1. Spirit Fanfics >
  2. Você na minha vida >
  3. Fifty nine

História Você na minha vida - Capítulo 59


Escrita por:


Notas do Autor


Eu tava ansiosa pra postar esse cpt, só q eu n tinha tempo, e agr q eu tenho tempo, n tenho internet 💔


Espero q gostem, estou usando meu 3g pra postar o cpt

Boa leitura 💜
E se cuideem💜

Capítulo 59 - Fifty nine


Fanfic / Fanfiction Você na minha vida - Capítulo 59 - Fifty nine

- capítulo anterior

Estouro o balão pegando em seguida o papel que cai.


[...]

Por Alícia

Eu tenho uma memória de elefante não é ? Passei horas quebrando a cabeça com a Marcelina e o Jorge,pra descobrir os lugares exatos,nossa é antiga Gusman,e louca, igual a nós.

Tá cansada ? Porque eu tô, de escrever. Mais vai compensar.

Agora você vai ter que usar a cabeça e lembrar onde aconteceu a nossa primeira ficada. Dica: nesse dia eu te mostrei quem era o melhor no skate. Rs

 ~ Guerra gatinho


Corro em direção a pista de skate.

Juro que com esse negócio eu já devo ter perdido uns 5 quilos.

Entro na pista de skate, dando de cara com um balão vermelho.

Flash Back on

Eu tinha mais ou menos uns doze anos.

Eu e o guerra tínhamos dado uma trégua, e resolvemos marca de andar de skate, a pista tinha acabado de ser inaugurada. A pista na época tinha virado a minha terceira casa, eu vivia lá, só não menos que na casa da Marcelina.

Após de disputamos várias vezes, estávamos andando, fazendo várias manobras, e por um descuido meu acabo caindo, e Paulo continua fazendo mais duas manobras e depois vai até mim, que tava sentada no meio da pista.

Paulo - Tá vendo Gusman,eu sou o melhor. Apenas aceite. - Ele se gaba.

Alícia - Não valeu, acabei me desiquilibrando. - Fecho os olhos tentando aguentar a dor,com a queda torci o pé.

Paulo - Não suporta perder né, Alícia ? - Ele me encara - O que foi ? Se machucou ?

Alícia - Não, resolvi tomar um banho de sol aqui mesmo.

Paulo - Ignorante, esqueceu da nossa trégua ? - ele senta ao meu lado. - Parece que torceu. - olha pro meu pé.

Alícia - Jura ? Nem percebi. - mordo o lábio inferior tentando suporta a dor.

Paulo - Não vou revidar, porque você deve tá falando isso por causa da dor.

Eu mordo o lábio inferior de novo e sinto o olhar dele sobre mim.

Olho pra ele e nos encaramos.

Ele se aproxima de mim, e me beija.

Eu pensava em empurra ele na hora, mais de alguma forma, me fez se distrair da dor, então apenas deixei.

Após alguns minutos após vários beijos eu encaro ele.

Paulo - O que foi ?

Alícia - Não acredito.

Paulo - O que ?

Alícia - Que eu te beijei. E mais de uma vez. - faço cara de nojo.

Paulo - Quem vê nem pensa que somos inimigos.

Alícia - Não acredito que fiquei com você guerra, eca. - sinto a dor voltando - Preciso ir pra casa.

Paulo - Ei não é o fim do mundo ficar comigo não Gusman, e pode deixar eu te levo, já que você não vai conseguir andar por causa do pé.

Ele me ajuda a levantar.

Alícia - Paulo ?

Paulo - Diz

Alícia - O que aconteceu hoje,fica aqui.

Paulo - Combinado.

Alícia - Te odeio

Paulo - Igualmente Gusman. - sorri e faz eu me apoiar nele.

Flash Back off

Aquele dia foi a única que vez que tinhamos ficado, a outra foi quando teve o  nosso namoro de mentira. Nossa relação foi sempre de  implicar um com outro, ficar não tava no nossos planos,era algo bem distante, inexistente seria a palavra melhor, nem congitamos a idéia de ficar de novo, não queríamos atrapalha o ódio.

Estouro o balão.

Agora vai pra sua casa.

Talvez tenha feito você andar tudo isso pra nada, só pra te enrolar, TALVEZ.

BRINCADEIRA GUSMAN

Pela amor de Deus não chega com um cabo de vassoura pra me bater não,por favor.

Espero que você não seja cardíaca.

 ~ Guerra Amor da sua vida, né ?


Ando calmamente para a minha casa, não acredito que tô andando isso tudo, e agora não teve sentindo nenhum.

Desconfiei dessa última dica, não fazia muito sentido. 

Entro em casa e dou de cara com um caminho de corações,super fofo, Paulo Guerra não teve essa ideia,certeza. Vou para a cozinha,e na porta que dava pro jardim tinha um balão.

Até que percebo que estou com fome, me viro pra geladeira, e penso, ele me fez andar isso tudo pra chegar no mesmo lugar, vou fazer ele esperar um pouco.

Minha barriga não espera, o Paulo que lute.


[...]


Após comer o meu lanche,vou até a porta, e estouro o balão.

 (Música se talvez vocês queiram entra na vibe do capítulo.)

• I'ts you Ali Gatie


Venha flutuar comigo! Espero que goste.

~ Guerra


Abro a porta dando de cara com uma árvore com várias lamparinas, essa eu tenho certeza que foi ideia do Guerra, ele sabe o quanto eu acho lindo, na verdade, todos sabem.

Ando até a árvore, tava escurecendo o que fez tudo ficar cada vez mais lindo.

Atrás da árvore tinha um telão que tocava uma música que eu tava viciada, e eu tinha feito o guerra viciar, eu ria horrores dele tentando cantar.

Paulo - Gostou ? - me viro vendo ele plenamente lindo, ele sorri e vem na minha direção.

Alícia - Sim, apesar de ter coisas aqui, que tenho certeza que não foi você que teve a ideia.

Paulo - Nossa Gusman, magoou. 

Vejo a turma de fundo eles tavam ao nosso redor, distantes,mais dava pra ver eles. Escuto barulhos de choro e tenho certeza que é as meninas.

Paulo - Eu tinha escrito o que ia falar,mais quer saber ? - amassa e joga o papel fora - Amo improvisa e não é tão difícil te falar tudo que sinto por você.

Valéria - Pelo menos jogue a porra do papel no lixo, seu imundo. - todos olham pra ela - Desculpa, continua, depois eu brigo contigo. - limpa as lágrimas.

Paulo - o amor era algo que eu  acusava de ser extinto, igual a sua paciência - todos riem - até conviver com você esses anos todos. Acredito que sempre fui bobo apaixonado por você, só que o tempo o  amor fou crescendo e me mostrando o quanto ele não é um mostro de sete cabeças,apesar de eu julga  ser. Agente é aquele casal clichê de fanfics que se odeia mais no final fica juntos, porque é fato, os opostos também se atraem. Apesar de eu achar que não somos muito opostos, temos muitas coisas em comum, e o que agente não tem em comum,completa o outro. - lágrimas escorrem pelo meu rosto sem eu perceber. -  Eu vi o quanto amar dói, mais amar também pode ser maravilhoso. Caralho você me faz sentir coisas na barriga que eu jurava ser gases, mais depois de meses da Valéria tentando me explicar, eu entendi, era a ansiedade em te ver misturado com amor, resumindo, borboletas no estômago, é algo muito besta e louco ao mesmo tempo,querer não parecer um bobo perto de você, querer chamar sua atenção, querer você só pra mim, eu amo você apesar dos seus defeitos,que são poucos,eu fico admirado o quão perfeita você é garota. Você é única, no mundo e na minha vida, eu te amo horrores Gusman, eu te amo muito. Eu posso algum dia esquecer coisas importantes como as que eu citei em cada pista hoje, mas cara,por mais que eu tente, não vou esquecer você, é doido, gostar de alguém, porque fica preocupado com a pessoa, e é novo pra mim esse lance de se importa é gostar das pessoas sem ser os meus pais e a Marcelina. Mais eu tô afim de arriscar. Ver você com outros me fez ficar puto de raiva, E adivinha o que a Valéria falava "tá com ciúmes? Tá com ciúmes? Pega na mão e assume." - cantarola em meio às lágrimas.

Em meio às lágrimas eu rir.

Paulo - Então eu quero sim pegar na sua mão e assumir, porque eu te amo,e talvez eu tenha um pouquinho de ciúmes e porque também eu amo demais você Gusman. - ele segura na minha mão - E assim como te roubei um selinho,quero roubar seu coração, Alícia Gusman, aceita namorar comigo ?  - Tira um par de alianças do bolso 

Alícia - Primeiro de tudo, quem é você, é o que fez com o Paulo Guerra que eu conheço ? - todos riem.

Rafael - Cara responde o garoto, ele tá nervoso, se ele ter um treco e morrer não vai ser fácil achar outro não.

Alícia - Eu aceito Guerra. - Vejo ele respirar fundo, e ele me abraça.

Paulo - Agora é pra valer, agora vai ser real. - sussurra no meu ouvido.


Notas Finais


Continua ?
Próximo capítulo é o último 😞


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...