1. Spirit Fanfics >
  2. Voltas de Um Vira Tempo - Tom Riddle >
  3. Crucio

História Voltas de Um Vira Tempo - Tom Riddle - Capítulo 11


Escrita por:


Notas do Autor


Boa noite meus amores💚
Como estou muito inspirada e ligada no 220, resolvi escrever mais um pra vocês💚🖤💚
Boa leitura💚

Capítulo 11 - Crucio


Sinto o corpo de Órion se afastar abruptamente do meu e quando abro meus olhos vejo um Tom Riddle completamente raivoso, com seus olhos em um tom de vermelho que eu jamais vi em minha vida, sua mão da varinha tremia levemente. Ele estava a um passo de matar qualquer um que entra-se em seu caminho agora.
- Nunca mais se aproxime da minha mulher, Black...eu já havia deixado bastante explícito o que faria com quem descumprisse minha ordem- Tom aponta sua varinha para ele mas ao ver o que o mesmo pretendia fazer, corro em sua frente, afim de evitar um possível duelo e infelizmente a dor angustiante do Crucio inesperado por mim de meu amado me atinge.
   Caio no chão tremendo de dor e não consigo focalizar em nada nesse momento, todo meu corpo doía e doía muito, quase como se estivessem me cortando e dando choques em meu corpo. Eu preferia qualquer coisa a sentir isso, até a morte rápida de um Avada. Um Crucio com sentimentos de raiva e ódio poderiam enlouquecer qualquer um, eu não poderia, eu não posso enlouquecer, não mesmo, tenho que suportar...mas está sendo tão angustiante, mal consigo respirar...
- Nicole, amor, olha para mim, me perdoe, me perdoe linda...não feche esses lindos olhos espertos, por favor linda, me perdoe - escuto a voz grossa de Tom me chamar ao longe e gotas de água molharem meu rosto, mas minha mente já estava longe demais para responder qualquer coisa.

                [...]

 Abro meus olhos lentamente acostumando-me com a luz forte do local, mas que local?
   Tento me levantar mas escuto suspiros ecoarem pela enfermaria, a única coisa que consegui mexer foram meus dedos, a dor era tanta que um guinchado e um choro foram travados em minha garganta.
- Nicole - Anthon vem até o meu lado passando a mão em meu rosto- chamem a Madame Pomfrey, agora- ele grita para alguém que saí correndo atrás da Madame que esqueci o nome.
- Consegue se mexer, Nicole? - Canopus me pergunta preocupado.
- N-não - respondo chorosa ao lembrar de tudo que aconteceu.
- Merlin, não chore eu também irei chorar assim- Evan pega em minha mão com Canopus assentindo com a cabeça em confirmação.
- Senhorita Boötes percebo que acordou, não consegue se mexer? - a curandeira me questiona.
- Não, apenas os meus dedos - respondo respirando fundo.
- certo, vou ter que te dar pela quinta vez a poção para acordar seus ossos, acredito que eles adormeceram com o impacto que teve, e que impacto para não ter funcionado até agora - ela pega uma caneca e coloca uma poção verde estranha, abro minha boca para  que ela possa me dar o líquido de aspecto duvidoso.
 O gosto era estranho e muito ruim, mas finalmente consegui mexer meu corpo, me levantando rapidamente.
- Vá com calma, mocinha, você ficou desacordada o dia todo - a curandeira me censura com o olhar.
 - Vai pra onde? - questiona Anthon de braços cruzados na minha frente.
- Vou sair daqui, ora essa, que pergunta mais estranha - respondo colocando meus sapatos.
- Mas, você...Merlin, você é impossível - Anthon bate em sua testa.
- Preciso de um banho e comer...comer muito - dou beijos nas bochechas de todos os presentes, notando que apenas Riddle não está na enfermaria.
  Saio como um raio do local indo direto a cozinha da escola, que se encontrava com alguns elfos realizando suas atividades.
- Com licença, eu não pude jantar e estou com muita fome, vocês poderiam por favor me dar algo para comer? - pergunto atraindo o olhar dos mesmos que parecem estarem assustados - certo...eu, acho que não deveria os incomodar, me desculpe - falo indo em direção a porta.
- Sem problemas, doce senhorita, aqui está seu jantar - me viro para a voz suave que me chamava, encontrando um elfinho me puxando pela minha mão para o balcão repleto de comida.
  Minha nossa é muita coisa...
- muito obrigada, acredito que não conseguirei comer tudo isso, vocês poderiam comer comigo? - me sento pronta para comer.
- Piny, não sabe se é certo senhorita - o elfo me olha incerto.
- ah eu acho que é mais do que certo - afirmo sorrindo para ele.
  Nosso jantar foi muito agradável, os elfos são melhores que muita gente por aí, agora estou voltando para o salão comunal indo direto em busca do homem que preciso conversar. Confesso que eu queria em primeira instância gritar com ele, bater nele e até o azarar se possível.
  Acontece que tive uma conversa bastante interessante com o Piny, e ele me ajudou a perceber que Tom provavelmente deveria estar se culpando agora, porque ele nunca teve ninguém que o quisesse em sua vida, eu sei de toda história de Tom, ele nunca teve ninguém que o escolhesse, ele no final ainda era só um garoto que por mais que cometeu muitos erros, ele precisava ser amado e ser tocado com carinho. 

Meu coração amoleceu na hora, eu no fundo compreendia o que ele queria dizer... eu mesma cometi gravíssimos erros no meu passado que no caso agora seria futuro.

- Onde ele está? - pergunto para Nott, que se encontrava sentado lendo algo sozinho, seus bisnétos são iguaizinhos a ele, silenciosos e muito observadores.
- não sei, senhorita Boötes...acredito que deva estar em seu quarto ou no banheiro dos monitores-chefes- olha por cima de seu livro me analisando sério - se o encontrar...tome cuidado, ele está deveras estressado, nunca havia visto ele desse jeito antes. 
- agradeço o aviso, senhor Nott - saio correndo até o banheiro dos monitores, parando na porta respiro fundo umas três vezes tentando me acalmar.
  Abro a porta silenciosamente, trancando-a logo em seguida, vejo uma silhueta de um homem dentro da enorme banheira.
   Sem pensar duas vezes tiro minha roupa ficando nua, vou até a outra extremidade da banheira adentrando a mesma, mas percebo que ele ainda se encontra totalmente perdido em seus pensamentos até que paro em sua frente.
- Tom- seguro sua face com as duas mãos, atraindo a atenção do belo garoto para mim.
- Não, não me toque - ele se desvencilha cuidadosamente de minhas mãos nervoso.
- Por que, Tom?- o questiono abraçando seu corpo nu com carinho, sem qualquer resquício de malícia.
- Porque eu só irei te machucar, minha Nicole... eu machuquei você, eu machuquei a minha linda - sua afirmação me pega desprevinida.
- Shii- coloco meu dedo indicadorem seus lábios o silenciando- está tudo bem, Tom... eu amo você- surpreendo a mim mesma com minha declaração, que nada mais foi do que um impulso de meu coração. Eu o amo, merda, eu o amo.
- Não, você não pode amar um monstro - responde apertando minha cintura e com uma lágrima solitária descendo por seu lindo rosto.


Notas Finais


Foi isso meus bruxinhos💚
Um beijo e até o próximo capítulo 💚🖤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...