História Voltando a Viver - Capítulo 50


Escrita por:

Postado
Categorias Ally Brooke, Camila Cabello, Dinah Jane, Fifth Harmony, Lauren Jauregui, Normani
Personagens Camila Cabello, Lauren Jauregui
Tags Camila Cabello, Camren G!p, Fifth Harmony, Lauren G!p
Visualizações 903
Palavras 1.272
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, LGBT, Romance e Novela, Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Estupro, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Suicídio, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


HALLO!!!

Tio Pug voltou pra vocês <3

Eu disse que se respondessem rápido, eu voltaria rápido e cá estou!

Eu vi várias pessoinhas novas comentando e, poxa, comentem mais ;'(

Desfrutem!

(OBS: Nunca falei sobre isso, mas nenhum do capítulos eu reviso, então se acharem erros, me falem, pfv)

Capítulo 50 - Procurando Taylor


POV Camila

 

Merda!

 

-Licença. - Digo baixo e saio andando rápido. - Merda, merda! Não, agora não.

 

Entro no banheiro e sim, eu esqueci totalmente dessa merda de menstruação, que ótimo! E o melhor: eu não tenho absorvente, esqueci de comprar essa merda!

 

Enrolo um monte de papel e vou até o quarto de Sofi, chamando ela pro corredor, recebendo um olhar estranho de Lauren.

 

-Que foi, Cami?

 

-Desceu e eu não tenho absorvente, você tem pra me emprestar? - Ela dá risada.

 

-Tenho, sim. Pelo menos ainda não vou ser tia! - Eu reviro os olhos e ela entra no quarto enquanto parece que tem uma cachoeira saindo de mim.

 

Assim que ela me entrega, vou correndo pro banheiro e tomo um banho, pra me livrar da calcinha suja.

 

-Camz, tudo bem? O que aconteceu?

 

-Tudo bem, Lolo. Não entra no banheiro!

 

-Mas…

 

-Já estou acabando, espera um pouquinho.

 

Termino o banho rapidamente e me visto, me perguntando como vou falar sobre isso com Lauren. Respiro fundo, saindo do banheiro e encontrando Lauren com uma cara pensativa na cama.

 

-Oi, Camz. O que houve? - Diz, já se empertigando, soando preocupada.

 

-Não precisa ficar preocupada, é normal… Hum… É que eu menstruei e não estava esperando. - Digo, sentindo minhas bochechas queimarem.

 

-Nossa, que susto! Eu já tava achando que tinha acontecido alguma coisa.

 

-Não se preocupa, é só isso mesmo. - Digo, sorrindo ao ver sua preocupação sumir, sentando ao seu lado, vendo-a deitar no meu colo.

 

-Será que a Taylor tá bem? - Ela pergunta, enquanto deslizo meus dedos nos seus cabelos..

 

-Acho que sim, logo ela deve aparecer. - Ela solta um suspiro pesado. - Amanhã podemos sair pra procurar ela.

 

-Você quer ajudar a procurar a menina que te tratou daquele jeito?

 

-Ela é sua irmã, Lolo. Todo mundo daqui tem me ajudado tanto, o mínimo que eu posso fazer é tentar ajudar de alguma forma! - Ela me lança um sorriso fechado e eu vejo seus olhos marejando.

 

-Eu não quero que nada de ruim aconteça com ela, Camz. - A primeira lágrima escorre. - Eu disse coisas horríveis pra ela.

 

-Calma, Lolo. Ela só deve estar chateada, quando ela se acalmar, ela reaparece. Você tem que descansar agora, pra ter energia pra procurar ela amanhã.

 

Mas, antes que ela pudesse sequer se ajeitar, ouvimos a voz de Clara, anunciando que a pizza chegou e era pra descermos.

 

O silêncio enquanto comemos é enorme e Clara e Mike não desgrudam do celular. A pizza no prato deles fica esquecida e eles nem parecem se lembrar.

 

Após comermos, Lauren avisa que vamos na farmácia e eles apenas murmuram em concordância.

 

Lauren está calada e eu fico agoniada por não conseguir fazer nada para ajudar. Depois de eu comprar o absorvente, voltamos para casa, no mesmo silêncio. Logo subimos as escadas e nos preparamos pra dormir e, como fiz ontem quando nos deitamos, eu a puxo para meus braços, fazendo carinho em seus cabelos.

 

Depois de soltar algumas lágrimas, ela acaba caindo no sono. Eu me estico na cama, pegando o celular e acionando o despertador para acordarmos cedo.

 

-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x

 

Aquele barulho irritante começa e minha vontade é de jogar o celular na parede. Mas Lauren é mais rápida e apenas desliga o barulho chato. Ela se espreguiça e eu faço o mesmo, vendo que seu rosto tá inchado por causa do choro. Ela me lança um sorriso fechado e eu a vejo levantando e eu imito seu gesto, levantando e indo atrás dela, que leva uma mão ao seu rosto e, quando seguro seu braço para fazê-la parar de andar, vejo as lágrimas rolando por seu rosto e ela se joga em meus braços, me apertando e chorando em meu ombro.

 

-Calma, meu amor, a gente vai achar ela! Te prometo, ela vai aparecer logo.

 

-É culpa minha, Camz, eu que mandei ela sumir da minha frente! - Ela não teria sumido se não fosse por minha causa.

 

-Lauren, ela não ia ser babaca de assustar todo mundo assim. Ela só precisa esfriar a cabeça, logo ela vai aparecer, meu amor. Agora vai lá tomar um banho pra tomar café e depois vamos sair por aí e achar sua irmã.

 

Ela acena com a cabeça e vai pro banho, enquanto separo umas mudas de roupas para mim e para ela. Enquanto ela toma banho, separo o remédio que a médica mandou eu tomar depois do café da manhã. Sem demorar muito, Lauren sai do banho e eu sigo para o banheiro em seguida.

 

Quando saio do banho, Lauren já está vestida e penteando seu cabelo. Pego minhas roupas, me vestindo rapidamente e, logo depois, Lauren me puxa para cuidar dos ferimentos no meu rosto e braços.

 

Descemos as escadas e encontramos a cozinha vazia, Lauren me deixa sentada à mesa e vai pegar algumas coisas, voltando com café, leite, algumas frutas, pão e geléia. Não dizemos muita coisa, ela apenas se serve de sua caneca generosa de café e pega uma fatia de pão, enquanto eu tomo leite e pego uma banana.

 

Assim que acabamos de comer, pego o que sujamos e lavo, enquanto ela vai pegar a chave do carro no quarto e, em instantes, já estamos saindo da garagem. Ela encara a rua um momento, se perguntando para onde ir.

 

Logo passamos por 4 amigas diferentes de Taylor e nenhuma notícia. Passamos na casa de um ex namorado, mas nada também. Assim que voltamos para o carro, Lauren dá um soco no volante frustrada.

 

-Lolo, não tem nenhum outro lugar que você conheça que ela goste? Ou que vocês iam? Qualquer lugar? - Ela começa balançando a cabeça negativamente, mas logo para, como se tivesse lembrado de algo.

 

-Tem um lugar… - Ela diz dando a partida no carro arrancando. - A gente ia lá quando estávamos entediadas, ela sempre disse que era o lugar preferido dela. Merda! Como eu não lembrei disso antes? - Ela começa a passar os carros em alta velocidade, recebendo, como resposta, várias buzinadas.

 

-Calma, Lolo. Não corre ou vai acabar batendo. - Ela tira um pouco o pé do acelerador, mas se mantém no limite da via.

 

-Ela sempre disse que aquele lugar acalmava ela. Ninguém sabia de lá, nem o Chris, era nosso lugar! Só pode ter ido pra lá, Camz. É uma colina mais pro fim da cidade, que dá de cara pro mar e tem umas pedras que formam uma espécie torta de cabana. - Ela solta tudo com o olhar perdido, não sei nem mesmo se ela está atenta ao trânsito, mas, felizmente, não sofremos nenhum acidente e logo estamos fora da parte movimentada, encontrando o marasmo das ruas vazias.

 

Em poucos instantes, avisto a tal cabana de pedra e o local é realmente lindo. De frente para o mar e, em um passo a mais, você cai direto nas pedras do oceano. Não, ela não fez isso! Para de pensar merda!

 

-TAYLOR? - Lauren grita, correndo em direção à cabana, mas não recebe resposta nenhuma.

 

Corro atrás dela e a encontro ajoelhada no chão, numa postura derrotada.

 

-Ela não está aqui, mas pode estar por perto. Não tem outro lugar que você conheça? - Digo me aproximando e vejo que tem algo na sua mão.

 

-Ela veio aqui, Camz. - Ela diz, deixando as lágrimas correrem livremente. - É o celular dela! - Ela levanta a mão, mostrando o que ela segurava.

 

Mas, repentinamente, ela trava e congela seu corpo e engatinha um pouco mais à frente e logo vejo o que ela avistou. Uma mancha. Uma mancha recente.

 

Uma mancha recente de sangue!

 


Notas Finais


WOW E aí? O que acham? Quero teorias!

O capítulo ficou pequeno, mas acho que foi por um bom motivo, hein?!?!

Me façam feliz: Favoritem, Comentem e Compartilhem!

Beijos, Meuzamô!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...