História Voltando no tempo ( Bakudeku - Katsudeku ) - Capítulo 7


Escrita por:


Notas do Autor


Opaaaaa sz
Tudo bom meus bebês?
Espero que estejam ótimos nhaaa sz
Do crente ao ateu ninguém explica o porque da Suzana está decidida a fazer o Izu feliz
Não, agora é sério
De uma hora para outra, eu que vós escrevo passei a fazer esse ser feliz.
Porque isso?
O Madara está no mundo real?
É isso?
Alguma explicação plausível?
Estou até assustada por não fazer mais 4 caps seguidos desse ser sofrendo
Eu me preocupo comigo mesma, sim, claro, isso é óbvio
VAMOS PARA O CAP!
Nadie :
ABSOLUTAMENTE NADIE :
Qualquer brecha pra fazer o Izu quase morrer do coração : a
Eu na fic :
Eu amo fazer esse ser humano, vulgo arbusto, alface, árvore de Natal sem estrela ter um mini infarto, eu amo!
É só isso mesmo sz
Espero que gostem nhaaa sz ( espero mesmo, até por que né? A autora não quer receber muitas ameaças por conta desses dois, já bastam as de perdição, já deu )
Desculpem erros meus amores nhaaa
Tenham uma boa leitura sz beijinhos sz

Capítulo 7 - Um sonho realizado



- DEKU!? DEKU!? DEKU!? - abriu os olhos devagar se deparando com um par de carmesins a lhe fitar atentamente com pura preocupação, o que aconteceu agora? As orbes dançaram de um lado para o outro rapidamente lhe deixando ainda mais confuso e curioso, porque ele está lhe olhando assim? - está tudo bem? Você desmaiou do nada! - piscou estático algumas vezes tentando raciocinar direito, como assim " desmaiou do nada "? Seus olhos arregalaram ao lembrar do óbvio, ou seja, ele tivera perguntado se não seria melhor passarem a namorar, bem, pelo menos fora o que acha que ouviu, tomara que esteja certo, tomara que ele ainda sustente a sua pergunta, pois não está querendo perder essa chance.

- Kacchan!?... - tocou a bochecha direita do mesmo com carinho o vendo franzir o cenho com confusão, sorriu internamente pelo feito, ele realmente é lindo e agora após aquela pergunta, após a ouvir quer o ter inteiro, fora 23 anos sem absolutamente nada, agora está mais sedento que o normal, está o querendo agora mesmo, sim, sabe que não pode o fazer, mas quer, quer muito, muito mesmo. 

Antes que pudesse processar algo já está com uma boca na sua, ergueu as mãos devagar as levando até a nuca alheia logo adentrando os dedos nos fios dourados de tal local, os cabelos dele são macios, são tão bons de tocar, ah, ama demais essa relação que têm agora, só Deus e si próprio sabem o quão feliz está agora, sabem o quão feliz fica ao está com ele, seu corpo inteiro derreteu ao sentir a língua dele adentrando em sua boca vagarosamente, não o impediu, na verdade quer que ele faça muito mais coisas consigo, quer que ele passeie ela por seu corpo igual o bicolor fazia no futuro, ou melhor, quer que ele faça totalmente diferente dele, pois com certeza irá amar por ser ele e do modo dele, deslizou a mão direita pelas costas do mesmo devagar enquanto ele suga o seu lábio inferior, ele beija de um modo diferente, ele beija de um modo único e não quer abrir mão dessa boca nunca mais, rodeou o braço esquerdo em volta a cintura do maior o trazendo para si, sim, precisa sentir o corpo dele colado ao seu, precisa sentir esse calor absurdo que o corpo dele tem, ele está de camisa, mas ainda assim consegue sentir um calor maravilhoso vindo dele e não é capaz de ditar o tamanho da sua felicidade por está o sentindo e não a castanha, está com vontade de ir até ela e falar algumas verdades na cara dela.

Subiu a mão esquerda pelas costas do outro levando sua camisa junto para logo após a deslizar por sua pele, nunca tivera o tocado assim e é mil vezes melhor do que o tocar com roupa, é muito melhor, puxou os fios dourados com um pouco de força ao sentir uma língua deliciosa vasculhando cada mísero centímetro de sua boca, quando parar de o beijar terá que entrar em um balde, pois o seu corpo estará em estado líquido, suas pernas estão temendo igual vara verde agora, não é questão de medo ou algo do tipo, a questão é que, tivera imaginado isso a sua vida inteira, o ter deitado por cima de si enquanto se beijam desse modo, enquanto as coisas esquentam pouco a pouco, seu corpo treme só em pensar em uma transa, não quer apressar as coisas, até por que ele não sabe o que tivera passado, mas também não pode esperar muito, por que realmente não aguenta esperar por muito mais tempo, pois já esperou até demais, o seu coração sempre acelerou por o ver e agora, bem, sente que terá um ataque cardíaco, as bocas se separaram bem devagar, mas ele lhe deu um selinho demorado logo após, pediu a Deus mentalmente para que ele continuasse a lhe beijar e tocar, porém ele afastou-se de si, sinceramente, o que custa fazer algo a mais? Exatamente, não custa nada!

Lembra de um dia, quer dizer lá no seu futuro triste e totalmente insuportável, lembra que ele disse que gosta de coisas intensas, lembra também que a castanha surgiu com algumas marcas roxas em seu corpo, ela já disse que ele algemava ela, bem, disse a Asui, Asui disse a Mina e Mina disse para si, então o que custa ele lhe mostrar um pouco desse seu lado? Nunca disse isso à ele, mas gosta de sentir um pouco de dor em momentos profanos, as orbes dançaram de um lado para o outro lentamente e novamente as bocas colaram, lembra a felicidade que a castanha falava dele, lembra da malícia que ela o beijava, que o tocava, lembra da raiva que ficava e ainda fica por lembrar, porém não há como esquecer de tudo aquilo, tem raiva por não ter feito nada da primeira vez, se tivesse criado um pouco mais de coragem, se tivesse tomado vergonha na cara e lutado pelo que ama não teria passado por tal sofrimento, se disser que não tem raiva de si mesmo estará mentindo, pois quando ouviu ele falar que lhe ama, ficou feliz na hora, mas quando parou para analisar ficou incrivelmente irritado, ficou com vontade de se bater, mas não fez nada demais, pois não teve coragem disso também, que idiota! Nem sabe por que ele lhe ama e também não irá debater. 

Pediu a Deus mentalmente para que um gemido abafado não escapasse de sua garganta ao ter o seu lábio inferior mordido, ele está se soltando aos poucos assim como si, está com vontade de o jogar na cama e lhe mostrar que não é tão inocente assim, mas volta atrás em seus pensamentos, pois lembra que, uma vez perguntou o que o loiro gostava mais na castanha e ele respondeu que, era a sua tímidez, pois ele tem meio que um fetiche em pessoas tímidas ou algo assim, não lembra direito, pois corou significativamente ao ouvir sua revelação, o motivo? Bem, por ser tímido demais e ele nunca ter lhe atacado, um som desconexo escapou de sua garganta sem que percebesse ou pudesse impedir, ele beija bem, muito bem mesmo, está com vontade de descer a boca e beijar o seu pescoço, beijar sua clavícula e um pouco mais, mas não pode fazer isso, pois tem medo da reação dele, tem medo de que ele possa lhe odiar, mais um som desconexo escapou de sua garganta e tudo que quer agora é cavar um buraco e se enterrar nele agora mesmo, tudo que quer agora é parar de gemer na frente dele, as bocas se separaram bem devagar e Deus, quer o beijar mais, quer o beijar de novo, mas está com um pouco de medo, observou a boca dele se abrir e ah, o que ele quer dizer? Prefere ficar calado o beijando, o tocando, o tendo pouco a pouco, mas não quer falar.

- já está quase na hora de irmos a escola, sabia? - o fitou por alguns segundos atentamente, ele é lindo, a pele exposta de seu pescoço, sempre quis ver mais que essa parte, sempre quis o ver sem camisa, sem calça, sem cueca... chega! Não pode pensar nessas coisas justo a essa hora da manhã, não pode se dá ao luxo de se excitar agora, mas poxa tem a mentalidade e as experiências de 23 anos, mesmo que queira não dá pra controlar, é mais forte que si, muito mais forte mesmo.

- sabe Kacchan!?... essa camisa é muito bonita... eu gostei muito dela... - uma sobrancelha loira se ergueu com confusão e um tanto quanto curiosidade lhe fazendo sorrir largamente pelo feito, com certeza ele fica bem melhor sem ela, mas isso não vem ao caso agora, não deveria ter tentado afastar os seus pensamentos elogiando uma simples peça de rou... - o-o-o q-que você está fazendo, Kacchan!?... - engoliu em seco tentando limpar sua garganta, pois ela está fechando muito rápido, dá pra ouvir a quilômetros de distância os seus batimentos cardíacos, suas pernas estão tremendo mais ainda, suas mãos estão soando frio, sua mente está ficando nevoada e o motivo disso? Nada demais, só o fato do homem da sua vida está tirando a camisa bem na sua frente sem ao menos ter lhe preparado antes, poxa, será que ele não se cansa de judiar do seu pobre coração? Pelo visto não!

- toma! Já que gostou tanto assim pode ficar pra você... - observou ele estender a peça em sua direção do seu modo decidido de sempre, porém não está conseguindo sair de seu transe agora, tudo que consegue pensar é na cena maravilhosa que lhe está sendo concedida, é, finalmente está vendo bem mais que a parte de seu pescoço - ah não, eu tenho que lavar e...

- EU LAVO! - observou ele assentir meio sem jeito, Jesus Cristo, porque tivera a pego de um modo tão brusco da mão dele? Ah, claro, deve ser por que queira ela assim para aproveitar o cheiro dele, queira ela pra fazer certas coisas impróprias, sim, é bem perverso - o-obrigado... - corou significativamente ao ver um sorriso de canto surgir nos lábios rosados do loiro, porque? Pra quê judiar tanto assim do seu coração? As orbes dançaram de um lado para o outro lentamente e automaticamente um selinho demorado se fez presente, é, com certeza prefere essa relação do que simples bons amigos, prefere mil vezes ficar assim, prefere está o beijando do que está apenas o olhando.

- sabe Deku!?... eu estava pensando antes de você acordar, ou melhor, estava pensando sobre nós dois enquanto te via dormir, eu sei que você deve está pensando " e você pensa? " - sorriu largamente com tal comentário inesperado e repentino por parte do mesmo, ok, confessa que ele não é uma das pessoas que mais pensam nesse mundo, ele é do tipo de pessoa que faz as coisas no impulso, se o seu instinto mandar fazer, ele simplesmente vai lá e faz sem pensar nas consequências que pode ter, mas de certa forma inveja isso dele, pois por mais que tente não consegue, não consegue fazer nada no impulso.

- a culpa não é minha se você é muitoooo impulsivo Kacchan, mas eu não pensei em nada disso, não se preocupe - fora aproximando o rosto ao do outro devagar o vendo sorrir de canto fazendo seu coração disparar imediatamente, como é possível alguém ficar ainda mais lindo do que já é? Poxa, as leis da física não o explica, deu um selinho demorado no mesmo logo sorrindo largamente, precisa muito dele, precisa dele mais que tudo nesse mundo, cada segundo que se passa, cada segundo que corre o seu coração entra em desespero, pois quer ter muito mais dele, muito mais mesmo.

- faz tempo que quero te perguntar algo, mas toda vez que vou fazer a pergunta algo acontece, é como se não fosse pra ser, isso é foda - colocou a mão direita sobre a do loiro logo a apertando com força, está com tanta vontade de falar tudo pra ele, está com tanta vontade de o agarrar e fazer tudo que quer agora mesmo, mas irá esperar, se for por ele espera quanto tempo for necessário, abaixou o olhar para boca alheia fazendo sua vontade de o beijar aumentar muito mais, a boca dele é muito gostosa, tem muita vontade de o beijar sempre que a olha.

- fique comigo! - seu lábio inferior fora sugado com força lhe fazendo derreter um pouco mais, realmente não consegue entender esse poder que ele tem sob si, ele lhe deixa totalmente atordoado, apertou a mão alheia um pouco mais forte inalando a respiração quente do mesmo preenchendo os seus pulmões com esse ar deverás gostoso, não sabe por que exatamente voltou no tempo, mas agradece todo santo dia por isso, afinal graças a isso está ficando mais com ele.

- eu estou bem aqui! - mordeu o lábio inferior para conter certas palavras, ok, não deveria ter dito aquilo, mas felizmente ou não, ele não entendeu o real sentido do seu pedido, pressionou os lábios contra os seus demoradamente, quer mais, quer muito mais que isso, quer o ter por inteiro e se ele soubesse pelo que passou, iria lhe dá tudo e um pouco mais por simples pena, já sofreu demais, quase morreu de tanta tristeza, não é questão de ser egoísta, simplesmente merece ser feliz.

- não era... bem, eu quero um beijo - subiu a língua pela boca alheia bem devagar logo se repreendendo mentalmente pelo feito, tem que manter em mente que precisa se controlar, não pode simplesmente o atacar de uma hora para outra, precisa manter sua calma e acima de tudo, precisa deixar as coisas acontecerem no seu devido tempo, deixar elas fluirem como tem que fluir, sim, se deixar isso acontecer tudo irá ficar bem, tudo irá ficar perfeito assim como ele.

- um beijo? - largou um " hurum " na boca dele assim que ele aproximou os rostos, sinceramente, Deus tem que lhe ajudar por enquanto, pois está a ponto de surtar, ele é tudo demais, lindo demais, gostoso demais, tentador demais e não consegue ficar calmo - agora? - assentiu prontamente logo fechando os olhos lentamente, irá esperar ele, irá ver como ele irá fazer, se é que irá fazer algo, a respiração quente do mesmo veio com tudo em sua boca e respirar com certeza já não é mais possível, não desse modo, seu peito está subindo e descendo em um ritmo rápido, afinal está muito ansioso, quantos segundos já se passaram? 5? Mais? Ok, talvez esteja exagerando um pouco.

Entreabriu os lábios devagar ao sentir uma boca colando a sua do mesmo modo, seu peso desceu para os seus pés assim que braços muscolosos rodearam sua cintura lhe puxando para si com força, sim, o loiro é forte, muito forte, ele pratica algumas artes maciais desde os 09 anos e ele é muito bom em todas elas, ergueu as mãos meio hesitante e sem jeito as levando até a nuca do outro, sente um calor, um calor maravilhoso em si, sente um calor escaldante e sabe por que, afinal ele está sem camisa e o melhor de tudo, não é apenas o calor que dá pra sentir, o maior tem o corpo definido, ele tem vários gominhos no abdômen, diferente de si ele sempre teve um ótimo porte físico, por outro lado sempre fora mais magro, franzino, mas ele não parece se importar com isso, ou pelo menos ele mostra não se importar até se tocar disso, tomara que seja a primeira opção, pois não quer o perder pela segunda vez e dessa por causa do seu porte físico, com certeza não quer isso, mas isso não vem ao caso agora, muito menos lhe importa quando há uma boca gostosa engolindo a sua, uma boca quente, amarga, sim, ela é um tanto quanto amarga, mas isso só a torna única.

Deslizou a mão direita pelo tórax alheio devagar apreciando mais o calor dele, apreciando cada mísero centímetro dessa definição maravilhosa que apenas ele tem, lembra que gostava de tocar o corpo do bicolor, justamente pelo físico dele, mas com certeza não chega nem ao pés de como é tocar o loiro, o calor, a pele, o cheiro, tudo, absolutamente tudo do loiro é diferente, só em o tocar o seu corpo treme de emoção, é uma felicidade grande, mas tão grande que não cabe em si, só ficava feliz com o bicolor na hora do prazer, já com o loiro um simples abraço já lhe deixa incrivelmente feliz, cedeu o pedido de passagem da língua alheia imediatamente mais uma vez, não importa quantas vezes tenha que o fazer, pois irá fazer quantas forem preciso, toda vez que a sente em sua boca é como se uma explosão acontecesse dentro de si, como se Deus lhe colocasse no paraíso com passagem apenas de ida, deslizou a mão esquerda pelo tórax do outro e sinceramente, não quer parar de o tocar nunca mais em sua vida, enquanto estiver o tocando irá parar de ter medo de o perder, enquanto estiver o beijando irá parar de ouvir o barulho do seu coração, as bocas se separaram bem devagar e um beijo demorado fora depositado em sua testa, ele com certeza é muito fofo, muito fofo mesmo.

- eu quero te perguntar algo - fez um aceno de cabeça para o mesmo e o melhor de tudo é que, ainda está com as mãos no tórax dele e ele não está notando, se está não está reclamando e isso é ótimo, pois quer ficar com as mãos aqui pelo resto de sua vida, alguns segundos se passaram em um silêncio desconfortável e ensurdecedor lhe deixando levemente preocupado, ele não é de ficar calado de uma hora para outra, o que aconteceu? 

- Kacchan!?... - os carmesins se fixaram em si fazendo uma onda elétrica percorrer o seu corpo, nunca irá conseguir se portar na frente desse olhos, pois eles são penetrantes demais, intensos demais, ele lhe tira a alma para logo após lhe devolver ela de novo, os olhos dele são iguais aos de um predador pronto para atacar a sua presa, mas não irá pensar nisso por enquanto, pois é esse olhar penetrante que faz a sua vida ficar colorida em um piscar de olhos.

- quer namorar comigo? - sentiu sua visão embaçar na mesma hora que ouviu a pergunta, isso é um sonho realizado, tivera imaginado tantas vezes essa pergunta, tivera passado tantas noites em claro imaginando como seria ter um namoro com ele e agora, bem aqui isso está acontecendo, se disser que não quer chorar até não poder mais estará mentindo, mas não pode fazer isso agora, não na frente dele, engoliu em seco tentando limpar sua garganta e impedir que lágrimas deslizem por seu rosto, hoje é o dia mais feliz de sua vida.

.

.

.

- quero!


Notas Finais


Obrigada por lerem sz


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...