1. Spirit Fanfics >
  2. Volte para mim >
  3. Let me

História Volte para mim - Capítulo 7


Escrita por:


Notas do Autor


oi meus amores, fiquei muito feliz com a interação de voces nos capitulos anteriores, por isso resolvi postar o mais rápido possivel <3
novas surpresas virão...

Capítulo 7 - Let me


Fanfic / Fanfiction Volte para mim - Capítulo 7 - Let me

Ele sumiu em um piscar de olhos, e eu fiquei sozinha, de joelhos e confusa com o que acabará de acontecer. Por pouco, não nos beijamos, mas aqueles toques foram ainda mais íntimos que um selar de lábios. eu nunca pensei que teria que chegar a tal ponto. Ao contrario do que imaginei, aquela missão estava saindo totalmente do meu controle, tomando rumos estranhos e me causando sensações desconhecidas.

O tempo estava ficando frio, e uma vasta neblina se estendia pela a floresta, logo tudo iria ficar escuro demais para enxergar. Obviamente, eu teria que pensar em outra forma de adentrar a vila, que havia ficado ainda mais complexo que o plano inicial. Mas antes, minha prioridade seria encontrar a cabana, e pegar algumas coisas que escondi, antes de sair para vasculhar as redondezas e coincidentemente encontrar madara. por sorte, deixei o pergaminho a salvo, caso contrário, tudo poderia ter acabado de uma forma diferente.

Tento me localizar entre os galhos que cobriam a área, em busca de um caminho conhecido. Faltava poucas horas para o anoitecer, e o frio era torturante. Após algum tempo, consigo achar sinais do local onde acordei. Finalmente, chego na cabana abandonada, e tudo se encontrava da mesma forma que deixei. penso em passar a noite, e de imediato troco as minhas vestes, com outras roupas limpas, que tsunade havia colocado em uma manta, junto com alguns mantimentos e o pergaminho que me levaria de volta ao presente. Após isso, acendo uma pequena lareira, ainda intacta em meio aos escombros. Consigo me aquecer, e fazer uma refeição digna. Me aproximo do fogo, e fico por alguns minutos observando a chama se expandir. Tudo se resumia em um total silencio, menos em minha mente, que estava perdida em momentos anteriores, mas precisamente em madara. ele demonstrava, ser um homem ainda mais misterioso que pensei.

Era impossível desvendar o que passava em sua cabeça. seus impulsos, jeito, toques, tudo era completamente diferente do que conheci. Ele não era comum. Havia mistério em seus olhos, e sagacidade em seus atos. ele parecia gostar em se sentir no comando, provocando dor. Todo o tempo que estive submissa as suas ameaças, suas emoções demonstradas, foram neutras e pacificas. Como se, ele não tivesse a intenção de me machucar, mas apenas de me observar, analisando as minhas reações, olhando através da minha alma. Ele não me viu como uma ameaça, por isso não me matou. Pensando com mais clareza, o que aconteceu na cachoeira não parecia ter sido coincidência, foi como se ele já soubesse que eu estaria lá. E quando me libertou, sem nem ao menos questionar a veracidade da minha identidade, não fez sentido, não havia logica em seus atos. Madara era um enigma que me vi instigada a desvendar, mas tudo parecia perdido, já que não poderia vê-lo novamente. A missão estava ficando cada vez mais fora do seu rumo, e meu tempo se esgotando. Eu teria que ficar de olho no uchiha, me infiltrar em konoha, e esperar sem levantar suspeitas. Mas vez disso, eu estou sozinha em uma cabana e sem um plano b em mente. Tudo que me restava, era tentar sobreviver, sem que madara me notasse. Pelo os meus cálculos, madara ainda seria aliado do primeiro hokague, mas em breve partiria, e voltaria com a raposa de 9 caldas para confronta-lo. logo no amanhecer, eu teria que pensar algo que me desse passe livre a vila da folha, porém o único aliado do meu suposto clã eram os uchihas, e o líder dele, infelizmente não me queria por perto. Mas eu não desistiria, eu estava ali unicamente por um motivo, e não havia probabilidade de fraquejar. Eu fui a discipula da godaime, aprendi com ela e evolui. Não sou a sakura de antes, não tenho que ter medo do meu destino. Fracassei quando deixei naruto morrer, fracassei ao me envolver com sasuke, e fracassei quando eu mesma me subestimei. Mas daqui em diante, eu não fracassaria mais.  E nada e nem ninguém, tirará isso de mim.

 

 Disposta a dar o meu melhor e não temer as ameaças do uchiha, me vi determinada em dar continuidade na missão. ir até a vila, vê-lo novamente e se necessário confrontá-lo. foi um erro ter sido tão maleável em suas mãos. Tentar beijá-lo foi a coisa mais maluca e sem sentido que passou em minha cabeça. eu não poderia ter feito aquilo, muito menos ter sido tão sem cautela. Para que o plano desse certo, eu teria que raciocinar antes de agir, e fiz tudo contrário. Tomei decisões vergonhosas, e não me reconheço agora. Essa não sou eu, não é a sakura que batalhei tanto para ser. como consegui ser tão imprudente? Eu realmente, não sei. Desde que cheguei aqui, algo em mim mudou. Toda aquela responsabilidade, toda pressão que sinto dentro de mim. Tudo isso, era um tormento. E desde que o vi, desde que aqueles olhos vermelhos me encontraram, eu só agi por impulso. Naquela floresta, ele bagunçou minha mente. Me fez ter sensações estranhas, e agora tudo que consigo fazer é pensar nele.

Me sinto exausta,e logo o sono me fez uma visita. Deito no chão frio e sujo, e me aproximo da lareira. A olho queimar, e logo minhas pálpebras se fecham. Eu poderia sentir os seus lábios se me concentrasse. O formigamento na barriga, as náuseas, o medo. Mas eu preferia que tudo aquilo fosse embora, então mentalizei apenas a escuridão. tudo estava calmo, até o momento que escuto vozes vindo do exterior da cabana. Levanto-me repentinamente e vou até a janela, de lá avisto dois homens que pareciam ser de outra vila. Me escondo em outro comodo, e tento pensar em uma forma de sair sem ser notada. Havia duas portas na cabana, uma atrás e outra na lateral. Em passos silêncios sigo até a segunda porta, prestes a sair, sou surpreendida com a mão fria de um homem que brutalmente me segura pelo o pescoço, pressionando a minha gargante e sufocando-me. Tento acertá-lo com o meu ombro, mas com a sua mão livre, o mesmo segurou os meus braços para trás, impossibilitando qualquer ataque.

 

-  _ não era isso que eu estava esperando de um deus shinobi_ anunciou a figura misteriosa. – eu te vi chegar no nosso ponto de encontro, e desde então estou a observando. Hoje você servirá para me aquecer, e depois que usá-la, os meus dois companheiros lá fora, farão ainda pior. Vai desejar ser morta, mas eles não vão parar até que você mesma se mate. Hashimara é um tolo, em mandar uma mulher para fazer o serviço de um homem.

A figura desconhecida atrás de mim, soltava altas gargalhadas grotescas, enquanto me acusava de ser uma ninja enviada pelo o primeiro hokague. era possível sentir o seu hálito tenebroso mesmo de costas para o mesmo. Apesar de estar em desvantagem, consigo soltar os meus braços e socar o seu rosto, fazendo-o cair no chão. imediatamente viro-me em sua direção e o vejo levar a mão até a cintura, puxando uma espécie de katana da bainha. Ele era um homem de cabelos ruivos e pele alva. Havia diversas cicatrizes em seu rosto, que denunciava ser um ninja inimigo de konoha. possivelmente um assassino.

- sua garota insolente, como ousa me confrontar?_ disse o ruivo, cerrando os dentes e visivelmente irritado. _ agora terei que matá-la.

Em um movimento veloz, o mesmo veio em minha direção, aplicando diversos golpes seguidos. Consigo desviar facilmente da sua espada, e mais uma vez o acerto, dessa vez o imobilizando. Sua expressão era de surpresa e medo.

- não me subestime por ser uma mulher. De onde eu vim, homens como você, não derrotam mulheres como eu. _ respondo.

O vejo gemer de dor no chão, e olho mais uma vez pela a janela. Os outros dois homens estavam afastados, vigiando o local e pareciam ansiosos. Caso fossem mais atentos ao que acontecia na cabana, teriam escutado os gemidos do seu parceiro. Mas em vez disso, demonstravam estar preocupados com outra coisa. Aproveito esse momento de distração e tento contornar a cabana, indo por outra direção. Porém, percebo que os mesmos estavam voltando, tento fugir despercebida, mas eles me avistam. Corro o mais rápido que posso sem olhar para trás, suas vozes ecoavam pela a floresta, feito hienas famintas. Apesar de conseguir derrota-los se quisesse, eu não arriscaria chegar a esse ponto. Já que um feito nessa proporção, poderia surtir efeitos que anulariam o único ato que eu poderia mudar no passado, a ressureição de madara. a floresta foi ficando ainda mais fechada e suas vozes e gritos mais próximos. Tento tomar outro caminho, mas sou surpreendida por um dos dois homens que me perseguiam.

O inimigo consegue me acompanhar, e me ferir com uma técnica de gelo, atirando laminas afiadas em minha direção. Uma dessas laminas acerta o meu ombro, Travando os meus movimentos. Elas tinham um efeito paralisante, mas mesmo assim consigo arrancá-la do ombro. Sinto uma dor queimante e uma sensação de tontura. Levo minha mão até o ferimento, curando o machucado. Decido lutar, então contra-ataco. Apesar de estar conseguindo lidar com a situação, o veneno paralisante que estava em meu sangue começava a fazer o seu verdadeiro efeito. Ele era um inibidor de chakra. Fui perdendo as forças aos poucos, e com isso os outros dois ninjas conseguiram vantagem. Tudo estava saindo fora do meu controle, e em momento de distração sou acertada por outra lamina, dessa vez perfurando quase que por inteiro a minha perna, faltando pouco para atravessar o musculo. Impossibilitada de lutar, os vejo se aproximar para um ultimo golpe. tento escapar, mas minha perna esquerda estava paralisada. Fecho os olhos e espero pelo o pior.

Ao fundo escuto uma terceira voz. Era outro homem, e pela a reação daqueles que queriam me matar, ele não era um deles. Após isso, tudo que consigo ouvir são gritos e o ruído de ossos se quebrando. Meu coração acelera e logo penso ser o uchiha, mas ao abrir os meus olhos novamente, me deparo com a figura borrada de um homem diferente de madara, que naquele momento me estendeu a mão. A escuridão não me possibilitava ver o seu rosto, mas mesmo assim consenti a sua ajuda. O mesmo segurou a minha mao e me ajudou a levantar. A tontura dificultava enxerga-lo direito, eu sentia que a qualquer momento iria desmaiar, então não consegui me manter pé. Imediatamente sou aparada por seus braços.

- preciso levá-la comigo, o veneno que está em seu corpo irá matá-la, senão tomar o antidoto imediatamente. _ disse uma voz profunda e musical, suave de ouvir, mas claramente preocupada.

Eu conseguia capturar o odor metálico do sangue em suas roupas. Suas mãos eram quentes e macias, e sua me presença me trazia segurança. Sem escolhas, apenas afirmei com a cabeça, dando permissão que me salvasse. Sem mais delongas, sinto a pressão dos seus braços me levantando até a altura do seu tronco. Uma de suas mãos entrelaçava minha cintura, enquanto meu rosto apoiava-se no seu ombro. sua armadura roçava em minha pele, a medida que ele pulava de um tronco para o outro, e por algum motivo me senti confortável.

- fique acordada, você não pode desmaiar_ avisou-me. _ logo chegaremos a konoha. o sangue do meu irmão irá curá-la. Não sei como se chama, nem de onde veio, mas não a deixarei morrer. _ completa.

- quem é você? _ interrogo-o 

- hum _ suspirou.. ­_ o meu nome é tobirama senju. _nesse momento, sinto a sua mão tocar o meu rosto, fazendo com que meus olhos fossem de encontro aos seus. 

 

 

 

 


Notas Finais


prevejo ciumes...
obrigada por lerem, comentarem e acompanharem. Vocês são tão especiais 😢❤️


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...