História Você vai estar aqui amanhã? (Jikook) - Capítulo 5


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jeongguk (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais
Tags Bts, Jikook, Kookmin
Visualizações 29
Palavras 2.603
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Lemon, LGBT, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Necrofilia, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá olá Mochis!!!

Turubom?

Demorei? Demorei. Mas aí está o 5° cap

Boa leitura!

Capítulo 5 - Capítulo - 5



Com a atenção virada a janela, Jimin não conseguia parar de pensar- Por que ele está tão determinado a ter minha atenção? Ele é idiota, ou apenas quer fazer de mim mais um na sua lista de trouxas?

- Ei, no que está pensando?

Park Seokjin, ou Jin para os íntimos. O irmão mais velho de Jimin. Não há muito o que dizer, isso é algo que com o tempo vocês irão perceber a pessoa maravilhosa que ele pode ser.

Jimin o encarou ainda voado em seus pensamentos. Mais especificamente, em quem estava em seus pensamentos.

- Ah, não é nada. Só estou pensando se os resultados irão dar algo bom dessa vez. – mentiu.

Seokjin o encarou triste, aquilo mexia muito com ele. Ver seu irmão daquele jeito era terrível, mas não poder fazer nada era pior ainda.

- Não se preocupe, okay? – Ele soltou uma de suas mãos do volante a levando em direção a de Jimin. – Tenho certeza que vai dar tudo certo.

Jimin o encarou novamente abrindo um breve sorriso. Ele amava seu irmão, mas sabia que até mesmo ele não acreditava nisso.


[...]


Jungkook que estava sentado em sua cama, fazendo algumas atividades atrasadas, não parava de pensar naquele loiro. De uma coisa ele sabia, ele era totalmente gay. Ele deixou isso bem claro ao dizer “namorado” para o jogador. Mas será que ele teria mesmo um? Não que aquele garoto não fosse bom o suficiente para arranjar alguém que goste de si, é totalmente ao contrário. Mas ele é tão sozinho, ele distância e evita todos que tentam se aproximar dele.

Antes de conseguir continuar seus estranhos pensamentos, ele ouviu uma tosse falsa chamando sua atenção a porta.

- O jantar está quase pronto. Vá aprontar a mesa. – disse a mulher na porta.

- Eu estou estudando. – disse seco voltando a encarar os livros em sua mão.

- Não me interessa. Seja rápido. – sem esperar respostas, saiu batendo a porta.

Lee Junhee, mais conhecida como a madrasta de Jungkook. Como deu para notar, o relacionamento deles não era um dos melhores. Na verdade a mulher o odiava, assim como seu próprio pai. E o começo do relacionamento dos dois não ajudou muito Jungkook na história.

Jungkook não estava afim de arranjar briga hoje, então apenas fechou seus livros se levantando em seguida, seguindo em direção a porta. Ele teve que respirar fundo antes de abrir a mesma, tentando ao máximo não se estressar hoje. Ou ao menos mais do que já estava.

Desceu as escadas, passando pela sala, indo na direção da enorme cozinha.

Jungkook era alguém com uma ótima condição financeira, já que seu pai era um grande advogado renomado pelo mundo. Muitos diriam que não havia do que se reclamar. Jungkook é bonito, rico, fudidamente gostoso, era capitão do time de basquete, tinha notas altas e todos estavam aos seus pés. Bem, quase todos.

Mas se você olhar de mais perto, vai perceber que a vida dele não era tão ótima assim.

- Como vai a escola? – perguntou sério o homem sentado a ponta da mesa.

- Bem, senhor. – respondeu encarando o prato em sua frente, apenas brincando com a comida nele.

- Já estão treinando para o próximo jogo?

- Sim, senhor.

- Olhe para mim quando estiver falando comigo, moleque.

Jungkook travou seu maxilar levantando seus olhos em seguida.

- Sim, senhor. Estamos treinando a semanas já.

- Ótimo. Espero que não me decepcione como sempre faz.

- Não irei, senhor.

Um silêncio perturbador se fez presente na mesa. O que já era comum naquela casa, conversas curtas e respostas mais curtas ainda.

- Eu peço licença, preciso estudar. – encarou seu pai que apenas fez um aceno de cabeça.

Jungkook se levantou pegando seu prato e levando em direção a cozinha. Colocando a louça suja dentro da pia, começando a lava-lá.

- Meu querido. Eu já disse que você não precisa fazer isso.

- E eu já disse para você não se preocupar com isso Sunhye.

- É claro que me preocupo. Não quero que você tão novo assim tenha mãos tão ásperas pelo trabalho.

Um sorriso se abriu em seu rosto. Jungkook terminou de lavar tudo, secando sua mão e virando em direção a senhora presente.

- Uma simples lavada de louça não vai me matar Sun. – ele segurou suas mãos dando um beijo em cada uma delas. – Eu vou subir, preciso estudar.

- Vá querido. Mas não estude exagerado também. Você precisar aproveitar mais.

Outra vez um sorriso fraco cresceu no rosto de Jungkook.

- Ao contrário. Eu tenho que aproveitar pouco e me esforçar mais. Ou nunca serei alguém na vida.

Ele não esperou uma resposta da mesma, apenas lhe deu um beijo na testa, indo em direção a seu quarto.


[...]


- Jungkook, eu tô’ livre!

Um treino de basquete poderia ser algo simples na visão dos outros, mas é algo totalmente o contrário. Em um treino, você tem que pensar como em um jogo mundial. Cada passo dado, cada arremesso era algo que tinha que ser pensado antes de fazer. Um errinho poderia ser trágico para o time.

Por isso os treinos intensos. Tudo era milimetricamente calculado, a jogada, ao de eles deveriam passar pela quadra, os jogadores que seguram a bola em cada minuto. Sempre quando uma data importante estava próxima, os jogadores eram proibidos de fazer algo antes do jogo. Sem beijos, sem festas, sem bebidas, sem fodas. Regras do capitão. Qualquer deslize em sua visão poderia ser algo a perder para o time. Por isso a regra.

Mas eu acho que vocês devem acreditar quando digo que eles não seguem essa regra boba. Na verdade, não seguem até uma semana antes do jogo. E por não ser perto ainda, essa era a chance de Jungkook conseguir algo com aquele loirinho infernal.

Ele pensava mil e uma coisas em sua cabeça de como o chamar para sair. Não vamos mentir, ele estava com medo de levar outro copo de suco na cabeça como resposta. Mas como deu para perceber, ele não é alguém que desiste fácil assim.

- Hoseok! Pela direita! – gritou o capitão. – Yoongi! Fique mais alguns passos atrás nessa hora! Vamos de novo!

Ele estava concentrado em treinar com seus amigos, mas mais ainda em tentar pensar em um plano para chamar o garoto. E ele já tinha um.


[...]


- Será que dá para não me ignorar? É sobre o trabalho.

Jimin o encarou cansado. Seu dia já havia começado exaustivo, ter que aguentar Jungkook falando no seu ouvido era um saco.

- Diga logo antes que eu de a volta e vá embora. – disse fechando a porta de seu armário.

- Como o trabalho é em dupla, o que eu espero que você não tenha esquecido... – Jimin arqueou as sobrancelhas arrancando uma risada de Jungkook. – Eu pensei em ir para sua casa para fazermos ele.

- E por que para a Minha casa e não a Sua?

- Bom, meu pai terá um reunião em casa hoje então terá bastante barulho. E então?

Jimin continuava o encarando sem reação, ele fechou os olhos respirando fundo.

- Tudo bem. – Jungkook abriu um enorme sorriso na hora. – Apenas pelo trabalho.

- É claro.

- Me encontre em frente à escola na hora da saída. Assim já iremos juntos e te mostro o caminho.

- Você quem manda, loirinho.

Jimin virou de costas para Jungkook começando a caminhar em direção a sua sala.

- Estou doido para conhecer o seu quarto.

Jimin parou no lugar sem se virar para trás, o que arrancou uma risada baixa de Jungkook.

Jimin voltou a caminhar, e sem Jungkook perceber, deixou um sorriso escapar de seus lábios. Aquele garoto é realmente intrigante.


[...]


- Eu não acredito que aceitei isso.

Jimin estava parado dentro da escola, encarando o jogador que estava na porta conversando com seus amigos. Ele respirou fundo, caminhando lentamente em direção a Jungkook e seu grupo.

Os garotos estavam em um círculo concentrados em suas conversas. Nenhum o notou chegando, nenhum tirando o moreno do grupo. Min Yoongi. Ele o encarava sem parar, com uma expressão indecifrável no rosto.

Jimin se sentia estranho sobre o olhar dele. Era como se ele estivesse lendo sua mente. Como se o conhecesse...

Ao chegar perto, Jimin o encarou de volta logo desviando seu olhar para as costas de Jungkook.

Ele soltou uma coceira falsa na garganta, chamando atenção dos rapazes para si.

- Oh, Jimin.

- Desculpa, tenho que esperar as fofocas das garotinhas terminar? – perguntou irônico olhando para todos no grupo em seguida a Jungkook.

- Claro que não. Você manda aqui loirinho. – disse Jungkook fazendo Jimin arquear uma sobrancelha.

- Será que dá para irmos logo?

- Ir aonde? – perguntou Taehyung com um sorriso sacana no rosto.

- Ir fazer trabalho, seu mente poluída.

Jimin revirou seus olhos e ao voltar a encarar eles, seu olhar caiu em Yoongi novamente. Ele o encarava com a testa franzida, parecia surpreso. Ele já estava de saco cheio daquilo.

- Algum problema? Ciúmes da coisa aqui? – perguntou irônico chamando a atenção dos outros para Yoongi.

- Seu pai é Park Young?

Os olhos de Jimin cresceram na hora. Mas logo ele se recompôs.

- Eu não tenho pai. – disse firme.

Yoongi abriu um curto sorriso.

- Como anda o Jinnie?

Novamente os olhos de Jimin cresceram.

- Como...?

- Eu mudei tanto assim?

- Eu acho que tô’ perdido aqui. – disse Namjoon.

- Não é só você. – respondeu Hoseok.

- Yoongi do que está falando? – perguntou Jungkook confuso.

Yoongi ignorou completamente os comentários, sem em nenhum momento tirar os olhos de Jimin, voltou a fala.

- Ora Jiminzinho, você realmente cumpriu sua promessa? Até comigo?

- Jiminzinho? – perguntou Jimin sem entender. – Só uma pessoa me chamava assim.

Os crescimentos de olhos antes não chegaram nem perto do tanto que Jimin abriu seus olhos nesse momento.

- Não... Yoon? – perguntou surpreso.

- Não vai dar um abraço no seu priminho favorito?

Jimin deu três passos até chegar perto de Yoongi. O mesmo abriu seus braços a espera de um abraço, mas recebeu vários tapas de volta.

- Seu filho da puta! Desgraçado!

- Aí, Aí! Jimin!

- Como você pode fazer isso comigo?! Como pode fazer isso com o Jin?!

- Fazer o que?! Do que está falando?!

Jimin parou de bater nele o encarando sem reação em seu rosto.

- Abandonar nos dois. Nos abandonar quando mais precisamos de apoio.

- Calma Aí! Eu não abandonei ninguém! Eu precisei me mudar.

- Por que não nós levou então merda?!

- Nós éramos menores Jimin, eu não podia fazer nada.

- Você não faz ideia das coisas que aconteceram. Se soubesse, não pensaria dessa maneira.

Um silêncio constrangedor se formou naquela roda. Ninguém dizia uma única palavra. A situação estava tensa.

- Vamos logo, antes que eu desista disso.

Sem esperar respostas ele saiu andando recebendo todos os olhares sobre si. Jungkook encarou Yoongi sério. Ele queria explicações depois. E faria questão de telas.

Ele saiu correndo tentando alcançar Jimin que já estava bem na frente. Ao alcança-lo ele teve que acelerar o passo para conseguir o acompanhar. O que foi meio difícil já que as dores em suas pernas por conta do treino forçado estavam começando a aparecer.

- Será que dá para ir mais devagar?

Jimin parou, parecendo se lembrar de que não estava sozinho. Encarou Jungkook sem expressão em seu rosto, respirando fundo e voltando a caminhar, mais devagar dessa vez.

- Obrigado.

Eles caminhavam lado a lado, mas parecia que Jimin não estava ali naquele momento. Jungkook o encarava sem parar, ao mesmo tempo em que tentava decifrar o que se passava em sua cabeça, ele estava admirando uma pequena cicatriz na bochecha dele. O que ele achava irônico, pois também tinha uma em sua bochecha.

- O que foi em? – ele parou bruscamente assustando Jungkook.

- Eu... É verdade?

- O quê?

- Yoongi é mesmo seu primo?

Jimin o encarou respirando fundo. E concordou com um aceno de cabeça.

- Isso é realmente algo que não esperava.

- Pois é. – ele voltou a andar, sendo seguido por Jungkook. - Será que dá para não falarmos disso?

- Claro. Como eu já disse, você manda loirinho.

Sem perceber, Jimin soltou uma fraca risada. O que hipnotizou Jungkook naquele momento.

- Uau, eu tirei uma risada de Park Jimin. Acho que minha vida está feita.

Jimin ficou sério na hora.

- Cala boca. Risada aonde? Eu não tô’ rindo.

- Claro, claro.

O caminho continuou em silêncio, mas diferente de antes não era um silêncio constrangedor, era um silêncio confortável.

Depois de mais alguns minutos andando, eles chegaram a uma casa de dois andares com uma pintura branca ao lado de fora. Havia flores na entrada da casa, dando um ar de conforto a casa.

- Vamos. Meu irmão não chegará agora, então vamos terminar isso logo.

Ele saiu andando na frente sendo seguido por Jungkook. Ao entrar, Jungkook ficou um tanto impressionado. A maior parte daquela sala era rosa.

- Pelo visto sua mãe é bastante fã de rosa. – disse olhando ao redor.

- Eu não tenho mãe. Essa decoração foi feita pelo meu irmão.

- Ah... Eu sinto muito.

- Não sinta. Ela viveu o que tinha para viver e foi feliz cuidando de nós.

O jogador ficou sem saber o que dizer naquele momento. Tocar em assuntos pessoais era algo que ele não gostava, por isso sempre evitava o assunto. Até mesmo para seus melhores amigos. Então ver Jimin falando algo assim com ele era algo novo para ele.

Jimin foi em direção a escada parando no primeiro degrau encarando Jungkook para que o mesmo o seguisse, o que ele fez na mesma hora.

Ele caminhou até o último quarto do corredor, abrindo a porta e dando passagem para Jungkook passar. Ao entrarem ele fechou a porta para terem mais privacidade para fazer o trabalho caso seu irmão chegasse.

- Sente na cama, eu vou pegar algumas coisas.

Jungkook concordou com um aceno e se sentou encarando Jimin que andava de um lado para o outro no cômodo. Ao recolher tudo, ele se sentou na cama espalhando as coisas nela.

- Como em algumas questões precisarem fazer contas, eu peguei algumas coisas para ajudar.

- Já me dá uma preguiça só de olhar para tudo.

- Nem pense que eu irei fazer tudo sozinho.

- Eu nunca pensei isso, meu bem.

Jimin arqueou a sobrancelha direita ao ouvir o apelido.

- Desculpa, cedo demais? – abriu um sorriso sapeca.

- Você é realmente impossível. – disse negando com a cabeça e abaixando seu olhar ao caderno que segurava.

- Sou impossível, mas só por você. – levantou o olhar encarando o jogador.

- Por que você está fazendo isso?

- Isso o que?

- Tentando se aproximar de mim, mesmo eu mandando você pastar você continua. Qual o motivo? Uma aposta com os amigos?

- O que?! Não. É claro que não. Eu só me interessei por você. Por que você é bonito. – ele se arredou para frente. – Tem uma personalidade forte. – outra vez. – É impenetrável. – Se arredou mais uma vez ficando colado com Park. - É... Intrigante.

Suas bocas estavam a milímetros de distância. Eles estavam hipnotizados nas bocas um do outro. Na cabeça de Jungkook só se passava a imagem daquela deliciosa boca junto a sua. E ele sugando aqueles lábios gordinhos.

Na de Jimin, só se passava que ele não podia fazer aquilo. Mas cada vez mais Jungkook se aproximava. E cada vez mais suas bocas estavam próximas. Fazendo Jimin se esquecer como respirar. 



Continuo?


Notas Finais


Opa, turubom?

Não fiquem com raiva, próximo cap vai rolar rs

Não seja um leitor fantasma!

BORA SOCIALIZAR COMENTA NESSA BAGAÇA!❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...