História Best Enemy ( Michaeng ) - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias TWICE
Personagens Chaeyoung, Dahyun, Jihyo, Jungyeon, Mina, Momo, Nayeon, Personagens Originais, Sana, Tzuyu
Tags Abo, Abo Yuri, Chaeyoung, Menção 2yeon, Menção Dahmo, Menção Satzu, Michaeng, Mina, Myoui Mina, Son Chaeyoung, Twice, Yuri
Visualizações 375
Palavras 1.233
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Bishoujo, Comédia, Ficção Adolescente, LGBT, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai, Yuri (Lésbica)
Avisos: Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Hellou pessoas

Tudo baum ?

Antes de começar, é importante que saibam disso.

1) Eu vou alterar as "personalidades" dos ômegas. Eles serão mais agressivos, chegando a matar.
2) TALVEZ o prólogo será o POV Mina, o resto, será POV Chaeyoung. Ooou, Chaeyoung será o próximo POV e depois o resto, a Mina
3) Ômegas não são submissos aos Alfas ( em nenhum sentido ). Os alfas somente são considerados mais fortes e menos delicados.

Entre outras coisas... Vcs vão ver.


Boa leitura

Capítulo 1 - Prólogo


Mina POV

— Myoui, acorda! 

Acordar com sua capitã gritando – berrando – no seu ouvido é maravilhoso, não é? Oh, você não sabe como é isso. Você é um tremendo sortudo então...

— Sim, senhora. — digo arrastado e com a voz falha por ter acordado agora. — O que terá hoje?

Aí você me pergunta "cadê aquela forma de respeito entre soldado e capitã?" E então, eu te respondo: a capitã é minha amiga.

— Nada de treino. Somente algumas aulas de como lidar com os lobisomens. — disse rindo.

Sabemos que não são lobisomens mas... e daí? 

— Ah, por que? Não é só atirar e eles já estão mortos? — pergunto.

— Não, Myoui. — responde séria — Quero dizer, sim. Mas, não é só isso que devem fazer.

— O que devemos fazer então ? 

— Saberá nessa aula. Ah, e antes que eu me esqueça, se vista de acordo pois cientistas virão aqui e eu quero me sentir superior. — ela diz rindo com a própria besteira que disse.

— Jeongyeon-ah, você não é engraçada. — Nayeon entra no "dormitório" e diz.

— Não ligo. Vocês tem que rir, sou a capitã.

Dessa vez, nós rimos involuntariamente.

— Ha! Ganhei! — Jeongyeon joga os braços para o ar.

— É, ganhou sim, capitã. — Nayeon sorri bobamente.

É hora de deixar o casal mais meloso do lugar, sozinho.

— Vou indo. — digo sem nem olhar para trás já sabendo que elas estariam quase tirando a roupa uma da outra — Noção, hein! — digo ainda sem olhar.

Idiota!  Jeongyeon grita. — Mas ela está certa, amor. Você tem que ir 'pra lá.

Atrapalhei muita coisa.

______

Ignorei totalmente as reclamações e resmungos que a Nayeon disse ao se sentar na minha frente e prestei atenção a "aula" que os cientistas vieram nos dar.

— Okay, isso vai ser complicado. — um homem começou. — Alfa, Betas e Ômegas. Essas são as classificações dos híbridos.

Que chato.

— E não é atoa que eles têm isso então, me escutem se não quiserem morrer. — pesado. — Começando pelos Alfas. Eles são os mais agressivos, e quando chegam ao limite de raiva, seus olhos ficam vermelhos. Sempre estão prontos para matar. — recuperou o ar — Betas não são tão agressivos, por isso, nem sempre têm a coragem dos Alfas. Eles são os mais fáceis de lidar em certos pontos, mas se provocarem, tomem muito cuidado. Quando seu limite de raiva é atingindo, seus olhos ficam verdes. — suspirou — Ômegas, são um pouco mais agressivos que os Betas, porém, são mais frágeis e covardes. Quando o limite de raiva é atingindo seus olhos ficam azuis. 

Não entendi a diferença de nenhum, à não ser pelos olhos.

— A diferença entre eles são o temperamento, entre outras coisas que eu demoraria dias falando aqui, então, foquem nos olhos. — Timer perfeito. — Alfas sempre terão os olhos vermelhos, Betas, verdes e Ômegas, azuis. Alguns terão exceções e são essas que vocês terão um tratamento diferenciado. Park, explique.

O homem disse e logo uma mulher começou a falar.

— Bom dia, soldados. Sou Park Jihyo, a cientista que ficará "cuidando" dos híbridos que vocês irão trazer para cá. 

Todos nós arregalamos os olhos em perfeita sincronia. 

— Acho que você se apressou. — o homem comentou e riu fraco. Eu até riria mas o clima 'tá tenso então... Er. 

— Claro que sim. — ela disse baixinho em bateu na própria testa. — Enfim, esses híbridos diferenciado serão mais agressivos que o normal, podendo agredir até mesmo os da própria espécie, independente da classificação. Então, para vocês não correrem perigo em dobro, daremos essa pistola com uma munição especial que os fazem dormir. Depois, vocês arrastam eles até aqui ou chamam reforços com o esse aparelho de comunicação. — mostrou um aparelho de forma redonda com uma tela semelhante a de um celular dos anos 2017. Porém claro, tela redonda. — Feito isso, boa sorte a vocês, soldados. — sorriu e deu espaço a outro cientista.

— Geralmente esses híbridos diferenciados tem olhos diferentes dos demais. Exemplo: um Ômega metade Alfa tem olhos roxos, ou um olho de uma cor e outro olho de outra cor; depende muito de cada híbrido. Betas que são meio Alfas ou Ômegas são do mesmo jeito, e assim em diante. Feito isso, queria dizer algo que o cientista Kim esqueceu de dizer quando estava explicando sobre os híbridos — sorriu maldoso —, os Alfas se estressam muito, rápido e fácil. Boa sorte.

Sorte? Acho que vou precisar mesmo.

Que absurdo é esse que vamos fazer? — escuto um soldado dizer. Se não me engano, acho que é o Chanyeol.

Não sei, mas espero sair vivo. Tenho uma filhinha para cuidar.

Coitado do Yoongi. 

Sabe, eu conheci a filha do Yoongi quando ela veio dar uma volta no nosso quartel na Coréia, ela é muito fofa. Qual é mesmo seu nome? Ãhm... Acho que é Min Yang-Mi. 

Agora, nós estamos no Japão. Sim, Japão. Há menos híbridos aqui e depois, vamos avançar para Coreia – que tem mais. Aliás, é o foco – enquanto a polícia evacua os cidadãos para outros lugares do país ou até mesmo, outros países, como o Brasil e outros países da América que não tem nenhum rastro de híbridos.

— Minatozaki! — Jeongyeon chama uma soldada japonesa. — Sou Jeongyeon, vou fazer uma "parceria" com seu capitão. Ele me disse que você poderia me mostrar o lugar. Pode fazer isso? 

Como sempre, Jeongyeon fazendo amizades do jeito mais imprevisível.

— O que? Me desculpe, eu não falo coreano. — disse em japonês e eu me segurei para não rir da cara que Jeongyeon fez.

— Jeongyeon, ela não fala coreano. — traduzi.

— Então, você pode pedir para ela lhe mostrar e depois você me mostra? 

Não respondi.

— Minatozaki? — ela assentiu. — Pode me mostrar o quartel, para depois, eu mostrar à minha capitã? — pergunto em japonês.

— Claro! Venha comigo.

Saímos daquela "aula", que por sinal, já havia acabado a algum tempo, mas os soldados quiseram fazer algumas perguntas para os cientistas. 

— Você tem família? — ela pergunta quebrando o silêncio.

— Sim. Mas, estão nos Estados Unidos desde que eu avisei sobre essas... coisas. — respondo e vejo um seblente triste se formar em seu rosto. — Falei algo errado?

— É que... minha namorada virou uma híbrida.

Wow. A namorada dela... foi um experimento! 

— Sua namorada foi-

— Sim. — respondeu seca. — A mãe dela tinha câncer e prometeram a ela que se ela fosse um experimento, e se desse certo... a mãe dela teria a cura. 

— Esses híbridos são a cura de doenças? 

— Esses híbridos eram para ser a cura de doenças. — respondeu olhando em volta. — Eu sei mais coisas que qualquer outro soldado desse lugar. Qualquer dúvida, me diga e eu lhe responderei. — sussurrou. — Não conte a ninguém. Eles me fariam de isca para esses híbridos.

Conciderando que ela já comeu uma... okay, má hora não é? Desculpe.

— Sinto muito pela sua namorada, e não se preocupe. Não conto a ninguém sobre o que sabe. 

— Obrigado. — ela disse baixinho e andamos mais alguns metros — É isso. Boa sorte.

— Para você também. — sorrio.

Agora, é so mostrar isso agora Jeongyeon e eu estou livre o resto do dia. 

~5 dias depois 

É hoje. Hoje é o dia em que nós vamos partir para a guerra com eles. 

Os lobisomens...

Não me corrija! Eu sei que é híbrido, mas não vou chamar assim.






Continua...










Notas Finais


É isso, até o próximo cap.
Já imaginaram a Sana ou a Jeongyeon como uma soldada ? Essa é minha fantasia ( acrescente a carinha que não sei fazer )


Baye pessoas


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...