1. Spirit Fanfics >
  2. Vossa Alteza >
  3. Capítulo 11

História Vossa Alteza - Capítulo 11


Escrita por: J_Ange

Notas do Autor


Eu acho tão gostosinho escrever essa historia, pena que a desgraça esta por vir... kkkkk

Capítulo 11 - Capítulo 11


O local era de uma beleza sem igual, Bakugo estava feliz por aceitar a ideia dos dois idiotas que ele chamava de amigos. Ali certamente era um ótimo lugar para passar o dia antes de cometer um até de traição ao rei, e serem provavelmente sentenciados a morte.

Kirishima subia nas pedras mais altas e saltava, enquanto Midoriya pulava das mais baixas. Chegava ser engraçado como o esverdeado olhava horrorizado o amigo subindo nas maiores rochas.

— Tentem não se matar — Bakugo entrava calmamente na água, ele só queria paz naquele momento

— Hey Kacchan... — Midoriya se aproximava — Pensa que o príncipe Shoto ficou chateado quando você negou o abraço dele?

— Não, nós somos meros comerciantes que ele conheceu, certamente há pessoas mais importantes que o abraçam diariamente — Bakugo não queria falar todas as coisas que havia ouvido dos lábios do cavaleiro, sabia que seus amigos se animariam demais e tinha medo que a emoção superasse a razão

— É, isso é verdade...

— ... — Kirishima se aproximou — Que caras feias, se animem amanhã a gente vai ver o príncipe Shoto!

— Amanhã a gente vai sequestrar ele — Bakugo riu brevemente — A gente tá muito ferrado!

— Pelo menos estamos juntos e vai ser por um bom motivo! — Midoriya jogou água no amigo — Agora vamos aproveitar que quando chegarmos no vilarejo e Aizawa souber disso tudo, nós não teremos tempo nem para tomar banho

— Verdade! — Kirishima voltou a mergulhar

— Se chegarmos lá...

...

Kayda andava em frente aos príncipes, assustando todos os empregados e guardas que cruzavam seu caminho. Quem olhasse de longe, provavelmente riria de tal coisa. Um guarda até mesmo se jogou em meio aos arbustos para fugir do animal.

— Alteza, não supõe que seria melhor levar o felino onde hajam menos pessoas? — Tomura perguntou

— Tem alguma sugestão, Tomu? — Shoto tinha em seus braços o filhote que era acariciado por Shinso

— Próximo aos muros do castelo há uma cachoeira, creio que o local seria do seu agrado, meu príncipe — ele olhou para os lados em busca de algum guarda para poder transmitir uma mensagem ao príncipe herdeiro — Vossa alteza Shinso concordaria?

— Deveras interessante sua ideia, Kayda poderia nadar um pouco — Shinso falou — O príncipe gostaria de ir?

— Eu adoraria, Tomu pode nos guiar?

— Claro, só um instante — ele se aproximou de um dos guardas para que o mesmo levasse a mensagem a Toya — Certo, vamos?

A grama verde era repleta de pequenas flores e borboletas. A paisagem não poderia ser mais bonita. Shoto eventualmente tinha suas mãos erguidas pela cabeça do tigre que insistia em ser acariciado pelo ômega, trazendo inúmeras dúvidas a Shinso que carregava agora o filhote em seus braços.

Um pouco afastado, Tomura olhava aquilo, ele sabia o quanto aquele pequeno estava reprimindo o que sentia, mas por algum motivo, ele não confiava no príncipe ao seu lado. Algo no jovem de cabelos roxos o deixava desconfortável, e nem era o fato dele ter um tigre de estimação. Shinso não estava ali apenas pelo motivo que falara ao rei, disso ele tinha certeza.

— Já estou ouvindo o barulho da água — Shoto falou para Shinso que naquele momento estava o observando — Algum problema príncipe Shinso?

— Oh! Não eu só estava apreciando sua beleza — ele colocou o cabelo do ômega atrás da orelha — Já decidiu o nome do filhote?

— Hum? Sim! O nome dele será Soba! — Shoto falou confiante

— Soba? — Shinso achou engraçado

— É um prato que amo, mas não é muito feito no castelo, então como ele será meu amigo e eu vou o amar também, nada melhor do que o dar o nome de algo que me faz muito feliz! — Shoto pegou em seus braços o filhote

— O quarto príncipe é alguém muito interessante

— Achei o nome um tanto... Diferente — Tomura se aproximava com cuidado, afinal aparentemente Kayda não gostava muito de sua presença — Meu senhor a cachoeira fica logo ali — ele apontava para algumas pedras — Estamos a cima dela, mas há um caminho que podemos usar para descer sem nenhum perigo.

— Podemos a olhar de cima por um instante? — Shoto pediu

— Claro, é uma vista incrível! — Tomura os guiava, mas travou ao ver os três camponeses se banhando semi nus — Meu senhor, creio que não é um bom momento para descermos

— Porquê? — Shoto se aproximou e logo virou de costa para o local com o rosto completamente vermelho

— Príncipe Shoto, o que ouve? — Shinso se aproximou e também viu a sena dos três usando apenas roupas íntimas, que eram nitidamente transparentes, sentados nas pedras — Esses plebeus são tão desavergonhados — ele rosnou — Alteza deseja ir até lá? Creio que seu cavaleiro ou até mesmo Kayda possa os fazer ir embora

— Não! — gritou o ômega atraindo a atenção dos alfas que estavam conversando enquanto sua roupa secava — Tomu, vamos voltar...

— Alteza? — a voz arrepiou o príncipe ômega, Kirishima havia falado alto para que o mesmo ouvisse

— Tomu! — o ômega choramingou e não percebeu que o príncipe Shinso o havia abraçado, para que o mesmo não virasse e avistasse os três alfas com aquelas roupas transparentes

— Estamos de saída senhores, continuem — Tomura falou aos alfas sentados nas pedras que ainda não haviam percebido que suas vestes deixavam seu corpo bem evidente.

Andando de volta ao castelo Shoto sentou na grama cobrindo o rosto e liberando muitos feromônios. Logo o pequeno Soba se aproximou, deitando em seu lado, junto de Kayda.

— Sir Tomura... — o príncipe Shinso cobria o nariz — O príncipe Shoto esta...

— Creio ser apenas um pequeno momento de vergonha — Tomura liberava feromônios para encobrir os de Shoto, fazendo o príncipe alfa tirar a mão do rosto aliviado.

Por sorte o cavaleiro tinha uma boa resistência ao feromônios do pequeno ômega, assim como Toya e seu servente que o acompanhava nas saídas do castelo. Aquilo era o que salvava o jovem dos demais.
Após o príncipe conseguir se recompor, Shinso sentou ao seu lado e ali ficaram conversando sobre os felinos, acompanhados de Tomura que eventualmente fazia alguma pergunta também.

...

No escritório real Toya encarava o pai, ele sabia que se surtasse ou falasse algo naquele momento, seu plano e de Shinso seriam arruinados. Todavia, ele estava com nojo, sua mãe tomava chá como se tudo estivesse as mil maravilhas.

— Shoto esta onde? — a mulher o perguntou

— Ele está aprendendo algumas coisas sobre o animal que ganhou, nessas horas deve estar aos arredores do castelo com Tomura e o príncipe herdeiro Shinso

— Ouvi ser bom ter contato com a natureza e os animais na condição dele — a rainha falava — Fiquei enfurnada no castelo durante todas as minhas gestações

Toya segurou-se para não falar nada, seu interior queimava de ódio a cada palavra proferida por aquela mulher. Como poderiam pensar que ele havia tocado em seu próprio irmão.

— Você não se incomoda dele estar sobre os cuidados de outro alfa ou com o príncipe Shinso? — a rainha continuava

— Toya sabe que se Shoto e o príncipe Shinso tiverem um bom relacionamento, nosso reino será beneficiado — o rei falou

Sem conseguir mais ouvir aquelas asneiras todas, Toya levantou-se e pegou sua espada que estava no sofá ao lado.

— Se me dão licença, irei encontrar meu irmão — o rei e a rainha assentiram e ele saiu do local totalmente enojado com os próprios pais


 


Notas Finais


No próximo capítulo teremos, a tentativa de sequestro/fuga e o anuncio do casamento.
Será que vai dar certo? Alguém vai morrer? Sho vai conseguir se livrar da família super nojenta que ele tem? Kayda vai assustar mais alguém? kkkk

Cês acreditam que eu fiz soba frio, e é muito bom! Deu um trabalhinho, mas eu gostei.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...