História Você tem a mim - Capítulo 15


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Amizade, Comedia, Drama, Revelaçao, Romance, Suspense, Traição
Visualizações 82
Palavras 3.191
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Ficção Adolescente, Hentai, Literatura Feminina, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Suicídio, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Oiiiii serumaninhos que eu amo mais que tudo, gente tenho muito coisa pra falar e primeiro quero pedir desculpa por demorar tanto a postar, eu estava passando por muitos problemas pessoais e sinto muito de verdade não conseguir mais postar. Outra coisa é que chegamos aos 43 favoritosssssss AHHHHHHHHH AMO VOCÊS DEMAIS. Obrigado por tudo, por ler a fic e pelos comentários e bom por simplesmente existirem na minha vida ❤❤❤❤ Também chegamos ao 800 vizu e quando chegarmos a 1000 eu vou fazer um capítulo bônus pra vocês, com a visão de outro personagem sobre a história toda. Eu queria saber qual deles vocês preferem o Ethan ou o Lucas, então comentem #Ethan ou #Lucas qual você preferir ver a versão da nossa história. Obrigada por tudo e nem tenho palavras para expressar a minha felicidade. Amo vocês demais. Juro que vou tentar postar a fic pelo menos uma vez por semana ❤

Capítulo 15 - Reconciliação


Fanfic / Fanfiction Você tem a mim - Capítulo 15 - Reconciliação

Ahhhhhhh. O que eu faço? Eu entro em um loop pensando no que fazer e quais seriam as consequências, o que fazer e as consequências... 

- Duda? Você tá bem? 

- Hã? Ah sim eu estou. - digo abaixando a cabeça, pra não fitar aqueles olhos profundos, que parecem enxergar a minha alma. 

- Me desculpa. - ele diz. 

Não deixo de sorrir pela situação. 

- Pelo que? Por beijar ela? Não tenho nada a ver com a sua vida. Você pode fazer o que quiser. Você é livre. 

- Duda...

- Ah vamos lá Ethan. Vai dizer que foi sem querer? Sei que não foi. Vai dizer que não está namorando ela? Eu sei que está. Da pra ver. Mesmo com você gritando aquilo hoje, na entrada. 

- Me deixa explicar pelo menos?  

- Tô te segurando por acaso?  

Ele suspira, pelo meu jeito grosso e frio de falar com ele. Mas é de se esperar, uma hora diz que gosta de mim e na outra tá com a Natália? Logo ela? A melhor amiguinha da Giovanna... 

- Eu... Olha simplesmente aconteceu. Entende? A gente uma hora tava conversando e na outra... 

- Estavam namorando. Tá Ethan, eu entendi. Relaxa. 

- Não não Duda. Você entendeu errado. Ela me beijou. Só isso. Agora vive atrás de mim, tá fazendo da minha vida um inferno. 

Hã? Eles não estão namorando? Mas... 

- Mas eu vi vocês... Eu vi às coisas, vocês estão juntos sim. Eu sei que estão. Para de mentir pra mim! - falo com raiva, já me levantando. 

Como? Não, não é verdade, eles estão juntos sim! Ele tá mentindo pra mim, só pode ser isso.

- Não estamos. - diz se aproximando de mim. 

- Estão sim! - digo, ele se aproxima mais - Não chega perto de mim! Idiota! - outro passo - Babaca! - mais um - Eu sofri por causa disso sabia? Você disse que gostava de mim, mentiroso! MENTIROSO! - e isso o faz parar, percebendo o quão estou magoada. 

Eu abaixo minha cabeça com lágrimas nos olhos e de repente seus braços me envolvem. 

- Me desculpa pequena... Eu não queria beijar ela, o que eu disse, sobre nós... Sobre você, era verdade. Eu gosto de você, não dela. Ela me beijou porque... Porque te viu, e a intenção dela foi te magoar. E tô vendo que conseguiu. Por favor sei que pode parecer mentira mas não é. Eu gosto de você. Você Duda. - sussurra no meu ouvido. 

- Mentira... - digo já sem forças, e sinto suas mãos descendo pelas minhas costas, encontrando minha cintura no meio do caminho e me puxando pra si. Mesmo não querendo eu o abraço de volta, perdendo o controle dos meus próprios braços - Mentira... - digo baixinho já sem forças. 

- Não é mentira. Eu gosto de você pequena. Só de você. 

- Só eu? Jura? 

- Juro pequena, só você. Só existe você. 

E apesar de tudo que aconteceu eu sorrio como uma boba apaixonada que eu sou.
Delicadamente Ethan coloca sua mão em meu queixo, erguendo minha cabeça para eu olha-ló. 

E nos ficamos ali, abraçados. Nós conversamos, contamos o que fizemos essa semana um longe do outro, eu conto que estou esperando pelo meu pai, e ele me fala que está ali estudando para o trabalho de filosofia, o tempo passa e vejo que já está quase na hora do meu pai me buscar. 

- É ja está quase na hora de eu ir embora. 

- É mesmo. Nem vi o tempo passar, com você parece que... Não sei, parece que eu paro no tempo e sempre perco a hora... 

Fico meio atônita diante dessa revelação, será que ele gosta mesmo de mim ou é só pena? Ou pior: sou só um passatempo para ele? Sou tirada dos meus devaneios com o som do meu telefone tocando. 

Pisco rapidamente o tirando da minha mochila e atendendo sem ao menos ver quem é. 

Ligação on:

- Filha? 

Oi? Pai? Mas em... 

- Ah pai... É... Oi. Eu já estava saindo e... 

- Não, não filha, é... Olha tenho uma notícia ruim e uma boa, qual você quer ouvir primeiro. 

- Ah vai o ruim logo, o que é?

- Eu não vou poder te buscar. 

MAS O QUÊ. 

- Mas porque? Ah pai o senhor prometeu. Eu não acredito nisso. Como eu vou embora agora? Eu vou sozinha? Andando nessas ruas daqui? Você sabe como aqui é perigoso, viu os roubos,  os sequestros. Você se lembra né? 

E em meio a tudo isso, me esqueço de Ethan. 

Eu posso te acompanhar, o que acha? 

Ethan gesticula com os lábios sem fazer som.
Olha que não é uma má ideia. 

- Eu sei filha, eu sei... Me desculpe, de verdade. Mas você tem que ir embora agora, só vou sair quando anoitecer. 

Tapo o telefone para meu pai não me ouvir. 

- Você nem mora perto de mim Ethan! Como pode me acompanhar? 

- Eu moro a seis quarteirões da sua casa. Posso te acompanhar e depois ir embora. 

- Como você sabe onde eu moro em? - pergunto desconfiada. 

- Eu moro perto de você, passo na sua rua todo dia com meu pai enquanto tô indo embora pra Minha casa. Entendeu? Calma que não sou nenhum psicopata que persegue garotas tá? Relaxa ai. 

- Mas não vai te atrapalhar não? 

- Não eu já estava indo embora mesmo. Tudo bem. 

Eu volto para minha ligação com meu pai, fazendo um sinal positivo para Ethan. 

- FILHAAAAA AINDA ESTÁ AI? 

- Ah sim, sim pai, o sinal só caiu, é olha, tá qual é a boa notícia? 

- Ah é que eu te amo demais querida. 

- Ah mas isso eu já sabia. Olha, eu vou embora com um amigo tá? Ele mora lá perto e vai me acompanhar. 

- Que amigo? Eu conheço? 

- O do shopping pai. Lembra? Sem ser o Félix. 

- Ah sim. Entendo. Tá filha. Mais toma cuidado, vocês dois, você principalmente. 

- Tá pai, ok vou embora antes que escureça. Beijo.  

Ligação off. 

Guardo o telefone dentro da mochila. 

- É... Vamos então? - digo. 

- Bora. 

Saímos da escola e caminhamos lentamente em direção a minha casa, quase não falamos nada no caminho até que Ethan quebra o silêncio. 

- Você tem água? 

- Hum? Água? - tateio minha mochila em busca de minha garrafinha, a achando vazia. - Foi mau, mais não, não tenho. Quando eu chegar em casa eu pego um copo d'água para você. Pode ser?  

- Aham. 

E agora sinto que tem um clima estranho entre nós. Talvez seja por nós não nos resolvermos ainda. Estamos naquele termo de, "somos amigos mas gostamos um do outro", famosa friendzone. E eu não sei como sair dela, tenho medo de que, se não dermos certo, nunca voltemos a ser os mesmos. Sem amizade, só raiva e decepção ente nós. Como da última vez...  

- Aonde você vai quando se perde nessa sua cabeça pequena? 

- Ah... Lugar nenhum só tô pensando alto mesmo. 

Ele ri pra mim e continua andando. Não falamos mais nada, estamos começando a nós cansar e além disso estamos sem água, poupar a nossa fala é vital.  

Assim que chegamos em minha casa, Ethan se senta no passeio cansado. Eu tenho pena dele, está um sol dos infernos aqui fora. Acho que não fará mau ler entrar um pouco. 

- É... Ethan, então... Entra eu vou pegar a água para você. 

Enquanto ele entra sou recebida por Ruby nossa cachorra, toda alegre ela balança sua calda enquanto pula em mim. 

- Oi, sim sim mamãe chegou - falo brincalhona enquanto a vejo rolar pelo chão do quintal de minha casa. 

- Sua casa é linda. - diz Ethan. 

- Ah... É. Obrigada. Entra vou pegar a sua água. 

Enquanto nós entramos, Ethan admira a minha casa, que não é moderna, mas é bela, repleta de móveis antigos reformados e também novos, e com isso ela consegue ter um ar vintage e aconchegante ao mesmo tempo. Pego um copo de água e lhe dou, enquanto Ethan bebe vou ao meu quatro guardar minha mochila e eu não noto que Ethan veio logo atrás de mim. 

- Tudo bem pequena? Porque está agindo estranho assim? Estávamos bem agora. 

Sim estávamos, penso, mas eu não estava pensando direito, não estava pensando em tudo

- É só que... - eu me sento em minha cama branca enquanto tiro os meus tênis - É difícil pra mim entende? Eu gosto de você, gosto mesmo, mas quem não me garante que fará o mesmo que Ele fez? Quem me garante que você não vai me magoar? 

E então ele diz algo que é complicado argumentar. 

- Nenhum relacionamento está livre de riscos pequena. 

Ora, então vou evitar ter relacionamentos. Ethan se senta a minha frente, com as pernas cruzadas. 

- Então vou evitar os relacionamentos. - digo em tom áspero. 

- Me dá uma chance, por favor, eu gosto de você de verdade. Juro que não vou te magoar, ou pelo menos vou tentar não faze-lo e se eu fizer, pode ter certeza, que não foi essa a minha intenção. Eu nunca te magoaria pequena, não por querer. 

- Isso não vai dar certo Ethan... 

- Você nem tentou pra saber. Por favor. Uma chance. Só o que eu estou pedindo... 

- Tudo bem. Uma chance. - falo enfatizando a última palavra enquanto faça um número um com o dedo. E então Ethan faz algo que eu não esperava. 

Ele me beija. 

Ele segurou meu rosto em suas maõs e aproximou sua boca da minha. Diante da minha tristeza de ser enganada e traída ele era a minha esperança de um novo começo. De algo melhor para mim. Algo que realmente me fizesse feliz. Você foi feliz, até ser traída. Eu penso. Eu solto um suspiro de surpresa quando seus lábios macios cobrem os meus, minhas mãos vão insistivamente para seu pescoço, o puxando para perto. Mau posso acreditar que surtei, que passei a última semana o ignorando e que quase o perdi por isso. O tratei mau e briguei com ele, quando ele na verdade só queria o meu bem. Só me queria perto. Sua língua adentra minha boca, gentil e exploratória, como que se descobrisse o que mais me agrada. Solto um gemido de excitação e quase me esqueço de que estamos em minha  casa. Me solto devagar do seu pescoço e me afasto dele.

Ele abre os olhos revelando duas esferas azuis, agora escurecidos pelo desejo. Ele passa a língua em sua boca como se quizesse memorizar o meu sabor. 

- Senti sua falta. - diz, esfregando o nariz no meu pescoço, sua boca deixa um beijo ali, bem no meu ponto mais sensível e minhas pernas viram gelatina, não quero sair daqui nunca mais senhor. - Senti falta do seu cabelo - ele beija o topo da minha cabeça - Do seu sorriso... - diz me dando um selinho - Senti falta de você toda.

- Eu também senti sua falta...

Ele olha pra mim e o que eu vejo é muito mais que carinho em seus olhos... Claro que não. Para de ser idiota Duda,penso comigo mesma. Ele se deita e me puxa, fazendo menção para eu acompanha-ló. Eu me deito em seu peito e suspiro, sua fragrância doce e amadeirada entra em meu nariz e eu solto um suspiro de satisfação, me aproximando mais.

- Amo seu cheiro.

- Eu também amo o seu... - diz colocando o rosto no meu pescoço. 

Eu amo a atenção que me dá. Nunca recebi muita do Lucas em nenhuma área do nosso relacionamento, principalmente na íntima.

Aquela noite na casa do Lucas... Deus Ethan foi incrível, me pego pensando como ele seria fazendo outras coisas... Caramba qual o meu problema? Nem estamos juntos direito e eu aqui, pensando besteira.

- Tudo bem? - ele me pergunta, faço que sim com a cabeça - Certeza? Você de repente ficou vermelha... - ele fala colocando a mão em minha bochecha - Ficou mais quente também... - diz com voz rouca.

Solto um gemido de excitação. 

- Está excitada pequena?

Fecho os olhos, Ethan é direito e eu também queria ser. Mas a vergonha não deixa.

- Pequena? Fala comigo. Tá excitada?

Escondo meu rosto em seu pescoço. Droga. De onde vem toda essa vergonha? Porque comigo senhor...

- Fica linda com vergonha. - ele diz levantando o meu rosto para eu olha-ló, péssima ideia. Seus olhos são de um azul profundo, mais escuros que o oceano.

Ele me beija, doce e terno, enquanto suas mãos descem para meu pescoço, depois elas estão logo acima dos meus seios. Eu solto um gemido baixo. Deus. Não podemos fazer isso. Não aqui. Meu corpo está quente e minha respiração está descompassada.

- Relaxa... - sussurra em meu ouvido.

Em seguida suas mãos descem para os meus seios e os tocam gentilmente. Descargas elétricas passam por todo o meu corpo. Fecho os olhos enquanto coro violentamente.

- Ohhh Deus são tão macios - geme enquanto os apertam mais fortemente.

Eu gemo alto e Ethan me beija, abafando meus gemidos. Sua língua adentra minha boca de forma selvagem. Ele se levanta me puxando para si. Suas mãos vão para a barra da minha camiseta, tentando tira-lá. E então eu me solto dele, sem ar.

- Não... - falo me lembrando do olhar terrível se Lucas ao me ver nua pela primeira vez. 

- Não o que querida? - pergunta olhando para mim, seus lábios vermelhos e olhos escurecidos. 

- Não quero que... 

- O que? - sua expressão se torna interrogativa. 

- Me veja assim.

- Assim como? Me diga. Como vou saber se você não me dizer meu bem. 

- Sem nada... - falo num sussurro, com a cabeça baixa. 

- Nua é? 

- É - sinto que fiquei mais vermelha ainda se isso é possível. 

- Ah meu bem... Não me diga que tem vergonha, Você tem é? - aceno com cabeça positivamente, não vergonha, mas medo de sua reação. 

- Ahh... Não diga isso pequena, olha o estado que me deixa só com a ideia de te ver nua... - diz pegando minha mão e colocando-a sobre seu membro que está duro, então eu o aperto gentilmente  - Ahhh delícia... - faço os movimentos pra cima e pra baixo calmamente e os quadris de Ethan se erguem da cama - Ahhhhh Deus. Chega. Não aguento mais. Preciso de você. Preciso te tocar. Te chupar. Agora.

Então ele me beija enquanto suas mãos vão parar em minha cintura, e ele segura novamente a barra da minha camiseta e eu então solto um suspiro. Ele a retira beijando o meu pescoço e eu fecho os olhos com força enquanto sinto seu olhar em mim. 

- Linda... - Ethan diz roucamente. 

Hã? Mas... Obro os olhos pra encontrar os de Ethan tão escuros quanto o vazio do espaço. São olhos cheios de luxúria e... Desejo? Mesmo com... Mesmo com estas pequenas marcas brancas cobrindo minha pele Ethan parece não se importar, o que me deixa estranhamente confiante. 

Então ele me beija com tanta paixão que perco o fôlego, enquanto suas mãos curiosas segue caminho para os meus seios, onde ele os explora com afinco, desce sua boca pelo meu pescoço, meu colo finalmente chegando aonde ele parece desejar mais, então Ethan desce mais suas mãos, colocando-às em minha bunda e puxando-me para ele. 

Sento em seu colo enquanto ele praticamente me devora com sua boca. Um gemido involuntário me escapa enquanto o sinto exatamente em meu centro. 

Ele desce sua boca pelo meu pescoço e beija o topo dos meus seios, causando arrepios em minha pele e pequenos choques elétricos em minha intimidade. Suas mãos ágeis logo estão em meu sutiã, tentando desabotoa-lo. 

E é isso. Eu fico tensa ao sentir ele tentar tirar meu sutiã. Meu corpo se retesa e imediatamente Ethan sente essa mudança. 

- O que foi? - murmura baixo - Eu fiz alguma coisa errada?

Balanço a cabeça negativamente. 

Eu pondero por um momento se isso é mesmo o certo a se fazer, mas antes que eu possa dizer mais alguma coisa Ethan me beija enquanto suas mãos sobem pelas minhas costas e retiram meu sutiã, me deixo levar pelo desejo, pelo momento. Com os olhos fechados eu o ajudo a tirar a peça de mim. 

Então sinto seus lábios no meu pescoço.  

- Linda... - sussurra rouco enquanto desce mais seus beijos - Gostosa - geme dando pequenos chupões acima dos meus seios. 

Jogando a cabeça para trás murmuro palavras incompreensíveis, enquanto sinto às sensações que eu posso dizer: são as melhores da minha vida. 

Rodeando seu pescoço com com meus braços eu o beijo, surpreendendo até a mim mesma

- Isso não é justo - falo me separando dele - eu estou praticamente nua e você nem tirou sua roupa ainda... 

- Não seja por isso pequena - diz ele se contorcendo e tirando sua camisa e uau. Perco o fôlego. Ethan é simplesmente maravilhoso. Tem um corpo nem tão magrelo, mas também não é daqueles que são muito bombados. É perfeitamente proporcional. 

Ele me beija novamente fazendo nossos peitos se chocaram e o atrito é delicioso. 

- Robola pra mim princesa - diz enquanto desce sua boca pelo meu pescoço e eu por algum motivo desconhecido atendo o seu comando prontamente. 

- Ahhhhh E-Ethannnnn - quase grito quando sinto sua boca em um dos meus seios, arqueio as costas gemendo seu nome sem parar. 

- Robola pra mim delícia, não para de rebolar...  Quero sentir essa buceta gostosa no meu pau. 

AH NOSSA... As palavras de Ethan mexem comigo, mais do que eu esperava. Eu não esperava que o Ethan tivesse esse lado mais... Erótico, passional, vamos dizer assim, e não posso mentir eu o adoro! Adoro às palavras picantes que sussurra em meu ouvido me deixando extremamente molhada. 

- Ahhhh Ethannnn issooo continuaaaaa...  - falo entre gemidos enquanto ele me puxa mais pra baixo, fazendo minha intimidade se chocar com a sua. Enquanto ele pressiona meu corpo para baixo eu rebolo. Eu sinto um formigamento no meu ventre e estremeço. 

Ethan não para, pelo contrário parece cada vez mais rápido. 

Sinto sua boca em meus seios enquanto minhas mãos arranham suas costas enquanto a tensão no meu ventre aumenta. Aperto os olhos e comprimo minha boca enquanto sinto ela crescer cada vez mais. 

Ethan segura meu rosto fazendo eu olha-lo. 

- Anda meu bem, eu sei que você quer, goza pra mim... - ele diz enquanto pressiona mais e eu fecho os olhos. 

- Nada disso, quero você olhando pra mim enquanto goza gostoso. 

- Ethannnn - gemo e então descargas elétricas passam pelo meu corpo o relaxando. Me sinto ficar mole e cansada enquanto sinto-me ficando ainda mais úmida. 

Ethan pressiona mais algumas vezes e logo está gemendo no meu pescoço, mas então ouvimos um barulho do lado de fora. Sou tirada do meu topor imediatamente. 

Fiquei tão concentrada no nosso momento de reconciliação que me esqueci do mundo. 

E agora? 


Notas Finais


PRA QUEM NÃO LEU AS NOTAS DO AUTOR... Oiiiii serumaninhos que eu amo mais que tudo, gente tenho muito coisa pra falar e primeiro quero pedir desculpa por demorar tanto a postar, eu estava passando por muitos problemas pessoais e sinto muito de verdade não conseguir mais postar. Outra coisa é que chegamos aos 43 favoritosssssss AHHHHHHHHH AMO VOCÊS DEMAIS. Obrigado por tudo, por ler a fic e pelos comentários e bom por simplesmente existirem na minha vida ❤❤❤❤ Também chegamos ao 800 vizu e quando chegarmos a 1000 eu vou fazer um capítulo bônus pra vocês, com a visão de outro personagem sobre a história toda. Eu queria saber qual deles vocês preferem o Ethan ou o Lucas, então comentem #Ethan ou #Lucas qual você preferir ver a versão da nossa história. Obrigada por tudo e nem tenho palavras para expressar a minha felicidade. Amo vocês demais. Juro que vou tentar postar a fic pelo menos uma vez por semana ❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...