História Você teve sua chance - Capítulo 11


Escrita por: e Xiao_Ana

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Chen, D.O, Kai, Kris Wu, Lay, Lu Han, Personagens Originais, Sehun, Suho, Tao, Xiumin
Tags Brigas, Exo, Minseok, Paixão, Sehun
Visualizações 13
Palavras 1.295
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Romance e Novela
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Desculpa o mini hiatus, eu estive num bloqueio criativo, mas voltei!
Admito que me empolguei hehehe
espero que gostem :)
- Xiao Ana

Capítulo 11 - Pedido


Fanfic / Fanfiction Você teve sua chance - Capítulo 11 - Pedido

SEHUN ON

   - Ah, então, eu queria te contar umas coisas...

   - Está tudo bem? – S/n pergunta.

   - Sim, só é um pouco... Bom, eu não sei como começar a contar.

   - Quer caminhar um pouco? Pra relaxar e descontrair. Talvez ajude.

   - Claro, iria ajudar bastante!

   - Então vamos!

   Assinto com a cabeça e então nós dois levantamos e saímos da casa, em direção a uma praça que fica não muito longe de onde estamos. Eu estou extremamente nervoso, afinal não é fácil se declarar para alguém que você conhece desde quando era pequeno.

   FLASHBACK ON

   S/n venha logo, você vai se atrasar para a aula! – Dizia a mãe da menina que eu tanto gostava de observar. Todas as manhãs eu ficava na janela do meu quarto, apenas assistindo ela entrar no carro e seguir em direção à escola. Eu estudava no período da tarde, e em outra escola, o que me impedia de vê-la frequentemente. Minha timidez também não ajudava por isso eu nunca conseguia dizer qualquer coisa, mesmo que fosse um simples “bom dia”.

   Pelo fato de eu morar na casa ao lado, eu sempre ouvia as risadas doces da S/n, imaginando como seria bom estar ao seu lado, rindo junto com ela. Às vezes eu me flagrava pensando nela antes de dormir, pensando se um dia eu seria amigo dela, e dormia sonhando com nós dois mais velhos andando juntos por aí, como melhores amigos...

   FLASHBACK OFF

   - Parece que hoje esse sonho se realizou... – Pensei para mim mesmo.

   - E então? – S/n pergunta me acordando dos meus pensamentos.

   - Ah, é! Desculpa. Então... É... Eu...

   S/n se senta num banco e eu me sento ao lado dela, passando as mãos no cabelo, numa tentativa de ficar menos tenso. O silêncio fica no ar por alguns segundos.

   - O gato comeu a sua língua, Sehun?

   Rio, mais de nervoso do que de graça. Por fim, tomo coragem e encho meus pulmões. É agora ou nunca.

   - Bom S/n, eu preciso dizer umas coisas que eu venho “escondendo” já faz algum tempo. Um bom tempo, por sinal.

   - Como assim “escondendo”?

   - Ah... Bem, é que... Eu... Eu tenho...

   - JESUS HEIN, tá foda aí, coleguinha? – Ela ri.

   - SIM, TÁ FODA AQUI, COLEGUINHA. – respondo no mesmo tom de deboche dela. De certa forma isso quebrou o gelo que estava me envolvendo e finalmente eu tomo coragem.

   - Então, como eu ia dizendo antes de você dar uma de palhaça, eu tenho esperado um tempão para dizer umas coisinhas. Primeiramente, eu sou seu vizinho, e não acho que você tenha percebido isso, mas eu moro na casa ao lado da sua desde que eu tinha 12 anos.

   S/n fica boquiaberta, mas não diz nada.

   - É eu sei, eu poderia ter dito isso antes, mas eu não disse. Enfim, isso não vem ao caso agora.  Continuando, desde o ano em que eu fui para aquela casa eu meio que gostava de você. Eu nunca tive coragem de te dizer “oi” ou tentar alguma amizade, por isso eu ficava quieto no meu canto apenas... Apenas te observando, esperando que um dia eu pudesse ser seu amigo. Esse ano, quando soube que ia para a mesma escola que você, eu fiquei extremamente feliz, porque finalmente eu poderia ficar mais perto da pessoa que eu tanto gostava. Mas quando eu cheguei tudo que eu vi foi você, completamente apaixonada por um cara que se aproveitava de você e nem ligava pra sua existência. Ali, percebi que eu não tinha chances. Quando Minseok te humilhou em frente a todo mundo, eu achei que era a possibilidade perfeita de me aproximar, então eu resolvi te ajudar. Aparentemente funcionou, e logo nós dois nos tornamos muito próximos. Nisso eu me apaixonei cada vez mais por você.

   Dei uma pequena pausa para tomar um ar, e vi que S/n estava completamente chocada.

   - Eu tenho me lembrado todos os dias do nosso primeiro beijo. Aquele foi o melhor dia da minha vida. E eu não queria que fosse só aquele momento. Queria mais do que uma amizade. Então vim reunindo coragem e esperando o momento certo para dizer que... Eu te amo, S/n. Amo muito.

   Ajoelho-me na frente de S/n e tiro dos bolsos uma caixinha preta com um anel de ouro, com uma pequena pedrinha verde, de esmeralda.

   - S/n, você aceita... Namorar comigo?

   - Se... Sehun, eu... É claro que eu aceito!

   Rio, aliviado, e coloco o anel em sua mão. S/n me puxa e sela nossos lábios, num beijo calmo. Nos separamos, porque todo mundo sabe que ficar se beijando em locais públicos pode incomodar os outros. S/a me abraça.

   - Eu também te amo, Sehun! – Ela diz, com a voz abafada por causa da minha camiseta.

SEHUN OFF // S/N ON

   Eu e Sehun continuamos a caminhar até entardecer. Com o Sol quase se pondo, cada um de nós seguiu rumo às nossas casas. Ele me deu um selinho de despedida quando me deixou na minha varanda, e voltou para seu lar. Quando entrei, subi direto no banheiro e tomei um banho demorado, refletindo sobre tudo que aconteceu algum tempo antes. Após terminar, saí do banheiro de roupão e comi alguma coisa enquanto via um filme na sala. Quando acabou, resolvi ir pra minha cama. Já deitada, pego meu celular e vejo as conversas. Minseok tinha me mandado duas mensagens. Não sei como ele tem meu número, mas ok.

MENSAGENS ON

NÚMERO DESCONHECIDO: Oi, S/n, aqui é o Minseok

CONTATO ADICIONADO: MINSEOK

MINSEOK: e aí, o que o Sehun queria?

MENSAGENS OFF

   Droga. Droga, droga, droga, droga. Que legal. O que eu digo agora? Eu quase perdi minha virgindade com ele hoje mais cedo, e agora vou chegar dizendo que estou namorando outro cara? E ainda por cima o cara que ele odeia! BELEZA. Que legal né? Eu nasci pra me foder mesmo.

   Ouço a campainha tocar. Talvez seja minha mãe, ou meu pai. Os dois chegam tarde, por causa do trabalho deles. Coloco uma roupa qualquer e desço para atender a porta. Logo que abro, lá me vem a bomba da vida. Kim Minseok. Ô, beleza.

   -Ah oi, Minseok. Tudo bem?

   - Oi S/a, eu que pergunto se você está bem. Não falou comigo desde hoje cedo e não respondeu as minhas mensagens. E ainda por cima você parece bem tensa. Aconteceu alguma coisa?

   - Não aconteceu nada, eu só tive que sair hoje e deixei meu celular em casa. – escondo a mão com o anel, por precaução.

   - Então por que você parece tão tensa?

   - Eu não estou tensa!

   - Sei... O que você está escondendo aí na sua mão?

   F.o.d.e.u.

   - Nada, ué! – Tento não parecer suspeita.

   -Ok. Já que está tudo bem, eu vou para casa.

   - Boa noite!

   - Boa noite, S/n!

   Minseok se vira e começa a andar. Eu suspiro, aliviada. Mas mal eu acabo de suspirar e o Kim puxa minha mão, vendo o anel.

   - Lindo esse nada, S/n. Quer se explicar?

   - É... Eu...

   - Quer dizer que você está namorando... Quem é?

   Fico calada. Minseok me encara, aparentemente um pouco nervoso.

   - Quem é? Diga.

   - Eu não sou obrigada.

   - É o Sehun, não é?

   - ...

   Minseok solta minha mão bruscamente, me assustando.

   - Quer dizer que logo depois que eu saí da sua casa, você já se atirou nele...

   - Minseok escute...

   - Não. – Ele me interrompe. – Me deixe acabar.

   Calo-me.

   - Então, tudo que aconteceu hoje mais cedo não significou nada? Eu não sou mais nada?

   - Mins...

   - Não. Não quero ouvir. Tchau, S/n.

   Minseok se vira e vai embora. Tento chamá-lo, mas ele me ignora. Fico na varanda, chorando, vendo o escuro tomar conta do Kim.

   Droga.

 

 

 

Continua...


Notas Finais


Espero que tenham gostado :)
Por favor desculpa a demora kk


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...