História Você prometeu (BTS- Min Yoongi-ABO) - Capítulo 6


Escrita por:


Notas do Autor


Mais uuuuuuuuuum!!! Espero que gostem. Feito com muito amor e carinho.
Boa leitura!
Aviso: AMO VOCÊS, TÁ? 💜

Capítulo 6 - Cap.04


Fanfic / Fanfiction Você prometeu (BTS- Min Yoongi-ABO) - Capítulo 6 - Cap.04

Estávamos dando uma volta para conhecer o lugar. Daejeon era um lugar muito bonito.

–O que acham de ir a um barzinho? Tem um muito legal perto do apartamento– disse Jeon, recebendo sorrisos de todos nós.

–Boa ideia, amor. Já que você sugeriu....Você paga a conta do nosso jantar– ele desviou a atenção do volante rapidamente para Jimin.

–Mas o quê?!– disse, voltando a prestar atenção a estrada.

–Calma, Kook. Ele está só brincando, não é, Chim?– disse , lançando um olhar desconfiado para o moreno.

–Hum...– ouvi o resmungo de Tae e me voltei para ele.

–O que foi, Tata?– perguntei, vendo seus olhos um pouco melancólicos.

–Sei lá. Estou me sentindo estranho. Meu lobo está sentindo falta de alguma coisa– disse, respirando fundo e fazendo um biquinho, chateado.

–Ou de alguém– disse Jungkook, olhando-o pelo retrovisor.

–Concordo. Seu lobinho está sentindo falta do Hoseok– disse, tentando implicar com ele.

–É....Talvez seja isso mesmo. Ele me faz muita falta– disse ele, cabisbaixo.

–Tae, está tudo bem? Você nunca foi de se apegar muito– disse, segurando sua mão, alisando-a.

–E ainda mais que vocês dois se conheceram há pouquíssimo tempo– disse o Park, com as sobrancelhas arqueandas.

–Não sei, mas eu realmente gosto dele. Não sei bem o porquê. Eu só...gosto– disse, frustrado.

Ri soprado. Tae nunca de apaixonava. Hoseok conseguiu uma proeza e tanto.

–Tenho certeza que ele sente o mesmo por você. Caso contrário você não estaria desse jeito. Um lindo bobinho apaixonado...– fui interrompida pelo toque do celular do Tae.

–Alô? Hoseok?– percebi seus olhos tomarem um brilho intenso– Também estou sentindo sua falta– suas bochechas tomaram um tom avermelhado. Os meninos e eu só observávamos, abobalhados– Que drama! Nós voltarem amanhã– disse, rindo– Surpresa?– disse, desconfiado, olhando para nós– Está bem. Tchau, Hobbie– disse e desligou, mega feliz.

–Uma surpresa?Hum...– brinquei, deixando o mais velho ainda mais encucado.

–Chegamos, pessoal– disse,Jeon, parando na nossa vaga do estacionamento.

Subimos para nos arrumar para o jantar que marcamos. Deitei na cama com tudo, feliz, por ter concluído o último trabalho do curso. Nós receberiamos nossos diplomas antes da véspera do Natal.

Estava devaneando, quando meu celular notificou que eu tinha recebido mensagens.

(Chat On)

H–Mina? Posso falar com você?

M–Oi, Hob...Hoseok. Desculpa.

H–Sem problema, linda. Pode me chamar de Hobbie. Amo esse apelido, assim com o garoto que me deu ele.

M–Tae?

H–Sim. É sobre ele mesmo que quero falar com você. Você pode fazer um favor para mim?

M–Claro. Pode dizer.

H–Vou pedir o Tae em namoro amanhã, no aeroporto. Pode levá-lo ao portão principal de desembarque?

M–Claro que posso!

H–Você acha que tudo bem?

M–Meu amor, você enlaçou o puto do Taehyung. Você conseguiu sossegar o facho dele! Você tem até a minha benção para o casamento!

H–Ai, Mina. Você é uma figura. Então pode fazer isso por mim?

M–Claro, Hobbie. Vou dar uma de cúpido amanhã. Beijão para o anjo que caiu do céu!

H–Por Deus, sua menina serelepe. Tchau, querida.

(Chat Off)

Cai na cama, animada. Hobbie e Tae juntos. Só faltava Jin e Namjoon. Mas eu daria um jeito. Todos os casais juntos e feliz...

Como será que estava Yoongi?, pensei. Por que nossa vida não podia ser como a do Tae o do Hoseok? Tão pouco tempo juntos, mas já se amavam. Um falava com tanto amor do outro.... Por que não podia ser daquele jeito em minha vida?, refliti, indo para o banheiro.

–O quê?!– disse Chim, alarmado– O Hoseok vai pedir o Tae em namoro?!– tapei sua boca com certa força.

–Ficou doido?! Ele pode te ouvir! Vai que ele entra no quarto do nada– disse e o mesmo assentiu, se rendendo.

–Poxa....Então o negócio dos dois é sério mesmo. Ai que bonitinho! Mais um casal na família!– disse ele, amassando minhas bochechas.

–Ei, seu pateta!– disse, dando um tapa em sua mão– Agora temos que agir como se não soubéssemos de nada– ele afirmou, sorrindo.

O barzinho estava mais para um "restaurante" de estilo rústico. Bem voltado para o natural.

–Temos que pedir uma mesa?– disse Park, olhando ao redor, quando entramos no barzinho.

–Não, amor. Eu já reservei. Depois daquela "pontezinha"– disse, guiando-nos até lá.

–Que namorado mais eficiente. É assim que eu gosto– disse, todo mandão– Amor, que...lindo– disse, parando para admirar o "riozinho" que tinha embaixo da ponte.

–Sabia que você ia gostar– disse, calmo e alegre ao ver o cara que tanto amava tão feliz.

–É maravilhoso– disse o mais baixo, admirado re, claramente, mais apaixonado ainda por Jeon.

Eu até entendia aquele olhar. É natural que depois de tanto tempo o relacionamento desse uma sossegada, mas Jungkook sempre surpreendia Jimin até nas coisas mais simples do dia a dia. Aquilo mantinha o relacionamento dos dois sempre ativo. Eu sempre li livros de casais e finais felizes. Vi o casamento dos meus avós, mas nunca vi um casal como aqueles dois. Estava para nascer duas pessoas que se amassem mais que Jeon e Park.

–Isso tudo é muito lindo e tals....Mas nós dois não somos obrigados a segurar bela para vocês. Vamos– disse, puxando os dois pela manga da camisa e pude ouvir Tae rindo logo atrás.


A noite havia sido maravilhosa. Cheguei no apartamento exausta.

–Então boa noite para...

–Não, Chim– disse, o interrompendo– Deixa o Tae dormir comigo– tanto Jeon quanto Jimin ficaram me olhando com cara de desentendido. Já Tae e eu trocamos olhares pervertidos– Aproveita a noite– pisquei para eles e os mesmos riram.

–Vamos, Mi– disse o Kim, rindo e me acompanhando.

–Ai ai...Eles acham que eu sou tonta. Do jeito que estava alí, era até possível os dois se pegarem no corredor, de madrugada– disse, deitando na cama e me agarrando aos travesseiros.

–Pensei nisso também. Pequena, eu vou tomar banho– disse, jogando a toalha no ombro. Fiz sinal de "okay" e peguei o celular. Tinham algumas mensagens. Arregalei os olhos. Eram mensagem do Yoongi

               (Chat On)

Y–Mina, concluiu o trabalho?

Que horas vocês voltam amanhã?

Não me deixe sem notícias. Odeio isso.

M– Boa noite para você também, Sr.Mandão. Sim, já concluímos os trabalhos e já estão nas mãos dos professores. Acho que sairemos oito da manhã. Como está Suga?

Y–Estou ótimo. Por quê?

M–Nossa...Yoongi. Você é uma gracinha, não é? Fala como ele está, por favor.

Y–Aquele montinho de pelos está ótimo. Só come, anda um pouco dentro de casa e dorme. Ele vai ficar parecendo uma bola. Come demais!

M–A culpa é sua! Deve estar dando comida demais para ele.

Y–Não estou não! Você que o acostumou mal, Mina. Enfim, ligue para mim antes de sair amanhã.

M–Tudo bem, Sr.Marrento. Boa noite!

Y–Boa noite, Sra.Teimosia.

                  (Chat Off)

Não pude segurar um sorriso pequeno surgir em minha face. Era raro ele estar daquele jeito. Senti um frio na barriga, como se fosse vontade de vomitar. Corri para o banheiro, aflita. Joguei água no rosto para aliviar aquela sensação estranha e me encarei no espelho. Espantei-me com a cor dos meus olhos. Eles estavam em um tom flamejante de violeta.

Eu o quero, Mina. O lobo do Yoongi é meu! Volte para casa. Sinto falta dele. Quero sentir o cheiro dele, agora!”

Senti meu coração desparar e uma tontura me deixar fraca. Cai sentada sobre o sanitário. Luna era uma loba muito teimosa e mandona. Quando ela colocava algo na cabeça, não tirava. Mas eu não deixaria ela tormar o controle da situação.

–Nem pensar, Luna. Você não vai me fazer de idiota de novo– disse, bufando, irritada.

               (Yoongi On)

Meu lobo não parava de me encher o saco. Estava andando de um lado para o outro na sala. Nada fazia ele ficar quieto. Sentei no sofá, exausto. E Suga veio deitar em meu colo. O peguei nós braços e encarei o bichano.

–Por que sua dona tem que ser tão teimosa, hein?– perguntei ao peludo, como se ele fosse me responder. Ri de mim mesmo.

Senti um frio na barriga e pude sentir meu corpo esquentar. Obedeci meu talhe e caminhei quase correndo até o primeiro andar. Adentrei o quarto da mais nova e...merda! Que cheiro maravilhoso! Aquele aroma doce fez com que o meu lobo ficasse tranquilo. Deitei-me em sua cama, me afundando em suas cobertas, inalando seu doce e delicado cheiro.

                (Mina On)

Minha noite não havia sido uma das mais fáceis. Luna passara a madrugada inteira testando minha paciência. Ele queria, a qualquer custo, voltar para Yoongi.

–Bom dia, Mi....Que cara é essa?– perguntou Tae, encucado.

–Luna não me deixou dormir. Ela está me tirando do sério– bufei, sentando na cadeira, junto aos meninos, na área alimentar do hotel.

–Hum? Por quê?– perguntou Jimin.

–Eu não sei. Ela está estranha. Sem motivo algum ela quis tomar o controle ontem– disse, inspirando profundamente.

–Já pensou que ela pode estar sentindo falta de algo? Ou de alguém?– disse Jeon, demonstrando que estávamos falando de um certo alguém.

–De Yoongi? Qual é, Kook?– revirei os olhos e ri, debochada.

–Mina, Jungkook pode ter razão. Você e Yoongi podem não se dar muito bem, mas isso não impede de que sua Luna e o lobo dele sejam companheiros.

Aquela ideia fez minha loba festejar, me deixando ainda mais irritada. E nós dois como companheiros? Não era possível.

–Se isso for possível, não adianta. Luna não vai mandar na minha vida. Quem está no controle sou eu, não ela– disse, bebericando meu café amargo.

Estávamos colocando as malas no carro para irmos embora.

–Mi, pega a última mala de mão com o Jimin, por favor– disse o Jungkook.

–Chim!– disse ao subir as escadas– Vamos! Só falta essa ma...Aaah!– gritei ao sentir ser impulsionada para trás.

–Mina!– foi a última coisa que ouvi antes de bater a cabeça em um dos degraus da escada.

                (Yoongi On)

Estava na empresa, numa reunião. Até que senti meu peito apertado e a primeira coisa que veio em minha cabeça foi a Mina. Meu lobo não parava quieto e eu não iria aguentá-lo por muito tempo.

–Senhores, dêem-me licença, por favor–disse, levantando e sai às pressas dali.

Tentei ligar para ela, mas a mesma não atendia. Liguei para o tal Jimin e ele também não atendia. Liguei para o namorado dele.

–Anda, Jungkook. Atende essa merda– disse, andando de um lado para o outro.

              (Ligação On)

JK–Alô? Quem é?

Y–Cadê a Mina? Aqui é Min Yoongi.

JK– Ela está...está...

Y–Anda logo, Jungkook! Diga-me onde está a Mina!

JK–Ei! Pega leve aí, cara. Ela está no hospital–Meu coração gelou. Hospital? O que tinha acontecido para ela estar em um hospital?!, pensei, passando a mão pelo cabelo–Mina acabou sofrendo um acidente. Acabamos de chegar no hospital. Ela caiu da escadaria do hotel.

Y–Ela o quê?! Como ela está?!

JK–Não sei. Jimin entrou com ela, mas Tae e eu estamos na sala de espera. Yoongi, calma. Ela vai...

Y–Calma?! Não tem merda nenhuma de calma aqui, Jungkook.

JK–Yoongi...

                (Ligação Off)

Desliguei o celular na cara dele e corri para o térreo.

–Charlies, desmarque todos os meus compromissos de hoje! Compre uma viajem de avião para Daejeon para ontem!– disse ao meu motorista, entrando no carro.

–Sim, Senhor– disse, arrancando o carro para o meu apartamento.

–Droga!– xinguei, ao ver que a minha última alternativa de ir para Daejeon na havia dado certo. Eu queria arrancar minha pele de tanta raiva.

–Cara, seu celular está tocando. Atende logo!– disse Namjoon, preocupado.

Era do celular da Mina. Meu coração disparou mais ainda.

                (Ligação On)

JM– Yoongi?

Y–Park? Onde está a Mina?

JM–Ei, calma! Ela está bem. Só alguns machucados, nada mais que isso. Sorte nossa. 

Y– E onde ela está?

JM–Está aqui do meu lado, dormindo. Estamos quase embarcando. Chegaremos logo. Tchau.

             (Ligação Off)

Mesmo ouvindo aquelas palavras, eu não conseguia ficar calmo. Comecei a andar feito louco dentro do escritório.

–Eu sabia. Foi um erro deixá-la ir para essa viajem. Eu sabia que algo ia dar errado!– esbravejei, irado.

–Não tinha como você saber, Suga. Todos somos passíveis de que aconteça o mesmo. Graças a Deus ela está bem– disse Hoseok, tentando me acalmar.

–Preciso fumar– disse, vasculhando minhas gavetas.

–Não, cara. Tu não vai fumar merda nenhuma. Faz 2 anos que você não fuma. Por que isso agora?– disse Nam, abismado e irritado.

–Eu quero fumar e eu vou, caramba!– disse, querendo socar algo. Meu lobo estava alimentando minha raiva cada vez mais.

–Não, Yoongi!– disse Hoseok, tentando arrancar a carteira de cigarro da minha mão, tendo êxito– Devolve essa porra, Hoseok!

–Não, cara! Você não vai fazer isso!– disse, me deixando a ponto de explodir de ódio.

–Que se foda!– disse, tirando um litro de vodka do armário de madeira preta. Enchi um copo e virei de uma vez– Merda!– disse, sentindo minha garganta queimar. Virei outro copo de uma vez– Inferno!

–Cara, toma isso aqui– disse Nam, me entregando um copo d'água– Tem um tranquilizante aí– virei o copo de vez. Precisava me acalmar ou iria dar muita merda.

Assim que ouvi as rodas do carro pararem, desci as escadas correndo e lá estava ela. Tão linda e tão...machucada. Travei o maxilar, irado. Ela estava machucada. Ela era minha e eu não gostava que o quê era meu tivesse sequer um arranhão. E como ela estava? Toda roxa, com o rosto vermelho e andando devagar. Aquilo devia estar causando dor à ela.

–Yoongi... 

                  (Mina On)

Ele estava parado, como se tivesse petrificado no final da escada. Chamei-o e o mesmo andou devagar até mim.

–Como você está?– ele falava vagamente. Parecia estar drogado.

–Estou bem. Não foi nada muito grave– disse, sorrindo, aliviada.

–Pequena, ligue para mim, caso precise– disse Chim, me dando um beijo na testa, antes de ir embora. 

–Nós estamos indo também. Yoon, liga, okay? Mina, pode chamar se precisar– disse Hobbie, sorrindo para mim.

–Dêem notícias– disse Namjoon.

–Okay. Obrigada, meninos– disse antes deles saírem.

Estava alí sentada no sofá por uns vinte minutos e Yoongi não falava nada, sequer me olhava. Comecei a ficar preocupada.

–Yoongi, está tudo bem?– perguntei e, enfim, ele me olhou.

–Eu sabia que isso não ia dar certo– disse, levantando sobressaltado– Se você não fosse tão teimosa, não estaria assim!– exclamou, me assustando.

–Ei! Isso pode acontecer com qualquer um. Por que eu seria a privilegiada de ser livrada disso?!– falei, nervosa.

–Se tivesse sob os meus olhos, não teria acontecido isso!– esbravejou, irado.

–Você não é Deus, Yoongi! Não pode ditar tudo que acontece com todo mundo!– gritei, me alterando junto a ele. O mesmo segurou meu braço com força, me fazendo gemer de dor. Haviam alguns hematomas e cortes naquele braço.

–Você é minha, Mina! Odeio ver minhas coisas defeituosas!– disse com o maxilar travado e o olhar cortante sobre os meus olhos que já marejavam pela dor que sua força me causava.

–Eu não sou um objeto para você me classificar como defeituosa ou não!– disse e o mesmo apertou suas mãos em meus braços– Yoongi, isso dói! Está me machucando!– disse, tentando segurar as lágrimas.

–Você é minha, garota! Você não vai mais sair de perto de mim. Nunca mais!– disse, ameaçador e me largou no sofá com força. Meu corpo inteiro doeu com o impacto, apesar de ser fofo. Acompanhei o mesmo com os olhos marejados. Ele bateu a porta do apartamento com força e me deixou alí, sozinha.

Senti, enfim, as lágrimas amargas rolarem pelo meu rosto que parecia ferver. Eu esperava ter paz e alguém que cuidasse de mim quando chegasse em casa. Mas não havia sido nada do que pensei. Yoongi me machucou mais ainda. Tanto física como emocionalmente. Eu não era uma boneca para ele dizer se eu era defeituosa ou não. Odiava quando ele me tratava como uma criança. Por que ele tinha que ser tão duro?, pensei, soluçando.

               (Yoongi On)

Digiri, cantando pneu para a balada mais próxima que vi. Até que o lugar não era dos piores. Comecei a procurar por uma "companhia". Eu só queria esquecer Mina. Se eu pudesse também daria uma surra no meu lobo.

Sentei em um sofá e logo recebi um drink. Cortesia, provavelmente. 

–O gatinho está sozinho?– me virei para a voz sedutora de uma loira alta e olhos verdes. A mesma estava usando um vestido colado que mostrava tudo. Era o tipo de mulher que nós homens só dávamos atenção para ter algo em troca. Uma noitada.

–Sim, querida. Senta aqui– disse, batendo a mão no lugar ao meu lado, e assim a mesma o fez– Quanto você cobra?– fui direto. Eu odiava perder tempo, ainda mais com uma prostituta.

–Sou cara, docinho. Quanto está disposto à pagar?– disse, passando as mãos pelo meu abdômen.

–Quanto você quiser para fazer o serviço agora– disse e a mesma mordeu o lábio inferior.

–Vem comigo, bonitão– disse, me conduzir para um, talvez, primeiro andar.

Logo entramos em um quarto e a mesma trancou a porta.

–E então...

–Vamos logo com isso– disse, agarrando a garota que sequer o nome eu sabia.

               (Mina On)

Já havia ligado para o Yoongi várias vezes, mas o idiota não atendia. Então liguei para Namjoon.

             (Ligação On)

M–Nam?

N–Mina? Oi. Aconteceu alguma coisa?

M–Bom, sim. Yoongi saiu de casa irado e eu não consigo falar com ele. Você sabe onde ele está?

N–Hum....Não sei, Mina. Mas vou tentar fazer algo. Fique calma. Ele deve ter saído para esfriar a cabeça. Ele costuma fazer isso.

M–Obrigada, Nam. Estou preocupada com ele. Tenho medo de que alho possa acontecer com ele. Yoongi saiu daqui muito irritado e pegou o carro.

N–Se isso te acalma....Ele é muito bom na direção. Mas eu vou procurar ele. Tchau, Mina.

M–Tchau, Nam.

               (Ligação Off)

Meu coração estava apertado. Eu o odiava pelo jeito que me tratava, mas a idiota da minha loba precisava dele. Ela estava chegando no meu limite. Eu a expulsaria se pudesse. 

–Cadê você, seu idiota?– disse, apertando o celular entre as mãos.

               (Yoongi On)

Estava morto de cansado. Aquela vadia não tinha sido grande coisa. E meu lobo queria me matar pelo que eu tinha feito, mas eu não estava nem aí para ele. Eu estava bêbedo e sem noção nenhuma do que era certo ou errado.

–Yoongi?– ouvi a voz de Nam e pensei estar devaneando demais.

–Eu estou ficando maluco– disse, tentando abotoar a camisa.

–Está mesmo. Que merda você veio fazer aqui, seu idiota?– estreitei os olhos para o panaca que estava me xingando. E eu não estava ficando doido. Era Namjoon mesmo.

–Nam? O que faz aqui? Veio se divertir também?– disse, meio grogue.

–Não. Eu tenho princípios. Não teria coragem de fazer uma palhaçada dessas com o Jin– o olhei, desentendido–Sim. Jin e eu estamos namorando. Mas o que você...? Não, cara– disse, abismado.

–O quê?– perguntei, tropeçando na ponta do lençol.

Ele veio até mim e me analisou rapidamente. Seu olhar poderia me matar de tão afiado que estava.

–Você estava com outra mulher?– o encarei, dando-lhe a resposta que era, ou meu ver, óbvia– Puta que pariu, Yoongi! Você é casado! Como pôde fazer isso com a Mina?!– exclamou, fazendo meus ouvidos doerem.

–Não grita, merda! Esqueceu que não sou um humano?! Ouvidos doem!– disse, franzindo o cenho. Nem mesmo eu sabia o que tinha dito.

–Que se dane! Você precisa tomar vergonha na cara, Yoongi. Você não é mais um menino!– disse, me tirando dali.

–Por que você veio atrás de mim, hein? Não lembro de ter pedido sua ajuda– disse, sentando no banco do passageiro de seu carro.

–Mina me ligou. Ela está preocupada com você– disse, ligando o carro e dando partida para casa– Honestamente,Yoongi. É ridículo como você está agindo com a Mina. Nenhuma dessas mulheres que você transa vai ter coragem de fazer o que ela faz. Ela deveria estar descansando depois de ter se machucado toda, mas ela está preocupada com o esposo irresponsável dela– disse, sem tirar os olhos da direção– Sério, cara. Não dá para te entender. Quando uma pessoa legal entra na sua vida, você faz questão de ser um idiota com ela. Como você vai explicar o que aconteceu à Mina?– disse, irritado. Bufei, cansado daquele sermão. Eu não me importava. Eu não devia explicação para ninguém.

–Eu não tenho obrigação nenhuma de dar satisfação à ela sobre nada da minha vida– disse, convicto.

–Mas que porra, Yoongi! Pensa um pouco, merda! Se é que você tem um pouco de cérebro ainda. Você parou para pensar como ela vai se sentir ao te ver assim? Já pensou no quanto vai magoá-la?– disse, me olhando rapidamente e logo voltando sua atenção ao volante– Você não é mais um adolescente de dezesseis anos, Yoongi. Você é um homem casado. Tem que aprender a agir como um. Mina não merece o que você está fazendo com ela– disse, aparentemente, triste.

–Desde quando você é super amiguinho dela?– perguntei, com desdém.

–O quê estou dizendo é que nunca apareceu ninguém assim na sua vida e você está fazendo merda encima de merda. Você escolheu casar com ela. Não a trate como nada, Yoongi. Toda vez que você sente algo por alguém, você se afasta ou faz besteira. Pare de achar que é foda demais para se apaixonar. E lembre-se que foi você que começou com tudo isso. Então pare de magoar as pessoas que são boas para você. Der valor uma vez na vida, porra!– disse, parando em frente ao condomínio– Vamos. Tem alguém lá dentro, te esperando.

Namjoon me ajudou a chegar até o apartamento, pois eu estava ainda mais desnorteado por conta do álcool. 

             (Namjoon On)

Ao chegarmos no apartamento, fomos recebidos por Mina. Ela estava nervosa e preocupada. Seus olhos pararam em Suga, aflitos.

–Aah Deus....O que aconteceu com você?– disse ela, vendo o estado deplorável do marido deitado no sofá– Obrigada, Nam– sorri para a mesma.

–Bom, eu vou indo. Deixei Jin sozinho– disse e a mesma me olhou, desconfiada– Nós estamos namorando– ela me deu um sorriso lindo e eu me senti mal. Não queira que as merdas do Yoongi tirassem dela aquele lindo sorriso.

–Depois quero conversar com vocês dois e saber de tudo. Mas por hora não posso e você tem que descansar. Obrigada por trazê-lo– disse ela, me acompanhando até o corredor.

–Pode deixar. Jin vai contar logo. Eu não aguenta guardar segredo dos amigos– disse , fazendo-o rir–Mina?– volvi-me à ela– Deixa ele dormir. Questionei-o amanhã. Hoje não vai dar em nada. Você precisa descansar também– disse, tentando não demonstrar tristeza pelo que ela ia descobrir. Sem esperar, ela me abraçou.

–Obrigada, Nam– senti meu peito contraído. Eu tinham um carinho por aquela garota. Ela não merecia as maldades do Yoongi.

–Por nada, pequena– disse, antes de ir embora.

             (Mina On)

Voltei para o apartamento mais tranquila. Yoongi estava só bêbado.

–Ei, Yoongi. Vem. Você precisa de um banho– disse, tentado acordar o moreno.

–Aah não.... Não quero banho!– protestou, masonho.

–Eca, seu porquinho! Vai para o banho sim!– disse, a ajudando a andar até o andar de cima.

Preparei a banheira, enquanto o mesmo cantava uma música.

“When you hurt under the surface”

(Quando você se machuca por baixo da superfície)

“Like troubles water running cold”

(Como água, revoltas ficam geladas)

“Well, time can heal but this won't”

(Bom, o tempo pode curar, mas este não irá)

Eu conhecia aquela canção. Era uma das minhas músicas favoritas. Dei continuação a música.

          “So , before you go”

     (Então, antes que você vá)

“Was there something I could've said”

(Havia algo que eu podia ter dito)

“To make your heart beat better?”

(Para fazer o seu coração bater melhor?)

“If only I'd have known you I'd have stormed the weather”

(Se ao menos eu te conhecesse, eu teria amenizado o clima)

Senti que aquela música falava muito das nossas vidas. Eu não queria me aproximar nem ele. Nós vivíamos como dois estranhos.

–Essa música é linda– disse, esparramado na banheira

–É sim– sorri e olhei para ele. A água estava cheia de espuma, o que não me permitia vê-lo com o corpo desnudo, mas pude notar algumas manchas vermelhas e seu pescoço. Achei estranho.

Depois de tê-lo vestido e posto para dormir em seu quarto, voltei para o banheiro e fui recolher suas roupas que ficaram jogadas.

–Que bagunça...– disse, me agachando para pegar as peças no chão. Senti um cheiro forte em suas roupas e ao pegá-las vi marcas de batom e maquiagem. 

Meus olhos marejaram. Ele estava me traindo. E eu como uma grande idiota estava em casa preocupada com ele, pensando que poderia acontecer algo ruim á ele. Eu era muito idiota. Ele estava muito bem, transando com outra mulher. Chorei de desgosto e raiva. Joguei suas roupas num cesto e fui para o meu quarto.

Atirei-me à cama, me agarrei ao travesseiros e me deixei chorar até soluçar. Minha vida era uma bela de uma merda. Eu queria morrer, pois estava sendo um objeto na mão dele, havia sido moeda de troca para os meus pais, era privada de ser eu mesma e ainda tinha minha luna que não abria mão daquele lobo idiota dele. Ela me mataria se preciso fosse para ficar com ele.

         “So, before you go 

Was there something I could've said

To make it all stop hurting?

It kills me how your mind can make you feel so worthless

            So, before you go”

        (Então, antes de você ir

          Havia algo que eu poderia ter dito

   Para fazer tudo parar de doer? 

Me mata saber como sua mente pode fazer você se sentir tão insuficiente

          Então, antes de você ir)





Notas Finais


Capítulo beeem tenso, amores. Às vezes eu paro e penso no quanto faço os meus personagens sofrerem. Em todas as minhas histórias é a mesma coisa. Tenho tanta dó deles e raiva de mim kkkkkk.
Música citada no capítulo ↓
“Before you go/Lewis Capaldi”
Até o próximo capítulo, meus amores💜💋


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...