História Você me mudou - Capítulo 5


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Tags Drama, Romance, Violencia
Visualizações 8
Palavras 1.421
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Famí­lia, Literatura Feminina, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Estupro, Insinuação de sexo, Mutilação, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Chegueiii

Espero que gostem

Me desculpem qualquer erro ortográfico ou redundância desnecessária.

Boa leitura :3

Capítulo 5 - Confiar?


Fanfic / Fanfiction Você me mudou - Capítulo 5 - Confiar?

•Depois de um tempo, eu e Charlie fomos embora. Não trocamos nenhuma palavra dentro do carro. Eu olhava para um lado e ele para outro. Estava pensando nas palavras da Srta. Lancaster.•

*Flashback*

Srta. Lancaster: eu sei que você é a certa, consigo sentir...

*Flashback off*

aquilo martelava incessantemente em minha cabeça, eu não conseguia mais pensar nos meus planos, em mais nada, só naquelas palavras sinceras•

Charlie: Jennifer? Jennifer chegamos!

ele diz estralando os dedos na minha frente•

- Oi? Ah sim...

digo assim saindo do carro e indo em direção a casa. Entrei, tirei os sapatos e fui tomar um banho bem quente. Saindo do banho, percebi que estava sem roupas. Era minha chance de voltar para casa. Se eu voltasse tarde, meu tio estaria dormindo e não faria nada comigo.

Só queria deitar na minha cama, encostar a cabeça no travesseiro da mamãe, abraçar o Teddy, e ficar em paz•

-Charlie?

•ele resmunga um "sim"•

-Eu não tenho roupas, preciso ir na casa do meu tio para pegar.

•Charlie suspira pesado•

Charlie: faz assim, pega uma blusa minha hoje, amanhã você vai na casa do seu tio pegar suas roupas

•confirmo fracassada e confusa. Ele parecia cansado de insistir, me senti mal. Será que eu havia feito algo?

Fui em direção ao armário e peguei uma blusa preta.

-Pode ser essa?

ele olha, sorri e faz um sinal com a cabeça indicando permissão.

Sem entender o motivo da risada, entro no banheiro, visto minhas roupas íntimas juntamente com a blusa.

Droga! Entendi o motivo do riso dele. A blusa estava extremamente curta no meu corpo. Seria falta de respeito ir pedir outra e do mesmo jeito, ele me veria "pelada" quando eu fosse ir buscar.

Abro um pouco a porta deixando apenas uma brecha, olho e vejo que Charlie está entretido com o jogo no vídeo game. A abro por inteiro e saio correndo para cama assim, pulando na mesma. Ouvi risos de Charlie fazendo eu então bufar de vergonha.

Depois de um tempo, ele deita junto mim.•

Charlie: você quer cair da cama Jennifer?

talvez ele tenha perguntado pelo fato de eu estar a quase 1 kilomêtro de distância do mesmo•

-hãn?

Charlie: Por acaso está com medo de mim?

Sinceramente, eu estava. Graças ao meu tio, tenho um medo imenso dentro de mim, é sempre difícil dormir tranquila quando você não sabe se um homem nojento, entrará em seu quarto. •

Charlie: Jennifer por favor, eu sou um cavaleiro. Nunca faria algo sem seu querer.

sorrio sem perceber•

Charlie: Vem aqui, vem

ele diz me puxando pela blusa na intenção de ter mais contato comigo.

Quando fui contestar, Charlie fingiu um ronco para eu parar de falar•

- Idiota...

Eu não conseguia dormir. Não sabia o que estava acontecendo comigo. Um dos meus piores defeitos era me apegar muito rápido.

Mas ele era um mulherengo.

Por que será que eu estou pensando tanto nele?

Provavelmente, foi as palavras da mãe dele. Saber que ele não era um cafajeste, me deixou feliz.

Por que será que meu coração acelera quando vejo ele?

Por que será que eu estou mudando por ele?

Na última vez que senti algo assim, me machuquei. Estava com medo

Mas, deve ser só um sentimento estranho, tomara que seja

(...)

•ao contrário do dia anterior, eu acordei bem hoje. Meio estranho pois, eu sempre acordo meio mal.

Viro para o outro lado tendo a visão daquele homem, ele parecia um príncipe. Como ele conseguia ser tão maravilhoso? •

Charlie: Estou ficando constrangido!

•arregalo os olhos e corro para o banheiro. Depois de me arrumar devidamente,  isto é, colocar a calça jeans que  eu estava quando vim para cá, abro a porta encontrando o mesmo de bruços na cama.

Desço até a cozinha, despenso a coitada da serva que só sabia limpar. Mesmo sendo uma empregada, eu sempre tive dó delas(es). Começo a fazer o café, ligo o rádio e começa a tocar uma música bem empolgante.

Sem hesitação, começo a dançar enquanto mexia os ovos. Viro para colocar os mexidos no prato quando me deparo com o "encosto" •

- Yaah! Que susto Charlie!

Charlie: atrapalhei sua dança?

- você viu?

digo quase num sussurro•

Charlie: Cada passo e, Ah! Bom dia Jennifer!

•ele diz chegando mais perto do meu rosto, quando nossos lábios estavam quase encostados, ele pega a panela com os ovos.

Por que eu me assustei? Eu queria esse beijo? Ãn? •

- E-eu vou tomar um ar...

Charlie: Não vai comer?

- Estou sem apetite...

saio da cozinha e vou direto para o jardim. Sento na grama pensando em meus pais .

As vezes paro para pensar como seria se não tivesse acabado, como seria se não houvesse o acidente.

Chorar? Acho que o estoque de lágrimas dentro de mim já havia se esgotado. Já Chorei tanto que, poderia encher um rio e até, sobraria água para um continente. Ironia? Queria que fosse.

Ainda sinto orgulho. Orgulho de não ter remórcio algum. Éramos um família perfeita, conversávamos todas as noites, contávamos como eram nossos dias, cada simples detalhe.

Mesmo depois de descobrir que eles não eram meus pais biológicos, meu amor não mudou. "Meus pais" faziam parte de mim. Eles estariam para sempre em meu coração.•

*Flashback*

Mais um aniversário sem meus pais.

Estava na cama deles, sentindo o aroma do perfume da mamãe. Vendo minhas lágrimas molharem as orelhas do Teddy, o ursinho que papai me dera quando pequena

Cada fungava era uma lembrança, seus abraços, toques, sorrisos, eu estava gravando novamente na memória novamente•

*Alguém abre a porta*

×××: Jennifer ?

- Q-quem tá aqui?

×××: Você não deve me conhecer mas...

* Serva entra na porta*

Serva: D-desculpa senhorita mas, esse homem entrou sem minha permissão. Eu tentei impedir mas ...

- Tudo bem flor... Pode deixar!

Serva: Com licença...

•ela sai e eu sento na cama•

-Eu não estou bem como você pode ver... Então, seja breve por gentileza. Você deve ser alguém da empresa do papai, olha eu nã...

×××: Não, não... Eu vim tratar de um assusto muito mais importante do que isso...

• Fico preocupada•

- Então por favor, continue !

ele me olha e respira fundo•

×××: Meu nome é Augusto Kingsman e... Eu vim te falar que ... Ashley e Jacob não eram seus pais biológicos !

*Flashback off*

• Sou acordada dos pensamentos com Charlie sentando ao meu lado. Ficamos olhando o imenso jardim a frente, diferente dos silêncios de costume, aquele era bom.

Charlie: Sabe... Eu fiquei pensando ontem e quero te pedir desculpas...

•o olho surpresa•

- Ér... Oi?

Charlie: Quando recebi a notícia que iria ter que me casar, achei que só colocaria um círculo no dedo, e voltaria a minha vida badalada sabe...

• Estava o olhando, admirando cada detalhe de seu rosto que afinal, era lindo•

Charlie: Mas, você é diferente. Suas palavras me encantam, sua ousadia, sua timidez, seu jeito de ser, tudo isso me deixa louco. Não sei como mas, foi a única que me fez começar a pensar em ter um compromisso de verdade.

No jantar, não conseguia parar de te olhar, o jeito que se porta, você me enlouquece...

• Eu não sabia o que dizer .

Será verdade? Ou Charlie só estava brincando comigo?•

- Não brinque com meus sentimentos... Está falando sério?

•Ele me olhava admirado.•

- Nunca falei algo tão sério em toda minha vida...

•Sua íris estava vidrada em meus lábios.

Ele estava muito perto, mas eu tinha certeza era impossível de ele ter a audácia de me beijar.

Me enganei. Ele teve sim.

Mas era tão delicioso.

Sua mão massageava minha bochecha carinhosamente durante o ato.

Ao decorrer daquele beijo, pude imaginar como seria se eu estivesse ao lado de Charlie, como seria se o amor entre nós fosse um sentimento recíproco.

Eu acho que eu seria feliz.

Diferente do nosso "primeiro beijo", esse estava cheio de desejo, carinho, amor, carência, luxúria, pureza. Uma mistura de sentimentos que, nunca pensei que seria possível sentir.

Separamos o beijo, ele me olhava tão intensamente. Não pude deixar de sorrir •

Charlie: Sei que não gosta de mim, mas eu poderia ao menos tentar te mostrar que não sou o que pensa, eu sou diferente. Você me deixa tão confuso, e o pior é que não sei se isso é ruim ou bom .

Ele encosta sua testa na minha e fala quase num sussurro •

Charlie:... E-eu acho que poderia mudar, t-tentar... E-eu só...ashi...

Por que ele estava gaguejando?

Por que meu coração estava bombeando tão fortemente?•

Charlie: Eu só gostaria de saber se tem uma, mesmo se for pequena, possibilidade de existir um "nós"...

• Uma pergunta difícil.

Será que eu poderia mudar meus sonhos só para sonhar com ele?

Será que eu desistiria de tudo só para ganhar um sorriso dele?

Será que eu seria feliz?

Eu imaginava o impossível.

Distinguia o possível.

Eu me apegaria fortemente.

Poderia me machucar.

Mas por um amor verdadeiro, um sentimento recíproco, por um coração...

Por ele, esses esforços, valeriam a pena.

Sorrio colocando minha mão em seu rosto assim, o acariciando.•

- Sim Charlie. Com certeza tem...


Notas Finais


Chorei fazendo esse capítulo.

Espero mesmo que gostem, obrigada!

Beijos nuttelosos, bebês! :3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...