História You Belong To Me - Capítulo 53


Escrita por: ~

Postado
Categorias Kuroshitsuji
Personagens Claude Faustus, Hannah Annafellows, Mey-Rin, Personagens Originais, Príncipe Soma Asman Kadar, Sebastian Michaelis, Sr. Tanaka, Undertaker
Visualizações 23
Palavras 2.692
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Fantasia, Festa, Hentai, Mistério, Romance e Novela, Sobrenatural, Terror e Horror
Avisos: Álcool, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 53 - Capítulo 53


Fanfic / Fanfiction You Belong To Me - Capítulo 53 - Capítulo 53

Ele me guia pela mão me puxando para dentro,tira de dentro do bolso da calça uma chave grande que parecia estar enferrujada.A rodeia na fechadura e abre a porta,me conduzindo para dentro. De repente,as velas dos  castiçais  se ascendem,me dando um susto. Clareando toda a mansão,era enorme,tinha escadarias com tapetes vermelhos de cada lado da casa.quadros nas paredes no andar de cima,um grande lustre iluminava a vasta entrada.Tinha também um longo tapete vermelho com alguns detalhes em dourado e um simbolo no meio,me aproximei para observar,era uma aranha com um par de asas. -Este era o simbolo da família Trancy. Claude dizia se aproximando de mim,pegando em minha mão. -Vamos ,quero te mostrar as partes da casa.


Ele me conduzia a cada parte da mansão.Mostrando a cozinha,a parte debaixo da mesma onde se guardava os mantimentos e a parte onde os cozinheiros ficavam.Mostrou também alguns quartos,muito bem organizados,com móveis de época. Ele para em frente a uma outra porta,deveria ser outro quarto.E me olha com um sorriso largo. Olho pra ele de relance. E ele a abre,revelando outro quarto organizado.Mais este era bem diferente.A porta era lilás com listras em dourado.


Entro dentro daquele quarto,cheirava a flores.O grande tapete,A cama encostada na parede,e atrás dela uma pequena cortina em tons roxos.Havia um criado mudo de uma única gaveta ao lado da cama,e um abajur em cima de cor roxa também. Caramba é muito roxo pra mim.Do lado da cama perto do criado tinha um banquinho estofado.Em frente a cama,uma lareira.Abri outra porta onde dava a outro cômodo,tinha uma banheira no centro,uma mesa marrom,um sofá em amarelo e uma janela com cortinas. Claude vai atrás de mim e me abraça por trás.


-Claude,por que me trouxe aqui? Virei o rosto pra encara-lo. Ele sem desfazer o abraço.


-Vivi nessa mansão há décadas,o dono dessa mansão era o senhor Trancy,que corrompeu o próprio filho.Fechei a cara em depravação.


-C-como assim?Que horror... Ele desfez o abraço e começou a caminhar no quarto indo para a janela.


-Lembra da história que te contei do menino Alois? Balancei a cabeça positivamente, e ele ajeitou os óculos. - Pois bem,fui mordomo dele por algum tempo,o ajudei a voltar para casa e se vingar de seu pai,e depois de Ciel e Sebastian,e no final,acabei sendo morto pela espada demoníaca. Sempre gostei desta casa,ela esta em minha propriedade,não tenho interesse em vendê-la.Este quarto pertenceu a Alois.Ele se vira e me olha. - Sempre a quis trazer aqui. Deu um pequeno sorriso.


-Você já morou aqui com Hannah? A merda,ele me olhou meio zangado.Mais tinha que fazer essa pergunta.Ele começa a se aproximar de mim ficando perto.


-Sim.Ele disse. Ah.Eu já imaginava... -Na época que eu servia a Alois Trancy como seu mordomo,sim. Ufa. Mas será que eles já dormiram juntos? Ah que vontade de perguntar! Mas ele esta com uma cara tão séria. Ele toca meu rosto com seus dedos longos e gelados. -No que esta pensando,senhorita Aoi? Mordo meu lábio.Ah eu quero perguntar!! - Quero você nua daquela cama. Hã? Oi? Perdi alguma coisa? Pisco várias vezes para ele,minha boca fica seca,entre aberta. Eu estava quase para rir. E ele ali ainda permanecia sério.Com aquelas sobrancelhas pretas e finas. Eu quero rir,é muito bizarro o seu pedido,aquele foi um quarto de um garotinho loirinho ,de 12 anos,dormia ali,naquela cama.Me sentiria esquisita e desconfortável se fizesse aquilo.Acho que ele surtou de vez. -Esta rindo de mim? Ele retira os dedos de meu rosto cruzando os braços.


-Bem, o que o senhor acha?È um pouco... hã,bizarro e sem nexo o que você disse,poderei ficar nua em uma cama em outro quarto,sem problemas,mais aqui... Olho para a cama.


-Senhorita Aoi,não quero que me contrarie,lhe dei uma ordem,e você a acatará sem hesitação. Seu tom foi frio e curto.Formal,sem emoção. Qual é dessa agora? O que será que Alois pensaria se visse isso? De onde é que ele esteja. -Senhorita Aoi,estou esperando impaciente. O que aconteceu com aquele Claude brincalhão,cheio de sorrisos,garotão,que estava comigo a alguns minutos atrás?


-Não Claude. Afasto um pouco.E ele avança.Afasto e ele vai chegando mais perto,fico encurralada sobre a porta e ele me prensa s com seu corpo. Sinto seus músculos em meu corpo.Que homem enorme!Quero escalar essa montanha.Falava em meu consciente,olhando para aqueles olhos dourados flamejantes,brilhando de desejo. Ele aproxima seu rosto mergulhando seu nariz dentro do meu cabelo,aspirando,apoiou uma de suas mãos na porta do lado da minha cabeça,enquanto a outra apoiou em meu queixo,me dando um beijo profundo,sua língua já se encontrava na minha,dançando,lutando,me explorando. -Vou te fazer implorar de joelhos para mim. Sorriu e segurou agora meu casaco o tirando de mim e jogando para o lado.Depois o xale,e agora o vestido,agarrou na barra e começou a subi-lo.Me deixando só de calcinha e sutiã.Depois se ajoelhou,e sem tirar os olhos de mim,começou a beijar minhas pernas,dentro das minhas coxas,me fazendo arquear o corpo.Segurou nas barras da calcinha e começou a desce-la. -Cla-Claude... Ele me olha.


-O que você quer?


-V-você..


-Onde você quer? Ele se levanta.Eu já estava de olhos fechados.


-D-dentro... Não estava mais tendo forças para falar. Só o queria ali. Em um movimento rápido ele me vira ficando de costas para ele,acaricia meu bumbum e da um tapa,me fazendo dar um pulo.-A-aii! Protesto,e ele ri. Depois me da outro,e mais outro.O barulho do estalo fazia eco pelo quarto. -P-por que esta me b-batendo?


-Por ter me dito não,ninguém me nega o que eu quero,senhorita Aoi. Sou um homem de posses,e você me pertence,deve me obedecer em tudo. Ele da o ultimo tapa,dessa vez,me apalpando com beliscões gostosos. -Com todo o prazer,entrarei dentro de você,agora.Ele me vira de frente.- Tire minha roupa. Obedecendo. Tiro seu terno preto,depois começo a desabotoar os botões da camisa de linho vinho,pra provoca-lo,passo mina língua nos lábios e ele da um suspiro. O retiro de seu corpo.Me abaixo e começo a tirar sua calça desajeitada,abrindo o zíper e puxando para baixo,junto com a cueca Calvin Klein preta.Olho chocada para o seu membro totalmente já ereto e o olho em surpresa. -Ele fica assim toda vez que a vê,senhorita Aoi. O acalme. Disse autoritário. Acho que já sei o que fazer,apesar de não ser boa nisso. Com muito cuidado,eu o coloco na boca e o chupo com força.Hum,ele tem um gosto bom.-Ah,senhorita Aoi,devagar,temos todo o tempo do mundo.


Ele segura em minha cabeça com ternura,e o enfio mais fundo em minha boca,pressionando meus lábios tão firmemente quanto posso,cobrindo os dentes e sugando com força.Ele começa a gemer.Ah,que som gostoso,sensual e inspirador.Então eu repito,engolindo-o ainda mais fundo e rodopiando com a língua na ponta.


-Senhorita Aoi,pare.Chega.


Faço denovo.Ah Claude,ande,implore você agora.E mais uma vez.


-Senhorita Aoi,você já provou o quanto ficou boa nisso.Murmura ele entre dentes. -Eu não quero gozar na sua boca.


Repito ainda mais uma vez,e ele se abaixa e me agarra pelos ombros,me coloca de pé e me joga naquela cama.Ele remexe a calça jeans largada no chão e,como um bom garoto,tira do bolso um envelopinho de papel laminado.Esta ofegante,como eu.


-Tire o sutiã.Ele ordena mais uma vez.Ah,tão mandão.Eu me sento e obedeço.-Deite.Quero ver você.Eu me deito,olhando para ele enquanto ele desenrola lentamente a camisinha.Eu o quero tanto.Nesse quarto,não consigo ligar para mais nada. Ele me encara e passa a língua nos lábios. -Você é uma bela visão,senhorita Aoi. Ele se inclina sobre a cama e lentamente sobe em mim,beijando-me.Beija cada um dos meus seios e brinca com os mamilos,um de cada vez,eu gemo e me contorço embaixo dele,mas ele para. -Vou possuí-la neste quarto,nesta cama,hoje,esta noite,você pertencerá a mim. Seu tom é muito sedutor,como o próprio diabo.


Olhando para mim,ele abre minhas pernas com as suas e se ajeita de modo que fique pairando sobre meu corpo.Sem tirar os olhos dos meus,entra em mim num ritmo deliciosamente lento.Fecha os olhos,saboreando a plenitude,a sensação extraordinária de sua posse,minha pélvis se inclinando instintivamente para encontra-lo,para se juntar a ele,gemendo alto.Ele sai e,muito lentamente,entra de novo.Meus dedos correm até seu cabelo sedoso e rebelde,muito lentamente,ele continua se movendo para dentro e para fora de mim.


-Mais rápido,Claude,mais rápido...por favor.Ele me olha vitorioso e me beija com força,e então começa a se mover de verdade,um ritmo implacável.E eu sei que não vai demorar muito.Ele estabelece uma cadência acelerada.Fico exitada,as pernas rígidas embaixo dele.Eu explodo em um milhão de pedaços ao redor dele,e ele me acompanha gritando o meu nome.Ele cai em cima de mim,a cabeça enterrada em meu pescoço.


Quando recupero minha sanidade,abro os olhos e vejo o rosto do homem que amo.A expressão de Claude é suave,leve.Ele esfrega o nariz no meu,apoiando-se sobre os cotovelos.Já é de manhã,e tive uma noite maravilhosa,com um homem maravilhoso,em uma mansão.Mansão! A lareira estava se apagando,ele deve ter se levantado de madrugada para acendê-la.O quarto estava quente,assim como seu corpo.Ele me da um beijo delicado nos lábios. -Bom dia senhorita Aoi. Sorrio para ele dando uma demorada espreguiçada. -Não vai levantar?


-Bom dia Claude. Franzo a testa. -Que horas são?


-8:00.Temos que ir.Ele se levanta da cama,se afastando de mim.Aquele corpo parecia ser de um deus grego,perfeito,malhado,robusto,exibindo toda a sua masculinidade passeando por aquele quarto.Fico sentada na cama,o contemplando e suspirando,meus olhos acompanhando aquele corpo sedutor,que me tira o fôlego.


-Eu queria poder ficar o dia todo aqui,com você,Claude.


-Eu também,mais temos obrigações,mocinha,levante-se,é uma longa viajem daqui até Osaka. Dou um salto da cama e começo a pegar minhas roupas do chão para vesti-las,assim como ele. Descemos as escadas e saímos da mansão. -Me desculpe não convida-la para tomar um café juntos ,ainda vou te trazer aqui de novo. Mas recebi uma ligação importante da empresa,tenho que ir.


-Tudo bem,a mansão é incrível,seria um sonho morar aqui. Ele me olha pegando em minhas mãos,estávamos passando por aquela vila tenebrosa,mais como estava de dia,a sensação não era tão ruim. -Nós deixamos o quarto todo bagunçado,será que...


-Minha governanta o arrumará,três vezes por mês ela vem até aqui para deixar a casa em rodem e limpa.Chegamos até o helicóptero,Ele abre a porta e entramos. Me prende com as fitas do cinto,me deixando apertada.Coloca os fones em mim e faz o mesmo com ele.Aperta alguns botões e os motores são ligados,as hélices começam a ganhar velocidade e saímos do chão,seguindo rumo a Osaka. Era meia hora de viajem. -Hoje,você irá levar nossos filhos para a escola,procure por uma mulher chamada Kaede,ela é a diretora e dona da escola,ela irá receber vocês. Ele da um pequeno sorriso,quase não visível. Ao horizonte,já poderíamos ver a cidade,os grandes prédios,a selva de pedra em nossa frente. Claude pousa o helicóptero no heliporto,acima de um prédio,não sei bem se era o mesmo que tínhamos partido. Aperta os botões desligando os motores e as hélices perdem velocidade. Retiramos os fones e ele me solta dos cintos. Pega minha mão me deixando no chão,ficamos com os dedos entrelaçados.Pegamos o elevador,descendo alguns andares. E depois as portas se abrem,revelando um corredor familiar.Espera.Estamos no apartamento dele!


Ele abre a porta e entramos.


-Preciso pegar as chaves do carro e tomar um banho rápido,só um minuto. Ele sai e me deixa sozinha na sala.Estava tudo como sempre foi.Depois de alguns rápidos minutos,ele já estava de volta,vestido com sua roupa de trabalho,terno e gravata preta. -Vamos? Aceno em sim.E saímos do seu prédio dentro da BMW preta.Ah,os vidros estavam fechados,e aquela colônia tomou conta do lugar,me embriagando.


-Obrigada. Cortei o silencio de dentro do carro,quanto ele tinha parado no sinal.Ele me olha,com as duas mãos no volante.


-Pelo que? Ele arca uma sobrancelha.


-Por tudo,por sempre estar comigo,por me dar carinho,por me mostrar tantas coisas,pelo passeio de helicóptero,pela gloriosa noite em uma mansão extraordinária. alargo meu sorriso. Ele apoia uma de suas mãos em minha coxa e aperta.


-Quero te dar muito mais do que apenas isso. O sinal se abre e ele acelera. Pouco tempo depois chegamos ao meu prédio,ele desliga o carro.-Vejo você mais tarde,me conte como foi na escola.Ele me beija rápido.Abro a porta do carro e saio. Ele parte. Subo para meu apê,abro a porta e todos já estavam de pé. Beijo cada um de meus filhos. Nagisa vem até mim,me puxando pra um canto.


-Onde você foi mocinha? Pensei que não iria mais voltar,e esse...vestido? Ela me examinou. Dei um sorriso.


-Claude me deu,ontem ele me levou em um passeio de helicóptero. Nagisa ficou de boca aberta,mais ainda olhava estupefata para o vestido. Seu olhar parou na alça.


-Aoi-chan,essas pedrinhas... Parecem até diamantes.Soltei um riso.


-Parecem não é? Mas duvido que Claude me desse um vestido tão caro assim. Bem,vou tomar um banho,hoje tenho que levar as crianças para ser matriculada na escola. Nagisa sorria balançando a cabeça em um tom, "Ah,já era hora."Aproveitei enquanto Nagisa estava com as crianças antes de ir para a cafeteria e fui para meu quarto,pegando algumas roupas e entrando debaixo do chuveiro.


Cheguei a minha empresa,todos me davam bom dia,minha secretária veio correndo em minha direção.


-Onde esta Tanaka? Dizia sem para de caminhar olhando para frente.


-O-o senhor Tanaka não pôde vir,esta com um resfriado terrível,mandou avisá-lo que esta de atestado por 3 dias. Três dias? Revirei os olhos. -Aqui esta a planilha para hoje senhor Faustus,que Tanaka me deixou,tenha um bom dia. Ela se curvou e fui para o elevador,as portas se abriram e ele me levou para cima,no ultimo andar,aproveitei que estava sozinho para dar uma olhada,parecia estar tudo em ordem,Tanaka é mesmo eficiente.As portas se abrem e caminho pelo saguão. À um homem alto,esguio sentado as cadeiras de espera.Paro e o olho. Ele sorri e caminha até mim estendendo a mão.


-Bom dia senhor Faustus. Aperto sua mão o cumprimentando.


-Como vai,Undertaker? ?Faz muito tempo em que não nos vemos,hum? Entre. Abro a porta da minha sala e coloco minha pasta e as planilhas em cima da mesa,retiro o casaco colocando sobre a poltrona,ajusto minha gravata. -Não vou convidá-lo para se sentar por que tenho uma reunião agora,e com você, suponho.


-Sim,ah que saudades de negociar contigo Claude Faustus. Falava com firmeza,mais parecia que ele estava sentindo que eu estava escondendo algo.Chegou perto de mim.


-Undertaker,esta nervoso? Presumo que não seja pela reunião. Deu um tom de deboche.-E seu sobrinho,se recuperou depois da surra que lhe dei? Seu sorriso se tornou diabólico. Undertaker arregalou os olhos e engoliu em seco.


-S-s-sim,ela esta se recuperando,esta no hospital. Dizia com a mão passando no cabelo tentando amenizar o nervosismo. Claude afastou-se de mim.


-Me desculpe Undertaker,não tive escolha,ele quer uma coisa que me pertence.Me desafiou.  Olhou com os olhos cerrados. -Diga a ele para não se aproximar mais da minha mulher,eu já o alertei,seria muito idiota por cometer o mesmo erro.Se eu o ver novamente com Aoi,o matarei.


-E-eu entendo perfeitamente Claude,também já o alertei,ele esta sabendo e,por favor,não fale assim,ele é meu único sobrinho,não quero perdê-lo,ele é desse jeito,o senhor pode ver,lembras de quantas furadas o tirei? Ele nunca aprende.


-Eu vejo isso perfeitamente .Bem,vamos para a sala de reuniões? Pego meus papeis e abro a porta.Ele segue atrás de mim. Entramos um uma outra sala,em um outro andar,onde tinha uma mesa em oval,com mais de 10 cadeiras ao redor,sento na ponta,Undertaker ao meu lado,olho para o assento em que Tanaka ficava.Ah ele faz falta. Suspiro,e a reunião se inicia.


Estava sentada em uma das cadeiras do corredor,esperando ser chamada,Hitomi e Alois estavam comportados sentados comigo,tinha dado Graças a Deus por terem filhos diferentes daqueles que davam escândalos nas ruas,nos mercados. Uma mulher alta,loira morena nos recebe.


-Senhorita Aoi Makoto? Me levanto.


-Sim,sou eu.


-A diretora os aguarda,podem entrar. Pego nas mãos de Alois e Hitomi e entramos. A sala era bem aconchegante,tinha uma grande estante de livros ,um globo em cima da mesa. A mulher aparentava ter mais de 50 anos de idade,seus cabelos eram brancos e era baixinha,mais do que eu. Ela sorri e se levanta,e estende a mão,eu a cumprimento.


-Senhorita Makoto,bem vinda.Claude me informou sobre você e os pequenos. Ela olhou para baixo. -Hitomi e Alois,são lindos nomes,como eles são,Alois é a sua fisionomia menina Aoi,Hitomi é muito parecia com Claude,ela é um demônio aranha,como ele. Arregalo os olhos,ela um demônio?


-P-pensei que fossem híbridos,por que sou humana. Disse olhando pra eles.


-Eles são senhorita.Venha podem se sentar.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...