História "você me tocou sem nem precisar me tocar" - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Tags Ejulis Day, Juliv, Kindofsadness, Kook Do Meu Yoon, Yoonkook!fem
Visualizações 43
Palavras 575
Terminada Sim
LIVRE PARA TODOS OS PÚBLICOS
Gêneros: FemmeSlash, Fluffy

Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


hoje é aniversário da fada mais linda desse site, da bahia e do meu coração (tô ficando cada vez mais melosa e manteiga derretida)

Capítulo 1 - Pra sempre.


quando eu falo com você, as palavras tocando a minha alma com delicadeza e um sorriso fugitivo ganhando espaço, eu sinto que o mundo nunca vai acabar. existimos eu, você e todo o resto do mundo — desde a minha vizinha cuidando do bebê recém-nascido até a menor das formigas trabalhando pela primeira vez —, e somos tão infinitas quanto ele [o mundo], que é tão infinito quanto o universo representado pelas pequenas estrelas e a lua que nós alcançamos com o olhar fugindo pela janela. sinto que o mundo acaricia nossa pele e sussurra baixinho que ele girou certo uma vez simplesmente pra gente se esbarrar. e que ele não vai acabar, mesmo quando fecharmos nossos olhos e acordarmos ainda em estados diferentes. 

cada suspiro se torna poeira estelar e a lembrança nunca vivida do seu toque me faz sentir uma supernova explodindo dentro de mim, varrendo tudo de ruim que eu possa ter sentido e me deixando com uma sensação inigualável no peito. 

é difícil prometer que nós seremos eternas quando até mesmo o conceito de "para sempre" é tão indefinido. vejo o universo como o maior exemplo de vastidão, interminável e inalcançável, de tal forma que não cabe nem dentro da minha própria mente. e então fecho os olhos e penso em nós duas, juntas, em um apartamento confortável nessa cidade barulhenta e caótica, com alguns cactos na janela e a luz da lua iluminando a sala onde estamos sentadas no sofá. uma música baixinha tocando, sendo a única, além dos sons da cidade respirando do lado de fora, rompendo o silêncio. por um momento, ou dois ou mais, somos só eu e você, respirando em sincronia e existindo juntas. e, de alguma forma, isso me parece o suficiente. 

eu abro os olhos e percebo que não é real e que não posso garantir que seja. talvez alguma coisa aconteça no meio do caminho e o "para sempre" morra no meio da garganta antes de ser pronunciado e seja abandonado lá com medo de que as duas palavras nos quebrem em mais pedaços do que podemos juntar. ou, talvez, nós apenas acabemos substituindo o apartamento por uma casa e os cactos por gardênias. talvez eu acorde um dia e você sussurre um bom dia e eu prove do sabor calmante de ainda te ter. 

te garanto um pedaço do meu coração para você, sem rodeios. é inegável que as pessoas são marcas, às vezes cicatrizes — que se curam, mas não somem —, e que não passam despercebidas. no entanto, meu bem, nem todas são permanentes. 

[você é]. e, falando com você, eu tenho a sensação de que mil estrelas morrem e nascem dentro do meu coração. me sinto infinita dos pés à cabeça; me sinto resnacendo a cada vez que me aponta uma nova qualidade, que me relembra o quanto me ama (que eu me lembro o quanto é recíproco e intocável). me sinto caindo, caindo, caindo e caindo. e você sempre está pronta para me segurar e sorrir. prometer: pra sempre. 

"te contei que sou viciada em você? passo noites acordada observando o teto do quarto com aquela sensação de explosão no peito, como se sentisse demais e não conseguisse expulsar o excesso. concluo que o seu beijo tem gosto de lar, quero provar infinitamente, e que seu abraço tem cheiro de promessas de um futuro juntas; é engraçado porque eu nunca nem experimentei, mas já não me vejo sem."


Notas Finais


[o texto não acaba aqui, tem continuação, mas isso fica pra outro dia rs]

feliz aniversário, amor. você é uma das pessoas mais encantadoras que eu já conheci. é aquela obra de arte que não se explica, se admira e sente. obrigada por existir; e por insistir e me aguentar tanto, essa tarefa é difícil. espero que tenha um dia maravilhoso e que se divirta muito na festa. queria poder estar com você mas a distância não colabora. amo muito você. pra sempre.

é nois quebrada

obs: o título da história é um poema do livro "outros jeitos de usar a boca" da rupi kaur rainha maravilhosa do caralho


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...