro, mas como seu distrito era seguro e o apartamento era perto da loja, ele não se preocupou muito. 

Ele colocou seus fones, abriu um aplicativo e colocou uma música de GOT7 antes de começar a caminhar. Ele ficou tão focado nas vozes dos membros e nos seus pés se arrastando pelo asfalto que quase não percebeu quando um estrondo soou perto dele . Alarmado, ele virou sua cabeça para cima, procurando algo de estranho perto dele; Achou apenas latas de lixo e árvores mal iluminadas pelos postes. 

Talvez seja um problema no fone?  Namjoon rapidamente os tirou para checar se era isso ou algo externo. Ele não ouviu nada, até- 

"Me deixa em paz," Uma voz reclamou, claramente exasperada. "Eu já falei que não te devo nada. Eu nem sequer te conheço. " 

"Cala boca, caralho! Se alguém aparecer aqui eu arranco a porra da sua língua fo-" Uma outra voz rosnou, fazendo Namjoon pular com sua hostilidade. Ele começou a andar mais rápido, tentando achar de onde as vozes vinham. 

"Eu já te falei que não sou um bruxo. Eu não sei o que Love Core é, eu não tenho nada a ver com seja lá o que você inventou na porra da tua cabeç-"

Houve um som suspeitosamente parecido com um soco e Namjoon andou ainda mais rápido. Quando chegou perto o suficiente do beco que pensava que era onde estavam as vozes, conseguiu ver a silhueta de um homem puxando um mais baixo contra a parede de tijolos. Um deles parecia familiar, mas ele não tinha tempo para pensar muito sobre isso. 

"Ei, ei. Solta ele, cara." Namjoon exclamou, olhando entre os dois enquanto entrava no beco. De onde ele conhecia aquele homem?

O agressor virou o olhar para ele, fazendo o homem se dar conta do que se tratava. 

Era uma Semente. 

Seus olhos brancos e corpo feito de sombras deixavam isso claro. Seu coração acelerou.

A Semente o encarou nos olhos, levantando sua mão livre de modo ameaçador. Namjoon quase recuou. 

"Fica longe disso, humano. Isso é entre eu e esse vagabundo, aqui," A Semente apertou o mais baixo contra a parede, dando ênfase ao seu ponto. 

Namjoon engoliu um seco, virando olhar para o homem que estava sendo atacado. "Ei, você tá be-"

Os dois fizeram contato visual.

Oh.

Era o homem ruivo do seu prédio. 

Ele o encarou, rosto neutro como sempre. "Parece que eu tô bem?" Perguntou, sarcástico. Seu nariz e boca estavam sangrando. 

Namjoon respirou fundo e olhou para a Semente novamente, furioso. "Deixa ele em paz, Semente. Ele é claramente um humano, também!" 

"E o que caralhos um humano como você saberia sobre isso, huh?!" Namjoon olhou para sua- oh, merda--

A semente jogou sua mão para frente, fazendo uma espécie de sombra voando rapidamente em direção do humano. Ele quase não teve tempo de se jogar na parede e desviar.

Era uma Semente fraca. Provavelmente tinha acabado de ser criada, ou veio de um ser humano- se ela fosse forte, seu ataque teria com certeza matado Namjoon. Ele deu um passo para frente. 

"Ele parece um bruxo, pra você?" Mais dois passos.

"Óbvio que sim, porra! Ele claramente tem um Love Core!" Ela lançou outra sombra, mas Namjoon desviou com facilidade, desta vez. 

A Semente rosnou, colocando mais atenção no humano- esquecendo de quem empurrava contra a parede. Aproveitando sua chance, o ruivo a chutou com força no estômago, fazendo-a cair pra trás. 

Era uma semente irracional e impulsiva; provavelmente sentiu mágica mínima vinda do ruivo e o atacou sem pensar. Sua natureza humana estava muito presente, ainda. Tomando sua decisão, o humano respirou de modo trêmulo e, determinado, se lançou em direção à criatura.

"Ei, ei!" A Semente exclamou, claramente pega de surpresa. O humano dobrou as pernas e, se dando apenas um segundo para entrar em pânico, se jogou em cima dela, grunhindo quando os dois caírem no chão. 

A Semente se contorceu, o dando um chute no estômago. Namjoon perdeu o ar e quase caiu.

Aproveitando sua chance, a Semente o empurrou e rolou para o lado, tentando se levantar- o humano a pegou pela nuca e lhe segurou em um mata leão. 

"Você é louco?! Humano de m- Argh!!" Assim que sentiu o impacto do contato, começou a se contorcer em dor.

Namjoon apertou o seu pescoço, fazendo-a se contorcer com ainda mais força. 

"Vaza," Namjoon ameaçou, aumentando seu aperto. Ele sabia que não podia matar a Semente, mas com certeza poderia intimidá-la. 

"Filho da p-"

"Vaza, caralho!" Ele a apertou com as pernas, fazendo ela gritar.

"Vá pro inferno," A Semente rosnou e se desintegrou no ar, deixando os dois humanos em silêncio. 

Ofegante, Namjoon caiu de costas no chão. Aquilo foi... Definitivamente impulsivo. Se Jimin ou Taehyung ficassem sabendo daquilo, iriam lhe matar. Se lembrando dos machucados do outro homem, ele se se virou em sua direção.

"Você- Você tá bem? Ela te socou bem forte."

"Por que- por que ele sumiu?" Ele estava completamente apoiado contra a parede, parecendo ainda estar processando. 

"Oh, hum. Eu tenho um colar de proteção," Ele levantou o colar com sua mão para dar ênfase. "Sementes têm aversão a Mágica Tradicional. Ela já era fraca, então foi só eu encostar nela que ela perd- espera, você deve não fazer a mínima ideia do que eu to falando." O homem não era um bruxo. Namjoon conseguia sentir pela sua aura- mas definitivamente tinha algo ali. 

"Não, eu conheço Sementes."

Mas não sabe o que é um Love Core.

"Você tá sangrando," Namjoon mudou de assunto, se levantando com um pouco de dificuldade. 

"Eu- eu tô bem."Se desapoiou da parede com um pouco de dificuldade. "Obrigado, de verdade. Hum. Agora que isso acabou, eu... Eu vou embora," Estava prestes a sair do beco quando Namjoon, sem pensar, fez um barulho de protesto.

O ruivo o deu um olhar confuso, fa zendo Namjoon corar. 

"Desculpe! Desculpe- só..." Ele fez um barulho incoerente, estressado. "Eu- meu nome é Kim Namjoon. A gente... A gente mora no mesmo prédio."

"Eu sei," O outro homem respondeu antes de ficar em silêncio. Então, "Min Yoongi."

Namjoon arregalou os olhos levemente, abrindo e fechando a boca que nem um peixe. Ele não esperava que ele realmente falasse o nome dele. "Oh, okay. Ótimo. Incrível. Supimpa. Haha."

Supimpa. Supimpa. 

Yoongi ergueu as sobrancelhas. Provavelmente vermelho que nem um tomate, Namjoon se perguntou se ele iria parecer um maluco se ele saísse correndo dali.

A resposta era sim, com certeza.

"Bem, hum," Yoongi limpou a garganta, constrangido. "Tchau?" Virou as costas para Namjoon novamente. Exasperado, ele o interrompeu de novo.

"Se você foi atacado por uma Semente agora, nada garante que outra não te ataque de novo."

Yoongi fez um grunhido, dando um passo para trás. "E?"

"Me deixa andar com você até o prédio, por favor, Min Yoongi-ssi? A gente mora no mesmo, então íamos nos esbarrar no caminho de qualquer jeito- e Sementes não vão chegar muito perto por causa do meu colar. Eu só- Não quero que você fique machucado de novo."

Yoongi suspirou, derrotado.

"Faça o que quiser," Resmungou, teimosamente evitando contato visual. Namjoon deu um suspiro de alívio.

"Ótimo, legal," Ele exclamou antes de virar para a saída e esperar Yoongi fazer o mesmo. Agora fora do beco escuro, Namjoon pôde ver seu rosto melhor. Como ele nunca tinha visto o rosto de Yoongi de perto, ele foi pego um pouco de surpresa.

Ignorando o sangue espalhado pelo seu nariz e boca, Yoongi era um homem bem, bem bonito- dos seus olhos afiados até seus lábios finos. O mais alto se deixou o encarar por um, dois, três segund- ah merda, isso era tempo demais? Saindo do seu estupor, ele focou na expressão de Yoongi; ele parecia o menos impressionado possível.

Definitivamente tempo demais. Namjoon sorriu, sem jeito. 

"Você tem kit pronto socorros, Min Yoongi-ssi?" Perguntou antes de começar a andar. O ruivo o acompanhou.

"Tenho," Resmungou. 

Talvez Namjoon estivesse o empurrando demais. Talvez ele devesse esperar até o outro homem começar um assunto por conta própria para não o deixar desconfortável.

Ele não puxou assunto nenhum durante a caminhada inteira.

��

Após perguntar vezes demais se Yoongi realmente ficaria bem sozinho e ser rejeitado no mesmo número de vezes, Namjoon se encontrou deitado em sua cama em seus pijamas baratos, como sempre com os pensamentos agitados demais para conseguir dormir.

Sementes odiavam Mágica Tradicional porque ela era feita de amor, e o Love Core era a pura personificação do amor de um bruxo. Ainda assim, aquela Semente atacou Yoongi, aparentemente atrás do seu. Ainda pior, Yoongi nem um bruxo era.

Ele se revirou, dando de cara com a parede branca de seu quarto. Se Yoongi tinha um Love Core, como ele não era um bruxo? Taehyung disse algo sobre isso, não disse?

Ele fechou os olhos, apenas para os arregalar em realização alguns segundos depois.

Yoongi tinha um Love Core corrompido.

��

 


Notas Finais


uauauau!!! Esse é a minha primeira fic pra fandom,, gostaram? Como eu to de quarentena e não tenho absolutamente nada para fazer, vou tentar atualizar toda semana por volta das sextas! Obg por ler ^^


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...