História Volcán - Capítulo 18


Escrita por: ~

Postado
Categorias MasterChef Brasil
Personagens Personagens Originais
Tags Farosella, Fogasella
Visualizações 275
Palavras 1.212
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Romance e Novela
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Nunca é demais agradecer as interações de vocês. Então, muito obrigada 😊❤

Capítulo 18 - Casos e Acasos


Fanfic / Fanfiction Volcán - Capítulo 18 - Casos e Acasos

Claro que não. Não me irrita, Fogaça! – respondi. E ele: Iiihhhh... que negócio é esse de Fogaça agora? Eu falei: Ué... no é assim que te chamam aqui? No é esse teu nome artístico? – falei irônica. E ele disse: É sim. Eu gostei... mas Henrique é mais íntimo – foi chegando perto de mim e senti meu coração disparar. Me esquivei rapidamente e falei: Por isso mesmo não quero mais te chamar de Henrique. Não sou tua namoradinha pra te chamar de um nome diferente do resto das pessoas. Ele disse: Mas bem que poderia ser. Revirei os olhos e voltei pra gravação. O tanto que eu gostava das investidas de Henrique era diretamente proporcional ao medo de não conseguir me segurar. Comecei a achar que eu tava brincando com fogo. Uma chegada mais junto dele a mim poderia resultar em beijo ou em sexo. E eu não podia fazer isso. Não podia cair de novo na dele pra ser enganada mais uma vez. E também agora havia o Jason. Como eu ia fazer com uma pessoa o que condenava tanto no Henrique? Estaria me igualando a ele. E além do que, Jason não merecia. Eu não iria ao contêiner de Henrique.

O último intervalo dessa gravação era o maior de todos. Duraria 40 minutos. Sabia que Henrique estaria me esperando. Mas estava segura, tinha dito que não iria. Fui ver Jason. Ele estava animado, já até torcia pra alguns competidores, apesar de não entender quase nada do que se passava. Me apoiei na grade que nos separava e ele começou a me mostrar algumas fotos que ele havia feito. Perguntei a ele: E eu, querido? Estou bem? Ele respondeu: Você está ótima! Logo logo vai ter um monte de fãs! Dei risadas e falei: Até parece, que exagero. Logo Pato veio se juntar a nós. Conversávamos animadamente até que a apresentadora do programa, Ana Paula Padrão, passou pela gente. Imediatamente Pato parou de prestar atenção e voltou o olhar para ela, acompanhando seu caminhar até que saísse do nosso campo de visão. Jason e eu percebemos e nos olhamos com vontade de rir. Dei um tapa no braço de Pato e falei: Gostou, né? Ele ficou mais vermelho que um pimentão e fingiu não ter entendido. Aí que Jason e eu tivemos mais certeza de que Pato estava encantado com a pequena.

Fiquei mais um tempo conversando com meu namorado até que Pato chamou para que voltássemos aos nossos postos para o final da gravação. Falei pra Jason: Tenho que ir agora. Ele disse: Ok, boa sorte! Dei um selinho nele e então, ele me puxou de volta e me deu um beijo mais demorado. Correspondi, mas logo me soltei e disse: Jason! Comporte-se. Ele riu. Virei pra ir gravar e dei de cara com Henrique. Me olhava de longe com uma expressão de indignação. Mierda – pensei – ele viu. Bom, mas quem sabe não é melhor assim. Então, Henrique ficou frio comigo durante todo o tempo de gravação que nos restava. Na hora de ir embora, ouvi sua voz me chamando: Paola! Parei e esperei ele vir até mim. Ele tinha o rosto franzido de preocupação: Fiquei te esperando no contêiner. Eu falei: Eu te avisei que não iria. E ele: Eu pensei que fosse charme... E eu: Mas não era, Henrique. Tchau.

Ele segurou meu braço: Espera. Eu perguntei: O que foi? Ele respondeu: É que... você dá impressão que gosta das minhas cantadas. Eu sinto que cê tá sempre fazendo joguinho comigo. Por isso que eu resolvi te chamar hoje, pensei que você ia querer, que a gente ia curtir... mas aí cê não apareceu. Fiquei lá te esperando, só saí quando o Pato chamou. Daí eu chego aqui fora e me deparo contigo de beijo com um cara da plateia. Cê tá se vingando de mim, Paola? Quer me fazer sofrer ou algo assim? Eu respondi: Henrique, não seja ridículo. Eu tenho coisas mais importantes pra fazer na minha vida do que elaborar um plano de vingança contra você. E ele: Então por que cê beijou aquele velho? Eu respondi: O nome dele é Jason. E ele nem é tão velho assim. Ele insistiu na pergunta: Tá... mas por que você beijou ele? E eu: Porque ele é meu namorado. Henrique falou: Que??? Desde quando? Eu disse: Tem uns 5 meses... acho. Percebi que os olhos dele se encheram de lágrimas. Ele perguntou: E por que você não me falou nada? Henrique havia acabado de fazer uma pergunta que eu não sabia responder. Ou até sabia, mas não queria. Diante do meu silêncio, ele falou: Vou te provar que eu não sou o canalha que você pensa que eu sou. Vou respeitar teu namoro. Não tem mais cantadinha nem brincadeirinha – chegou mais perto de mim e segurou meu queixo – Eu te amo! Mas a partir de hoje vou te tratar como mais uma colega de profissão. No dia que você terminar esse namoro a gente conversa.

São Paulo, 2 de Setembro de 2014

Era o dia da estreia do MasterChef Brasil. Eu estava uma pilha de nervos. Pela estreia, pela mudança de comportamento do Henrique, que todos os dias fazia questão de seguir à risca o que havia dito, por Jason, que estava em Londres mas me ligava de 5 em 5 minutos e... por Pato. Que estava sentado no chão da minha sala de bermuda e tomando whisky apenas a 10 minutos do horário que deveríamos sair de casa. Haveria um evento na Band. Um jantar em comemoração à estreia do programa, para que todos assistissem juntos. Ele tinha chegado em minha casa um pouco antes de eu levar a Fran ao apartamento de uma amiguinha da escola. Ela dormiria lá naquela noite. Eu me dava muito bem com a mãe dela, e também ficava com a menina nas vezes em que ela precisava sair. As crianças adoravam, eram muito amigas. Pato chegou dizendo: Não precisa levar, eu fico com a Fran. E eu: Tá loco? E o jantar? Ele respondeu: Não vou. E eu: Pato, você é o diretor, não me dá uma dessa. Fran disse: Eu quero ficar na casa da Valentina, tio Pato. E ele: Tudo bem. Nem a Fran me quer hoje.

Não dei muita importância e fui levar a Fran. Quando voltei, Pato ainda estava bebendo. E continuou até a hora em que eu já estava pronta. Tirei o copo de sua mão e perguntei: Afinal, o que houve? Por que tá assim? E ele: Cê não vai rir de mim? Eu respondi: No. Ele suspirou e falou: Tô apaixonado, nena! E me declarei hoje cedo, na gravação. É pela... Ana Paula – falei eu – eu sei. E ela? Ele respondeu: Disse que tem namorado. Passei a maior vergonha. E tô sofrendo. Depois de muito conversar com Pato e colocá-lo pra cima, consegui convencê-lo a ir. Saímos correndo, chegamos atrasados e Pato nem teve tempo de secar os cabelos. Estavam encharcados. Os lugares na mesa estavam marcados, e o meu era bem do lado de Henrique. Sentei ainda um pouco ofegante com a correria e Henrique ficou me olhando. Eu perguntei: O que foi? Parece até que nunca me viu. Então, ele me fez uma pergunta: 

Cê tá tendo um caso com o Pato?


Notas Finais


E a coisa só complica 👌😂


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...