História You Belong To Me - Capítulo 54


Escrita por:

Postado
Categorias Kuroshitsuji
Personagens Claude Faustus, Hannah Annafellows, Mey-Rin, Personagens Originais, Príncipe Soma Asman Kadar, Sebastian Michaelis, Sr. Tanaka, Undertaker
Visualizações 33
Palavras 2.270
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Fantasia, Festa, Hentai, Mistério, Romance e Novela, Sobrenatural, Terror e Horror
Avisos: Álcool, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 54 - Capítulo 54


Fanfic / Fanfiction You Belong To Me - Capítulo 54 - Capítulo 54

Foi uma longa conversa com a diretora,muito simpática,quis saber como Alois e Hitomi eram,como se comportavam,discutimos horários,ela me mostrou um pouco da escola,o refeitório,emfim,tudo o que uma escola poderia ter. Ela muito educadamente,me disse para passar um tempinho na escola para Alois e Hitomi se acostumarem.


Estava sentada em um banquinho do parquinho da escola,onde eles estavam brincando junto aos alunos da mesma idade,pareciam estar se dando bem.Que bom. A neve tinha cessado por aqueles dias,o clima mais agradável para sair de casa,mais ainda esta frio. Tratei de agasalha-los bem,estavam brincando com os alunos de fazerem um boneco de neve.Sorri para eles acenando.


Pego em minha bolsa meu celular o os fones de ouvido. Decido escutar algumas músicas. O que será que Claude esta fazendo? Ah,esta na empresa. Será que esta ocupado? Resolvo mandar uma mensagem a ele.

__________________________________________________________________________
Aoi Makoto:


Olá,já conversei com a diretora,ela é muito simparica e educada.A matrícula foi um sucesso.
Coloco o celular no bolso do casaco e sinto vibrar. Meu coração quase dá um pulo.
___________________________________________________________________________
Claude Faustus:


Fico feliz com isso,senhorita Aoi.Vocês já estão em casa?
___________________________________________________________________________
Aoi Makoto:


Não,a diretora disse pra passarmos um tempinho aqui para que eles se acostumarem. Estou sentada ouvindo música ,e você?
___________________________________________________________________________
Claude Faustus:


Estou em reunião.


Ah merda,mandei mensagem em um momento inoportuno,melhor não incomoda-lo.Coloco o celular no bolso e continuo ouvindo a música em meus ouvidos.Mais sinto outra vibração.Enfio rápido minha mão dentro do bolso para pegar o celular.
___________________________________________________________________________
Claude Faustus:


Talvez não poderemos nos ver esta noite,senhorita. Sairei muito tarde daqui.


Fico triste .Queria tanto vê-lo,abraça-lo,beijar ele.Todo aquele corpo.Meu Deus.
___________________________________________________________________________
Aoi Makoto:


Queria tanto vê-lo.Já estou com saudades.


E mando um emoji de coração no final. Ele responde.
___________________________________________________________________________
Claude Faustus:


Eu também estou.Mal posso esperar por possuí-la novamente,e de um jeito que jamais esquecerá,eu garanto.Agora pegue as crianças e vá para casa.Haverá uma grande tempestade esta noite,não quero que corram o risco de se molharem.

 

Sinto meu sangue correr fervendo nas veias. Sinto meu rosto ficar quente. Guardo o celular e os fones na bolsa.Chamo Alois e Hitomi pra irmos embora. Claude tinha razão,o céu começou a mudar drasticamente. As nuvens começaram a correr,e o dia estava se transformando em noite. Teríamos que apertar o passo antes de tomar uma chuva congelante.


Olhava para a mensagem dela,um sorriso pequeno e bobo surgiu em meus lábios.Coloco o celular no bolso da calça e continuo a reunião.


Depois de longas horas de negociação,a reunião se encerra,meus sócios já estavam indo embora. Undertaker veio em minha direção.


-Fez um bom negócio Claude,tenho certeza que se dará bem. Ajeito meus óculos.


-Sim,eu sei. Dou de ombros e me viro indo para a janela do meu escritório. A silhueta de Osaka ficava mais evidente pelas luzes noturnas.Já estava escurecendo.Olho para o relógio,já era mais de oito horas da noite. Meus pensamentos foram em direção a Aoi.Como ela esta,será que ja esta segura em casa,como eu queria estar lá. Sinto Undertaker se aproximar por trás de mim.


-Por que não vai ficar com ela? Ele pergunta.Dou de ombros voltando para a cadeira giratória me jogando.


-Tenho muito trabalho pra fazer. Olho desanimado para a mesa rodeada de papéis.-Há muitos pedidos,compras,recibos para serem avaliados. Ele vem e se senta na mesa.


-Claude,você é o dono de tudo isso,mande um de seus empregados fazerem pra você. Eu reviro os olhos.


-Você é burro? Isto só pode ser assinado por mim,e outra,todos os meus funcionários já foram embora,só esta eu e você aqui.Falando nisso,por que ainda esta aqui?


-Me ligarão do hospital,meu sobrinho,Subaru teve alta hoje,estou indo busca-lo vamos a um barzinho para comemora,pensei em te chamar mais vi que não vai poder ir de qualquer jeito.


-Pois é,Undertaker,e se eu estivesse livre,preferia estar com Aoi do que comemorando a alta do seu sobrinho filho da puta.E também.O encaro.- Ès besta homem? Chamando o homem que deu uma surra em seu sobrinho o mandando pro hospital pra sair pra beber comemorando a sua alta? Viro de costas com a cadeira para ele.


-È,tem razão,tinha esquecido disso completamente,mais se eu fosse você,deixaria esses papeis pro lado e iria ver a senhorita Aoi,ela deve estar com saudades de você.Passaram o dia todo sem se ver.Já é quase dez da noite.Ela deve ainda estar acordada. O escuto abrir a porta. -Até amanha Claude. Ele a fecha. Fico pensando em suas palavras,me viro ficando de frente pra mesa.Ele deve ter razão.


Já estava em casa,a tempestade caía lá fora,ainda bem que chegamos a tempo,Nagisa conheceu um moço,já estava saindo três semanas com ele.Estava apenas eu e as crianças no apê.Não sei o por que mais sentia um vazio dentro do meu peito. Estava faltando alguém,estava faltando Claude. Mais eu não iria ficar importunando ele para ficarmos grudados noite e dia,ele é um homem importante e super ocupado. Ele mesmo disse que não poderíamos nos ver de tanto trabalho que esta tendo.Suspiro. Queria estar agora com ele,lhe fazendo uma boa massagem,uma xícara de chocolate quente.Ele iria adorar.Eu acho.Apesar de estarmos tanto tempo juntos,eu mal o conheço,ele é muito misterioso. As crianças me ajudam na louça depois do jantar. Chovia e trovejava sem parar,parecia que a represa tinha se arrebentado no reino dos céus. Guardava os pratos no armário quanto um trovão forte atingiu nossos ouvidos,a luz tinha acabado naquele instante,Alois e Hitomi correram segurando forte em mim.


-Não precisam ter medo,é só uma tempestade.Falo acariciando seus cabelos.


-Mamãe,podemos dormir com você hoje? Perguntou Himomi.


-È mamãe.Tem aquele colchão de casal que a tia Nagisa trouxe pra gente,dá pra dormir nos três juntos.Dou um sorriso.


-Certo,certo.Agora,vamos para o quarto,vou colocar o pijama em vocês. Pego uma veja e acendo,caminho até o quarto com os dois agarrados em minha calça. Coloco em cima do criado mudo para iluminar melhor,pego o pijama de ambos e os visto.


-Mamãe,pensando bem,vamos dormir aqui no quarto mesmo. Não sou mais uma criancinha,se Hitomi sentir medo fico ao lado dela.Disse Alois,fiz uma cara de surpresa.


-Tem certeza? Olhei pros dois. E eles acenaram. -Esta bem,todos para a cama agora,amanha será o primeiro dia de aula de vocês,precisam estar descansados. Eles correm para a cama e vou até eles.Dando um beijo de boa noite em cada um. -Vou deixar uma vela em cima do criado caso vocês queiram ir ao banheiro ,certo? Me levanto e saio do quarto,mais antes dou uma ultima olhada,pareciam dois anjinhos. Sorrio.


Acendo outra vela na cozinha,e vou para o meu quarto,precisava tomar um banho,o prédio tinha aquecimento solar,então não correria o risco de congelar no banheiro.Tiro minas roupas e entro no box ligando o chuveiro.A água caia quentinha por entre meu corpo,aperto o vidro de sabonete líquido e começo a espalha-lo pelo meu corpo,fecho os olhos imaginando Claude ali,comigo,imaginando suas mãos em meu corpo.Ah,que sensação maravilhosa. Passava minhas mãos em meu pescoço,pelo meus seios apertando,descendo até minha barriga,e chegando quase lá.Mas paro,nunca fiz isto antes,acharia melhor sempre ele fazer. Abro os olhos e tiro o sabão do corpo. Ensaboava agora meus cabelos. As ondas de eletricidade ainda percorriam pelo meu corpo pela excitação,só de imaginar ele ali comigo,isso me afeta demais.Termino o banho desligando o chuveiro,me enxugo e coloco um roupão e seco o cabelo com a toalha.


Vou para o meu quarto,resolvo mandar uma mensagem para Nagisa.
___________________________________________________________________________
Aoi Makoto.


Ane,como você esta? Aqui parece estar caindo o céu entre nossas cabeças! E também a energia se foi.


Ela demora uns quinze minutos para responder.
___________________________________________________________________________
Nagisa Ane:


Aoi-cha,estou bem e você? Sintom-me mal por deixá-la sozinha,sabe aquele garoto que estou saindo? Me trouxe na casa de seus pais,não estou em Osaka. E me desculpe por não avisa-la,você estava na escola,e foi tudo tão rápido,e como tia Nina sempre nos ajuda,comuniquei a ela sobre você,e ela disse que se precisar de algo,ligue para ela.Preciso desligar.Se cuide Aoi-chan.
___________________________________________________________________________
Sorrio com sua mensagem,ela parece estar feliz.Ela não me disse quanto tempo ficará fora,amanha ligo pra ela com mais calma.Estou ficando com sono.Olho para as mensagens de Claude. Preciso tomar um copo de água. Vou até a cozinha,mas ouço alguém bater na porta. Quem será a essa hora da noite? Era onze horas. Pego do lado da pia da cozinha,um taco grande de beisebol que tínhamos,caminho silenciosamente até a porta.


-Quem é? Digo um pouco nervosa,estava com medo,sem luz,sozinha com as crianças,aquela hora,só poderia ser um ladrão. Esperei a resposta mais nada. A destranco cuidadosamente e vou rodando a maçaneta.A pessoa atrás da porta abre rapidamente e eu já ia pra cima para batê-lo com o taco quando ele o segurou. Fico paralisada. Ai meu Deus,é meu fim,só pode. Pensava.A pessoa foi me empurrando para dentro do apê,e a pouca luz das velas em cima da mesinha de centro da sala,revelava o sembrante,era um homem,alto,pele branca,de cabelos repicados pretos,com olhos dourados escondidos por um óculos de grau. -Claude?! Ele me olha surpreso e fecha aporta atrás dele.Olha para o taco.


-Você sempre recebe suas visitas assim? Disse em um tom brincalhão. Suspiro aliviada,minhas pernas estavam bambas,mais logo me recupero.Ele pega o taco da minha mão o colocando do lado da porta.Passo a chave na mesma.


-È claro que não,que visita vem uma hora dessas na casa das pessoas? O repreendi. Ele começou a tirar seu casaco colocando pendurado no cabideiro da entrada.


-Me desculpe,foi culpa minha,deveria tê-la avisado.Ele me olha.Com aquela cara de cachorro abandonado.Como posso ficar brava com uma criatura dessas? Dou um sorriso e o abraço forte,e ele retribui.Cheira meu pescoço me deixando arrepiada. -Saiu agora do banho? Passa a língua no lóbulo da minha orelha depois dando uma mordida. -Esta muito cheirosa. Meu rosto se esquenta. Olho pra ele. E ele me beija,possessivo.Seus lábios estavam gelados pela noite fria de tempestade,causava um pequeno choque entre nossas bocas,a dele gelada e a minha quente,fervendo.Por ele.


Ele passa meus dedos entre meus cabelos me puxando para um beijo mais intenso.A outra desce até a passa do meu roupão a infiltrando entre o tecido.Ele arregala os olhos e para o beijo. -Você esta nua? Dou de ombros.


-Claro que estou,acabei de sair do banho Claude,não tive tempo de me trocar,por que certa pessoa quase me fez ter um ataque do coração,me aparecendo a esta hora da noite.O olho torto e ele ri.


-Ah senhorita Aoi,você me surpreende,apesar do que eu vou fazer com você ,não precise de roupas mesmo. Seu olhar era de puxa luxúria,sombrio,escuro,excitante. Aquilo fez meu corpo todo se enrijecer. -Quero tomar isso em você. Ele pega do chão uma garrafa de vinho branco. Nem percebi que ele tinha trazido bebida pra cá,depois daquele susto.Mas espera ai."Tomar isso em você?" O que quer dizer? Faço uma cara de desentendida. -Você logo vai saber,mais primeiro,onde estão as crianças?


-Estão dormindo no quarto.Amanha será o primeiro dia de aula deles.


-Entendo. A porta do quarto esta fechada? Balanço a cabeça. -Òtimo,me ajude a colocar o colchão no chão,e também coloque um lençol por cima.Ah e pegue travesseiros.


-Você vai dormir aqui?


-Se a gente conseguir dormir.Ele me olha maroto,com aquele sorrisinho perverso. Eu e ele afasta a mesinha e os sofás do centro da sala e coloca o colchão deitado em cima do tapete,vou até o quarto pegando os travesseiros e os lençóis,volto para a sala e lá esta ele,colocando algumas velas acesas por toda a sala.A iluminação estava fraca,mais era o bastante. -Onde esta o saca-rolhas?


-Vou pegar pra você.Coloco em cima do sofá e vou para a cozinha pegando.Entrego em sua mão.Ele já tinha colocado o lençol e os travesseiros no colchão.


-Você tem outro jogo desses? Balanço a cabeça. -Òtimo,pois este ficara todo sujo. Ai minha mãe,o que ele vai fazer comigo? Ele coloca a garrafa com o saca-rochas já enfiado na rolha,em cima da mesinha,retira os sapatos e a meia,depois o terno preto e afrouxa a gravata,retira a camisa de dentro da calça.Ele esta muito gostoso. -Venha. Vou até ele e nossos olhares se encontram,me beija novamente,começa a desfazer o laço do roupão,o abrindo e retirando os meus ombros jogando no chão, me deixando nua ao seus olhos.Fico corada. -Deite-se. Eu obedeço,me deitando lentamente no colchão,ele me olha e pega o laço do roupão,se senta em cima de mim. È muito pesado. Pega meus pulsos e os amarra deixando eles acima da minha cabeça. -Não se mexa. Ele desata a gravata e me far erguer a cabeça,me vendando.-Hum,assim esta bem melhor,vou pegar uma bebida.Sinto ele sair de cima de mim,isso é golpe baixo,não consigo vê-lo.O piso do apê range,e ele esta de volta.Ouço gelo tilintando dentro de um copo com líquido.Ele coloca ao lado do colchão,começa a tirar suas roupas,escutava as joga-las no chão.Agora sei que esta nu.Ele torna a montar em mim.-Esta com sede,senhorita Aoi?Me pergunta em um tom provocante.


-Estou. Sussurro.


Ouço o gelo tilintando no copo,e ele se inclina e me beija,enchendo minha boca com o líquido delicioso e geladinho. È o vinho.


-Mais?Sussurra ele.


Balanço a cabeça.O vinho é mais divino ainda por que esteve em sua boca.ele se debruça sobre mim,e bebo mais um gole que sai dos seus lábios...minha nossa.Ele torna a movimentar o copo,e me beija,passando para minha boca uma pedrinha de gelo com um pouco de vinho.Sem pressa,ele vai dando beijos gelados até chegar ao centro do meu corpo,começando na garganta,descendo por entre os seios,passando pelo torso até a barriga.Deixa um pedacinho de gelo em meu umbigo,numa poça gelada de vinho.Isso faz com que eu me sinta queimando por dentro,por todo o caminho,até lá embaixo.Uau.


-Agora,você tem que ficar quieta.Mumura ele.-Se você se mexer vai molhar o lençol todo com o vinho.Flexiono os quadris automaticamente. -Ah,não.Se derramar o vinho,terei que dar um castigo a você,senhorita Aoi.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...