1. Spirit Fanfics >
  2. Vossa Majestade >
  3. Jantar

História Vossa Majestade - Capítulo 8


Escrita por:


Capítulo 8 - Jantar


Fui convocada para me juntar juntos aos outros na sala de jantar. Eu estava totalmente sem apetite, mas depois de uma longa conversa com Nala e a rainha, eu aceitei me juntar a eles.

Eu havia vestido um lindo vestido vermelho, colado ao corpo, o que valorizava as minhas curvas. Fiz uma bela maquiagem e fui para a sala de jantar, mesmo sendo contra a minha própria vontade.

- Vossa Alteza - O pai de Patrick se curvou em minha frente, pegando emminha mão e depositando um beijo em suas costas. - É uma honra conhecê-la finalmente.

Eu apenas forcei um sorriso e fiz uma reverência ao mesmo, afinal, mesmo não gostando da situação, não poderia ser mau educada.

- Filha, sente-se junto a Patrick - Klaus me olhou com seriedade, eu continuei forçando um sorriso e fiz o que ele havia me pedido.

Jonny estava sentado a minha frente. Ele abriu um sorriso e me lançou um olhar carinhoso, e eu lhe lancei um beijo.

- Bom, agora que estamos todos aqui...

- Querido, seu irmão não está presente - A rainha comentou, enquanto olhava para o lado de Nala.

- Eu vou atrás dele...

- Você ficará aí aonde está sentada - Klaus me interrompeu antes mesmo que pudesse me levantar. - Acontece que meu irmão teve que sair em uma ordem que lhe dei.

- Posso saber que ordem - Nala arqueou a sombrancelha para Klaus, que apenas lhe deu seu silêncio.

- Bom, já podemos comer - Diz - Bom apetite para todos.

Eu não tinha fome. Meus olhos passavam pelas diversas comidas que haviam sobre a mesa e em resposta o meu estômago embrulhava.

- Lisa, quer algo?

- Que você fique bem longe de mim - Rosno baixo, para que apenas ele pudesse ouvir. - Estou aqui obrigada, só isso.

- Mesmo assim, estou feliz em vê-la - Sorri, fazendo uma corrente elétrica passear por todo meu corpo.

- Como se isso me importasse - Resmungo, colocando apenas um pedaço de frango e um pouco de arroz em meu prato.

- Filha, você não acha...

- Vai querer mandar na minha comida também, Klaus?!

Ele se calou imediatamente, mas tava para ver no seu rosto que não havia gostado nem um pouco da minha resposta.

Devorei a comida rápido, afinal quanto mais rápido acabasse, menos tempo ficaria próxima de Patríck.

- Bom, acabei - Abro um sorriso por não tem que ficar próxima daquele idiota - Se me derem liscensa, eu vou...

- Levar Patrick para passear no nosso jardim - Conclui Klaus - Ótima ideia querida.

- Ok - Bufo - Vamos Patríck.

Ele se levantou imediatamente, mas antes que ele pudesse passar por mim, pude ver seu pai fazendo algum tipo de sinal para ele, e aquilo me soou estranho.

Caminhamos até o jardim calados. Patríck me olhava, mas desviava o olhar ao perceber que eu o olhava.

Ao chegarmos no jardim, sentamos na primeira namoradeira que vimos, com uma certa distância um do outro, embora ele tentasse se aproximar eu me afastava.

- Lisa, eu quero muito me explicar.

- Patríck eu não tenho nada para ouvir de você, eu estou aqui obrigada, pois por mim eu estaria no meu quarto fazendo qualquer coisa que com certeza seria bem mais interessante do que estar aqui.

- Lisa, eu sumi sem dizer nada por não poder te explicar, afinal você...

- Eu o que?! Eu não iria aceitar?! Eu não merecia saber que você estava simplesmente me usando?!

- Você não entenderia quem eu realmente era, ou entenderia?! - eu me calei - Você não ficou nem um pouco confusa quando soube quem você era? Me diz Lisa! Não ficou?

- Patríck...

- Eu queria te contar, queria falar que eu iria me afastar por um determinado tempo, e que eu não era exatamente quem você pensava, mas eu não pude...

- Eu não consigo te perdoar, você não entende não é? Eu não consigo olhar para você e não sentir nada, da mesma forma que não consigo olhar nos seus olhos e não sentir uma certa mágoa.

- Eu depois que fui embora não consiguia dormir direito, porque ficava pensando na noite maravilhosa que tivemos juntos. - Seus olhos se entraram com os meus - Você foi a primeira mulher que realmente mexeu comigo Lisa, mesmo sem eu saber que você era uma princesa, eu me apaixonei por você Lisa.

Eu abri e fechei as bocas várias vezes. Eu já tinha sonhado com o dia que eu encontraria Patrick novamente, e em todos os insultos que eu iria dizer a ele, mas nesse momento, eu não consiguia pensar em nada.

Eu vi aqueles lábios se aproximaram dos meus lentamente. Eu por impulso lhe transferi um tapa em seu rosto, que acabou deixando a marca.

- Você acha mesmo que vai chegar pra mim depois de 2 anos, dizer algumas palavras bonitas e eu vou me derreter toda? - Ele apenas me olhava enquanto eu faltava - Eu não sou a mesma Lisa que você conheceu a 2 anos, eu mudei bastante, e pode ter certeza que não vou me deixar cair nesse seu papo furado novamente, sabe por que? Por que eu te odeio Patríck Nolan.

Eu me levantei e sai andando, dando passos largos e duros, eu estava irritada, como ele pode ter a audácia de tentar me beijar? Como ele pode achar que depois de tudo que aconteceu, ele iria se aproximar, dizer algumas palavras e iria ficar tudo bem? Meu ódio por Patrick apenas aumentou.

- O que aconteceu? - Clarisse segurou em meu braço, vendo o estado em que eu me encontrava - você está bem?

- Seu pai acha que eu preciso de um homem do meu lado - Reviro os olhos - como se em pleno século XXI uma mulher precisasse de um homem para viver.

- São algumas normas da realeza irmã, apenas acustume-se. Mas o que aconteceu?

- Patrick tentou me beijar - Digo furiosa.

- E quem é Patrick?

- Um idiota que eu namorei, que agora é o príncipe de Longard.

- Patríck Nolan?!

- Esse imbecil mesmo- Rosno - Eu não acredito que com tantos príncipes no universo, justamente esse que foi dado para ser meu pretendente.

- Ele não pode ser tão ruim assim...

- Ele é bem pior - retruco - ele é um imbecil, que quis apenas se aproveitar de uma garota apaixonada, a usou e depois a descartou como se nada mais importasse.

- Lisa...

- Mas se ele está pensando que vai me reconquistar com uma dúzia de palavras bonitas ele está muito enganado.

- Então há um modo de fazer você me perdoar e voltar pra mim - aquela voz grossa e sexy surgiu bem atrás de mim, me causando um arrepio na espinha.

- Te perdoar Patrick eu já perdoei - explico - mas voltar para você nunca!






Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...