1. Spirit Fanfics >
  2. Volúpias de Beacon Hills >
  3. Capítulo 23

História Volúpias de Beacon Hills - Capítulo 23


Escrita por:


Notas do Autor


Os capítulos de flashback serão um pouco maiores mesmo, mas acho que os outros não será tão grande como esse rsrs. Boa leitura!

Capítulo 23 - Capítulo 23


Um ano e dois meses antes...


Mackenzie e Sarah ouvem Blake contar a última fofoca que escutou pelos corredores do colégio. Era para estar tendo aula de inglês, mas o professor pediu demissão há alguns dias e ninguém substituiu ele.


- María Torres, a garota do último ano, estava contando para as amigas a cena horrenda que havia visto. - Blake prende seus longos cachos platinados fazendo suspense.


- Tá, e qual foi a cena? - pergunta Sarah abanando as mãos no ar.

- O diretor Pérez, está transando com a Sra. Giménez.

- A dona da cantina?! - Sarah praticamente grita.

- Fala baixo, cacete. - Blake repreende. - Mas sim, e de acordo com ela, foi uma cena horrorosa.

- É de se imaginar. - Mackenzie comenta. - Ver qualquer um dos funcionários dessa escola transando deve ser um verdadeiro filme de terror. Qual é? Não tem ninguém gato para a gente poder ao menos fantasiar.

- Lembre-se que eu estou sempre disponível para você, baby. - Joaquin Valencia, o amigo mais atirado do grupo, que está sentando atrás delas, diz com uma piscadela.

Mackenzie revira os olhos e volta-se para as amigas.

- A única coisa que temos é isso. - ela aponta para o moreno. - Um garoto com a capacidade cognitiva de um peixe.

As amigas riem, fazendo Joaquin bufar.

- E eu quero ver a sua capacidade cognitiva quando estiver gemendo o meu nome.

- Nossa, Joaquin já está sendo ridículo uma hora dessas? - pergunta Luna, sentando na cadeira à frente de Sarah.

- Não há horário para ser idiota, minha querida amiga. - diz Blake. - Por falar em horas, onde você estava?

- Longa história. - ela suspira.

- Adorei o seu cabelo, Luna! - Kenzie diz.

- Obrigada. - agradece com um sorriso genuíno. - Decidi explorar mais a minha afro-descendência e estou adorando.

- Mas voltando ao assunto... - Blake se ajeita na cadeira. - Pensei que você estivesse ficando com Juan.

- Eu não estou ficando com ele, a gente fica de vez em quando. - Mackenzie explica e sorri mordendo o lábio inferior. - Tipo ontem.

- A malícia no sorriso de quem transou a noite toda. - Sarah diz fazendo todas elas rirem e Mackenzie dar de ombros.

Rosalie entra correndo na sala e senta ao lado de Luna, na frente de Kenzie.

- O que aconteceu? - Blake questiona.

- Estava com medo de me atrasar, tive um teste surpresa. - a ruiva explica. Ela não estuda matemática com as outras do grupo, já que é da turma mais avançada nessa matéria.

- Você tem notícias da Kim? - Luna pergunta.

- Bom, com certeza ela não estava na aula de matemática avançada com a Rosalie. - Sarah zomba.

- Realmente, não estava. Mas acho que a vi perto da máquina de salgadinhos.

- Falando nela... - Blake aponta para a porta da sala, onde Kimberly, Juan e Paolo acabam de passar.

- Oi meninas. - Paolo cumprimenta e deixa uma caixinha na mesa de Rosalie, sentando na cadeira ao lado da mesma. - Comprei para você.

Kimberly passa por eles, sentando ao lado de Blake, entre Mackenzie e Joaquin. Juan senta ao lado de Kenzie, atrás de Paolo.

Rosalie abre a caixinha com cuidado e suspira ao ver o delicado colar ponto de luz de esmeralda.

- Lembro que disse na semana passada que essa é a sua pedra favorita. - o loiro dá de ombros.

- É lindo, obrigada. - ela ajeita os óculos no rosto e sorri para ele. - Pode me ajudar a colocar?

Paolo sorri de volta pegando o colar, ela vira de costas para ele segurando o cabelo ruivo.

- Combina com seus olhos. - ele elogia.

- Nossa, eu vou vomitar. - Mackenzie comenta.

- Deixa dessa. - Luna dispensa. - Eles são muito fofos.

- Preciso te dar um colar também? - Juan sussurra por trás de Mackenzie.

Ela se vira para olhá-lo e sorri com a aproximação, seus rostos estão à poucos centímetros de distância e eles conseguem sentir a respiração um do outro.

- Não, apenas orgasmos. - Juan puxa Kenzie pela nuca iniciando um beijo apressado.

- Bom dia, alunos. - o diretor cumprimenta entrando na sala. - Nós vamos para o... Srta. Gomez! Sr. Martínez!

Juan se afasta de Mackenzie e ambos começam a rir. Logo, todos os outros alunos presentes fazem o mesmo

- Vocês sabem que essa demonstração de afeto é proibido nesta instituição!

- Perdoe-nos, diretor Pérez. - Juan disfarça o riso e senta ao lado de Mackenzie.

- Fiquem sabendo que caso a situação venha a se repetir, os dois ficarão suspensos por duas semanas. - ameaça.

- Muito tempo para transar. - Juan sussurra para apenas Mackenzie ouvir.

- Uma oferta tentadora. - ela sussurra de volta com um sorriso malicioso.

- Bom, como eu ia dizendo. - continua o diretor. - Agora vocês irão para o auditório para assistir à palestra sobre inclusão escolar.

Todos os alunos se levantam e acompanham o diretor para o auditório.

- Eu jurava que você estava transando com Paolo. - Blake diz para Kimberly.

- Tá maluca? Eu não posso nem pensar na possibilidade de me interessar por um branco que meus pais caem em cima. - Kimberly dramatiza. - É sempre a mesma coisa "Kim, meu bem, você precisa se envolver com um negro. Isso é importante para o padrão da nossa família". - imita muito mal a voz da sua mãe. - A sorte deles é que eu realmente tenho essa preferência. - Mackenzie olha para ela com uma sobrancelha arqueada. - E não, Kenzie. Juan não é uma opção para mim. Pode ficar tranquila.

- Se fosse não teria problema. - ela dá de ombros.

- Ah claro que não. - Sarah ironiza.

- Não mesmo. É só sexo.

- Você diz isso sempre. - Luna retruca.

- E alguma vez você me viu sofrendo quando chega ao fim? Não? Pois é, quando eu digo que é só sexo, é apenas sexo mesmo. - ela dá de ombros e todas encaram Rosalie que as alcança correndo.

- Paolo me chamou para sair! - a ruiva conta, seu semblante é um misto de alegria e apreensão.

- Ros, isso é incrível! - Luna comenta entusiasmada.

- Você parece receosa. - Kenzie lê suas expressões.

- É que... - ela suspira. - Esses garotos só pensam em sexo e... vocês sabem, eu sou virgem.

- E não há absolutamente nem um problema nisso. - Sarah tenta assegurar.

- Mas e se ele tentar...

- Vocês se conhecem há tempos, Ros... - Blake corta a fala da ruiva.

- É verdade. A essa altura do campeonato você já conhece o caráter dele, sabe que ele não iria te forçar a fazer o que não quer. - concorda Kimberly.

- Vocês falam sobre sexo com tanta naturalidade e pra mim não é assim. - confessa. - Principalmente você, Kenzie.

- Calma lá, hein? Nem todo mundo aqui não é mais virgem. - Luna interrompe.

- Rosalie, preste atenção. - Mackenzie segura os ombros dela, fazendo-a encarar seus olhos. - Você vai sair com ele, vão se divertir pra caraca, se a coisa toda evoluir você decide como quer fazer. O direito de dizer não é todo seu e se ele forçar alguma coisa, o que eu acredito que não vai fazer, pode ligar para uma de nós que iremos buscar você e arrancar o pênis dele fora. Mas caso você decida que está na hora de perder a virgindade e sente-se confortável com ele para isso, só digo uma coisa: use camisinha, meu bem.

Com isso, Mackenzie volta a andar pelo corredor e todo o grupo segue ela. O auditório está lotado, quase todos os alunos do colégio estão presentes. O azul marinho do uniforme chega a deixar a vista cansada. O grupo se senta em uma das fileiras do final, onde podem conversar sem interrupções, já que os professores e o diretor está bem longe na primeira fila.

As luzes são apagadas e as imagens são projetadas no telão. Três mulheres e dois homens, com idades entre 25 e 40 anos estão no palco e se apresentam.

- Eu odeio esse uniforme. - Kimberly resmunga apertando a saia com raiva. - A pessoa não pode nem sentar direito.

- Tem que sentar feito moça, Kim. - Blake diz irônica, sabendo que é a frase que a amiga mais odeia.

- Vai se foder.

- Se estivéssemos nos Estados Unidos isso não seria necessário. - Sarah diz. - Mas até que esse uniforme não é tão ruim assim.

- Pelo menos não é xadrez. - Luna concorda.

- E o azul é bonito. - diz Rosalie.

- E não precisamos usar gravata. - Kimberly considera.

- E podemos cortar as saias para deixar mais curtas. - Mackenzie fala.

- Principalmente você, né Kenzie? - Sarah questiona.

O uniforme original, a saia é na altura do joelho, mas a maioria das meninas cortam para que fiquem mais ou menos na metade da coxa. Mackenzie foi a única ousada o suficiente para deixar a saia azul marinho mais curta possível, bem acima do meio da coxa, bem no limite.

- Sabe, eu tenho uma dificuldade em ser igual aos outros. - Kenzie retruca com um sorriso.

- Ai eu não estou conseguindo respirar. - Kimberly tira o paletó, da mesma cor que a saia, e abre os dois primeiros botões da camisa social azul clara.

- Você tomou alguma coisa antes de vir? - questiona Luna e a outra nega com a cabeça, os cachos volumosos dançando por cima dos outros.

Mackenzie para de prestar atenção à conversa das amigas e se inclina para frente, chegando perto da nuca de Juan que está sentado na poltrona da frente.

- Acho que está na hora de irmos para o C.M.E.A. - ela sussura maliciosamente e morde de leve o pescoço dele.

C.M.E.A significa Canto Mais Escuto do Auditório e é um dos lugares favoritos de Kenzie e Juan no colégio. Eles descobriram que o canto direito do auditório bate tão pouca luz que é quase impossível que outras pessoas enxerguem o que acontece lá.

- Estava pensando a mesma coisa. - sussura de volta e estende a mão para trás acariciando o cabelo dela.

- Eu vou primeiro. - diz e se levanta arrumando a saia. - Com licença, meninas.

Ela se direciona pela lateral e senta-se na primeira poltrona do C.M.E.A. Dois minutos depois, o moreno se junta a ela, sentando no assento ao lado.

- Esse aqui sempre vai ser o meu lugar favorito do colégio. - ele diz e coloca ela em seu colo. Kenzie sorri tirando o paletó, após deixá-lo de lado, começa a desabotoar os botões da camisa social azul clara expondo o sutiã de renda vermelho. - Você não cansa de me enlouquecer não é mesmo? - pergunta abrindo o sutiã e apertando os seios dela.

Mackenzie geme baixinho e rebola no colo dele, sentido cada vez mais a ereção por baixo da calça azul.

- Preciso de você. - Juan sussurra contra os seis dela, começando a chupar um enquanto aperta o outro.

Kenzie abre a calça dele e aperta seu membro, fazendo-o grunhir. O moreno coloca ela deitada nas poltronas, abaixa a calça, deita por cima dela, leva a mão para baixo da saia afastando a calcinha e passando os dedos por sua intimidade.

- Tão molhada. - ambos gemem.

- Vai logo. - murmura arqueando as costas.

Juan beija ela enquanto penetra com calma para evitar altos gemidos, afinal, eles estão em um local público com uma média de 1500 pessoas perto o suficiente para ouvir.

Mackenzie arranha a nuca dele evitando gemer. Juan diminui a velocidade torturando-a. Sem sair de dentro dela, ele se senta e faz com que ela sente em seu colo começando a rebolar.

Gozam juntos e ficam abraçados esperando a respiração se normalizar. Juan fecha o sutiã dela e começa a abotoar a camisa dela. Mackenzie encara o semblante dele e beija seu rosto quando termina de fechar a camisa. Sai do colo dele e arruma sua saia.

- Sua camisa ficou muito amassada. - ele diz vestindo a calça.

- Por sorte usamos isso. - ela aponta para o paletó e veste. - Viu? Até parece que eu nunca saí daquela cadeira.

Eles ouvem que a palestra já acabou e decidem voltar para sala antes de tumultuar o corredor. Sentam em seus respectivos lugares e Mackenzie pega um espelho para arrumar seu cabelo e retocar o batom. Alguns minutos depois, todos os alunos já estão na sala.

- Você sumiu. - comenta Sarah para a melhor amiga.

- Estava na secretaria. - Mackenzie retruca examinando as unhas. - Vamos marcar um dia de spa?

- Oh yes, baby! - Blake bate palmas.

- Kenzie é especialista em mudar de assunto. - Luna torce os lábios. - Mas enfim, eu topo também.

- Acho que não vou com vocês... - Rosalie diz prendendo o cabelo ruivo. - Tenho que estudar, acho que não me sai muito bem no teste.

- Você sempre diz isso e sempre tira uma nota muito boa. - Kimberly revira os olhos apoiando os pés na própria mesa.

- Além disso, você precisa relaxar um pouco. - concorda Luna. - Não se deixe sobrecarregar.

Elas encaram Rosalie esperando uma resposta. A ruiva suspira arrumando os óculos no rosto e dá um sorriso de canto.

- Tudo bem. - as meninas comemoram. - Mas isso não vai virar um costume, ok?

- Você quem manda, gêniazinha. - Kimberly dá de ombros.

- Olá, alunos. - o diretor Pérez entra na sala e fecha a porta. - Gostaria que todos sentassem em seus devidos lugares, por favor.

- Ah não! Ele vai ficar sempre aqui nas aulas de inglês? - murmura Blake para as amigas.

- Espero que não. - Kimberly murmura de volta e se senta direito.

Ao ver que todos estavam sentados e esperavam em silêncio, o diretor retoma a palavra.

- Como vocês sabem, o antigo professor de inglês foi afastado da instituição por motivos pessoais.

- Isso é um eufemismo. - Kimberly diz fazendo as meninas rirem.

- Quer compartilhar com a turma, Srta. Velasco?

- Não, ela não quer. - Mackenzie responde. - E se eu fosse o senhor, diretor Pérez, também não iria querer que ela falasse. - ela cruza os braços e arqueia uma sobrancelha, desafiando-o silenciosamente a retrucar.

- Como eu ia dizendo. - muda de assunto. - Faz alguns dias que vocês estão sem aula de inglês. Por sorte, conheci um americano essa semana e ele vai começar hoje a dar aulas para vocês. Por enquanto será provisoriamente, pois precisamos saber se o perfil dele se encaixa aos exigidos na nossa instituição e se a maioria de vocês concordam que ele é um bom professor e deve continuar conosco.

- O perfil exigido para trabalhar aqui é transar com um dos funcionários? - Kimberly murmura para as amigas que riem.

Dessa vez, o diretor não diz nada e vai até a porta, convidando o professor a entrar na sala. Quando ele entra, as meninas encaram com semblantes chocados. O americano na frente delas é simplesmente maravilhoso.

- Pessoal, esse é Isaac Lahey, seu novo professor de inglês. - o loiro sorri para os alunos, fazendo grande parte das meninas derreter.

- Demorou para esse colégio colocar um professor bonito e poxa, eles capricharam. - diz Blake de boca aberta.

- Será que ele tem algum defeito? - Sarah pergunta apoiando a mão no queixo.

- Talvez ele seja gay. - sugere Rosalie.

- Meu amor, eu afirmo com convicção: esse cara definitivamente não é gay. - diz Sugar, o maior representante LGBTQIA do colégio.

- Eu quero esse professor. - Mackenzie diz fazendo as amigas encararem ela.

- Isso não é pedofilia? - questiona Luna.

- Ele não parece ter pouco mais de 20 anos. - Sarah supõe. - E Mackenzie já tem 18 anos. Então, não, não é pedofilia.

- Não é pedofilia, mas também não seria bem visto. - Rosalie diz.

- Quem se importa? - Blake dispensa o comentário da ruiva.

- Ela vai conseguir. - Kimberly afirma com convicção. - Ela sempre consegue.

- E também não pretendo desistir fácil. - Mackenzie abre um sorriso malicioso olhando fixamente para o professor.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...