História Voltando a Viver - Capítulo 49


Escrita por:

Postado
Categorias Ally Brooke, Camila Cabello, Dinah Jane, Fifth Harmony, Lauren Jauregui, Normani
Personagens Camila Cabello, Lauren Jauregui
Tags Camila Cabello, Camren G!p, Fifth Harmony, Lauren G!p
Visualizações 448
Palavras 1.843
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, LGBT, Romance e Novela, Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Estupro, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Suicídio, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


HALLO!!

Sentiram falta do Tio Pug? Pq eu senti falta de vocês <3

Esse capítulo tem nova personagem que aparece pouco aqui, mas logo vai aparecer mais.

Camz_lari94, fiz lembrando de você! hahaha

NOTAS FINAIS
NOTAS FINAIS
NOTAS FINAIS
NOTAS FINAIS

Capítulo 49 - A Consulta


POV Lauren

 

Assim que nos cubro, quase que imediatamente, Camz pega no sono. Com cuidado, nos giro, fazendo-a ficar deitada direto no colchão e saio de dentro dela, sorrindo ou perceber a cara de emburrada que ela fez. Vou correndo até o banheiro e tomo uma ducha, me livrando da camisinha cheia daquela coisa nojenta.

 

Coloco uma camiseta e uma cueca e me deito na cama, sentindo Camz me puxar para um abraço, mesmo inconsciente. Eu me acomodo em seus braços e apago, sentindo seu cheiro refrescante.

 

-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x

 

-Cami? Lauren? - Acordo assustada com o primeiro grito de Sofia, mas Camz ignora e me puxa para perto dela. - Acordem, temos que ir pra consulta, gente!

 

-Oi, Sofi. - Digo com a voz rouca e a boca seca. - Que consulta?

 

-Com a psiquiatra que sua mãe marcou, esqueceu? - Merda!

 

-Não.. Tudo bem, vou acordar a Camz.

 

-Tá bom, mas vai logo pra gente não se atrasar! - Ouço seus passos se afastando da porta.

 

-Camz, meu amor, vamos acordar. - Digo baixo.

 

-Não quero. - Diz baixo, escondendo seu rosto no travesseiro.

 

-Nunca vi alguém tão manhosa pra acordar! - Digo sorrindo. - Mas temos que levantar, amor. A consulta com a psiquiatra é daqui a pouco.

 

Ela resmunga e levanta emburrada, indo direto para o banheiro, mas, no meio do caminho, ela trava. E eu não posso evitar observar seu corpo completamente desnudo e aquele paraíso que ela chama de bunda, sentindo uma fisgada entre as pernas. Chacoalho a cabeça, saindo dos meus devaneios e percebo que ela já está há alguns segundos na mesma posição.

 

-Camz, tudo bem? - Me aproximo dela lentamente para ela não se assustar. Assim que encosto a ponta dos dedos em seu ombro, ela é despertada de onde seja lá que ela estivesse.

 

-Oi, Lolo.. Hum… Tudo bem. - Ela diz meio confusa.

 

-Tem certeza, Camz? - Ela me lança um sorriso inseguro, mas acena com a cabeça e volta a andar para o banheiro.

 

Assim que ela liga o chuveiro, sigo para o armário, separando uma troca de roupa para mim e bufando ao ter que usar aquela porcaria de shorts compressor. Arrisco separar uma roupa para Camz, mesmo não sabendo direito o que escolher. Então apenas separo uma calça jeans com um rasgo nos joelhos e uma blusa fina.

 

Por um instante, até cogito me juntar a ela para demorarmos menos, mas, ao sentir outra fisgada entre as pernas, percebo que não é uma boa ideia, pois, com certeza, demoraríamos mais. Mas, sem demorar muito, Camz desliga o chuveiro e sai, enrolada na toalha.

 

-Hum, eu separei uma roupa pra você, não sei se fiz certo. - Digo encabulada e ela olha na direção que apontei, analisando a roupa.

 

-Tá ótimo, Lolo. Obrigada. - Deixa um beijo rápido nos meus lábios, eu espero ela se vestir e faço os curativos em seu rosto e seus braços e, em seguida, eu corro para o banho para não nos atrasar.

 

Assim que saio, vou me vestir, mas não acho o compressor que eu tinha separado.

 

-Você não vai usar. - Camz diz, ao perceber que eu procurava pelo ítem.

 

-Mas…

 

-Não vou deixar você usar coisa que te machuca. Mas eu separei uma calça que é um pouco mais larga, então não vai marcar tanto.

 

-Mas…

 

-Nada. Se veste, senão vamos nos atrasar. Se você quiser ficar se machucando, vai fazer quando eu não estiver por perto, ou seja, você está ferrada, pois moramos juntas. - Se levanta da poltrona, deixa um beijo em meus lábios e vai até a porta. - Te espero lá embaixo. - Antes de sair ela se vira e me olha. - Não adianta procurar, eu escondi. - E sai.

 

Bufo irritada e me visto, me sentindo terrivelmente exposta. Desço as escadas mal humorada, encontrando meu irmão e as irmãs Cabello.

 

-Que cara é essa, cera de vela? - Chris pergunta.

 

-Não enche! - Ele arregala os olhos.

 

-Eu escondi o compressor dela, então ela tá irritada. - Camz diz e eu bufo.

 

-Vamos logo? - Apresso.

 

-Laur, se te tranquiliza, não dá pra ver nada. A blusa tá cobrindo sua cintura. - Sofia diz, sorrindo confiante.

 

-Eu não ia deixar você tão exposta assim, amor, por isso mudei a  sua roupa.

 

Automaticamente, puxo minha blusa para baixo, com medo de que ela suba e logo todos estamos no carro. Chris quem dirige, enquanto sigo no banco traseiro com a Camz, mesmo irritada com ela por ter sumido com meu compressor, eu não consigo brigar. Eu sou muito trouxa!

 

Assim que saímos do carro, andamos pela calçada em direção ao consultório, comigo puxando o tempo todo a blusa e sendo repreendida pela Camz, dizendo que vou acabar estragando a blusa.

 

Chris e Sofi estão à nossa frente e, de repente, meu irmão pisa em falso e cai de cara no chão, puxando Sofia que estava de mãos dadas com ele e acaba caindo sobre ele. A cena deles caídos à minha frente é demais e logo eu estou gargalhando, ficando com falta de ar. Enquanto Camz, também rindo, tenta ajudar a irmã a se levantar.

 

Chris levanta com a cara emburrada e com os joelhos ralados, já que ele está de bermuda. Sofia resmunga com Chris, ao mesmo tempo que se certifica que ele não se machucou seriamente.

 

Eu não consigo evitar ficar rindo, quase sem ar até o consultório. Ainda mais vendo Chris mancar por conta dos joelhos ardidos. Assim que entramos no consultório, tento controlar minha risada por respeito ao ambiente, mas falho miseravelmente, engasgando e fazendo um barulho estranho. Camz fica me encarando sorrindo e Sofia entra já se desculpando pela cena que eu estava proporcionando.

 

Sofia, de propósito, senta no lugar mais afastado e escondido, depois de ter ido até a recepção informar  que já estávamos ali. Nos sentamos ao lado da minha cunhada que está envergonhada e eu tento arduamente parar de rir, mas a todo momento a imagem de meu irmão caído no chão surge em minha mente, fazendo com que eu tenha outra crise de risos.

 

-Você não cansa, não? - Chris pergunta irritado.

 

-Não… - Digo tentando tomar ar. - Você parecia um saco de bosta no chão!

 

-Lolo, deixa ele, ele já tá com vergonha o suficiente. - Camz diz baixo, mesmo que ela ainda esteja rindo.

 

-Tá bom, vou tentar, mas… - Não consigo segurar a risada que em espontânea.

 

-Vem, me abraça e deixa seu irmão em paz! - Camz diz, se enfiando em meus braços, que, automaticamente, a envolvem e todos meus músculos relaxam quando inalo o cheiro do meu shampoo em seus cabelos. Fecho meus olhos para desfrutar ainda mais da sensação.

 

-Karla Camila e Sofia Isabella Cabello. - Uma voz feminina chama e eu abro meus olhos. Enquanto Camila se levanta, se afastando de mim. - Consultório 7, Dra Brochu está aguardando.

 

Camila e Sofia se afastam e fico angustiada, querendo ser uma mosca e poder ficar com a latina.

 

Não sei há quanto tempo eu e Chris estamos dando voltas na sala de espera (ele ainda está mancando, mas não parece tão divertido quanto antes), sei que ele já está com os dedos cheios de sangue, por ficar mastigando as peles ao redor da unha e eu já estou quase arrancando os cabelos de tanto que mexo neles.

 

Olho no relógio e não acredito que só se passaram 15 minutos, parece que já foi, pelo menos 15 horas. Resolvo beber água e bebo logo 3 copos, pois parece que estou há anos sem beber água.

 

Depois do que parece mais 43 horas, Camz e Sofia saem do consultório com caras nada animadoras. Elas seguem direto para a recepção sob olhar atento do meu irmão e de mim, que nos aproximamos a tempo de ouví-las marcar retorno para o próximo mês.

 

Logo Camz entrelaça nossas mãos e Chris faz o mesmo com Sofia. Entramos no carro e eu não aguento mais segurar.

 

-Me diz o que tá acontecendo? Qual o motivo dessas caras? - Digo angustiada e Sofia bufa irritada.

 

-O que tá acontecendo é que o bosta de médico anterior tinha receitado uma medicação completamente diferente do que a Cami precisava e, ao invés de ajudar ela, tava piorando! - Sofia está vermelha de raiva. - Agora temos que ir na farmácia pegar a medicação nova. Juro que, se eu não tivesse deixado as receitas na outra casa, ia denunciar aquele canalha!

 

-Você tá brincando com minha cara, né? Como que a porra de um médico faz isso? - Digo inconformada.

 

-Não sei, Laur. Sei que quero matar aquele desgraçado. A Cami poderia estar melhor hoje se fosse aquele maldito!

 

-Gente, eu sei, dá raiva. Mas ficar nervosos agora não vai adiantar! - Chris interrompe. - Vamos em casa pegar dinheiro e vamos na farmácia comprar o remédio certo. Pelo menos agora ela vai ter o tratamento certo, isso que temos que focar agora.

 

-O Chris tá certo. - Digo, respirando fundo. - Vamos pra farmácia direto, eu trouxe minha carteira. - Ele acena e logo coloca o carro em movimento. - Tirando isso, como foi, Camz? - Pergunto, enquanto puxo ela pra um abraço.

 

-Foi bem, eu acho. Ela pareceu legal, disse que conhece a Tatiana.

 

-Você falou dela?

 

-Não, mas ela tinha dado aquela carta, lembra? - Concordo com a cabeça. - Aí ela reconheceu o nome.

 

-Você gostou dela? Sentiu confiança nela?

 

-Acho que sim, ela parece séria, mas foi simpática e fez várias perguntas. Mandou eu tomar esses remédios, disse que demora umas duas semanas pra começar a fazer efeito e pediu pra vocês irem observando se tem mudanças e coisas assim. - Concordo com a cabeça. - Ela também me receitou um remédio pra dormir, quando a insônia pegar.

 

-Agora, com tratamento certo, com médicas boas, você vai melhorar, amor!

 

Depois de uma rápida parada na farmácia, voltamos para casa, encontrando os carros dos meus pais na garagem e vendo os dois sentados, mexendo concentrados no celular.

 

-Nada ainda? - Chris pergunta e eles nos olham com expressões aflitas e negam com a cabeça.

 

-Como foi lá? - Minha mãe pergunta.

 

-Foi tudo bem, novos remédios. - Camz diz simples. - Desculpa por causar essa bagunça com a Taylor. - Camz fala baixo.

 

-Não foi sua culpa, não sei o que deu nela, mas não foi você. Fica tranquila. - Meu pai diz sorrindo para Camz.

 

-Vocês tem que descansar, daqui a pouco chamo vocês pra jantar. - Minha mãe diz e logo entendemos que eles não querem nossa presença ali.

 

E a culpa começa a me corroer. E se algo tiver acontecido com Taylor?

 

Subimos as escadas e vamos para o quarto de Chris, nos acomodando.

 

-Sabe o que eu notei? - Sofia começa, chamando a atenção de todos. - Que desde que o Chris derrubou a gente no chão, a Laur parou de ficar puxando a blusa.

 

Eu paro, na hora, percebendo que ela está certa. Em nenhum momento, até agora, lembrei que eu estava sem compressor.

 


Notas Finais


Gente, eu tô percebendo que a Fic tá ficando mais longa do que eu imaginava e eu realmente não sei se está cansativo pra vocês, por isso eu quero que me respondam:

Querem que eu acelere a Fic ou mantenho o mesmo curso, explorando mais as tramas? Realmente preciso da opinião de vocês pra poder continuar a fic! Ou seja, quanto antes me responderem, mais cedo eu posto outro capítulo!

Me amem e façam feliz: Favoritem, Comentem e Compartilhem!

Beijos, meuzamô!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...