História Você não me suporta! - Capítulo 46


Escrita por:

Postado
Categorias Igor Cavalari (Igão Underground), Júlio Cocielo, Lukas Marques & Daniel Mologni (Você Sabia?)
Personagens Daniel Mologni, Personagens Originais
Visualizações 13
Palavras 731
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Ficção, Ficção Adolescente, Literatura Feminina, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Spoilers, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 46 - Capítulo 46


-O Lukas me deu aliança, mas ele não usa! Mudei meu status de relacionamento e ele não muda! Pedi pra ele parar de responder essas barangas no Twitter e ele não para! - Ela fez bico.

-O Lukas não é de usar anel, não gosta de expor a vida na rede, e provavelmente as barangas que ele responde são fãs. Você precisa entender que nós temos um dever a cumprir. Não é que a gente queria sair distribuindo atenção a todos, mas a gente deve isso a eles. - Expliquei, Julianna pareceu prestar muita atenção e entender o que eu dizia. Ela sussurrou um "Ok..." e ficou ali curtindo meu carinho até que alguém bateu na porta.

-Tá aberta. - Gabriela disse em voz alta.

O Lukas abriu a porta e a sua cara, quando viu aquela cena, não foi nada, nada amigável.

-Julianna? A gente pode conversar? - Ele disse seco.

Julianna pulou do meu colo e foi na direção dele o agarrando pelo pescoço. Meus olhos não quiseram ver essa cena então desviei-os para Gabriela que estranhamente me olhava. Dei meio sorriso pra ela que deitou no meu peito. Ah mas que porra! O que está acontecendo?

Alguns dias depois, Gabriela e eu nos víamos sempre que dava, e hoje ela queria me ver mas eu a enrolei, nem falar com ela conseguia, e eu não fazia ideia do porquê, até que ela desistiu e não mandou mais mensagem. Larguei o celular frustrado pela terceira vez vendo se ela não tinha mandado mais nada.

-Daniel? - O Lukas bateu na porta, ver ele ali, parado chamando meu nome me fez ficar sem ar. Literalmente parei de inspirar para não ficar embriagado com seu perfume.

-Fala. - Olhei para o chão.

-Posso conversar com você? - Ele se sentou ao meu lado na cama, não não! Por favor, não!

-Pode. Precisa de alguma coisa? - Disse frio, eu precisava tirar isso de mim. Tirar ele de mim.

-É um assunto sério. - Ele pigarreou - Eu preciso dizer que não gostei nem um pouco de ver três mulheres em cima de você aquela tarde. Sendo uma delas minha namorada. Eu acho - Ele engoliu suas palavras.

-Acha o que Lukas? - Insisti.

-Que como você foi um amor muito forte, eu não superei você ainda. - Suas palavras pareciam querer sufoca-lo. Com certeza, sufocaram-me.

-Mas a gente não teve nada. Não temos nada. Acho que sim, como fomos namorados por um tempo é provável que ver essas cenas vai ser difícil, mas a gente combinou só em um aspecto. Você e a Julianna combinam em tudo. E você vai ser muito feliz. - Eu queria que ele saísse dali antes que eu fizesse besteira. De repente um pensamento vem na minha cabeça, Gabriela!* é por ela que eu estou apaixonado agora. Tinha certeza disso.

-Você disse pra Gabriela que não tivemos nada não é? - Ele disse triste. Ok, isso havia sido um erro meu.

-Sim eu disse. - Murmurei.

-Tudo bem. - Ele se levantou mas eu segurei sua mão involuntariamente e o abracei.

-Sentiria alguma coisa? - Ele perguntou suspirando.

-Só culpa. - Sussurrei segurando seu pescoço.

-Eu também. Finalmente, eu superei você Daniel. - Ele saiu dali me deixando a certeza que estávamos livres do nosso laço romântico. Nós dois juntos? Acho que não.

-Finalmente. - Sussurrei pra mim mesmo.

Escuto meu celular tocar, Gabriela. Atendo sentindo minhas lágrimas de alívio caindo pelo rosto.

Gabriela

Obriguei Lily e Julianna me deixarem ir no mercado sozinha, por mais que estivesse traumatizada minhas melhores amigas não precisavam ser carcereiras né?

-Já volto. - Gritei já do lado de fora da casa antes que pudessem me segurar.

Andei sentindo a brisa do fim de tarde, do vento, do Sol. Sentia falta.

Chegando ao mercado, comprei algumas coisas pra fazer strogonoff. Uma moça passou ombro a ombro comigo.

Ela derrubou da minha mão uma caixinha de creme e se abaixou para pegar. Ela balbuciou um "me desculpe" e enxugou algumas lágrimas dos seu rosto.

-Tudo bem. Não tem problema. - Disse me levantando com as caixinhas.

-Eu sou uma desastrada. - Ela ia saindo da minha frente quando a chamei de volta.-Eu sei que não é da minha conta, mas por que está chorando? - Olhei solidária para ela assim como Nathália olhou pra mim a primeira vez que me viu com problemas.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...