História Você não está sozinha - Capítulo 14


Escrita por:

Postado
Categorias Maite Perroni, Michael Jackson
Personagens Michael Jackson, Personagens Originais
Tags Cole Sprouse, Hande Erçel, Maite Perroni, Melanie Martinez, Michael Jackson
Visualizações 13
Palavras 2.481
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Fluffy, Magia, Mistério, Romance e Novela, Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 14 - Foi melhor assim...


Fanfic / Fanfiction Você não está sozinha - Capítulo 14 - Foi melhor assim...

Depois que aquele homem desconhecido sumiu sem deixar rastros, avistei o por trás de mim o espelho que eu usava como portal destruído, o chão etava sujo de cacos de vidro. Fui até outro cômodo, peguei uma pá e juntei os restos do espelho e os joguei fora. 

"Talvez seja melhor assim" - falei comigo mesmo, minhas visitas à aquela moça era muita perigoso, tanto pra mim quanto pra ela. Estou tão encantado por ela, aquele rosto não sai da minha mente, ela mexe comigo de uma forma que não consigo controlar, e ela confirmou que sente o mesmo por mim, mas não podemos ficar juntos. Esquece-la é uma tarefa difícil, mas vou ter que me esforçar.

Peguei meu chapéu e meus óculos escuros, dei uma checada la fora pela janela e estava um dia lindo, desci as escadas e fui para fora da mansão. Talvez se eu me destrair um pouco, eu esqueça um pouco desse sentimento. A rua estava bem movimentada, segui ate um parquinho que havia a alguns quarteirões, sentei em um banco colorido que ficava embaixo de uma árvore e observei algumas crianças correndo e se divertindo, e algumas pessoas passeando com seus animais de estimação. Não demorou muito uma senhora sentou-se ao meu lado e iniciou uma conversa.

"Sei como é complicado gostar de alguém que vive do outro lado" - ela foi bem direta, mas não sei como ela sabe disso, nunca a vi antes.

"Como a senhora sabe? Quem lhe informou?" - eu estava tentando entender, pois eu soube muito bem guardar esse segredo.

"Não me pergunte, eu sei de tudo. Não precipite as coisas, suas viajens ate a casa dela é bastante perigoso, se você ficar preso lá, viverá para sempre como uma alma penada, e isso com certeza você não quer" - ela estava séria e não olhava nos meus olhos.

"Claro que não, que horror! Mas se fosse pra ficar perto dela eu arriscaria" - nisso a senhora direcionou seus olhos em mim.

"Nunca diga isso! Por mais que ela te ame, seria muito difícil poder te ver mas não poder te tocar, e sem falar que você não suportaria ser um encosto de alguém" - me repreendeu, senti o peso de suas palavras mas é a verdade.

"O que me resta é esquecer que a conheci um dia" - abaixei minha cabeça e não pude evitar que uma lagrima caísse.

"Exatamente, é melhor pra você, não sabemos quanto tempo demorará pra ela vim para cá" - disse ela me assustando.

"Não! Por mais que eu queria estar perto dela, jamais desejaria sua morte quero que ela viva e seja feliz" - falei ja mais calmo.

"Você é uma pessoa adimiravel meu jovem" - a senhora se levantou e foi embora.

Voltei a observar a paisagem e mais uma vez veio a lembrança da Vanessa em minha mente, afastei os pensamentos e um grupo de crianças veio em minha direção.

"Michael, Michael vem brincar com a gente" - falavam em coro enquanto se aproximavam de mim.

"Claro" - me levantei e uma garotinha me guiou ate um balanço e pediu pra que eu sentasse lá.

Encolhi minhas pernas e um dos meninos me empurrou no balanço fazendo eu me balançar cada vez mais rápido, ate que foi divertido.


Semanas depois...

            

               Vanessa p.o.v 

Eu ainda estava bastante confusa do que aconteceu, primeiro ele se declara e me beija e depois simplesmente some, ja perdi as contas de quantas vezes o esperei sem sucesso, sorte que não deixei esse segredo escapar pra absolutamente ninguém, nem mesmo para meus amigos mais próximos. Tento fingir que nada aconteceu, mas por varias vezes a lembrança daquele beijo invade minha mente, ainda sinto o gostinho de seus lábios e fico parecendo uma tonta sonhando acordada. Mas tenho que parar com essas bobagens, sinto que ele não vai mais voltar. 

Hoje começa os ensaios na casa da Hayla, pois vamos viajar no mês que vem e falta poucos meses pro dia da apresentação, então antecipamos tudo. Hoje teve prova e como terminei mais rápido to aqui na frente da faculdade esperando o pessoal sair da sala para irmos ensaiar.


                   Mirella p.o.v 

Terminei minha prova um pouco depois que a Vanessa, ué mas cade ela? saí da sala e não a vi, aproveitei e fui para o bebedouro e dessa vez trouxe minha garrafinha, bebi uns goles e vi de longe o Bruno saindo da sala distraído, saí de fininho e me escondi atrás de um armário. Quando ele passou derramei a água na camisa dele e cai na gargalhada.

"Por que você isso?!" - Bruno olhava indignado para a camisa ja encharcada.

"Deu vontade sabe" - ironizei e caí na gargalhada.

"Tu me paga Mirella, se eu fosse você saía logo correndo" - Bruno me fitou, arregalei os olhos e corri depressa pelo corredor.


                Vanessa p.o.v 

"Vanessa, Vanessa arf...arf... onde tu tava? To um tempão te procurando arf... arf..." - Mirella chegou correndo e puxando o ar de tão cansada. 

"Tava aqui esperando vocês, calma aí mana, assim tu vai ter um treco" - soltei varias risadas da situação dela. 

"Aaaah fui, ate depois..." - ela nem completou a frase e vi Bruno correndo igual um foguete atras dela, aposto que ela aprontou com ele. 

"Esses dois se merecem" - me acabei de rir da cena e logo Pedro e Hayla chegaram e me chamaram pra ir com eles.


                Bruno p.o.v 

Olha como ela me deixou? Todo molhado ah mas ela me paga com juros. Corri o mais depressa possível e vi a Vanessa parada na entrada e nem deu tempo de falar com ela, meu foco era alcançar a Mirella. Ela fugiu em direção ao bosquinho que ficava aqui perto e se escondeu atrás de uma árvore, fui de mansinho e a agarrei por trás.

"Aaaaai Bruno quer me matar do coração?!" - quase fiquei surdo com o grito dela.

"Agora é minha vez querida" - não pensei duas vezes e a enchi de cócegas fazendo ela cair na grama de tanto rir.

"Para Bruno hahahahahaha" - a risada dela é gostosa de se ouvir, e parei e ela ja lagrimava de tanto rir.

"Eu te odeio seu palhaço" - ela ria enquanto batia no meu braço.

"Tu me ama que eu sei" - debochei e ela me mostrou o dedo do meio. Avistei Vanessa, Pedro e Hayla atravessarem a rua. - "vamos, eles ja foram pra casa da Hayla" - me levantei e estendi a mão para ajudar Mirella a ficar de pé também, e assim fomos correndo para acompanhar eles.


~ Na casa de Hayla ~

              

             Vanessa p.o.v 

Depois que Dulce, Lorenzo e Felipe chegaram Hayla nos ensinou os passos de dança, era meio complicado mas foi fácil de aprender, menos para Bruno e Pedro que eram desengonçados, fiz de tudo pra não olhar pra eles pois era muito engraçado.

Ficamos mais ou menos umas 2 horas ensaiando, estavamos exaustos e para decontrair Hayla trouxe uma garrafa de vinho e uma outra garrafa vizia para jogarmos verdade ou desafio.

"Galera é o seguinte, quando girarem e a boca da garrafa parar em algum, esse faz a pergunta, e responde quem tiver na direção da base da garrafa, entenderam?" - ela explicava e todos concordamos.

Ela girou e caiu em Dulce e Bruno.

"Verdade ou desafio?" - perguntou Dulce a Bruno.

"Verdade" - respodeu ele.

"É verdade que você ja foi afim da Vanessa?" 

"Claro que não ué, ela é minha irmã" - todos ficaram tipo 'aham sei'.

Bruno girou e caiu em Lorenzo e Felipe.

"Verdade ou desafio?" - perguntou Lorenzo.

"Verdade"

"É verdade que você nunca comeu um mina?" - Felipe corou na hora.

"Claro que já, ta me tirando?" - senti uma mentira nisso.

Lorenzo girou e caiu em Pedro e em mim.

"Verdade ou desafio?" 

"Verdade" - respondi

"É verdade que você ja ficou com o Guilherme?" 

"Infelizmente já" - revirei os olhos enaquanto todos gritavam um huuummm. - "só foi um beijo gente, não passou disso".

"Bora gente, cadê os desafios nessa poha?" - questionou Hayla.

Pedro girou e caiu em Hayla e Mirella.

"Verdade ou desafio?"

"Desafio" 

"Te desafio a dar um Beijo no Bruno" - Hayla a fitava e Mirella sem ânimo algum se levantou e foi em direção ao Bruno e deu um selinho rápido.

"Assim não vale, beija ele direito" - disse Hayla insatisfeita.

Mirella deu um selinho um pouco demorado nele, quando o soltou, Bruno estava corado de vergonha. E nós ficamos batendo palmas e dando gritinhos fazendo os dois ficarem mais vermelhos que um pimentão.

* * *

Depois que terminamos de jogar, contiamos bebendo vinho e jogando conversa fora, percebi que Bruno e Mirella se olhavam e depois disfarçavam. Bruno se levantou e disse que queria usar o banheiro e não voltou, minutos depois Mirella disse a mesma coisa que queria ir ao banheiro. Continuamos conversando sobre varias coisas aleatórias.

"Não sei porque mais sempre quis ver uma assombração" - Felipe tocou nesse assunto do nada.

"Credo, Deus me livre de ver um troço desse, sabia que se tu falar isso, tu acaba invocando uma?" - falou Dulce.

"Mas é essa a intenção, ja fiz os carai a quatro e nunca vi" - Felipe fez uma cara triste forçada.

"Eu ja vi e não é tão ruim assim" - falei lembrando do Michael.

"Do jeito que tu é escadalosa, quem se assustou foi o próprio fantasma" - brincou Pedro fazendo todos rirem, e mostrei o dedo do meio pra ele.

"Tu me respeita carai" - deu um tapa de leve nele enquanto ele ria frenéticamente. 

"Ta bom gente ja chega desse assunto" - Hayla ja estava incomodada.

"Vocês ficaram sabendo da viajem que a turma da sala da Vanessa ta planejando?" -disse Dulce empolgada.

"Aham, ja alugaram ate o ônibus, vocês vão?" - perguntou Felipe.

"Ah não sei vou" - falei sem ânimo.

"Ah mas tu é chata em! Vem logo, vai ser mó legal" - Lorenzo pegou em meu ombri me sacudindo e tirei a mão dele de lá reclamando.

"Tá eu vou, mas só porque ficar em casa é mega entediante".

"Ué cadê o Bruno e Mirella?" - Hayla perguntou quando notou que os mesmos não estavam lá.

"Sei lá ué" - Lorenzo deu de ombros.

"Vou lá chamar eles" - me levantei e fui atrás dos dois, estranho eles não terem voltado ainda, fui ate um quarto que tava com a luz acesa e a porta fechada, abri lentamente e me deparei com os dois sentados na beira da cama se engolindo, era mão boba pra cá, mão boba pra lá, ele tentava tirar a blusa dela mas ela não deixava. Fiquei de boca aberta olhando essa cena, ate que os dois notaram e me encaram mais vermelhos que um pimentão, eu me segurei pra não rir disso, Bruno saiu rápidamente do quarto sem olhar na nossa cara. Assim que ele saiu caí na gargalhada e Mirella tapou o rosto de vergonha.

"Desculpa não queria atrapalhar vocês" - falei enquanto me recuperava do riso excessivo.

"Não aconteceu nada, você não viu nada" - Mirella nem sequer olhava pra mim.

"Não... magina, só vi vocês quase se comendo aqui, aquilo não era um beijo não, era um início de um transa" - ri mais ainda.

"Não conta pra ninguém sobre isso, não quero estragar minha amizade com vocês" - finalmente ela olhou pra mim.

"Claro fia, tu me conhece, sabe que eu nunca faria isso, o ruim vai ter que tirar essa cena que acabei de ver da minha cabeça" - fiz cara de nojo.

"Palhaça" - ela me deu um tapa no braço e reclamei - "bora logo voltar la com o pessoal" - saimos do quarto e fomos para a sala fingindo que nada aconteceu.

   

No dia seguinte...       

 

                Mirella p.o.v 

Tentei agir com naturalidade, mas o pessoal desconfiou que tinha rolado alguma coisa entre eu e Bruno, somos apenas amigos mas sabemos o que sentimos um pelo outro, o pior que não sei se to amando ele ou isso não passa de uma simples atração, não quero me envolver com ele, pois se não dermos certo vai ficar um clima pra lá de ruim ja que nos vemos todos os dias, então prefiro manter essa amizade. Ja era de manhã, acordei com alguns pulos na minha cama, abri os olhos e dei de cara com a Vanessa pulando do meu lado.

"Ate que enfim mana, tu dorme que nem pedra" - ela parou de pular e se sentou do meu lado.

"Bom dia pra você também Vane" - bocejei e atirei um tavesseiro nela.

"Ainda to passada com o aconteceu ontem" - ela riu lembrando da cena.

"Ah não Vanessa, esquece isso" - tapei meu rosto com as mãos.

"Não sei o tanto impede de vocês ficarem juntos de vez, você mesma afirmou que gosta dele, e ta na cara que ele também gosta de você" - Vanessa rapidamente ficou com a expressão mais séria.

"Eu sei Vane, mas se não der certo? Como vai ficar nossa amizade com você? Obviamente tu não iria defender um e ignorar o outro" - abaixei meu tom de voz para que só ela escutasse.

"Você tem razão, mas não quero que vocês se prendam por minha causa, se vocês se gostam deixa rolar logo de uma vez" - ela tem razão, o fato que não queremos envolver ela nesse rolo.

"Aliás nem sei se ele realmente gosta de mim" - falei

"Como tu ousa dizer isso? Conheço bem o meu melhor amigo, toda vez que a gente se vê ele só sabe falar de você e o quanto você é linda" - meu coração disparou quando ela disse isso.

"Sério?" - falei boqueaberta.

"Sim. Ah! Eu vou alí comprar uma roupa pra usar na viagem, vem comigo?" - ela se levantou e foi a sala me esperar.

Me arrumei rápido e fui lá pra sala e me deparei com a Clarisse (minha irmã pequena) mostrando alguma coisa no tablet pra Vanessa, deve ser algum jogo que ela baixou, sorri fraco e chamei a Vanessa para irmos logo, a mesma se despediu de Clarisse e fomos até uma loja que ficava a alguns quarteirões de distância.



                Michael p.o.v 

Eu estava entendiado e fui ate a biblioteca da minha mansão, peguei um livro qualquer, me sentei em uma poltrona que havia alí e comecei a ler as primeiras páginas do mesmo. Fui interrompido com batidas na porta.

"Desculpe o encomodo sr. Jackson mas tem alguém querendo lhe ver" - o mordomo deu o recado e logo se retirou.

"Pode entrar" - falei sem desgrudar os olhos do meu livro.

"Oi Mike, sentiu minha falta?" - ouvi uma voz feminina e logo olhei para ver quem era.

"O que você está fazendo aqui?..."




Notas Finais


Tam... tam... tam.... até a próxima ❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...