História Você veio na hora certa. - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Got7, K.A.R.D
Personagens Jackson, Jiwoo, Personagens Originais, Somin, Yugyeom
Tags Amor, Drama, Got7, Kard, Romance, Yugyeom
Visualizações 6
Palavras 931
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Fluffy, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Transsexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 1 - Inútil.


Fanfic / Fanfiction Você veio na hora certa. - Capítulo 1 - Inútil.

(P. O. V (S/N)



-Você deveria ter ido com seus pais! Sua inútil. Não consegue fazer nada.-Fala minha tia que a alguns minutos estava com um homem em seu quarto, e está brigando comigo já que eu senti um pouco de falta de ar e a chamei. 




Eu apenas fico quieta sem dizer nada, já que eu não consigo fazer nada mesmo... Eu era patinadora do gelo, eu tinha ganhado no meu último campeonato nacional, mas na volta para casa... Sofri um acidente, a gente estava no carro indo em direção a minha casa, estávamos na estrada escutando "Lean on" na rádio, derrepente um caminhão veio na contra-mão e bateu de frente com o nosso carro, o carro capotou, eu fui lançada pra fora, mas... O carro pegou fogo e explodiu com os meus pais dentro. E eu bom... Eu não posso mais patinar, ganhar troféus, medalhas, eu não posso mais realizar meu sonho. Fiquei tetraplégica, tive que ficar com minha tia que era o parentesco mais próximo. Eu já sou maior de idade, mas não posso ficar sozinha, minha tia se aproveita do dinheiro que meus pais deixaram pra mim para fazer compras, e se gabar por aí, a cada dia vejo ela com um homem diferente, isso me deixa um pouco decepcionada. Daqui a pouco o enfermeiro chega, ele fica aqui até de madruga e vai embora. 



-Desculpa eu ter passado um pouco mal. - Falo triste e desapontada com a mais velha. 


-Não me atrapalhe mais! - Ela fala brava e sobe as escadas. 



Eu vou até o meu cantinho, já que minha cadeira é automatizada pelo menos consigo ir até lá sozinha, meu cantinho é o lugar que criei com 15 anos, é um quarto que ninguém usava, todo branco com luizinhas amarelas, lá eu lia, limpava meus patins, assistia TV e ouvia música alta já que não se pode escutar nos outros cômodos. Entrei lá e apertei o botão na cadeira que ligava a música, coloquei no volume máximo. 




Depois de alguns minutos ouço o enfermeiro entrar em casa. Abaixo o som e o ouço gritar. 




-(S/N) trouxe companhia pra você! - Fala alto. 



Eu apenas vou em direção a sala, quando chego na mesma, vejo um garoto alto, cabelos pretos, e por sinal, muito bonito, ele me olha sorrindo, eu apenas o ignoro e falo com o enfermeiro. 



-Bom dia.-Falo sem ânimo. 


-Bom dia (S/N). Trouxe seu almoço. - Fala esquentando o almoço no micro ondas. 


Ele coloca em 30 segundos e se vira para mim e fala. 


-Esse é Yugyeom, meu subrinho, achei que seria legal alguém da sua idade lhe fazer compania. - Ele fala sorrindo. 


-Olá, prazer em conhecê-la -Ele fala de forma fofa. 


-Oi, igualmente. - Falo sem expressão. 




Depois de esquentar o enfermeiro me dá a comida. E é esse o problema. A comida tem que ser dada na minha boca. Que vergonha! Depois de eu comer morrendo de vergonha de Yugyeom, vou para meu cantinho e Yugyeom vem atrás assim que entramos ele se senta no puff amarelo que havia ali. Ele começa a me olhar feliz e fala. 




-Você mora aqui a muito tempo? - Ele pergunta me olhando fofo. Eu me derreto com essa fofura. 


-Moro aqui desde pequena. - Falo o respondendo sorrindo. - E você? 


-Vim pra cá com a minha mãe a pouco tempo. Acho que vou te ver mais vezes. -Ele fala e sorri sapeca. Eu apenas rio um pouco. - Vamos dar uma volta noona? 



Aí meu Deus ele me chamou de noona. 



-Eu sou mais velha que você? -Falo tentando me controlar. 


-Meu tio falou que sim. Você tem quantos anos? 


-24 anos... 


-Eu tenho 21.


-Hum... 


-Então. Vamos? 


-Sim. 


Ele se levanta do puff e vem em minha direção eu e ele vamos até o jardim, ele se senta na cadeira de balanço que meu pai fez pra mim quando eu tinha 6 anos. Ele começou a conversar comigo até que minha tia apareceu e veio para perto de nós. 



-Olá-Disse ela em um tom falso. 


-Olá, tudo bem? Sou amigo de (S/N). -Yugyeom fala fofo. 


-As portas do meu quarto estão abertas fofinho, se você quiser dormir lá. - Minha tia fala provocativa. 


-Ah... T-ta... - Yugyeom voltou seu olhar pra mim sem nem entender nada. 



Minha tia me olhou por alguns segundos com um olhar de deboche, logo voltou o seu olhar para Yugyeom e soltou uma piscadela para o mais novo. Senti enjoo naquele momento. 



Yugyeom olhou para mim e sorriu. Entramos dentro de casa. 


-Vou ali na cozinha, já volto noona. - Fala Yugyeom indo em direção a cozinha. 



Eu vou para o elevador da casa que construíram por minha causa. Aperto o botão da cadeira que chama o elevador e subo indo para meu quarto. Uns minutos depois Yugyeom aparece com uma tigela de sorvete e duas colheres. Eu fico meio triste por não poder comer com ele, o mesmo vem em minha direção ele coloca a tigela e as colheres no criado-mudo, ele vem até mim, me solta da cadeira, me pega no colo e me coloca encostada na cama. Eu coro envergonhada, ele abre a tigela, pega uma colher e pega um pouco de sorvete. 



-Aaah. - Fala ele levando a colher até minha boca e me fazendo abrir a mesma. 


Logo ele pega a outra colher e come um pouco. Assim fazemos várias vezes. 



-Está sujo aqui. - Fala levando seu polegar até o canto da minha boca fazendo-me morrer de vergonha, ele solta um sorriso bobo, e eu sorrio sem mostrar os dentes. 




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...