1. Spirit Fanfics >
  2. Volte para mim, por favor (Kastsudeku - Bakudeku) >
  3. Declaração?

História Volte para mim, por favor (Kastsudeku - Bakudeku) - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Bom dia gente, essa one-shot, originalmente era para ser postada no projeto do deku ativo, porém o Spirit, simplesmente tombou o conta… então a Choice, nos deu permissão para postar isso no nosso perfil mesmo…

desculpem pelos erros, espero que gostem

Capítulo 1 - Declaração?


Pegou papel e caneta, e então começou a escrever, colocando todo o seu orgulho de lado. Sentia falta de Midoriya, e desde que terminaram, por falta de demonstrações de afeto por sua parte, vem pensando em como poder demonstrar o que sente verdadeiramente por ele.

Sempre que tentava alguma abordagem era rejeitado, talvez tudo aquilo tivesse sido demais para Izuku. Ele que sempre demonstrou o que sentia, apenas esperava reciprocidade sua… mas nem isso fora capaz de fazer. 

Começou a escrever, tendo em mente todos os momentos bons, e que Todoroki, estava de olho em Midoriya.



“Eu sei que pode ser repentino, e até mesmo incômodo, mas ultimamente eu venho lembrando de nós, sobre como éramos antes do nosso término. 

Mesmo sendo imaturo, negando seguidas vezes que te amava, você sem sombras de dúvidas, era e é, a pessoa que eu amo. O foda é que cada dia que passa, eu percebo o quão idiota e mesquinho eu fui. Porra, você me deu uma oportunidade de mudar, de deixar aquela personalidade superior que eu criei por anos, e no final, eu joguei ela fora! Eu realmente não sei se te mereço ainda, talvez você ficasse melhor com o meio a meio de merda, mas eu não quero isso. Eu quero ser seu, e quero que você seja meu.

Existem tantas lembranças que ficam na minha mente, desde nosso primeiro beijo naquele jogo estúpido de verdade ou desafio, nossa primeira vez, até mesmo o nosso término… você disse que nós não nos afastaríamos, mas hoje em dia, você mal olha nos meus olhos, vive para lá e pra cá com a cara de bolacha, com o Iida, e nem vou falar do Todoroki.  

Eu não quero te forçar a ficar comigo, ou fazer isso por dó, você sabe o quanto eu odeio quando sentem pena de mim, eu só quero uma nova chance. Eu prometo ser tudo que nunca fui! Eu vou deixar de lado toda essa minha pose arrogante, ser alguém melhor… Por você Izuku, eu mudo.”


Se sentia fraco escrevendo aquelas palavras. Mas quando se trata de Midoriya, a muito tempo já não pode ser forte. Ele tirava o melhor e o pior de si. Em todos o tempo que teve algo com seu outro ex, nunca se submeterá a ele, mas no primeiro toque do esverdeado, seu corpo se derretia, e não teria chance alguma de lutar por dominância, ou talvez, apenas não quisesse isso. 

Não escreveu mais nada, pois sabe que nem 1000 palavras seriam o suficiente. Agora teria que entregar para ele, mas como eram 2:30 da madrugada, e todos devem estar dormindo, ou pelo menos, deveriam estar, foi até o quarto do esverdeado, e passou a carta por baixo da porta, mas no momento que fiz isso, percebeu a luz acesa.


— Merda, ele tá acordado — Disse cochichando, e então virou as costas para voltar para o seu quarto. Ouviu a porta atrás de si ser aberta, e então acelerou o passo.

— Kacchan? Foi você que deixou isso aqui? — Ele disse um pouco confuso.

— Não sei do que você está falando, Deku — Usou a melhor desculpa que pensou na hora, e logo depois se amaldiçoou mentalmente por ter feito isso.

— Mas é a sua letra aqui — Suspirou, e então virou.

— Que porra Midoriya, sim, fui eu quem deixou isso aí — Falou um pouco alto, e se arrependeu quando lembrou que horas eram.

— Entendi — Ele olhou em direção ao papel, e começou a ler.

— E-espera você vai ler a-agora? — Se embolou em meio às palavras, estava entrando em desespero.

— Não é para mim ler? 

— Claro que é para você ler, mas não na minha frente — Um sorriso malicioso se formou nos lábios dele.

— E por que não, Bakugou? — Seu corpo estremeceu inteiro com o tom de voz que ele usou.

— É vergonhoso — Ele voltou a sua atenção para a folha, e passou ler baixinho, só conseguia ver a boca dele se mexendo um pouco. Menos de um minuto se passou e ele olhou para si.

— E como eu vou saber se isso é verdade? — Diferente de instantes atrás, seu tom agora era sério.

— Você só precisaria confiar em mim… — Virou o rosto, não queria encara-lo.

— E se eu dissesse que estou com o Shocchan agora? — Seu corpo congelou. Então o meio a meio foi mais rápido.

— Eu pediria para você terminar com ele, e voltar comigo — Sentiu seu corpo ser empurrado, e então o impacto de suas costas com a parede — Mas que porra? — Ele havia colado seus corpos, lhe olhava de um jeito que confundia a sua cabeça.

— Eu não estou com o Shouto — Olhou irritado para o mais baixo — Só queria saber como você reagiria a isso — Ele deu um sorriso de canto, e então se aproximou mais de si e depois um selar em seus lábios. Céus, como sentiu falta disso, os lábios de Izuku eram macios, tanto quanto aparentavam ser, passou esse tempo todo querendo prová-los novamente, e agora que pode fazer isso, não acredita que seja realidade. Ele lhe beijou novamente, dessa vez afoito, guiando todo o ritmo do beijo, e antes que as coisas partissem para um rumo qual não pudessem controlar, sugeriu que fossem para um quarto.



Notas Finais


bom, era isso…


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...